História Imagine BTS - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 49
Palavras 3.238
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Park Jimin


Fanfic / Fanfiction Imagine BTS - Capítulo 3 - Park Jimin

Finalmente o dia tão aguardado para a garota havia chegado. Era uma nova etapa da sua vida a ser conquistada. O dia bem iluminado favorecia ainda mais para tudo acontecer dentro dos conformes.

Tudo estava favorecendo para a realização da cerimônia. Os convidados adentravam aos poucos na igreja para a espera da noiva que entraria dentro de algumas horas para o casamento. Todos estavam felizes e curiosos para a chegada da mesma. Todos queriam ver o vestido e a sua beleza latina se destacar dentro das vestes brancas. Um a um foi se colocando em um lugar diferente próximo ao altar.

A decoração estava belíssima e exótica, porém simples. Tipo de um casamento de princesa, mas a menina merecia, até porque para está se casando nesse momento, havia passado por diversas situações na sua vida para enfim realizar seu sonho, um deles na verdade. 

As cores e roupas das madrinhas foram escolhidas de forma simples, não esperava uma coisa muito extravagante, mas também decidiu algo que a agradasse, algo que a fizesse em entrar em consenso entre madrinhas e noiva. Poderia ser ela a mulher a casar, mas era apta a aceitar conselhos para seu casório.

E em um hotel não muito longe daquele lugar. A noiva se preparava de maneira ansiosa, era uma realização que não estava dentro de seus planos mas estava com uma pessoa que queria ao seu lado. Estava feliz com aqueles acontecimentos, poderia não ter tido muito tempo para organizar tudo mas ficou tudo de acordo como desejou, desde seu vestido até as flores da igreja. 

Estava perfeito, não imaginava algo melhor para si.

O noivo não estava muito diferente. A euforia era possível de ser vista a distância. Suas mãos soavam em nervosismo. Finalmente iria se casar com uma bela mulher que possuía os requisitos para construir uma boa relação ao passar dos anos. Seria uma boa mãe para seus filhos e uma ótima dama para está ao seu lado pelo resto da vida. 

A mulher mordia parcialmente os lábios enquanto ajeitava os detalhes do broche em seus cabelos à frente do espelho do quarto. Sorri feliz observando cada particularidade do vestido que havia sido feito sob medida para ela, não imaginaria outro para se casar a não ser com ele. Era uma roupa digna de um casamento de contos de fadas.

— Está tão linda... — Uma das madrinhas adentra o quarto para ver como estava a preparação da sua roupa. — Está simplesmente magnífica!

— Obrigada! Isso é o que eu sempre desejei em toda minha vida. — Sorri de maneira verdadeira para a outra que a responde também com um sorriso nos lábios.

— Sim, eu sei! Passei uma boa parte da minha vida ao seu lado e digamos... — As palavras da mesma a faz rir se recordando das inúmeras vezes de que disse que não iria se casar. Não era uma coisa que sempre foi o seu sonho mas veio se desenvolvendo com cada amadurecimento do tempo.

— Tudo bem! Tudo bem! Vou começar a rever minhas palavras. — Diz retirando algumas lágrimas que escapavam em meio a risos.

— Deixe disso ou irá borrar a maquiagem, sua idiota — Responde se aproximando para lhe ajudar a arrumar o restante que faltava. — Está feliz com isso... Com isso tudo?

— Como? — Pergunta rindo meio incerta do que acaba de ouvir, era um dizer que a deixou surpresa pela pergunta repentina. Observa a madrinha abaixada com a testa franzida.

— Está realmente feliz com esse casamento? — Torna a dizer com o rosto levantado para ver a noiva. — Se sente feliz com tudo isso?

— O por que dessa pergunta repentina? — Sorrir agitada, confusa cada vez mais. — Não entendo o por quê?

— É uma pergunta simples de ser respondida.

— Sim, eu sei. Mas por que a fez? Não tem o porquê disso agora, irei me casar de qualquer forma! — Sua amiga sorrir lasciva se negando a acreditar no que dizia. — O que há com você?

— Está mesmo feliz? — A noiva analisa cada traço da amiga tentando entender onde ela queira levar toda aquela conversa incomum.

— Sim, estou. Porque não estaria? — Afirma sobre o olhar da outra.

— Tem certeza? — Torna a insistir.

— Mas que saco! — Diz exasperada a chamando pelo nome. — Está querendo me deixar confusa no dia do meu casamento?

— Não é isso. Apenas quero a sua felicidade! Eu mais que ninguém sempre desejei que esse dia chegasse para você, mas não me parece que é da forma que queria.

— Como? Não pode está falando a verdade! É isso mesmo que eu estou entendendo? Não quer que eu me case com ele? — Dispara desacreditando no que a amiga estava insinuando. — Não posso acreditar nisso! Não mesmo!

— Quê? Claro que não! Eu nunca... Nunca irei querer o seu mal, pelo contrário, desejo a sua felicidade, sempre! 

— Não foi o que me pareceu! — Sem mesmo perceber, havia lágrimas sendo iniciada em seus olhos, as limpando rapidamente. — Parece que não quer me ver feliz.

— Como não? Estive do seu lado em todo o instante para sua preparação, e assim que me retribui? — Diz desanimada para o rumo que a conversa se levava.

— Chega! É melhor parar com essa conversa por aqui. Em nome da nossa amizade.

— Como queira.

A mulher sai do quarto batendo a porta atrás de si. Após a sua saída suas pernas vacilam levemente a deixando confusa com os inúmeros de dizeres que acabou de ouvir de sua madrinha de casamento. Eram amigas de longas datas por isso se sentiu extremamente machucada com cada palavra dita, não poderia acreditar no que aconteceu.

— Isso é o que você sempre sonhou, não posso me deixar levar por apenas algumas palavras. — Respira fundo querendo fazer a si mesmo acreditar no que dizia.

Toda sua auto confiança havia sumido em minutos de um discurso desencorajador de uma pessoa que a amava demais, isso havia a afetado ainda mais. Já seu noivo, havia chegado e a igreja, havia todos os convidados presentes. 

— Fica calmo que ela já vem. — Um dos padrinhos diz próximo para ao rapaz.

— Sim, eu sei. Eu apenas... Estou... Nervoso. — Pressiona uma mão a outra respirando rapidamente. Olhava ao final da igreja ansioso para a chegada da sua futura esposa. — Estou louco para a ver entrar por aquela porta.

Pela última vez, retoca a maquiagem borrada por algumas lágrimas que caíram. A maquiadora repara os pequenos borrões sendo retirando no momento seguinte e sai a deixando só. Ela se levanta da cama para rever os detalhes em seu corpo, até escutar a porta ser aberta e escutar seu nome ser chamado pela boca da última pessoa que ela gostaria de ver naquela hora. 

Não poderia acreditar que ele estava aqui.

— Querida! Você está... Deslumbrante. — O rapaz diz simplesmente fazendo o coração da menina ressaltar sobre o peito.

— Obrigada. — Responde rápido por não querer se deixar vacilar diante de sua presença.

Um silêncio repentino se instala no lugar deixando os dois apenas entre olhares, relembrando as mágoas do passado. Estavam ambos com o coração ferido, por um fim de relacionamento, acabado da pior maneira possível.

Ela observa cada traço do homem por quem tanto teve carinho e aprecio por todo esse tempo, pelo qual sempre foi simplesmente apaixonada e pensou que nunca poderia seguir sua vida longe dele. Ele não estava muito diferente. Analisava cada detalhe do vestido da sua garota pelo qual ainda era apaixonado mas não conseguiu dizer o que realmente sentia e a proteger da maneira correta, no momento correto, havia a feito chorar por diversas noites consecutivas e abominava toda as vezes que relembrava a cada situações, sejam elas boas ou não.

Sua menina estava maravilhosa dentro daquele vestido de noiva, mas se casando com um outro homem que não era você.

— Eu... Eu vim... — Ele dá uma pausa em sua frase procurando as melhores palavras para dizer o que sentia, por fim respira fundo antes de prosseguir. — Queria lhe pedir desculpas por tudo até hoje, por todos os momentos tristes e todas as coisas que vieram te magoar.

— Você não precisa...

— Não! Eu preciso. Eu preciso acabar com isso, preciso dormir e ver você se casar com alguém que não seja eu, de forma tranquila. Preciso dizer tudo o que sinto antes de deixar você partir para os braços de outro homem. — Antes mesmo de terminar sua fala estava em prantos.

— Eu... Eu... Eu não sei o que dizer.

— Apenas diga que me ama da mesma forma que eu a amo. 

— Jimin... 

Ele levanta o olhar para a mulher que era loucamente apaixonado se aproximando lentamente, vendo a mesma de olhos fechados absorvendo a informação não acreditando no que acaba de ouvir. Ela acaba de ouvir, no dia do seu casamento as palavras que ela esperava ouvir a anos atrás mas agora já era tarde, estava para se casar com uma pessoa que a fazia feliz e se sentia segura ao seu lado.

— Sei que é um pouco tarde para tudo isso, mas espero realmente que acredite em tudo que digo — O rapaz acaricia o rosto da garota a fazendo tombar o mesmo em suas mãos de olhos fechados. — Eu espero realmente que acredite que eu amo você.

— Eu... Eu não posso, sinto muito — Diz ao recobrar sua sanidade mental se afastando rapidamente do rapaz. — Não dá. Eu realmente esperei isso sim, mas não agora, não assim, não no dia do meu casamento. Esperei isso por anos, mas agora é um pouco tarde pra isso. 

Aquelas duras palavras tinham o machucado da pior maneira possível. Nunca havia sentindo uma dor tão grande, nem mesmo quando sua voz falhava ou caía diante de um palco com inúmeras pessoas assistindo. Preferia errar uma coreografia do que ter escutado tudo aquilo. A mulher que amava havia o rejeitado e ele não poderia fazer nada para mudar seu pensamento. Não a julgava, não teria outro jeito a não ser a deixa ir.

— Tudo bem. Não irei cobrar nada. Espero que seja realmente feliz ao lado desse seu novo amor, espero que ele possa lhe dar tudo aquilo que eu não pude. Eu te amo, amo tanto, a ponto de deixar você ir para os braços da pessoa que você ama — Sorri triste sendo observado pela jovem. — Seja feliz.

— Obrigada! Obrigada por tudo. — A garota se aproxima do rapaz o abraçando sendo retribuída.

— Tudo bem... — Beija a testa e rosto dela a fazendo sorrir. — Agora vai. Vai porque a noiva já está a muito atrasada.

— Tudo bem. 

A garota segura parte da saia do vestido se afastando cada vez mais do homem que se vira a tempo para ver a mesma sair do quarto para seguir até o altar. Após a porta ser fechada se permitindo enfim chorar soltando tudo o que sentia. Se coloca sobre a cama tentando realinhar seus pensamentos sem acreditar que, a última esperança que tinha de ficarem juntos havia acabado. Sua vida tinha caído como um castelo de cartas precisando da garota que se ia para longe cada vez mais.

A jovem já no térreo analisa os vidros das janelas do prédio acreditando que deixava atrás um passado feliz e prazeroso, seguindo para sua cerimônia que a aguardava.

— Querida! Você está deslumbrante. — Uma das auxiliares dizia com um sorriso verdadeiro no rosto.

— Obrigada!

— Vamos meninas! — A ajudante apressa as mulheres para adentrar nos carros.

— Obrigada. — A noiva se coloca dentro do veículo que se movimenta no momento seguinte.

A mulher observa sobre o vidro da janela cada edifício passar rapidamente diante dos seus olhos. Seu coração aperta a cada minuto, não sabia se era de emoção ou por não acabar sendo desígnios que sempre quis. Ainda dentro daquele quarto de hotel, o rapaz permanecia deitado sobre a cama apreciando os detalhes do teto com os olhos repleto de lágrimas escorrendo por suas bochechas. Não podia acreditar que tinha a deixado ir, não entendia o porquê ainda estava deitado sobre o colchão da cama, sendo que já se fazia alguns minutos que sua amada havia saído por aquela porta para se casar. Ao se lembrar disso seu coração se aperta. Uma facada doeria bem menos do que a dor que sentia no peito, mas mesmo sabendo que tinha seu coração partido, deveria continuar a sua vida.

Veria sua bela flor se desabrochar em outros braços, foi seu guardião enquanto pode mas não a cuidou da sua flor da maneira correta, tinha a deixado ser levada como um vento arrastava uma folha em um outono a longas distâncias. Eram como o sol e a lua que quando juntas se formava um eclipse. 

Se lembra da noite que teve que quebrar os sentimentos da sua amada ao saberem da notícia do relacionamento dos dois tinha sido vazada. Sem saber o que fazer, optou por terminar com tudo, se sentia incapaz de a proteger naquela situação. Se sentiu covarde por não saber como deixar se dominar pela mídia com um possível escândalo. Um relacionamento com uma ocidental ainda mais sendo uma brasileira, não era uma visão bem receptiva pelos coreanos. Acabaram com o namoro mesmo sem querer, não deveriam ter terminados daquela forma, sendo obrigados por pessoas. Ele temia por ela e ela não se importava com nada, estava disposta a enfrentar tudo por Jimin mas parece que ele não. E Agora era tarde. 

O tempo se passava e percebia que não a conseguia tirar do seu pensamento. Se levanta para sair do quarto até que ver um convite de casamento da garota.

Letras em dourado no papel branco com o nome dela junto com o rapaz que ela iria se casar. Abre o convite vendo versos das músicas que cantava junto ao grupo mas no fim dele havia algo em especial que o chamou atenção com aquelas letras que reconheceria em qualquer lugar.

"Meu amor, meu lindo e eterno amor, eu confesso, estou casando mas o grande amor da minha vida é você..."

Após acabar de ler chora de emoção levando o convite o apertando no peito.

A marcha nupcial começa indicando a chegada da noiva, todos se colocam de pé para ver a ocidental adentrar a igreja. No altar o noivo sorrir vendo ela se colocar na frente da porta e seguiria para seu lado. A mesma coloca um sorriso no rosto seguindo para dentro a curtos passos sentindo seus olhos se encherem, se questionou algumas vezes do porquê daquilo e todas as repostas se fazem levar para as vagas lembranças que tinha de Park.

Como se não houvesse um amanhã. Como se não houvesse uma outra vez. Era um sonho inútil pelo que lutaram e desabaram por um castelo de cartas. Queimaram como fogos de artifícios restando apenas as cinzas, onde ela voou como uma borboleta para longe de si.

As ruas da cidade coreana parecia ainda mais longas naquele dia. Os veículos pareciam ainda mais devagar, as pessoas andavam ainda mais lentas do que de costumes dificultando sua passagem, tinha pressa, e o lugar para onde ia não era muito distante mas teria que correr se quisesse chegar a tempo.

— Viestes à casa da igreja para que o vosso propósito de contrair em matrimônio seja firmado com o sagrado selo de Deus, perante o ministro da igreja e na presença da comunidade cristã.

Tudo se passava com um borrão a sua volta. Estava ofegante e cansado, seus pulmões queimavam cada vez mais que tentava respirar mais ainda assim, prosseguia a correr por mais que suas pernas insistissem em para para um breve descanso, mas que esse descanso poderia lhe custar caro.

— Viestes aqui para celebrar o vosso matrimônio. É de vossa livre vontade é de todo o coração que pretendemos fazê-lo?

— Sim. 

Era até cômico, para não dizer triste a maneira que prosseguia com seu querer, por mais que já tinha a resposta definitiva queria ver com os próprios olhos os dizeres da sua amada para outro. Poderia soar masoquista mas queria.

— Eu te recebo como minha esposa...

Poderia ser esse o fim mas ainda assim insistia em querer ver ela, mesmo que seja uma última vez.

— Prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença todos os dias da nossa vida.

Toda aquela correria poderia lhe custar caro para sua carreira mas deixar a mulher que ama ir para os braços de outro alguém lhe custaria um mal ainda maior.

Ao chegar na porta da igreja ofegante. Sobe a escadaria adentrando os corredores com passadas rápidas a procura de onde acontecia toda a cerimônia, até que ouve a voz da garota por quem era apaixonado. Todos permaneciam calados observando os dizeres da noiva para o seu marido.

— Aceita esse homem como seu legítimo esposo?

Por um momento ela vacila olhando para sua mão junto ao homem com quem havia escolhido para ser seu marido. Será que era realmente com ele quem queria passar o resto da sua vida, ter filhos e construir uma família?

— Aceita esse homem como seu legítimo esposo?

Será que era com ele seu legítimo esposo?

A jovem levanta os olhos repletos de lágrimas tentado entender o que lhe acontecia. Tinha total certeza de que era com ele que queria se casar, mas agora na frente de todos, já não tinha mais certeza de nada.

— Querida? Há algo de errado? — O noivo pergunta para ela que estava confusa com tudo.

As pessoas começaram a cochichar diante de toda aquela cena. Ela se nega abaixando a cabeça se sentindo fraca por tudo. Não poderia dar para trás diante de tantas pessoas que aguardavam atentamente por seu "sim".

— Eu... Eu... 

Inicia dizer mas vacila é algo em especial estava ao fim da igreja a olhando a espera de suas palavras. O noivo segue seu olhar encontrando o idol do lado de fora observa aquilo tudo sem interromper em momento algum. Não queria interferir na sua decisão.

— Seu problema é ele né? — Pergunta baixo para a garota que acena lentamente para ela a fazendo se sentir culpada ainda mais por tudo isso. — Então o que está fazendo aqui? Vai para os braços da pessoa que realmente ama.

Ela analisa tudo aquilo desacreditada. Não poderia ter ouvido aquilo vindo do seu noivo.

— Como?

— Seja feliz com quem ama... — Segura no rosto da menina beijando em sua testa. — O casamento está cancelado!

As pessoas estavam desacreditando no que acabavam de ouvir. Aquilo seria um escândalo para si, mas não se importava com isso e sim com a felicidade da garota.

— Como? O que as pessoas vão dizer de você?

— Não haverá mais casamento! E não me importo com as pessoas. — Diz saindo do altar deixando a garota para atrás.

Havia sido deixada no altar?

As pessoas saem uma a uma, porém a mulher permanecia de pé tentando entender o que aconteceu. 

A minutos atrás iria se casar mas agora estava de pé sozinha nele.

— Vai ficar aí mesmo parada?

Ouve novamente aquela voz que tanto ama a fazendo sorrir.

— O que você está fazendo aqui?

— Bom... Digamos que eu vim roubar a noiva. — Responde em um meio sorriso fazendo seus olhos se tornarem apenas riscos. 

— E deu certo?

— Parece que sim.

Os dois sorriem e se beijam da forma mais apaixonada possível. Fazendo os fantasmas do passado ficarem apenas no passado, pois de ali em diante iriam reescrever um novo recomeço, uma nova história onde não haveria nada nem ninguém para acabar com o que sentiam um pelo outro.


Notas Finais


Caso queiram, podem colocar ideias para eu fazer um imagine sobre


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...