História Imagine Jungkook - Capítulo 61


Escrita por:

Postado
Categorias A Seleção, Bangtan Boys (BTS)
Personagens America Singer, Celeste Newsome, Elise Whisks, Gavril Fadaye, Jeon Jungkook (Jungkook), Kriss Ambers, Marlee Tames, Maxon Calix Schreave, Park Jimin (Jimin), Rainha Amberly, Rei Clarkson
Tags Romance
Visualizações 66
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura anjinhos ^-^

Capítulo 61 - Capítulo 60


Fanfic / Fanfiction Imagine Jungkook - Capítulo 61 - Capítulo 60

Levantei os olhos e vi August levantar do outro lado da mesa.

— E já faz anos que o palácio brinca com a vida dos outros. Cresça, Jungkook. Você é o príncipe. Se você quer a maldita

coroa, então fique com ela. Só que esse privilégio traz responsabilidades.

Os guardas começaram a vir em nossa direção cautelosamente, alarmados com o tom de voz de Jungkook e a postura

agressiva de August. De onde estavam, com certeza já conseguiam ouvir tudo.

Jungkook se levantou para responder:

— Vocês não vão escolher minha esposa e ponto final.

August, sem baixar a cabeça, recuou e cruzou os braços.

— Está bem! Temos outra opção se esta aqui não funcionar.

— Quem?

August fez uma cara de tédio.

— Não vou dizer depois da reação que você teve com a nossa primeira proposta.

— Vamos, fale!

— Esta aqui ou aquela, pouco importa. Só precisamos da garantia que você escolherá uma companheira que concorde com

o plano.

— Meu nome é S/n — eu disse, irritada. Em seguida, levantei e o encarei direto nos olhos. — Não sou esta aqui. Não

sou um brinquedo da sua revoluçãozinha. Você fala muito de dar a todos de Illéa a chance de viver a vida que quiserem. E

eu? E o meu futuro? Não entra no plano?

Fiquei olhando para eles, à espera de uma resposta. Em vão. Os dois rebeldes permaneceram calados. De esguelha, pude ver

os guardas nos cercarem. Baixei a voz e prossegui:

— Sou totalmente a favor de acabar com as castas, mas não sou um fantoche. Se é isso que você quer, há uma moça no

andar de cima completamente apaixonada que atenderia a qualquer pedido só para se casar com o príncipe. E as outras duas…

entre o dever e o prestígio, também fariam seu jogo. Vá atrás de uma delas.

Sem pedir licença, dei as costas para ele e saí pisando o mais firme possível para uma pessoa de pantufas e roupão.

— S/n, espere! — Georgia gritou. Eu já tinha cruzado a porta quando ela me alcançou. — Só um minuto! — insistiu.

— O que foi?

— Sentimos muito. Pensávamos que vocês dois estivessem apaixonados. Não fazíamos ideia de que ele se oporia à

proposta. Tínhamos certeza de que Jungkook iria concordar.

— Vocês não entendem. Ele está cansado de ser controlado e maltratado… Vocês não sabem pelo que Jungkook passou.

Senti as lágrimas brotarem. Pisquei para não chorar e resolvi prestar atenção nos desenhos da jaqueta de Georgia.

— Sei mais do que você pensa — ela disse. — Talvez não tudo, mas muita coisa. Temos acompanhado a Seleção de perto

e vocês dois sempre pareceram se dar tão bem. Ele fica tão feliz ao seu lado. Além disso… sabemos que você salvou suas

criadas.

Levei um segundo para entender exatamente o que aquilo significava. Quem estaria nos observando a mando deles?

— E vimos o que fez por Marlee. Vimos você lutar. E também teve sua apresentação alguns dias atrás. — Georgia riu. —

É preciso ter muita coragem para fazer o que você fez — continuou. — Uma garota corajosa seria de grande ajuda para nós.

Discordei dela.

— Não tentei bancar a heroína. Na verdade, na maior parte do tempo não me sinto nem um pouco corajosa.

— E daí? Não importa o que você pensa do seu caráter. Só importa o que você faz com ele. Você, mais que as outras, faz o

que é certo antes de pensar nas consequências para si mesma. Jungkook tem outras ótimas candidatas lá em cima, mas elas não

sujariam as mãos para mudar as coisas. Não como você.

— Boa parte do que fiz foi egoísta. Marlee era importante para mim, e as minhas criadas também.

Georgia chegou mais perto.

— Mas essas ações não tiveram consequências?

— Sim.

— E você provavelmente sabia disso. Mas agiu mesmo assim, para ajudar quem não podia se defender. Isso é especial,

S/n. 

Foi um elogio diferente dos que eu costumava ouvir. Sabia lidar com meu pai dizendo que eu era uma ótima cantora, ou

com Jimin falando que eu era a coisa mais linda que ele já vira… mas isso? Era quase atordoante.

— Para ser sincera, depois de certas coisas que você fez, é inacreditável que o rei a tenha deixado ficar. Toda aquela história

no Jornal Oficial… — ela comentou.

Dei risada.

— Ele ficou tão bravo — respondi.

— Fiquei impressionada por você ter saído viva de lá!

— Foi por um fio, para falar a verdade. E quase todos os dias me sinto a ponto de ser enxotada.

— Mas Jungkook gosta de você, certo? O jeito como ele te protege…

Dei de ombros.

— Há dias em que tenho certeza e outros em que não tenho ideia. Hoje não é um bom dia. Ontem também não foi. Nem

anteontem, na verdade.

Ela concordou com a cabeça.

— Bom, de qualquer jeito continuamos na torcida por você.

— Por mim e por outra — corrigi.

— Verdade.

Mais uma vez, ela não deu pistas sobre a outra favorita.

— Qual o motivo daquela reverência na floresta? Só tirar sarro da minha cara? — perguntei.

Georgia abriu um sorriso.

— Sei que às vezes pode não parecer, mas a família real é realmente importante para nós. Sem ela, os rebeldes do sul vão

vencer. E se eles assumirem o poder… Bom, você ouviu o que August disse. — Georgia sacudiu a cabeça. — Em todo caso

— continuou —, eu tinha certeza de que estava diante da minha futura rainha, então achei que você merecia ao menos uma

reverência.

O raciocínio dela era tão simples que me fez rir mais uma vez.

— Você não imagina como é bom conversar com uma garota que não é minha concorrente.

— Está ficando de saco cheio? — perguntou, solidária.

— Quanto menos gente, pior. Quer dizer, eu sabia que seria assim, mas… acho que tenho me preocupado mais com

garantir que as outras não sejam escolhidas, em vez de tentar ser a garota que Jungkook vai escolher. Não sei se faz sentido.

Ela concordou com a cabeça.

— Faz. Mas, ei, foi você quem se inscreveu.

Achei graça.

— Na verdade, não. Fui meio que… encorajada a pôr meu nome. Não queria ser princesa.

— Sério?

— Sério.

Georgia sorriu.

— Não desejar a coroa talvez a torne a melhor pessoa para usá-la.

Olhei para ela. Seus olhos muito vivos me convenceram de que ela acreditava naquilo de verdade. Queria ter perguntado

mais, mas Jungkook e August saíam do Grande Salão. Os dois surpreendentemente calmos. Somente um guarda os seguia, à

distância. August olhava para Georgia como se tivesse sofrido por ficar longe dela, mesmo que apenas por alguns minutos.

Talvez essa tenha sido a única razão para ela ter ido ao palácio junto com ele naquela noite.

— Está tudo bem, S/n? — Jungkook perguntou.

— Sim. — Minha capacidade de olhar diretamente para ele tinha desaparecido mais uma vez.

— É melhor você ir se arrumar — comentou. — Os guardas juraram segredo, e gostaria que você fizesse o mesmo.

— Claro.

Ele parecia não ter gostado da maneira fria como respondi, mas o que mais eu poderia fazer naquele momento?

— Sr. Illéa, foi um prazer. Falaremos novamente em breve — Jungkook disse para August, estendendo a mão para

cumprimentá-lo.

— Se precisar de algo, não hesite em pedir. Estamos realmente ao seu lado, Alteza.

— Obrigado.

— Vamos, Georgia. Os guardas parecem estar se segurando para não atacar.

A moça riu.

— Nos vemos por aí, S/n.

Concordei com a cabeça, certa de que nunca mais a veria e triste por isso. Ela passou por Jungkook e deu a mão para August.

Com um guarda na escolta, os dois cruzaram a imensa porta do palácio, deixando Jungkook e eu a sós no vestíbulo.

Então ele olhou para mim. Balbuciei algo e apontei para as escadas, me dirigindo para lá. Sua rápida objeção para me

escolher apenas trouxera de volta a mágoa que suas palavras tinham me causado no dia anterior, na biblioteca. Pensei que

estivéssemos entendidos depois do abrigo. Mas parecia que tudo tinha ficado mais complicado do que antes, quando eu ainda

tentava decidir o quanto gostava dele.

Eu não sabia o que isso significava para nós. Nem se ainda havia um nós com que valesse a pena me preocupar.


Notas Finais


PARECE Q A S/n é afrontosa vixx...fiquei meio triste pela reação de Jungkook mas entendo ele de certa forma e amo a personalidade de S/n por ela saber dá belas patadas!!! De fato pra mim foi surpresa esse capítulo pq é vdd oq ela falou toda vez q ela tenta decidir seus sentimentos por Jungkook sempre acontece algum desentendimento...aiai q casal mais difícil de juntar!!!

Muchas gracias por leeren :3 me perdoem pelos erros ortográficos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...