História Imagine JinHong (24K) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias 24K
Personagens Jinhong, Personagens Originais
Tags 24k, Imagine Jinhong, Imagines, Jinhong
Visualizações 184
Palavras 2.011
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Iae,

De boa?

Né?

Boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Imagine JinHong (24K) - Capítulo 1 - Capítulo Único

Há alguns meses que Jinhong começou a agir estranho comigo. Ele simplismente parou de se abrir e começou a andar com os malucos da escola. O quê uma garota de 16 anos poderia fazer com um garoto dois anos mais velho que queria me deixar por tudo no mundo? Bateria nele?

- Senhorita ______, - chamou meu professor. Eu o encarei e foquei toda a minha atenção nele. - Atrapalho seus devaneios? - perguntou.

Eu apenas baixei a cabeça.

- Não, senhor. - falei.

Ele assentiu vencedor e voltou a aula. Houve alguns murmúrios entre os alunos.

- SILÊNCIO. - gritou o professor.

Os alunos ficaram em silêncio e a aula prosseguiu normalmente.

Na hora do almoço eu sentei em uma mesa vazia, afastada de todos e comi em silêncio. Até o meu momento de paz ser interrompido.

- Ficou sabendo do Jinhong? - perguntou Mila.

Mila era minha "amiga" desde que Jinhong me deixou. Ela era magra, esbelta. Tinha o cabelo loiro e os olhos azuis.

Ela sorriu ao sentar ao meu lado e eu apenas a olhei desinteressada.

- Não sei nada sobre o Jinhong há muito tempo, Mila. Mas, o que houve? - perguntei.

- Ele foi para a sala do diretor pela terceira vez essa semana.

- Isso não é novidade, - coloquei uma colher de gelatina em minha boca, - o Jinhong já tem todos da detenção como amigos. Íntimos. - enfatizei a palavra "íntimos".

Mila sorriu divertida e eu continuei com a minha expressão séria de sempre.

                     (...)

Saí descontroladamente do colégio, quando senti alguém segurar meu pulso. Assustei e automaticamente encarei o ser que me segurava. Primeiramente o olhei confusa, mas logo, relaxei meu olhar.

A minha frente estava um garoto que aparentava ter uns 17 anos. Seu cabelo era preto e seus olhos verdes. Seu corpo era musculoso o suficiente. Ele vestia uma camisa branca, uma calça azul e sua jaqueta estava sobre seu braço. Ele parecia ter saído de dentro de um anime. Atraente.

- Desculpa. - falou sem jeito.

Eu o encarava. Me perdi por completo em seus olhos. Ele percebeu e sorriu. Se tinha uma coisa mais bonita que seus olhos, era seu sorriso.

- _______, não é? - perguntou.

Assenti.

- A professora de matemática disse que você poderia me ajudar com a matéria dela. - falou mostrando um sorriso.

- Sim... sim. É... a gente pode conversar amanhã depois da aula? - perguntei.

Ele assentiu.

- Até amanhã. - sorriu.

- Até.

Caminhei vagarosamente até minha casa. A escola era apenas algumas quadras de distância. Chegando lá, joguei minha mochila no sofá e subi as escadas.

Tomei banho, vesti um short, um moletom e deitei em minha cama. Fechei meus olhos a procura de descanso, mas foi interrompido pelo toque de notificação do meu celular. O peguei e havia uma mensagem de Mila.

Mila : Quem era aquele gato que estava conversando com você na hora da saída?                           12:43

Eu : Eu não sei. A senhora Park mandou ele falar comigo.           12:44

Mila : Sério?           12:44

Mila : Sobre o quê?             12:45

Eu : Sobre a matéria dela. Ele pediu a minha ajuda.              12:47

Mila : Pediu só sua ajuda? ( moon face )                       12:47

Eu : Você é maluca. O quê mais ele pediria?                   12:47

Eu : Não me responda.         12:48

Mila : kkkkkkkkk               12:48

Eu : o.O                      12:50

Eu : Mila, um minuto.      12:50

Outro chat*

JinHong : Quem era aquele cara?                 12:49

Eu : Ah, tá preocupado?         12:51

Eu : Não te devo satisfações.                       12:51

JinHong : Se eu ver você conversando com ele denovo, eu quebro todos os dentes dele.     12:52

Eu : Você não vai fazer nada.                     12:53

Eu : Não tenho que te contar nada da minha vida. E você não tem o direito de se intrometer nela.      12:54

Eu : Me esquece, Jinhong.      12:54

JinHong : _______, é um aviso.          12:54

JinHong : Quem avisa, amigo é.            12:55

JinHong : Não vai responder? Tudo bem.         12:57

JinHong : Só não fala com ele de novo.          12:57

Eu : Você não tem controle sobre a minha vida.         12:58

JinHong : Eu tinha 😣.          12:58

Eu : Tinha.         12:58

Eu : No passado.       12:59

Eu : Não tem mais.      13:00

Chat de Mila*

Mila : O quê foi?       12:50

Mila : ______, me conta o quê aconteceu.      12:52

Mila : Por quê você não me responde?         12:54

Mila : GAROTA, ME CONTA AGORA O QUÊ ACONTECEU OU EU VOU NA SUA CASA TE ESFAQUEAR COM UMA COLHER.          12:55

Eu : O Jinhong aconteceu.      12:57

Mila : Como assim o Jinhong aconteceu?        12:58

Eu : Mila, a gente conversa mais tarde, ok?      13:01

Mila : Tá.      13:02

Mila : A gente se vê amanhã.        13:03

Eu : Até.       13:03.

Bloqueei meu celular e o coloquei em cima do criado-mudo.

Por que o Jinhong veio falar comigo agora? Para me enfernizar. Essa é a motivação dele nesse momento. É ridículo o modo que ele me diz para me afastar de garotos. Um dia ele me deu esses conselhos e eu os aceitei. Mas hoje, ele não tem todo esse poder.

                     ***

Na hora do almoço sentei novamente em uma mesa vazia, afastada de todas as outras. Alguns minutos depois Mila sentou ao meu lado.

- Oi. - Mila me cumprimentou.

Acenei com a cabeça e continuei comendo em silêncio.

- Aí vem o seu gatinho misterioso. - falou.

Ela me cutucou. Olhei para cima e vi o mesmo garoto do dia anterior vindo em nossa direção. Ele sentou à nossa frente.

- Oi. - sorriu.

Acenei novamente.

- Oi. - falou Mila com um sorriso bobo no rosto.

- Kenshi.

Ele estendeu a mão para ela e a mesma a apertou.

- Mila.

Os dois ficaram apertando as mãos por um bom tempo. Apenas fiquei observando e continuei comendo.

Senti o olhar de Kenshi sobre mim e não ergui o olhar, apenas ignorei.

Quando olhei para cima, meu olhar se encontrou com um lindo par de olhos negros. Jinhong passou rente a mesa que estava Kenshi, Mila e eu, e me encarou. Eu o segui com o olhar até ele desaparecer do meu campo de visão.

- Namorado? - perguntou Kenshi.

Eu me livrei de meus devaneios e o encarei.

- O quê? - perguntei.

- Ex?

- Ex-amigo. - retruquei.

- Há quanto tempo? - perguntou.

- Ele e eu ficamos juntos por 10 anos, até uma briga. - falei fazendo pouco caso da informação.

- Falando desse jeito até parece que vocês namoraram. - falou Mila.

Suspirei.

- Eu não quero falar do Jinhong, Ok? - perguntei sem paciência.

Os dois assentiram.

- Ótimo. - falei, encerrando a conversa.

                    (...)

Quando eu estava saindo da escola vi que havia uma confusão no pátio. Me aproximei da multidão acotovelando todos que estavam no meu caminho. Ao chegar próximo a briga vi uma cena totalmente desprezível.

Jinhong estava por cima de Kenshi, dando-lhe socos em seu rosto. O prateado levantou e chutou a barriga de Kenshi. O menor contorceu-se na grama.

Antes que Jinhong machucasse o moreno novamente, me coloquei na frente, o impedindo de atacar Kenshi.

- O quê você está fazendo? - perguntei.

Ele ficou em silêncio. Estava em pé à minha frente. Encarei Kenshi. O moreno estava com a boca e o super-cílio sangrando.

- Kenshi, por favor, vá até a enfermaria. Eu já vou para lá. - me dirigi ao moreno no chão.

Kenshi posicionou dois dedos sobre seus lábios e depois os olhou. O moreno levantou dificilmente e caminhou para dentro da escola pressionando sua barriga.

Encarei novamente Jinhong. Eu estava com tanta raiva dele, ele não tinha o direito de espancar um cara apenas por conversar comigo.

- VOCÊ É ALGUM IMBECIL? - gritei.

- Eu avisei que se você se aproximasse desse cara, algo iria acontecer.

- Eu me aproximei dele e ele é quem apanha?

- O que você queria? Que eu batesse em você?

- EU QUERIA QUE VOCÊ DEIXASSE DE SER UM BABACA. - gritei.

- Você gosta dele? - perguntou incrédulo.

- Jinhong, não muda de assunto. Eu...

- RESPONDE.

- NÃO, EU NÃO GOSTO DELE, SEU IDIOTA. EU NÃO GOSTO DE NINGUÉM E VOCÊ SABE BEM DISSO.

- ________, por favor, eu não quero brigar.

- Já aconteceu, Jinhong. E não foi só uma vez. - deixei uma lágrima escapar.

Ele me encarou. O silêncio aumentou. Todos que estavam ao nosso redor se calaram.

Jinhong caminhou com passos largos até mim e me beijou. Sem me dar chance de reagir. Enquanto nossos lábios estavam selados, senti lágrimas rolarem pelo meu rosto.

Parecia que quanto mais aquele beijo durava mais eu precisava chorar. Ele se separou e me encarou.

- Considere isso como um pedido de desculpas. - falou o prateado.

Eu o olhei nos olhos e lhe dei um tapa.

- Considere isso como um aviso. Não se aproxime mais de Kenshi.

Ele continuou com o rosto em direção à esquerda, como se não tivesse coragem de me encarar.

Eu fui até a enfermaria para ajudar Kenshi. Eu o limpei e coloquei alguns curativos. Estava tão machucado, e por minha culpa.

No caminho de volta para casa parei na frente da casa de Jinhong, que ficava à três quadras da minha.

Eu caminhei silenciosamente até a porta da casa dele e bati na mesma. Um minuto depois ele atendeu. Estava com uma bermuda azul-marinho e sem camisa.

- ________? - perguntou surpreso. - achei que tivesse me dado um aviso, que ainda está fresco em minha memória.

- E em seu rosto também. - toquei a marca de minha mão em seu rosto suavemente. - o aviso foi para se afastar de Kenshi.

- Mas, eu achei que...

- Se você se aproximar dele novamente, o outro lado do seu rosto vai ficar nessa mesma situação.

Ele ficou em silêncio por breves segundos.

- Quer entrar? - perguntou.

Eu assenti e entrei. Ele fechou a porta e me encarou. Eu o olhei, mas logo, desviei o olhar.

- Eu já volto. - falou ele.

Assenti. Ele subiu as escadas e poucos minutos depois voltou vestindo uma camisa preta que ficava um pouco colada em seu tronco.

Ele pediu para mim sentar, e assim o fiz. Em seguida, sentou ao meu lado. Ficamos em silêncio até eu o quebrar.

- Eu posso fazer uma pergunta? - perguntei.

- Já fez, - ele sorriu, mas logo o desfez. - claro, _______.

- Eu queria saber o motivo de você se afastar.

Ele fitou o chão por um minuto.

- Isso eu não posso falar... ainda.

- Despois de 10 anos que fomos amigos, você nunca foi de me esconder nada, Jinhong. E de uma hora para outra se tornou um homem, por assim dizer, agressivo, calado e até mesmo distante. Se afastou de mim sem explicações. - peguei a mão dele e o mesmo me olhou nos olhos. - você me prometeu... amizade eterna.

O prateado ficou em silêncio, digerindo o que eu acabara de dizer. Finalmente ele suspirou e resolveu falar.

- Eu sinto muito, _______. Eu sei que te prometi amizade eterna, mas eu não consegui seguir com essa promessa. Depois de um tempo, eu não podia ficar perto de você e ter apenas sua amizade. Eu sinto algo a mais por você. Me perdoe.

Desta vez, foi a minha vez de ficar em silêncio. Ele baixou a cabeça. Segurei em seu queixo e o levantei. Me aproximei e selamos nossos lábios.

Eu precisava o beijar. Meu coração mandava eu fazer aquilo. Jinhong pediu passagem com a língua e eu cedi.

Sem perceber eu estava com minha mão encaixada na nuca, aprofundando mais o beijo. O prateado posicionou sua mão esquerda em minha cintura e o beijou foi ficando cada vez mais selvagem.

- Jinhong... - o chamei entre o beijo. Ele me encarou, - E-eu não posso fazer isso.

Naquele momento me odiei por gaguejar. Ele levantou do sofá, mas continuou me encarando.

- Você tem namorado?

Eu o olhei confusa.

- O quê? Não. - neguei com a cabeça. - eu só não estou pronta para isso.

- Isso o quê?

Eu pensei errado. Não era isso. Senti minhas bochechas queimarem. Peguei minha mochila rapidamente e caminhei até a porta.

- Eu preciso ir.

- ________, o quê... O quê foi dessa vez? O que eu fiz de errado?

- Nada, Jinhong. Nada aconteceu.

Abri a porta.

- E então... foi isso? Por quê nada aconteceu?

- A gente se fala depois, Jinhong.

Saí.

- ENTÃO QUER DIZER QUE A GENTE SE VÊ AMANHÃ?

Eu não o respondi. Apenas caminhei pela calçada vagarosamente. Sentindo a brisa de um fim de manhã.

Como eu pude ser tão estúpida? Achei mesmo que Jinhong tentaria algo comigo? Tens o dezenas de garotas a seu dispor? Eu me entregaria tão fácil? Depois de tudo que ele me fez? E o mais importante de tudo. Eu realmente o amava?


Notas Finais


É, né?

Témais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...