1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Deιdara х Ѕ/N >
  3. Capítulo 2 - Nova vida

História Imagine Deιdara х Ѕ/N - Capítulo 3


Escrita por: MagicMoon0

Capítulo 3 - Capítulo 2 - Nova vida


Estávamos todos na grande mesa do andar de baixo, jantando. 

Eu não comida nada assim há anos. 

Sopa, lámem, peixes, fritos e assados, frango com purê de abóbora, temperos e ervas, saladas e frutas. 


Os outros membros já haviam sido apresentados para mim, pouco tempo depois de eu conhecer meu quarto. 

Todos estávamos muito quietos, até que Tobi decide acabar com o silêncio. 


— Então S/N-Chan, como chegou aqui? 


Os membros lançaram olhares para mim, me deixando sem saída, então respondi:

— Decidi que ser cobaia de uma cobra asquerosa para seus experimentos com meu corpo e sangue não era o que eu queria da vida. 


Isso bastou para não fazerem mais perguntas. 


(...)


Já no nosso quarto, Deidara checava seu guarda-roupa para me emprestar umas roupas para dormir. 


— Veja se essas servem. 

Disse ele, jogando sobre mim uma camiseta de manga curta branca e uma... cueca. Meu rosto corou não hora. 


— Dei-Deidara... E-Eu....


— Porque está gaguejando? 


— É que... eu...

Olhei para a peça de roupa e então voltei o olhar para ele. 


— Ah... entendi - disse o mais velho corando violentamente. 


Ficamos em um silêncio constrangedor por um tempo até ele quebrá-lo dizendo:

— Se quiser, posso pedir para Konan uma lingerie... ou algo que eu... 


— N-não precisa... - eu disse corando mais ainda, se é que fosse possível. 

— Se você não se sentir confortável, tudo bem eu- interrompo-o antes de terminar a frase:

— Tá tudo bem Deidara... eu uso. É que é... diferente. 

— T-Tá... a banheira ela... ela já está com água... eu... quer que eu saia? 

— Não, nunca. - disse tão firmemente que percebi meu erro pouco depois- Q-quer dizer, não precisa, hehe. 


E assim ficamos eu e o loiro, olhando para qualquer objeto do quarto, como se fossem as coisas mais interessantes do mundo, só para evitarmos contato visual. Dois corados e envergonhados como alguém que nunca tiveram um acesso mais íntimo com outra pessoa. 

Não que eu já tivesse tido mas...


(...) 


Tomei meu banho, aproveitando a sensação da água quente limpando o que seriam anos de sangue, sujeira e remédios. 


Saí com uma toalha enrolada no corpo, e penteei meus cabelos molhados com uma escova de bambu. 

Coloquei a camiseta branca de Deidara, que, pelo meu corpo estar úmido, acabou ficando meio transparente em partes bem específicas do meu corpo, marcando especialmente meus seios empinados e firmes, que estavam com os bicos duros pelo frio. 

Com o rosto mais vermelho que um morango, coloquei a cueca do mais velho, que admito, era extremamente confortável. 


A camisa tinha o cheiro dele... um cheiro másculo forte e que impregnou meus sentidos, bagunçando-os com o cheiro, me deixando cega de todos os outros sentidos, exceto pelo olfato, que só funcionava para sentir o cheiro dele. 

Saí do banheiro meio zonza, esquecendo me completamente de que a camisa estava transparente nos meus seios. 


— Uau. 

Disse Deidara olhando para mim. 


— O que? 

Perguntei, ainda meio desorientada. 


— B-Bom, primeiro que você fica linda com minhas roupas... - rouge tingiu minhas bochechas enquanto ele falava- Segundo que você é muito, muito tentadora. Não me provoque, S/N.- pelos deuses, onde estava aquele garoto envergonhado por me oferecer sua cueca? 

Desejo lampejou nos olhos do loiro, mas no segundo seguinte, já havia desaparecido. 


— Fique à vontade, pequena. Vou tomar banho agora, ok? 


Quando ele me chamou de pequena, algo dentro de mim deu um salto. Me arrepiei e pedi aos deuses que ele continuasse me chamando assim. 


— Tudo bem...


(...) 


Vapor preencheu o quarto quando o loiro saiu do banho, vestindo nada mais que uma calça moletom cinza escuro. 

O cheiro dele tomou conta do ar, me deixando tentada a abraçá-lo e cheirar cada parte de seu corpo. Literalmente. 

Desejo latejava em cada poro meu, desejo e algo a mais. 


O corpo dele parecia ter sido esculpido pelos deuses. Ao reparar pela primeira vez, minha boca secou. 


— Bom pequena, qual lado da cama você quer? 


— Tanto faz para mim. 


— Tudo bem então. 


(...) 


Ambos já estávamos deitados, com as cobertas nos cobrindo. 

Eu estava do lado esquerdo da cama. 

Estava quase dormindo quando Deidara se virou para meu lado, fazendo com que eu ficasse em uma conchinha menor, colocou sua mão esquerda em minha cintura e sussurrou em meu ouvido:

— Você não faz ideia de como me excitou quando saiu do banho pequena- com a voz rouca, me causando arrepios- a camisa estava transparente... seus seios estavam tão marcados. Tive que me controlar muito para não lhe beijar naquela hora.- disse ele, o hálito quente soprando em meu pescoço. 


Fui dormir arrepiada e com desejo. 


(...) 


Acordei antes do sol nascer, Deidara já não estava mais na cama. 

Entrei no banheiro, e achei um conjunto de um cropped, um shorts, meia-rastão e blusa-rastão também. Havia um coturno preto e uma lingerie muito, muito provocativa, vermelho-vinho. 

Tomei banho, escovei meus cabelos e meus dentes, e, quando estava terminando de colocar a lingerie, a porta preta se abre. 

Deidara entra no banheiro, sem reparar que eu estava nele. 

Quando ele vira a cabeça e me vê, cora, mas dá um sorriso pervertido, o famoso molhador de calcinhas. 

Ele se aproxima de mim e diz:

— Bom dia pequena. - com a voz rouca, me trazendo uma descarga de arrepios pelo corpo. - Dormiu bem? 

Faço que sim com a cabeça. 

— Vejo que viu a roupa que Konan trouxa para você hoje de manhã... Você está... muito, muito provocativa. 

Disse ele, me olhando de cima a baixo. 


— Dei-Deidara... - digo com a voz falha e baixa.

Ele se aproxima de mim como um predador perto da presa, e com um sorriso provocativo. 

Mas, uma batida da porta o faz parar. 

Ele olha para o quarto, depois se vira para mim novamente, dando um sorriso e se indo pela porta. 


Solto todo o ar que não sabia que prendia, e termino de me vestir. 


(...) 


Na mesa, todos tomávamos o desjejum. 


Tobi estava muito animado em uma conversa com Hidan, sobre um tal de Jashin. 

Konan, Itachi, Pain, Zetsu e Kakuzu comiam em silêncio. 

Kisame conversava animadamente com Sasori sobre alguma coisa em relação à água e à fechaduras. 


Deidara estava sentado do meu lado, comendo silenciosamente, e de vez em quando, olhava para mim. Mais especificamente para meu corpo, como se pudesse ver a calcinha e o sutiã de renda vermelho-vinhos por baixo das outras roupas. Me sentia extremamente transparente. E, de algum modo, eu gostava disso. 


— Ei S/N-Chan! - gritou Tobi do outro lado da mesa- Está ansiosa para seu treinamento? 


Olhei com dúvida para Pain, que me explicou:

— Seu corpo está muito frágil devido à falta de luz do sol e comida. Você irá treinar com os membros, além de que irá ficar sem missão por um mês, só até poder recuperar um pouco de cor e peso. 

Assenti com a cabeça em afirmativo. 


— Hoje- falou Konan- Vamos ir à vila da chuva. Você precisa de roupas e equipamentos. 

Dei-lhe um sorriso sem mostrar os dentes e agradeci com a cabeça, fechando os olhos. 


— Deidara-Senpaaai - Gritou Tobi- Porque está tão quietinho??- disse ele, colocando o dedo indicador na máscara laranja, em representação de dúvida. 


— Cala a boca Tobi, Hm. 


Enquanto isso, eu me deleitava na quantidade de comida presente, calculando para ver se, caso eu comesse mais um pão de arroz com pasta de salmão e depois comesse um pedaço do bolo de arroz, eu iria passar mal. Não liguei e comi mesmo assim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...