História Imagine Kim Taehyung - Pai por Acidente - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo curtinho, mas já estou escrevendo o próximo e deve sair logo.

Capítulo 22 - Confusão Mental


Fanfic / Fanfiction Imagine Kim Taehyung - Pai por Acidente - Capítulo 22 - Confusão Mental

Fazia anos que eu não sabia o que era fazer compras para casa, e foi divertido estar em um supermercado comprando com a Olívia a mulher era uma máquina de consultar preços para só então escolher o mais barato, tentei convencê-la a não perder tempo com aquilo, mas a garota é tão cabeça dura que eu por fim resolvi apenas deixá-la fazer o que queria.

Live não percebia, mas tinha o hábito de conversar com a bolinha de enquanto fazia compras e a pequena era completamente apaixonada por ela. Os olhinhos da Ella a acompanhavam pra todo lugar, a bolinha estava sentada na cadeirinha dentro do carrinho de compras ouvindo atentamente o que a Live dizia, as duas eram completamente fofas o amor entre as duas era tão evidente que chegava a hipnotizar as pessoas que passavam ao lado delas, enquanto eu pairava feito uma sombra andando sempre um pouco atrás, me sentindo até mesmo um pouco excluído.

Olhando aquela cena tão cotidiana me deu um vontade absurda de tentar me incluir naquele cenário, uma vontade de estar mais próximo as duas também contando histórias para a bolinha, uma vontade de ser a pessoa pra quem a Live endereçava sorrisos amorosos.

Eita porra! Depois de perceber onde meus pensamentos estavam me levando, tratei de sair de perto delas, fui até um outro corredor peguei uma garrafa d’água e tomei um gole, eu precisava sair dali.

— Live. — Chamei assim que voltei onde as duas estavam. Olívia me olhou ainda com um sorriso no rosto e puta que pariu a garota estava com as bochechas rosadas um olhar terno e a boca com um tom rosinha que me fazia ter pensar se o sabor de seus lábios seriam doces.

— Oi Tae? 

— Ainda falta muita coisa? Eu acabei de me lembrar que tenho um compromisso. — Vi o sorriso dela sumir é uma expressão preocupada tomar seu lugar.

— Wow… Estou tomando muito do seu tempo não é? — Ela desviou o olhar do meu rosto e encarou o carrinho de compras. — Eu acho que já tenho o suficiente, eu consigo me virar com o que já temos aqui. — Ela deu de ombros. — Já podemos ir. 

Olhei para o carrinho e os produtos que lá estavam ainda não tinha enchido nem a metade do espaço e eu me odiei por isso. — Não precisamos ir agora, ainda tenho um tempinho. — Tentei concertar. — E só irmos um pouquinho mais rápido com isso. 

— Tudo bem. — Ela concordou com um aceno de cabeça e imediatamente começou a pegar produtos de uma lista de coisas que ela precisava, o clima tinha ficado péssimo, Live pegava produtos como se fosse uma máquina verificando preços de forma metódica, nem ela nem a bolinha sorriam mais eu tinha definitivamente estragado o passeio simplesmente por não conseguir me controlar.

— Live toma. — Dei a ela um dos meus cartões de crédito, assim que estacionei o carro na garagem do meu apartamento. — Quero que você fique com isso e use caso precise.

— Eu não posso aceitar Tae. — Ela me devolveu o cartão. — Você não precisa ficar me dando coisas, eu vou conseguir um emprego e vou eu mesma custear as despesas minhas e da Ella.

— Você sabe Live que a nossa situação é complicada, infelizmente não é qualquer emprego que você possa aceitar. — Esclareci. — Então por hora aceite o cartão, pois imprevistos acontecem.. Você está com um bebê e não pode ficar sem ter como socorrê-la.

— Tudo bem. — Ela concordou, mas um bico enorme e fofo se formou no rosto dela. Ela estava contrariada e aquilo era tão fofo, a vontade de morder aqueles lábios me atingiu com força e eu tive que desviar o olhar para resistir.

— Vou pedir ao porteiro pra subir com as compras, pois eu preciso mesmo ir agora.

Com um simples aceno de cabeça Live desceu do carro e pegou a bolinha que dormia no bebê conforto. Retirei as compras do porta mala e fui até Live que estava com a Ella nos braços.

— Tchau bolinha. — Acarinhei a bochecha gordinha. — Hoje foi divertido. 

— Tae.. — Live estava com as bochechas vermelhas como se estivesse com vergonha. — Obrigada por hoje, nós vamos conseguir fazer essa coisa dar certo.

— Não precisa agradecer, eu só fiz o que tinha que fazer essas coisas fazem parte do acordo. — Falei tentando manter as coisas no nível profissional.

— Mesmo assim obrigada. — Olívia se virou e foi embora, deixando pra trás somente o cheiro dela.

….

Lá estava eu sentado na sala de descanso da empresa sem nada pra fazer, eu e todos os outros membros estávamos de folga aquele dia. 

E como dizem cabeça vazia só da merda, eu já tinha perdido a conta de quantas vezes tinha repassado o dia de hoje sempre mudando o final me imaginando beijando os lábios rosados da Olívia subindo com ela até o meu apartamento e descobrindo se ela tinha o sabor doce feito a sua personalidade.

Eu atribuía aqueles pensamentos ridículos a minha abstinência forçada, já que desde que aquele relacionamento veio a público eu não poderia arriscar a minha história de amor por um casinho qualquer.

— Taetae?! — Olhei pra porta e reconheci a mulher ali parada.

— Oi Joo. — Sorri. — Entra. 

A Joo era uma das nossas staffs de maquiagem eu já a conhecia fazia tempo e nós dois ficávamos sempre que um de nós dois estivéssemos afim, ela era linda padrão idol de grupo feminino, pelo que eu sabia ela tinha sido até trainner na YG Entertainment, ela era amiga pessoal da Samy namorada do Jungkook.

— Soube do seu ‘casamento’ de fachada — Ela fez aspas com as mãos. — Como estava vida de casado. — Ela perguntou sentando ao meu lado.

— Uma merda. — Respondi de pronto. — Você sabe que eu repudio qualquer tipo de relacionamento, e eu acabei caindo no pior deles e sem nenhum bônus já que nem tocar na minha ‘mulher’ eu posso.

— Hahahaha. — Ela gargalhou na minha cara. — Você fala como se fosse uma tortura.

— Você ri porque não é você quem está na maior seca. — Suspirei 

— Nisso eu posso ajudar. — Ela disse aquilo e me olhou com a maior cara de safada.  — E então topa? Mesmo termos de antes, só sexo sem compromisso. — Ela me olhava em expectativa. 

Aquela era uma boa solução para o meu problema, talvez assim eu conseguisse tirar aquelas ideias erradas com a Live que estavam rodando na minha mente, pois o meu relacionamento com ela já era muito complicado e eu não deveria envolver sexo na questão.

— Porra Joo você sempre tem as melhores soluções. — Respondi levando minha mão a coxa dela, já num carinho preliminar.

— Ah… Desculpem. — Uma funcionária da limpeza entrou com tudo nos interrompendo, discretamente recolhi minha mão. — Me pediram pra limpar a sala, disseram que estava vazia. 

— Se a senhora puder aguardar um momento, nós já estávamos de saída.

— Ah tudo bem. — A moça da limpeza saiu fechando a porta atrás de si.

— Merda! — Me levantei num pulo. — Se isso chegar ao Se Jin eu to morto, ele me disse que ninguém poderia saber sobre as condições do meu casamento, agora imagina se sair o boato de que estou traindo minha esposa. 

— Você tem razão Tae, nós não podemos fazer isso aqui. — Joo se pôs de pé concordando. 

— Um hotel ou motel também não são opções se alguém me vir já era. — Pensei em voz alta. 

— Sendo assim Tae melhor deixar isso pra lá. — Joo seguiu para porta. — Uma foda não vale o risco.

— Calma Joo, eu tenho o lugar ideal, ninguém vai suspeitar se nos ver juntos por lá.  

Ela então sorriu largo. — O que estamos esperando então?

 


Notas Finais


Capítulo sem revisão, perdoem os erros ortográficos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...