História Imagine Bts: SN e os 7 anões - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Anões, Bts, Conto, Daegu, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Kpop, Madrasta, Namjoon, Pd Min, Princesa, Reino, Suga, Taehyung
Visualizações 41
Palavras 2.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oie lindonas!

Por favor leiam as notas finais Ok?

Espero que esteja bom e desculpa se tiver ainda assim algum erro ortográfico. Obrigada pela atenção, kiss!

Boa leitura Princesas. ♥

Capítulo 2 - Sete é demais!


Fanfic / Fanfiction Imagine Bts: SN e os 7 anões - Capítulo 2 - Sete é demais!

Eram 04:26PM mais ou menos quando a carruagem parou na beira de uma floresta, a escuridão da madrugada era a coisa mais nítida naquela "noite" serena onde uma ou duas corujas estavam em alguma árvore fazendo barulho e eu senti um cala frio trilhar meu corpo.

Estava frio, muito frio, meu tio, outro homem da cavalaria real também estava com a gente, meu tio estava na frente e eu ao seu lado, ele seguia com uma lanterna e um mapa presente no livro, ele se guiava por ali até que eu sinto alguém tapar minha boca e uma faca ser apresentada em meu pescoço, prendendo minha respiração e impedindo-me de qualquer movimento sequer.

Bati meu pé no chão e assustado meu tio soltou o livro ao ar e veio ao meu auxílio e eu entrei em desespero começando a chorar, o homem que nos acompanhava e que parecia simpático tapou com toda força minha boca e com  a outra estava com a faca perto de alguma veia de valor pela região da minha nuca dessa vez.

-Mais um passo e eu mato a princesinha aqui. -Falou com mal hálito perto do meu ouvido.

-Afasta essa boca pra lá seu estrupicio! -Tomei coragem de falar apesar da respiração cortada, minhas mãos estavam presas ao corpo dele que era um brutamonte.

-Não diga nada a ele S/n, eu vou lhe pagar por ela Ok? -Meu tio fez aquela oferta pra ele que logo tratou de pegar umas moedas da bolsa do mais velho.

-Deixa em cima dessa pedra aí atrás de você. -Ordenou quem me prendia contra si. Quando ele havia pegado o dinheiro eu ainda estava presa em um dos seus braços enquanto o outro catava cada centavo, meu tio deu sinal pra atacar mas foi golpeado com um chute na barriga e eu gritei.

-Filho de uma rapariga! -Bati meu pé no pezão dele e ele soltou um "ain". -Me solta agora cuida!!!-Reclamei choramingando.

-Não até fazer o que a rainha me pediu. -Quando ele disse isso feriu minha garganta deixando um arranhão fazendo uma lista de sangue e foi aqui eu entrei em puro desespero.

-Não faz isso com a S/n! -Meu tio disse tacando uma pedra na cabeça dele e ele caiu tonto no chão.

-Por quê o senhor fez isso? -Retruquei. -O senhor estava com uma pistola esse tempo todo! -Fiquei revoltada e com muito ódio. Era pra ele ter atirado na cabeça desse deliquente! Ele tinha uma pistola no quadril mas que... GRR!

-Porque ele não tem nada haver com nada. -Suspirei passando meu dedo pelo pescoço. -Vamos andar mais um pouco, acho que na casa dos 7 rapazes deve haver algo que estanque seu sangue. -Disse me ajudando e eu encarei aquele homem parado e sua cabeça sangrando no chão. -Quanto a ele... -Meu tio passou o olhar rapidamente pelo homem. -Ele é um bom moco, mas tá sob efeito dos feitiços daquela maldita bruxa. -Meu tio terminou respirando fundo e abraçando a própria barriga e eu o ajudei a se locomover pelo caminho da floresta até aquela casinha que estava toda escura. Claro numa madrugada daquela era de esperar, as luzes das estrelas estava forte.

-Eu quero ajudar o senhor. -Falei ajudando meu tio que se espantou com meu sangue escorrendo no pescoço. -Estou bem, não se preocupe. -Falei tentando suavizar a situação que ambos nos encontrávamos e eu quem segurava o mapa agora. -Só sinta arder mas eu consigo aguentar. -Disse rindo fraco.

-S/a...Você tem mesmo sangue azul!

-Essa foi a coisa mais tola que o senhor já me disse. -Falei e ele sorriu junto comigo.

-Parece que chegamos finalmente. -Disse parando de sorrir e encarando a...  Gente o que é aquilo? Eu escutava vários zoadas, gente rindo, e um barulho de ronco muito alto.

-Espero que você se dê bem. -Eu olhei meio descrente do que meu tio estava realmente me dizendo ali. Ele tava brincando não era? -Eles são legais você vai ver só. -Riu irônico. -Dê uma chance pra eles princesa de Daegu. -Eu revirei os olhos e peguei minha mochila que estava em suas costas.

Beijei seu rosto e ele beijou o topo da minha cabeça e eu segui até o trilho de frente da casinha que era simples porém que parecia confortável, meu tio acenou pra mim e eu bati na porta e um cara de ombros largos  apareceu me lançando um sorriso que me fez ficar tonta.  Será o sangue me alucinando? Será o pavor se aglomerando? Então é essa a sensação de pré morte? Se era aquele ser que ia me matar por favor moço me mata logo bem aqui vai. Já tô com os olhos fechados. E foi o que eu fiz e o rapaz soltou uma risada desgorvenada.

Logo senti meu tio me chamar, ele estava ao meu lado esquerdo e eu ainda escutava o som de briguinhas e roncos e mais roncos.

-Terra chamando S/a. -Meu tio disse balançando meu rosto e um garoto com um sorriso de tirar o fôlego apareceu, parecia um coelho ou algo do tipo, outro surgiu atrás dele que era bem menor e estava brigando com o outro rapaz que estava atrás desse moço, em seguida tinha outro com covinhas exuberantes e outro com sorriso quadrado brotar ali do nada e como se já não bastasse escutei um "porra" vir lá de dentro e agora havia cessado o ronco todo. Até que enfim.

Olhando para aquelas 6 beldades a minha frente eu suspirei pesado e fiquei hipnotizada com os olhares deles sobre mim e meu tio tomou a iniciativa de me apresentar um a um. Cara, eu juro, que se isso fosse uma seleção de algum príncipe pra mim eu morreria na dúvida, se bem que... Pra quê ficar com um se eu posso ter os 7? Eu S/n sou a princesa de Daegu não é mesmo? Então... Posso falar disso com prioridade.

-Sou o Jin mas fique a vontade pra me chamar de Alegre. -seus beiços estavam inchados ou era impressão minha? A menos que ele vivesse chupando os lábios. Ele não parava de rir da minha cara.  Eu devia estar patética.

-E esse é o Jimin. -Meu tio disse apresentando o baixinho.

-Oi, não é um prazer. -Falou o tal Jimin dando de ombros. Parece que não sou só eu que sinto o mesmo.

-Ele é o Raivoso, você se acostuma, a raiva dele é um amor. -O que sorria todo bobo e que parecia um coelhinho quando sorria falou juntando as mãos em frente ao seu corpo. -Sou Jeon JungKook mas pra simplificar pra você pode me chamar de Dengoso. -Ele falou se reverenciando assim como os outros dois que se apresetaram.

-Eu sou Kim Namjoon, mas pode me chamar de Mestre. -Falou sorrindo docemente. -É uma honra ter a senhorita em nossa humilde residência e espero que possamos satisfazer a senhoroita no que precisar. -Estava ficando sem jeito com o tanto de "senhorita".Em suma eu sou bem humilde mas meu ego inflou na hora e eu me contive, claro, obviamente, com toda certeza da via láctea, com todas as flores de Daegu, eles satisfariam só em estar perto de mim. Nítido isso. -Estamos aqui pro que você precisar. Conte com a gente. -Falou com um sorriso bem receptivo. QUE HOMEM! Aliás. Que homens!

-Olá Atchim princesa! Sou o Kim Taehyung Atchim!!!-Disse com uma voz grossa e eu arrepiei toda. Sorriu tímido depois de ter espirrado no meu rosto. Pode espirrar mais tô amando real. -Eu Atchim gosto muito de Atchim! -Disse espirrando.

-Tudo bem, Ok, tudo certo eu entendi que você já deve ser o Atchim. -Falei afastando meu rosto da frente do sorriso quadrado vulgo Kim Taehyung. -É um prazer também Atchim. -Falei sorrindo simpática. E um outro ser lindo tentou se esconder atrás do Atchim. E Jungkook e Jimin empurraram ele pra falar comigo. Eu tava me sentindo demais credo.

-Er... Eu sou o Jhope... -Falou fazendo aegyo sem querer enquanto passava as mãos sobre a nuca e seus fios de cabelo eram vermelhos. -Mas pra senhorita vossa princessa pode ser Dunga. -Falou tímido e eu beijei o rosto dele de leve e ele ficou mais velmelho que uma maçã e começou a suspirar. Só não mais vermelho que seu cabelo.

-Ele quase não fala nada, mas é um dos mais fofos de nós 7.-O Mestre Namjoon disse e eu apertei as bochechas do Jimin que ficou me olhando estranho batendo os pés no chão  e  meu tio assistia tudo sentado por ali pela varanda.

-Sete? Mas até agora só vejo 6!- Falei contando quantos tinham o que fez todo mundo rir. -Tem mais um? -Eles ascentiram que sim e eu cruzei os braços.

-Falta o Soneca. -Jin Alegre falou abrindo e fechando os olhos rápidos.

-E como o próprio nome já diz ele deve estar lá dentro. Fazendo o quê crianças? -Meu tio pergunta brincalhão.

-DORMINDO. -Falamos em uníssono e logo percebi o quanto aqueles rapazes eram unidos e pareciam legais, embora cada um tivesse sua personalidade eles eram como um quebra cabeça onde um completava o outro e eu já me senti parte da família toda, só não sabia qual personalidade teria ou era, eu me achei tola por pensar que fosse morrer nessa madrugada se bem que mesmo que eu morresse morreria feliz pelo momento divertido que passei com eles e meu tio e aqueles jovens que não eram nada comuns para mim; me despedi do meu tio e ele disse que nos veríamos em breve e me pediu pra ter cuidado e só andar com os meninos. "Acha mesmo que eu iria pra outro lugar sem levar esse mar de homões junto comigo?". Foi o que pensei.

Abracei forte meu tio e ele pediu para que os meninos tratassem do ferimento do meu pescoço antes de dormir. De repente escutamos o tal Soneca roncar novamente e eu fiquei encantada e senti uma sensação que antes nunca senti assim que meus olhos cairam naquele anjo humano, que dormia não tão silenciosamente com seus cabelos tapando seus olhos puxados e ele muito branco como açúcar. Muito! Não parecendo um albino mas parecia um príncipe de fato e ele falava rápido enquanto dormia, a língua dele parecia tecnológica e eu me peguei admirando-o. Minha barriga não parava de soltar borboletas alegres e desesperadas de loucas após saírem do hospício vulgo meu estômago. Tentei regular minha respiração, a coisa tava complicada bicho!

-Ele tá bem sonhando que ta cantando algum rap. -O JungKook Dengoso disse malhando os braços com um tronco de madeira.

-Que curioso. -Falei me deitando no sofá. Encarando o teto. Jin Alegre e Namjoon Mestre foram pegar um curativo e Jimin Raivoso estava brigando com Jhope Dunga na cozinha. Dava pra ouvir suas vozes brigando por qual tempero colocar pra pegar gosto mais rápido. -É de madrugada e você ta fazendo exercício? Perguntei ao Dengoso.

-Tem horário pra se exercitar? -Falou franzindo a sombracelha e mordeu o lábio inferior e senti um tiro certeiro no meu coração ser atirado. Calma S/n está tudo bem.

-Que resposta mais gentil foi essa Dengoso? -Falei brincando que estava o repreendendo.

-É uma resposta qualquer baby. -Falou todo Dengoso. Explicado o nome.

-Atchim!- Taehyung espirrou pela 3°vez.

-Saúde!- Ya!Fiz ele rir.

Logo o Mestre e o Alegre vieram e eu fiquei meio nervosa ou entrando em choque e colapso dentro de mim prestes a ter uma convulsão quase morrendo ali mesmo sob o cuidado daqueles semi deuses né por quê eu nego a qualquer que disser que eles não seja lindos de bonitos que chega a doer. Que horas eles me matariam mesmo?

Fizeram o curativo brevemente e eu me senti mais aliviada, eles foram comer novamente depois da janta e eu fui me trocar e já pronta pra comer e ir logo pra cama naquela madrugada de sexta-feira. Me senti mais a vontade e comemos a deliciosa sopa preparada com um tempero especial de Jin Alegre,  eles estavam tão nenéns com aquelas pantufas e aquele gorro na cabeça. O Dunga não parava de abaixar o olhar com vergonha, Jin Alegre ria até do vapor que saia da sopa em seu prato, Jimin Raivoso revirava os olhos depois de queimar sua língua, mestre Namjoon contava alguma história dramática de romance e Jungkook ficava atento escutando tudo com certo dengo, Taehyung Atchim ria entre espirros e eu ouvia ritmamente os roncos do Soneca no sofá mesmo estando na minúscula cozinha enquanto era a convidada ou agregada ali deles na mesa. Eu tirei a sorte grande!

Não fazia noção do que aconteceria dali pra frente mas desde que eu S/n esteja com esses "7 anões" que estão mais pra "7 homões" acho, aliás me asseguro que estarei segura, ou ao menos: livre e como nunca antes: feliz.

×××


Notas Finais


Gente, me perdoem se eu demorar atualizar tá bom? Não faz nem 3 dias que comecei com esse imagine e vou ver um enredo legal pra poder contar a história de forma melhor.

Talvez demore uma semana até eu voltar a postar, embora seja um imagine mas eu tenho uma marézinha de coisas do colégio pra fazer. Mas prometo que assim que surgir a idéia e eu escrever atualizo aqui pra vocês.

Até qualquer outro dia desses! 🌷🌈⚡

Obrigada de coração, fico feliz que estejam gostando rs SZ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...