1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Jeon Jungkook- He's good but not so much >
  3. Noites em Amsterdã Parte.2

História Imagine Jeon Jungkook- He's good but not so much - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Hey meus anjinhos, eu queria dizer que vocês se tornaram muito especiais na minha vida. Creio que são os reais motivos de eu continuar escrevendo aqui, obrigada pelo apoio de vocês!
Isso que estão fazendo por mim, tornou-se um ciclo lindo e que eu gostaria que nunca acabasse.
Novamente, vocês são tudo pra mim.💜🤧
No final do capítulo a S/n para de falar e outra pessoa aparece descrevendo a história no caso, a narradora (eu), então não se assustem! Hihi.
Tenham uma excelente leitura.🌸
Capítulo não revisado!
Foto by Pinterest {♡}

Capítulo 10 - Noites em Amsterdã Parte.2


Fanfic / Fanfiction Imagine Jeon Jungkook- He's good but not so much - Capítulo 10 - Noites em Amsterdã Parte.2

Mais uma noite escura, fria e silenciosa em Amsterdã e o lugar é realmente encantador como em um cenário de filmes de cinema.  Seria uma viagem linda, se eu não estivesse desejando  o  meu  patrão de  pouca  idade. ㅡ Em  tão  pouco  tempo  e  sem  qualquer aviso que fosse, esses sentimentos  não  tiveram  minha permissão  para  existirem. Antes  eu  não  ligava, mas agora  vejo  os dois se beijarem com frequência, se abraçarem carinhosamente, se tocarem, demonstrarem afeto e amor por todos os lugares que andamos.  Não que seja um erro, eles são casados e vivem um romance cobiçado mas, eu me sinto estranha... A tristeza toma conta de meus pensamentos, eu o amo tanto para ter que ver tudo isso todos os dias, e todos os dias mesmo. Essa viagem não me permite sequer um distanciamento deles, já que estamos em outro país.

Hoje fazem três dias que chegamos aqui.

ㅡ  S/n... Você não vem dormir? ㅡ O loiro de cabelos bagunçados pelo vento vestido de moletom me questiona, observando- me inquieto da sacada.

ㅡ Senhor P-Park? ㅡ Me virei assustada. Pensei que todos estivessem dormindo.  Levantei, pois, estava agachada olhando para as flores do jardim.  

ㅡ Desculpa, eu não tive intenção alguma de te assustar. Só que eu fiquei assustado, olhe as horas.  ㅡ  Ele colocou as mãos na cintura enquanto explicava, notei sua expressão de preocupação ir embora. ㅡ Bom, você já é bem grandinha para ouvir meus sermões, não é?  Eu sei que está querendo ter um tempo livre, sinto muito.  ㅡ Confessou.

ㅡ É  verdade... Amanhã eu posso sair? ㅡPerguntei aproveitando o momento. O loiro me encarou confuso, claro, para onde eu vou sem conhecer ninguém?  ㅡ Eu quero visitar um lugar que vi quando passeavamos de carro.

ㅡ Eu não sei se é uma boa idéia... ㅡ Me encarou, coçando a cabeça pensativo. ㅡ Ninguém aqui fala coreano, na verdade, é muito difícil. Você corre um risco de encontrar alguns coreanos, como aquela mera e infeliz coincidência no restaurante e mesmo assim não significa que são boas pessoas.

ㅡ É eu sei, não quero que fique temeroso por minha causa... Eu só queria respirar um pouco de ar livre, só isso. ㅡ Disse convicta daquilo.

ㅡ Certo, você venceu. Mas, não vá para muito longe ainda sim é perigoso. 

ㅡ Obrigado e boa noite. ㅡ Me despedi alegre e fui para o meu quarto.

Foi um pouco complicado convencê-lo  Jungkook nunca aceitaria algo assim, ele ia negar o meu pedido.  Mas, estou fazendo isso pelo seu bem também afinal, quanto mais longe melhor.

Eu já arrumada num vestido de pijama, deito após olhar para as estrelas da janela e suspirar por uma última vez. Amanhã será um novo dia! Sairei bem cedo para tomar um café, e quem sabe conhecer outras pessoas e passar a sair com elas aqui.

                       [...]


08:00 am;

No dia seguinte;

ㅡ Bom dia Bryana!  Eu estou indo dar uma voltinha aqui perto, pode dar uma olhadinha no quarto do JeonMin mais tarde? Eu acabei de olhar e ele ainda dorme. ㅡ  Confessei, e a moça que preparava um café assente.

Acordei cedo para sair, e não ter que bater de frente com Jeon.  Jimin ainda dormia mas, o moreno tinha acabado de sair, creio que foi no mercado e esse é o momento ideal para que eu também saia.

Na cafeteria;

Não demorou muito para chegar no lugar, a cafeteria é um ambiente simples e bonito.  Existem umas cinco pessoas comprando café, chá e levando um lanche em mãos.  Me aproximo do balcão e sento- me na cadeira que roda, eu amo essas.

ㅡ Bom dia, eu quero um café simples. ㅡ Disse calma. Acho que aprendi a fazer pedidos.

ㅡ Bom dia! Já anotei o seu pedido, logo trago o seu cafézinho senhorita. ㅡ Disse uma assistente ali próximo. Falei em inglês e graças à Deus, ela também falava.

Observo o lugar na parede cheio de quadros e que estavam pintados de cores fortes azul e roxo reinavam ali.  O lugar tinha janelas de vidro portanto, conseguíamos ver todo o movimento das ruas lá fora. Vários carros, motos e ônibus passavam deixando um trânsito infernal, sorri lembrando dos meus dias em Seul.

A paz estava em mim e consegui ter memórias com minha vó e mãe as duas que sempre estariam em meu coração. E como eu sinto falta...

ㅡ  Está tudo tão difícil... ㅡ Refleti alto.

ㅡ Uma conversa pode ajudar, sabia? ㅡ Um homem de traços asiáticos me questionou sentando- se ao meu lado.  Ele vestia uma calça preta jeans, blusa preta e jaqueta de couro preta. Sua pele é branca e possui um semblante agradável. Mas, me assusta o fato de ter ouvido o eu disse.  ㅡ Desculpe a intromissão, vi que estava sozinha e triste.

ㅡ Não, estou triste... Eu só estou cansada da repetição das coisas, entende?  

ㅡ Sim, a rotina pode ser algo desgraçado em nossas vidas. ㅡ Ele riu nasal, e voltou a me encarar. ㅡ Eu me chamo Min Yoongi, mas, pode me chamar de Yoongi.

ㅡ Eu me chamo S/n, prazer. ㅡ Falei gentil e ele sorriu como forma de gentileza.  Ambos nos encaravámos cheios de perguntas em mente.

ㅡ Moça, seu café. ㅡ A mulher disse ao me servir. ㅡ Olá senhor Yoongi, o mesmo de sempre?

ㅡ Sim. ㅡ Yoongi e a moça falavam intimamente.

ㅡ Você vem muito aqui? ㅡ Indaguei, e dei um gole em meu café.

ㅡ Às vezes, não diria sempre.  Eu venho aqui poucas vezes no ano porque sou da Coréia do Sul, e você também pelo visto.

ㅡ Sim, eu também moro lá. 

ㅡ Veio passear? 

ㅡ Não, estou numa casa com meus patrões... O trabalho me trouxe até aqui.  ㅡ Olhei bem e Yoongi parecia interessado.

ㅡ Uh, o trabalho... Eu também estou aqui à trabalho,mas, vida de empresário é assim. 

Ele é um empresário? Será que veio com o mesmo objetivo que o Jeon Jungkook e eles se conhecem?  Quem sabe...

ㅡ Deve ser um homem muito ocupado... Não deve ter tanto tempo, imagino. ㅡ Refleti e o homem mudou sua feição para outra menos alegre e pensativa.

ㅡ Não é sempre assim, olhe esses quadros na parede... Eu que fiz! ㅡ Ele apontou para os quadros que eu estava olhando mais cedo.

ㅡ Está brincando! Você os fez?! ㅡ Faço uma cara de quem não está acreditando, "Ué isso é um blefe!"

ㅡ Estou falando sério, eu fiz... Não sou um artista mas, até que ficaram bons. Eu quis experimentar coisas novas. ㅡ  Disse dando de ombros e pegando o seu café.  ㅡ A vida é melhor quando você arrisca nas coisas, quando você é criança você quer aprender e fazer tantas coisas... Por que isso muda quando você envelhece?

ㅡ Tem toda razão, eu também não sei. ㅡ Baixei a cabeça suspirando. Eu deveria ouvir mais conselhos assim. ㅡ Eu sempre quis fazer tantas coisas, Yoongi.  Mas, a vida complicou tanto.

ㅡ Acho que ela é sempre complicada e não importam de quem se trata.  Cabe à nós lutarmos pelo o que queremos. 

ㅡ Pode ser por qualquer coisa... ㅡ Pensei, e ele assentiu.  Ele jamais iria me incentivar se soubesse que eu estava falando de um homem casado.  ㅡ Bom, eu acho que...

ㅡ S/n? ㅡ  Uma voz diferente soa no local. ㅡ O que está fazendo aqui?

ㅡ J- Jeon?  ㅡ Encaro o homem que está ainda na porta do estabelecimento incrédulo.  ㅡ Sim, eu vim tomar um café fora.

ㅡ Estou vendo... Inclusive está acompanhada. ㅡ  Disse mordiscando o lábio inferior.  ㅡ Vamos para casa?  Preciso conversar com você.

ㅡ Oh, certo. ㅡRespondi nervosa. ㅡ Yoongi, desculpa, eu tenho que ir. 

ㅡ Tudo bem, nos vemos por aí. ㅡ Disse se levantando e se aproximando de mim. Yoongi segurou em minha cabeça e me deu um leve selar na testa. ㅡ Tchauzinho gatinha. 

ㅡ T- Tchau. ㅡ Saí envergonhada, deixando o dinheiro do café no balcão.

Indo de encontro à Jungkook que já não me olhava tão docemente, saímos do lugar de forma separada. Ele ia bem distante de mim no outro lado, em busca de seu carro.

ㅡ J- Jungkook...? E-Eu queria te falar que...

ㅡ Não quero conversar aqui, S/n. Vamos falar sobre isso em casa. ㅡ Respondeu curto. JungKook estava bravo, nitidamente.

Encontramos o seu carro e entramos no mesmo. Coloquei o cinto de segurança e ainda sem jeito, olhei para a sua feição.  Pensei em puxar assunto, mas, ele não parecia estar muito ouvinte hoje.

Não sei o que eu fiz de errado!

                     [...]

Alguns minutos depois;


No mais tremendo silêncio chegamos em casa, Jungkook desceu do carro e pegou as sacolas de compras no porta- malas.   Fui atrás dele, desesperada. Eu sei que eu não devo explicações da minha vida íntima para ele, mas eu não quero que ele pense besteiras.

Ao invadirmos o local, ele deixou as sacolas na cozinha e perguntou sobre o Jimin à empregada, ela disse que ele tinha ido correr um pouco. Então, Jeon puxou o meu braço me levando para o seu quarto.

ㅡ Senta na cama, e pode começar a se explicar. ㅡ Disse simplista, passando as mãos no queixo.

ㅡ Ok... ㅡ Baixei minha cabeça, e olhei para o chão que parecia conveniente agora. ㅡ  Eu pedi ao Senhor Park para sair ontem.  Eu queria sair.

ㅡ A, então o Jimin permitiu isso?!

ㅡ E-Ele permitiu sim, ele não queria aceitar no começo mas, eu insisti. ㅡ Confessei lembrando de ontem.

ㅡ  Você não deveria sair por aí, dessa forma.  Você não conhece as pessoas aqui, e elas podem tentar te fazer mal.  Afinal, você é uma menina ingênua. ㅡ Justificou.

ㅡ Mas, eu não falei com estranhos... É falei.

ㅡ A, não?  E aquele cara de jaqueta de couro era um fantasma?  ㅡ Bufou.  

ㅡ O nome dele é Yoongi,  Min Yoongi... Ele foi gentil comigo, ele é até coreano. ㅡ Respondi dando uma forma de fazê- lo entender a situação.

ㅡ Ele é um homem, S/n.  Nesse sentido, já não poderia dar nem um tipo de confiança. ㅡ Ele disse nervoso.

ㅡ V- Você também é um. ㅡ Vi que o homem em minha frente não estava mais com raiva, e sim respirando fundo. Deixei ele sem argumentos. ㅡ ... E mesmo assim confio em você.

ㅡ Você gosta dele? ㅡ Perguntou sério, aguardando minha resposta. Arregalei os olhos envergonhada. Como assim gosto dele?

ㅡ Não, Jeon. ㅡSuspirei. "Eu gosto é de você!" Pensei. ㅡ Eu acabei de conhecê- lo, não sei o que estou sentindo... ㅡ Desviei o olhar.

ㅡ A, é?  Têm outra pessoa no seu coração, agora? ㅡ Me colocou contra a parede novamente. JungKook está começando a me envergonhar com essas perguntas aleatórias.

ㅡ Têm sim... 

ㅡ Quem é? Eu conheço ele?

ㅡ S- Sim, conhece. ㅡ Me levantei da cama tentando fugir da situação. ㅡ Vou olhar o seu filho.  ㅡ Jungkook puxou o meu pulso novamente e me encostou na parede encarando- me...

ㅡ Você não me disse, quem é. 

ㅡ Não vou te responder, quero ir embora! ㅡ Digo em tom nervoso fingindo raiva. ㅡ Me deixa ir embora.

ㅡ Só depois de saber quem é o cara. ㅡ Respondeu pegando em alguns fios que estavam na minha testa.

ㅡ Esquece... ㅡ Disse baixinho e ele me olhou sob negação.

Fomos surpreendidos por um barulho na porta e Jimin entrou com fones de ouvido dando de cara conosco. Com o barulho, nos afastamos.

ㅡ S/n e JungKook, o que estão fazendo aqui no quarto?  ㅡ Jimin questionou tirando os fones. Sua expressão era surpresa, ele não estava bravo.

ㅡ Eu pedi para a S/n vim buscar alguns medicamentos do JeonMin, e ela veio. ㅡ Disse mudando de assunto, e indo ao closet trazendo uma caixinha consigo. ㅡ Aqui estão, você já sabe os horários não é?

ㅡ Sim, sei.  Com licença! ㅡ Digo pegando a caixinha, e me retirando do quarto dos dois.

Ufa, foi por pouco que Jimin não presenciou algo... Algumas ações estranhas do JungKook.

Espera isso foi uma cena de ciúmes da parte dele?  Jungkook estava com ciúmes... Ciúmes de mim?

Desci as escadas e bebi uma água para tentar acalmar minhas pernas que tremiam. Após isso, subi e fui cuidar de JeonMin.

                           [...]


A noite caiu e eu estava com o JeonMin na sala, ele e Bryana estava jogando bolinhas um para o outro. O problema é que as bolinhas saíam do quartinho e corriam pelos corredores. Fico com receio, pois outras pessoas podem tropeçar nelas ou cair sobre suas cabeças se passar da escada.

ㅡOh, mais uma bolinha! ㅡ Bryana falou, observando outra bolinha atravessar o corredor rapidamente.

ㅡ Deixa, eu vou pegar dessa vez.  ㅡ Disse me levantando, indo procurar o brinquedo. 

Caminhei pelo corredor e não vi nada e nem sinal do objeto, mas, a porta do quarto deles está aberta e ela pode ter entrado lá. Caso, tenha sido isso, essa bolinha corre muito. Ainda de fora observei e ouvi apenas um som de chuveiro, alguém está no banho então, esse é o momento certo de pegar a bolinha e sair fora.

Entrei no quarto, e comecei a olhar todo o chão.  Fui em direção a cama, e por ser muito grande tive que me abaixar na mesma, passando as mãos por baixo. Até que ouço alguém mexer na porta que antes estava aberta então eu corro e deito debaixo da cama.

Oh, céus! ㅡ Resmuguei com um frio na barriga.

Ouço a pessoa comer algo que suponho ser pipoca, logo ligando a Tv num canal aleatório. Novamente ouço sons de passos, a outra pessoa saiu do banheiro.

ㅡ Você tinha saído, amor? ㅡ Jeon Jungkook apareceu caminhando só com uma toalha presa na cintura. Meu Deus... ㅡ Pensei ter escutado alguém mexendo na porta.

ㅡ Sim, eu fui pegar pipoca. ㅡ Jimin dizia enquanto mexia na cama. Não consigo vê- lo, mas sei que está mexendo no local.

ㅡ Sabe, precisamos ir ao mercado.  Comprei muitas coisas, mas, sinto que esqueci de outras. ㅡ O moreno disse pensativo.

ㅡ Claro, vamos sim mas antes... ㅡ Jimin parece se ajoelhar na cama, ficando de frente para Jeon. ㅡ Que tal nos divertimos, um pouco?

ㅡ Jimin... Só você para estar com cabeça pra isso uma hora dessas.ㅡ Riu.  ㅡ Posso até aceitar, mas, você vai ter que usar isso.

JungKook pegou algo e jogou no chão caindo na minha frente. Tampei a boca com as mãos, assustada, era uma algema.

ㅡ Quer me prender hoje, é?

ㅡ Você gosta disso, vai negar? ㅡ Jungkook disse malicioso.

ㅡ Não, não vou. ㅡ Jimin iniciou um beijo.

Não acredito que isso vai acontecer em cima de minha cabeça.

O pior estava para acontecer quando alguém que eu batizei de Jesus começou a bater na porta do quarto desesperada.

ㅡ Porra... ㅡ Jimin bufou. ㅡ Estou indo! ㅡ O loiro vai até a porta, e abre revelando ser Bryana quem batia no lugar.

ㅡ Desculpe incomodar, mas, a S/n sumiu. Ela saiu para pegar a bolinha e desapareceu.

Parece que estão falando de um cachorro não de mim.

ㅡ O que?! ㅡ JungKook disse assustado. ㅡ Jimin, temos que procurá- la. 

Jimin concorda e saí na frente do marido, JungKook vai ao closet e veste um moletom preto indo ao encontro do outro logo em seguida.

Essa é a minha chance!  Com pressa, empurro o meu corpo para fora da cama e consigo me levantar. Apesar da minha dignidade ter ficado lá mesmo, insisto em correr para bem longe daqui.

No corredor perto da escada vejo JungKook, o mesmo me olha feliz e surpreso.

ㅡ Que susto! Pensei que tivesse sido sequestrada.

ㅡ Estou bem, mas, não achei a bolinha. ㅡ Disse sem jeito e  Jungkook riu me abraçando, afinal, a bolinha era apenas uma bobagem.

                         [...]

21: 30 pm;

Eles saíram depois do que houve e eu fiquei sozinha com o JeonMin, já que Bryana vai embora cedo.  JeonMin mexia no controle da Tv mudando todos os canais, até que encontrou um canal divertido, lá tocava várias músicas internacionais. Eu estava tomando um suco quando começou a tocar a minha favorita, o toque antigo, é inconfundível, Blinding lights está tocando:

I've been tryna call

I've been on my own  for long enough 

Maybe you can show me how to love, maybe 

...

You can turn me on with just a touch, baby...

Quando eu menos esperei estava dançando nas escadas com toda a minha energia à flor da pele.  Eu estava feliz como nunca, essa música muda o meu dia e me faz entrar em outra dimensão.

                      [...]

No lado de fora da casa;

Jeon e Jimin chegam e param um carro na frente de casa.  Jimin abre o porta malas e pega algumas sacolas, enquanto JungKook desliga o carro.

ㅡ Amor... Aquela dançando nas escadas não é a S/n? ㅡ Jimin perguntou incrédulo e JungKook olhou para onde o marido observava.

ㅡ Sim, é ela...

ㅡ Ela é doidinha, né amor? ㅡ Jimin disse rindo da situação.

Jeon apenas observava a menina que se movia atrapalhadamente. Mas, ela não parecia se importar, estava sozinha e se divertindo.          ' Ninguém estava a vendo.

ㅡ  I said, ooh, I'm blinded by the lights.  No I can't sleep until I feel your touch. ㅡ A garota cantava animada.

Naquele momento Jungkook não viu S/n como das outras vezes, como costumava ver. Ela não era somente a babá do seu filho, aos seus olhos naquele instante. S/n agora, era uma mulher... S/n era uma mulher linda e desejável aos seus olhos.

Ela estava diferente...















Notas Finais


As letras em negrito são da música: Blinding Lights- The weekend.
Gostaram da participação do Yoongi?
E a ceninha de ciúmes do Jeon, hein?!
A dancinha do final, hahaha, têm muita coisa a ser comentada hoje.
Espero que tenham gostado, eu amei o capítulo de hoje.
Comentem se vocês gostaram também!
Até o próximo!🌹🍷


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...