1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Bangtan - Uma amizade >
  3. Capítulo 1

História Imagine Bangtan - Uma amizade - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi genteeeeee, finalmente cheguei com a versão 2 do Imagine bangtan - uma amizade.
Sobre o canal eu tenho que criar ainda, assim que eu criar eu passo pra vcs!! Bjo, aproveitem💜

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Imagine Bangtan - Uma amizade - Capítulo 1 - Capítulo 1

17 de março – 5:00 - Casa
Acordo com o meu despertador, indicando que era 5:00. Me levanto, calço minhas pantufas e vou em direção ao meu banheiro. Tiro meu pijama e fico descalça, entro no box e deixo o jato de água morna cair sobre meu corpo.
10 minutos depois, saio de lá e fico em frente ao meu guarda-roupa, mexo um pouco nele e acho meu uniforme escolar. Me visto e me sento na minha escrivaninha, abro a primeira gaveta e pego maquiagens básicas para escola.
- Acho que vou usar... esse rímel, um delineado e... um gloss. A não posso esquecer o protetor solar.
Fecho a gaveta e me arrumo, penteio o cabelo e olho pro espelho confiante. Sorrio ladino e desço para a cozinha.
- Bom dia mãe! – Digo me sentando à mesa.
- Bom dia filha, está bonita hoje! – Diz
- Obrigada. Hum... o que temos aqui? – Olho as coisas que têm em cima da mesa. – Acho, que vou pegar esse e... – Pego um pão – Esse. – Digo pegando requeijão.
- Bom dia filha! Uau, está bonita hoje. – Meu pai diz, entrando na cozinha.
- Obrigada. – Digo colocando café na minha xícara.
- Você não vai querer leite? – Minha mãe pergunta.
- Não, você sabe que eu gosto de café preto. Mas eu vou querer açúcar. – Digo sorrindo.
Termino meu café e subo, indo em direção ao meu banheiro. Escovo meus dentes e assim que termino, me sento na cama e tiro meu celular da tomada.
- Vejamos o que eles postaram.
Entro no Twitter e vejo a notificação que me aguardava.
- Show? Não acredito! – Digo abrindo a foto pra ver melhor. – O Brasil está incluído? Califórnia, New York... BRASIL! Isso! Quando vai ser o show? Aff, não diz aqui.
Coloco meu tênis, pego minha mochila, meu celular e meu fone. Desço.
- Eu vou te levar. – Escuto minha mãe.
- Não precisa.
- Vai logo, eu te levo.
- Tá bom.
Entramos no carro, coloco meu fone e começa a tocar Animals, Maroon 5. Eu amo essa música.
Depois de alguns quarteirões chego finalmente na minha escola.
7:00 da manhã, escola
Desço do carro, dou um beijo de despedida na minha mãe e vou em direção ao corredor, onde fica os armários.
Abro o mesmo e sinto uma mão no meu ombro, pelo susto pego o pulso e viro, deixando a palma da mão pra cima.
- Ai ai aiiii!! Me solta louca!!
- Ah, desculpa Camila. Eu não sabia que era você, estou escutando música.
- Tudo bem. – Diz passando a outra mão pelo pulso vermelho. – Você não acredita! – Diz esquecendo por completo do pulso, colocando as duas mãos sobre meu ombro. – Eu conheci um garoto ontem na festa de bodas dos meus pais e ele é liiindo! – Diz, com os olhinhos brilhando.
Camila é minha melhor amiga, desde que eu me conheço por gente ela era minha amiga. Ela veio dos Estados Unidos, acabou sendo minha vizinha e aí começa nossa amizade. Dois anos depois ela se muda para outro condomínio, mas não perdemos o contato. Acho que eu a conheço a 11 anos, caramba! Eu aguento essa garota a 11 anos?
- Amiga... você já pesquisou sobre ele? Tá sentindo alguma coisa por ele? – Perguntei, preocupada.
- Para garota, você é muito obcecada pelo passado das pessoas. – Diz revirando os olhos.
- Você sabe muito bem o porquê. – Digo
- É verdade, desculpa.
Me viro, pego meu livro de matemática enfio na bolsa e seguimos até a sala.
- Mas, acho que você tem que desencanar com o seu passado com o Miguel. Ele foi, já era!
- Sim, eu sei. Ele é passado... mas, deixou uma baita marca no meu coração. Você sabe disso.
Entramos na sala, as mesas são juntas. Então eu e a Camila nos sentamos uma do lado da outra.
- Bom dia alunos! Todos em silêncio. Abram na página 273 do livro de vocês. – A professora diz.
45 minutos depois...
- Muito bem, se lembrem da tarefa de casa! É para me entregarem amanhã. Tchau pessoal. – A professora informa antes de sair da sala.
- Ai, eu odeio matemática. – Lucas reclama na minha frente, se jogando pra trás.
- Sai de cima da minha mesa. – Digo o encarando.
- Ai tá bom, chata. – A última palavra ele fala baixo, mas eu o ouço.
- Como é que é? – Digo puxando o cabelo dele.
- NADA NADA, DESCULPA. – Diz segurando minha mão.
Solto o cabelo dele e me levanto.
- Ignora, deve ser a TPM. – Escuto Camila dizendo. – Ei!! Doida, me espera!! - Diz correndo atrás de mim. – Aonde você vai? – a morena pergunta ao meu lado.
- Vou encher a garrafinha. Por quê? Ah, e vou pegar o livro de história.
- Por nada. Você percebeu?
- Percebi o que fia? Se você não me contar eu nunca vou saber. Não tenho bola de cristal. – Digo
- Nossa, trocou a ferradura hoje? Enfim, acho que o Lucas está gostando de você.
Mas essa agora.
- Tá doida é? Ele gosta da Carol, não de mim. Todos gostam da Carol.
- Tá. – Ela para na minha frente – Então por que ele fica te irritando toda hora, me pede pra se sentar do seu lado, quer sempre ficar na sua companhia, e por que te chamou pro baile de formatura do ano passado? – Diz, com as mãos na cintura.
Reviro os olhos e passo pelo obstáculo moreno e americano.
- Não sei tá bom. Por que você não pergunta pra ele?
Chego no meu armário e troco os livros, deixando o de matemática e pegando o de história. Quando fecho e me viro, e esbarro em alguém.
- Ei, olha por onde anda. – Carol...
Carol: loira, com um belo corpo, rica e vem de família italiana.
Eu e ela nunca nos demos bem, na verdade... a nossa rivalidade começou quando eu estava no 8° ano, e ela no 9°. Tudo isso por causa de um garoto idiota. Nós gostávamos do mesmo garoto, só que bom... ele a preferiu.
Eles começaram a namorar no 1° ano, eu ainda não o tinha superado por completo, mas depois me acostumei. Dois meses depois das férias eles terminaram, e ela me culpou... ele estava gostando de mim.
- Oi Carol. Não vi você aí, atrás de mim. – Digo – Bom, preciso sair.
Ando pro lado, pra me desviar... mas sou impedida. Vejo Camila olhando pra mim, suspiro e sorrio.
- Oi... quer me acompanhar? – Pergunto debochada.
- Não... acho que... – olha pro meu livro. – Vou pegar isso.
Ela pega meu livro.
- Me devolve Carol.
- Por que eu faria isso? – Diz folheando o mesmo. – Anotações de nerd, típico. Como que o Miguel gosta de você? – Me olha, como se fosse algo impossível. – Você não é bonita, é uma nerdizinha, gosta daqueles coreanos gays, é antissocial e esquisita. Não sei o que ele viu em você.
Eu vou voar nessa garota. Fecho o meu punho, sentindo minhas unhas na minha pele. Quando eu ia falar algo, alguém me interrompe.
- Eu vi nela, o que falta em você. Caráter. – O Loiro diz.
Olho-o impressionada, ele nunca me defende.
- Ai Miguel, sério? Me deixou por causa dela? Eu sou muito mais bonita, você sabe disso. – Diz fazendo cara de vítima – E faço coisas que tenho certeza que ela nunca fez. – Diz maliciosa traçando desenhos imaginários no peitoral do mais alto.
Reviro os olhos, como essa garota pode ser tão metida? Ela me dá nojo.
- Prefiro ficar com ela do que com você. Não me importa o que você faz, se você é mais bonita ou se ela é mais bonita. – Diz segurando os punhos da loira, afastando-a dele. – Descobri que meu tipo não são garotas que humilha outras pessoas pra conseguir o que quer. Descobri que meu tipo são garotas com caráter, garotas que são gentis com as outras, e que ajudam sem nada em troca. Pela garota certa, eu troco o mundo.
Fiquei realmente impressionada com o que ele disse, e não foi só eu. Camila e todas as outras pessoas que estavam ao nosso redor também estavam. Mas quem ficou mais chocada foi a Carol, ela estava com uma feição furiosa.
- Por favor, pare de perturbar ela. E eu não tenho mais nada com você, então não fica mais mandando mensagem, ou eu vou te bloquear de tudo. – Diz colocando as mãos no bolso da calça, tranquilamente.
Carol sai de lá furiosa, se estivéssemos em um desenho animado com certeza daria pra ver uma nuvenzinha de raios sob a cabeça dela.
- Me desculpe por isso. Ela sai do controle as vezes. – Diz envergonhado.
- Tudo bem. Eu a conheço. – Digo um pouco fria. – Bom, tenho que ir senão eu fico pra fora da sala. Tchau. – Digo saindo de lá rapidamente, com Camila no meu pé.
- Mulher! O que foi isso! Ele te defendeu pra você na frente da escola toda!! E ainda por cima esfregou a cara daquela mocréia no chão. Foi muito engraçado. – Diz andando apressado ao meu lado, tentando meu acompanhar.
Confesso, foi incrível aquilo. Nunca pensei que ele faria isso, principalmente depois do que ele aprontou. E eu amei ver a cara de abobada da Carol. Teve a lição que merecia.


Notas Finais


É isso meus anjos, desculpe a demora... mas tá aí!!! 💜💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...