História Imagine BTS - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 32
Palavras 3.329
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Kim Seokjin


Fanfic / Fanfiction Imagine BTS - Capítulo 2 - Kim Seokjin

— Não dá mais pra ficar assim! — Diz  exausta com as mãos dentre nos fios de cabelo se colocando sentada em um dos sofás do lugar e analisa o homem do outro lado que ao ouvir tais palavras demonstrou facilmente suas emoções, o trazendo de volta a realidade.

Já se faziam alguns minutos que estavam dentro daquele quarto de hotel brigando, sem ao menos saber o real motivo da briga. Não havia fundamento para estarem daquela forma mas ainda assim brigavam. Ambos estavam confusos e machucados com as diversas ofensas que foram ditas pela boca dos dois, em uma outra situação de lucidez não teriam falado quaisquer palavras que os pudessem se magoarem mais.

— O que disse? — O homem pergunta com a voz embargada sentindo algumas poucas lágrimas escaparem diante de seus olhos. — Não pode está falando sério, está?

— Eu não sei — Respira fundo tentando se manter firme a frente de seu namorado mas era algo impossível, afinal ele a conhecia melhor do que ninguém. - Eu simplesmente não sei! Estou muito magoada com tudo que disse, mas ainda assim o amo demais para te deixar. Ficar perto de você, machuca sim, mas ficar longe de você seria ainda pior.

Em meio a lágrimas, um meio sorriso foi possível de ser visto em seu rosto com as juras de amor da garots, que por mais que estivesse triste e machucada ainda amava aquele cabeça dura que era seu companheiro. Já haviam passado por diversos momentos difíceis e não seria por uma simples briga comum que o fariam vacilar diante do amor dos dois.

Era maravilhoso de se ver a paixão que ambos sentiam pelo outro e pensar que a história dos dois haviam começado em um show, o mais clichê possível. Ela na platéia e ele no palco, dançando e cantando da forma divertida e despojada que sempre teve. O seu jeito romântico e engraçado, com piadas sem graça, mas que mesmo assim a fazia rir, a encantou. O jeito meigo e fofo da menina surtiram o mesmo efeito no homem. Ela poderia não se enquadrar no tipo tradicional da Coreia, mas era o bastante para tirar diversos sorrisos do rapaz. Era esplêndido de se ver um casal se amando tanto como os dois se amavam.

Os pais dos dois não interferiram diante da relação, afinal era apenas a felicidade dos filhos que importava, por mais que no início os pais da moça não aprovaram muito bem a ideia da filha está de relacionamento com um asiático, e o pior, namoro a distância, além da sua idade um pouco maior do que da garota. Mas quem disse que se importam com isso? Não havia idade para amar, ainda mais quando estavam juntos era perceptível o amor entre os dois.

— Não deveríamos passar o tempo brigando, já que não temos muito tempo juntos - Ela apenas concordou o vendo se aproximar e sentir suas mãos em volta do seu corpo a fazendo relaxar diante de seus grandes braços. — Está com fome?

— Sim...

— Tudo bem, irei te alimentar. — Sela os lábios com rapidez, sem ao menos poder aproveitar um pouco mais do beijo e se retira minutos depois para ligar para a recepção do hotel.

Entediada, observa todo o quarto, analisando cada detalhe minucioso do lugar tentando se distrair, enquanto o aguardava sem pressa, pedir algo para comer, porém em meio a sua tentativa falha de distração, seus olhos se voltam para Seokjin sentado sobre a cama com o aparelho telefônico na orelha aguardando alguém responder do outro lado da linha. 

Como aquele homem era incrivelmente sexy apenas falando ao telefone?

Estava realmente muito apaixonada ou ele de fato era muito bonito. Seja qual for a reposta ela tinha muita sorte de ter o mesmo para si. Diversas fãs, de todos os tipos e nacionalidades diferentes, se estapeariam apenas para ter a sua atenção, mesmo que seja por breve minutos, mas ela possuía algo de mais importante nele, seu coração.

Solta o ar com força sem mesmo perceber que havia o prendido por longos minutos. Se levanta e anda até a varanda do lugar sendo seguida pelos olhos atentos dele que ainda tentava falar com alguém.

A brisa daquela noite balança seus cabelos levemente, fazendo um frio recorrente pairar sobre sua espinha. As vestes não ajudava muito, um simples short jeans e uma blusa qualquer era o que estava em seu corpo. Quando havia saído de casa não imaginaria que o tempo iria mudar de uma hora para outra. Estava um forte sol, digno de acabar com qualquer brasileiro que se preze, mas agora estava um vento gelado que deixava seus pêlos eriçados com uma simples toque na pele.

A lua parecia ainda maior naquela noite, estava muito bela por sinal. Ela estava iluminando todo aquele céu acompanhada de algumas poucas estrelas, mas ainda assim não deixava de ter sua beleza estampada por toda aquela imensidão azul. Respira fundo observando agora o fluxo de carro que ainda era muito grande naquela hora, por mais que seja um final de semana e tarde da noite.

— Não está com frio? — O timbre de sua voz era receoso. Se aproxima dela e rodea os braços ao redor da namorada, a beijando no pescoço na sequência. - Está um pouco tarde para ficar aqui fora sem agasalhos, não acha?

— Jin! — Sorrir se virando para o mesmo. — Não deveria se preocupar com isso, já estou acostumada com o clima daqui.

— Não deveria! Está frio e você deveria se cuidar para não se resfriar. — Um sorriso estampa o rosto da garota que fica feliz com a preocupação dele. Era fofo a forma delicada que ele a protegia. 

— Tudo bem! Irei obedecer. — Diz levando as mãos entorno do rosto do homem o trazendo para perto em um beijo caloroso e apaixonante, daqueles de tirar o fôlego como nas novelas, mas diferente das novelas eles se amavam verdadeiramente.

Ele a segura pela cintura a trazendo para próximo de si, a pressionando contra seu corpo levemente. Ela por sua vez enrosca as mãos em torno dos fios de cabelo onde deu alguns puxões durante o beijo.

— Que bom que estamos entendidos em relação a isso. — Afirma ofegante observando sua menina de olhos fechados que tentava normalizar a respiração com os lábios  próximo aos dele, dentre sorrisos bobos.

— Tudo bem, vamos entrar, porque realmente agora estou com frio. — Esfrega as mãos em seus braços na tentativa falha de se esquentar.

— Vem! Vamos para dentro — Toma suas mãos entrelaçando os dedos adentrando de volta ao dormitório. - Por que não vai tomar um banho para se agasalhar melhor?

— Está insinuando que estou fedendo? — Pergunta em um falso incômodo que não sentia mas o namorado pareceu não perceber muito ao demonstrar os olhos arregalados.

— Não querida! — Se apressa em dizer negando de maneira rápida. —  Eu amo seu cheiro de todas as formas, mas quero que fique ainda mais confortável com roupas apropriadas para o frio.

— Ok. Mas não trouxe roupas. Não imaginaria que passaria a noite aqui com você. — Conclui óbvia, mordendo os lábios e balançando as pernas de forma inocente.

— Isso é o de menos, o que mais tenho na mala são roupas — Anda até suas malas retirando algumas vestes que a pudessem servir perfeitamente. — Tome essas. Ficaram perfeitas em seu corpo.

— Tudo bem. — Diz segurando as roupas em suas mãos indo a caminho do banheiro sem ao menos olhar para trás.

Já dentro do banheiro, sozinha. Retira suas vestimentas a deixando apenas de roupas íntimas e iria tirar restante se algo a frente não chamasse a sua atenção. Analisa o corpo ao espelho se movendo para se observar por diversas vezes, encontrando múltiplos defeitos em nele. Respira exausta e espalma as mãos sobre a pia analisando a si mesma por mais alguns minutos.

Por que ele havia mesmo a escolhido?

Havia diversas moças bem mais bonitas e bem aperfeiçoadas que ela, mas ainda assim ele insiste em permanecer ao seu lado. Mesmo que sejam poucas as vezes que se viam, ainda assim, não desistia de está ali. Não tinha um corpo magro ou tão pouco era alta como as coreanas eram. Se sentia inferior a ele, sentia que não era o tipo ideal para ele, acreditava que ele era muito para ela, mas era egoísta demais para o deixar ser feliz com uma outra mulher. Isso estava fora de cogitação.

— Ei? Está tudo certo aí dentro? — Sua voz pode ser ouvida ao lado de fora depois de curtas batidas na porta.

— Sim! Sim! Está... Está tudo certo. — Se apressa em dizer limpando algumas lágrimas que deixavam seus olhos.

— Tem certeza? Porque me parece que não é bem isso que está acontecendo. - Questiona duvidoso ao ouvir a voz vacilante da garota.

— Tenho sim. - Afirma tentando transparecer ao máximo de que não havia algo errado.

— Posso entrar? — Pergunta incerto se deveria invadir a privacidade dela.

— Pode sim.

Minutos depois a figura alta aparece no seu campo de visão retirando breves sorrisos de seus lábios, fazendo o mesmo repetir o ato.

— Está tudo bem? — Se aproxima ficando atrás da namorada.

— Está. Por que não estaria? - Sorri de forma sincera.

— Bom, a julgar que está a um tempo dentro do banheiro sem se quer abrir o chuveiro, desconfiei de algo errado e decidi ver o que era. - Questiona a analisando.

— Está tudo bem como pode ver. - Diz abaixando o rosto ao perceber que ele levava mais tempo que o necessário a olhando.

— Estava chorando? — Observa os olhos da jovem avermelhados e levemente inchados. - Por que estava chorando?

— Eu não estava... — Nega tentando fugir dos braços do rapaz que aperta sua cintura a impedindo de fugir das possíveis perguntas. — O que há de errado agora?

— Eu que pergunto. O que há de errado com você? E por que não respondeu a minha pergunta? — Questiona sério a observando pelo espelho.

— Está bem! É que... - Respira fundo procurando palavras para confessar suas frustrações mas desiste.

— É que? — A incita a falar.

— Não é nada que tenha que se preocupar. — Responde com um falso sorriso nos lábios.

— Não adianta tentar mentir, sei que tem algo de errado com você e quero saber. Tudo que é relacionado a você me preocupa. — Dita a virando para si a segurando pelo rosto e analisa cada traço dela tendo assim a certeza de que estava chorando. Ela por sua vez aperta os olhos tentando se manter firme mas estava realmente difícil ao o ter a sua frente.

— É que eu não me sinto bem com o meu corpo, tá legal? Eu não me sinto feliz com tudo isso que reflete no espelho — Confessa e se afasta do namorado apontando para si e enfim se permitindo chorar. — Olha isso? Olha bem para isso? O que tinha na cabeça quando me pediu em namoro? 

— Que eu queria está com a mulher que eu mais amo além da minha mãe. — Suas palavras a fazem rir com ironia não acreditando no que acaba de ouvir.

Só poderia está brincando consigo.

- Você ouviu o que eu disse Seokjin? Eu sou gorda! Gorda! - Esbraveja passando as mãos sobre os cabelos. - Por que insiste em ficar comigo? É por pena? 

— De onde tira essas ideias estúpidas? — Se aproxima da garota a abraçando como se ela fosse um filhote indefeso que sente ser retribuído rapidamente. Seu choro que antes era algo silencioso aumentou, a fazendo soluçar cada vez mais alto.

Ela se sentia realmente machucada com tudo isso. Quando a conheceu, sabia dos problemas de baixo autoestima que a garota tinha e por mais que insistisse em dizer que era incrivelmente linda não acreditava. Arrumava sempre um novo defeito onde não existia, piorando cada vez mais. 

O que poderia fazer para acreditar no que ele dizia era verdade?

O rapaz era a melhor definição de cavaleiro. Um verdadeiro príncipe de conto de fadas, onde todas as meninas desejavam. Meigo, carinhoso, romântico... Eram inúmeras qualidades que ele possuía.

Então por que estava com ela e não com outra?

— Por que eu Jin? — Retorna a perguntar mais calma segurando a camisa do mesmo entre os dedos, enquanto soluçava algumas vezes.

— Porque eu te amo. A resposta é simples e verdadeira — Ela queria realmente acreditar no que ele dizia mas não conseguia. — Olhe! Eu te amo mais que tudo nessa vida. Nunca! Nunca mesmo deixe de duvidar do amor que sinto por você.

Com os olhos tristes e molhados, ela examina os olhos do rapaz para vê se encontrava algum indício de que estava mentindo, mas não estava. Ele realmente a amava e era capaz de realizar as maiores loucuras de amor para esta ao seu lado. A amava demais para se importar com detalhes do seu corpo ou aparência no geral. Se importava sim com a beleza não estereotipada dela, aquela beleza real que o encantou assim que a viu pela primeira vez e desde então era incrivelmente apaixonado pela garota.

— Eu também te amo, mas não entendo o por que... — Antes mesmo que pudesse terminar com sua frase ele a guia de volta ao espelho a fazendo se olhar através dele. 

— Eu quero que olhe diretamente para o que irei lhe mostrar. Quero que se veja da mesma forma que eu vejo você. — Diz descendo ambas alças do sutiã da namorada sem deixar nenhum momento de olhar em seus olhos.

Suas mãos passeiam pelo o corpo da namorada que observava a cada movimento sem contestar a momento algum. Segura envolta da cintura da mesma, onde uma força é depositada a fazendo suspirar em resposta. Beijos são deixados por todos seus ombros e pescoço deitando a cabeça tombar para trás de olhos fechados. Ele não havia feito nada mas ela já estava em êxtase.

— Jin... — Seu nome soa arrastado de maneira sensual. — O que está fazendo?

— Apenas quero lhe mostrando a mulher maravilhosa que tenho em meus braços — Abre o fecho sutiã, a deixando nua da cintura pra cima contemplando seus seios nú onde os segura com ambas mãos, exercendo uma reação instantânea da garota que segura alguns poucos fios que conseguia alcançar. — Não! Não feche os olhos. Olhe para aquela mulher linda que está em meus braços.

Obedece ao seus comandos para se ver ao espelho, nos braços do homem que ama. Ele estava sexy com os cabelos caídos sobre os olhos enquanto analisava as reações que a sua amada dava. Ela queria gritar e implorar para fazer o que quiser com seu corpo mas ele nada faz, permanece com as mãos no seu ponto inicial, mas começa a distribuir beijos ao redor do seu pescoço subindo para a orelha onde deposita uma mordida a fazendo gemer em resposta.

— Por favor... — Implorava com as mãos sobre as dele tentando manter os olhos abertos.

— Calma... Devagar... Pra que a pressa? Temos todo tempo do mundo — Ela estava a beira de um precipício enquanto ele, permanecia calmo, sem mostrar qualquer alteração no que sentia. — Eu quero mostrar a você a garota linda que tenho em meus braços e tenho uma enorme sorte por a ter ao meu lado, não pense que estou mentindo porque apenas digo a verdade para você, acredite em minhas palavras. — Ela ouve tudo atentamente acenando como se entendesse o que dizia.

— Ok. Eu acredito em você.

— Ótimo. — Sorri próximo a sua orelha a fazendo arrepiar.

— Por que você é assim? — Diz arrastado se esforçando para se manter de pé. — Por favor...

— Você não sabe como é tentador ver você implorar assim — Dita próximo a sua orelha descendo uma das mãos enquanto a outra permanecia no mesmo lugar. — Não imagina como fico louco quando meu nome sai dessa sua boquinha linda.

— Eu não aguento mais. — Confessa com a respiração cada vez mais pesada.

— O que você quer? — Desce um pouco mais a mão tocando o elástico de sua calcinha a deixando eufórica para o próximo ato. — Vai ter que me dizer o que quer?

— Não faz assim... — Responde ao ver ele se afastar voltando os toques em direção a sua barriga. — Jin, por favor me toque direito, do jeito que só você sabe fazer.

Sorrir, mordiscando a orelha dela. Era exatamente aquilo que ele queria ouvir da boca da namorada, e após conseguir prosseguiu com a tortura por todo seu abdômen, seguindo de volta para sua peça íntima a fazendo aguardar ansiosamente. Com delicadeza adentra a última peça de seu corpo, a tocando lentamente a deixando impaciente com o pouco contato que conseguiu. Precisava de mais do que aquilo. Sem mais conseguir esperar, começa a se movimentar sobre a mão em seu íntimo a fazendo gemer.

— Não seja uma garota má — Diz rente ao pescoço dela o beijando e a pressiona em direção a pia, a impedido de continuar com seus atos. — Quem está no comando hoje sou eu.

— Então vá mais rápido com isso. — Responde ofegante segurando o mármore da pia com força tentando permanecer sã.

— Hoje não. Hoje quero algo mais lento — Suas palavras a fazem engolir em seco. Sabia que quando queria, conseguia lhe provocar. — Continue de olhos abertos para o espelho.

Após aquelas palavras, ele afasta seu quadril de seu corpo a deixando livre para as movimentar como achasse melhor. Leva as mãos a barra da calcinha a descendo por inteiro até seus pés, a deixando totalmente nua. Na sequência, retorna a sua postura beijando uma de suas pernas e na outra acaricia a deixando arrepiada com os toques superficiais em suas pernas.

Ele estava querendo provocar e estava conseguindo.

Já de pé, se coloca de trás dela uma segunda vez, voltando suas mãos para cintura onde aperta retomando a carícia em sua intimidade, a deixando arrepiada por finalmente ter um toque por inteiro que desejava a alguns minutos atrás. Sem mais conseguir conter a lentidão do namorado, leva as mãos para junto a dele, ditando o ritmo que a melhor agrada, a fazendo suspirar em resposta.

— Jin... 

— Sim...? 

Ouvir seu nome saído daquela forma da boca dela era com certeza a cena mais linda de ser apreciada. Amava o controle que exercia diante de sua amada, pois sabia que era recíproco a forma que também se sentia quando estava com ela.

— Isso... Isso está tão gostoso. — Disse absorvendo as carícias do rapaz.

— É... Eu sei. Mas acho melhor você ir tomar banho porquê já está tarde. — Se afasta e para o que estava fazendo.

— O que? — Recobrar a sanidade o observando se afastar mais. —Não! Você não pode me deixar assim! Você não pode fazer isso!

— Ah não? — Rir do desespero da namorada. —E o por que não?

Ele só pode está de brincadeira. Faz o que fez e agora sai como se não tivesse feito nada?

— Não faz assim... — Choraminga apertando as pernas com força na tentativa de diminuir a excitação que  sentia. — Isso é maldade.

— E se eu não quiser? — Sorri cruzando os braços para ânsia da mulher por seus toques.

— Você só pode está brincando Seokjin! O que você quer que eu diga mais? — Pergunta analisando as feições do homem que tinha um sorriso de diversão com toda situação criada. — Você quer que eu implore pra você me foder, é isso? Então me fode, me fode que eu não aguento mais essa tortura.

— Confesso que é tentador ver você se entregando tão facilmente assim — Reaproxima os dois corpos, os pressionando sobre o balcão da pia, sendo ela de frente para ele. Destribui beijos em todo seu pescoço e maxilar, segurando seu rosto entre os dedos acariciando e o mordendo algumas vezes. — Mas você realmente precisa tomar banho e se agasalhar.

Sem mais esperar por uma reação dela, ele se retira a deixando sozinha no banheiro com sua exasperação e excitação. Teria que se aliviar sozinha.

Maldito!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...