1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine L Lawliet - Meu doce detetive >
  3. Vamos fazê-lo; Alguém ajuda o L!

História Imagine L Lawliet - Meu doce detetive - Capítulo 22


Escrita por: Blanc_eye

Capítulo 22 - Vamos fazê-lo; Alguém ajuda o L!


Fanfic / Fanfiction Imagine L Lawliet - Meu doce detetive - Capítulo 22 - Vamos fazê-lo; Alguém ajuda o L!

(Watari não está aqui)

Calma...

- Você tem certeza do que está dizendo? - Segurei no ombro dele.

L: - Sim. - Ele respondeu firme como sempre.

- É por que ter um filho não é uma coisa simples, por que é uma decisão pra vida inteira entende? - Expliquei.

L: - Eu sei que é, e eu quero. - Ele virou o rosto para o meu. - E você quer?

- Sim, com você sim. - Abaixei a cabeça e dei uma risada nasal. - Você sabe o que temos que fazer para ter um filho né L?

L: - Vamos ter que nos relacionar sexualmente. Como fizemos à uma semana.

- Só que dessa vez sem preservativos ou nada do tipo.

L: - Como na primeira vez que fizemos isso.

- É.

L: - Não é difícil de ter uma criança. - Ele falou com o polegar na boca. - É fácil até não é mesmo?

- Sim. - Ri do que ele falou. - Quer ter agora?

L: - Vamos. - Ele se levantou.

Ele pegou na minha mão e fomos para o nosso quarto. Segurei nos ombros dele e o Empurrei atrás da porta fazendo a mesma se fechar, mas não com muita força, fechei os olhos e o beijei intensamente, para que ele possa entrar no ritmo.

Segurei na lateral do pescoço dele com uma das mãos e com a outra segurei na lateral do ombro dele, enquanto ambos temos uma movimentação um pouco mais rápida. L colocou a mão na minha cintura e foi a envolvendo entre os braços de si mesmo, fazendo nossos corpos ficarem com extremo contato.

Mordi o beiço dele durante o beijo e ele fez o mesmo com a minha boca, só que um pouco mais lento.

Aos poucos fomos andando até a cama, sem parar o beijo nos deitamos, fazendo que L ficasse por cima de mim.

Segurei na nuca dele e abaixei o pescoço do mesmo, dando um chupão não tão forte, mas o suficiente para ficar marcado. Afastei a lateral da camisa dele e dei um outro na curvatura do ombro dele, descendo até a clavícula, e notei que L solta alguns gemidos baixos. Ele foi até o meu pescoço e deu um chupão lento e intenso ao mesmo tempo.

Envolvi as minhas pernas em torno do tronco dele e inverti nossas posições, ficando sentada em cima do membro dele e com as mãos nos dois ombros dele.

L: - Porque inverteu nossas posições? – Ele perguntou enquanto segura o meu quadril.

- Vamos alternar dessa vez, não é? – Minhas mãos foram deslizando pelo peito dele, depois pelo abdômen, até chegar no fim da camisa do mesmo. – L é sempre você que fica por cima, vamos mudar algumas coisas por aqui hoje.

L: - Eu gosto de ficar por cima. – Ele se sentou, ainda sem parar de segurar o meu quadril e tirei a camisa dele, a jogando no chão.

- Acho que você vai gostar dessa nova posição.

Retirei a minha camisa e me levantei para retirar a minha calça, L fez o mesmo com a calça dele, agora estamos só com roupas íntimas.

Sentei em cima do membro dele, e senti o volume em baixo de mim e soltei um gemido fraco, mordendo a lateral do beiço. Segurei a lateral do rosto dele e beijei L intensamente, enquanto ele passa as mãos lentamente pelas minhas costas, e com essas movimentações, estou indo para trás e para frente no membro dele, deixando ainda mais excitado do que antes.

L: - E-Eu não estou aguentando mais S/n... – Ele falou entre gemidos e entre o beijo.

- Calma... – Falei em um tom de sussurro e o deitei, ficando bem próxima do rosto dele. – Espera um pouco mais L...

Comecei a beijar o peitoral dele, e ele segurou a minha cabeça, enquanto aperta os olhos e geme baixo, porque a minha bunda ainda está em cima do membro dele.

L: - S-S/n... – Ele gemeu enquanto ainda continuo o que estou fazendo.

- Tá bom. – Levantei a minha bunda e retirei a cueca dele, que já está com um pré-gozo. Retirei a minha calcinha e meu sutiã, os jogando no chão e peguei o membro dele com uma das mãos e encaixei dentro de mim, e devagar, fui sentando no mesmo, fazendo que ele entrasse completamente em mim e apertei os olhos, soltando um gemido baixo e manhoso, L fez a mesma coisa. - Essa posição está boa? - Perguntei começando a rebolar devagar no membro dele e ele segurou rapidamente o meu quadril, enquanto eu seguro no abdômen dele para manter o equilíbrio.

L: - E-Está... - Ele falou mordendo o beiço e apertando os olhos, enquanto geme um pouco mais grosso. - E-Essa posição não é... - Ele gemeu novamente. - ... Nada mal... - Ele arfou enquanto eu continuo o que estou fazendo.

- V-Vou um pouco mais rápido dessa vez. - Falei com dificuldade por conta da movimentação e por conta dos gemidos que querem sair.

Comecei a subir e a descer, mas ainda rebolando um pouco mais rápido que antes, fazendo que ele encostasse no meu ponto de excitação, apertei os olhos com força, enquanto estou com a boca aberta de tanto gemer, L a mesma coisa, ele está até mesmo suando.

Senti o nosso ápice chegando e comecei a rebolar ainda mais rápido e com mais pressão, fazendo que ele levantasse a cabeça para trás e soltasse um gemido mais grosso e apertasse os olhos, apertando o meu quadril. 

L: - S-S/n... - Ele apertou os olhos e gemeu. - C-Continue p-por favor... - Ele pediu com dificuldade.

- C-Certo... - Falei com dificuldade e entre gemidos.

Meu pescoço está com o suor se formando, joguei a cabeça para trás e enquanto arfo e a velocidade vai aumentando, e nossos gemidos vão ficando mais altos.

Depois de um tempo, senti meu corpo ficar mais amolecido e senti o jato de esperma entrar dentro de mim, me fazendo soltar um gemido de alívio e prazer, e parei a movimentação, L respirou fundo, um pouco ofegante e com o pescoço e testa suados.

- Quer ir mais uma? - Perguntei um pouco ofegante, mas ainda em cima dele.

Ele respirou por mais alguns segundos.

L: - Vamos... Mas só mais um... - Ele disse soltando o meu quadril devagar.

- Tudo bem. - Colei meu tronco no dele, fazendo meus seios estarem em contato com o peitoral dele e nosso suor se mesclarem e dei um beijo na boca dele, um beijo mais calmo, e ele foi deslizando as mãos dele da minha costa até a minha cintura, e as nossas pernas se entrelaçaram, fazendo nossas partes íntimas estarem em constante contato, e fazendo que o membro dele endureça novamente.

Como já estamos praticamente colados, ele não teve dificuldades de penetrar e voltar a se movimentar, dessa vez segurei as costas dele e ele segurou na minha cintura, para ficar mais fácil para o mesmo.

*nota: vocês estão de lado.

Encostei a minha cabeça na clavícula dele e senti a respiração ofegante do L perto do meu nariz. A cada penetrada, saia um gemido meu e dele, até que depois de um pouco tempo, gozamos novamente, mas dessa vez paramos por aí.

L: - Será que a gente conseguiu? - Ele perguntou ofegante.

- Depois de umas semanas iremos saber. - Falei no mesmo estado que ele.

Passou-se um mês que a minha menstruação está atrasada, então eu resolvi fazer um exame para confirmar se eu estou grávida ou não, e bom, o L foi junto, o Watari nos acompanhou, mas está do lado de fora nos esperando.

Enfermeira: - Aguarde só alguns instantes por favor.

- Tudo bem.

Esperamos uns minutos e ela chegou com o resultado.

Enfermeira: - Parabéns, vocês serão pais. - Ela deu a notícia contente.

Eu fiquei feliz que deu certo, fiquei empolgada, mas quando olhei para o L...

Ele está com os olhos arregalados e paralisado.

- Enfermeira, pode sair só um instante?

Enfermeira: - Claro. - Ela saiu, nos deixando à sós. E assim eu posso dizer o nome dele sem dificuldades.

- L? Que foi? - Perguntei enquanto olho pra ele até um pouco preocupada.

L: - Eu vou ser mesmo pai... - Ele disse neutro, mas ainda com os olhos arregalados. 

- Como se sente? - Segurei no braço dele.

L: - Não sei explicar, são várias sensações ao mesmo tempo... - Ele disse pensativo, mas sorriu sem mostrar os dentes. - Mas eu estou feliz. - Ele se levantou. - Mas agora eu tenho que fazer uma coisa importante...

- O que? - Me levantei também.

L: - Comprar uma geladeira nova.

- Uma geladeira nova?? Pra que? A gente já tem três.

L: - Pra guardar os doces do bebê.

Ri do que ele falou.

- Mas você sabe que ele ou ela não vão poder comer doces por um tempo não sabe? 

L: - Eu sei, mas quando ele começar ele tem estoque. - Ele falou pensativo.

- Meu deus. - Eu ri. - Vamos com calma...

Saímos e eu dei a notícia pro Watari, ele nos parabenizou, e agora o L quer sorvete para poder comemorar, e até eu quero.

Fomos para uma sorveteria que ele gosta, e nos sentamos em uma mesa um pouco mais afastada por preferência do L, pedimos, mas o L tava com uma cara séria que até defunto dentro do caixão levantava preocupado.

- L, o que foi? Porque está chateado.

L: - Não estou chateado. - Ele respondeu sério.

- Então porque está com essa cara de chateado e sério que assusta até um morto?

L: - Por nada. - Ele cerrou os olhos.

- L responde. - Fiquei séria.

L: - Tem um cara olhando para você. - Ele falou sério.

Meu deus... tenha crise de ciúmes agora não...

- Ignora ele, até porque não está fazendo nada nem comigo e nem com você.

L: - Mas eu não quero que ele olhe. - Ele falou sério.

- Eu não me importo com ele, apenas com você.

L: - Se ele não parar de olhar a gente vai embora daqui. - Ele respondeu e os pedidos chegaram.

Watari: - S/n, nem tente discutir com ele.

(aviso rápido: pra não ficar cansativo, irei pular algumas coisas, para também não ficar muito grande.)

3 meses depois...

Minha barriga não cresceu tanto, na realidade não cresceu quase nada, só se alterou uma coisa:

 - O que acontece se eu misturar alcaçuz, jujuba, leite e mel? - Perguntei pensativa com esses quatro ingredientes na mão.

{pensamento do Ryuk: - tem diabetes}

L: - Você pode passar mal se misturar isso tudo e comer.

- Mas parece ser tão bom... - Falei olhando para as coisas e comecei a chorar.

(gravidez deixa a mulher mais sensível, e como a S/n tem variações rápidas de emoções em alguns casos, isso afeta principalmente essa parte, ou seja... ela fica ainda mais sentimental)

{Ryuk: - Sensibilidade é tudo bolinho, cuidado que essa aí nem eu sei o que pode fazer}

L: - Calma não chora. - Ele levantou as mãos na altura dos ombros em sinal para eu parar, indo na minha direção. - S/n calma por favor. - Ele pediu calmamente.

- Eu quero comer mas eu não quero passar mal! - Me exaltei enquanto choro.

L: - Tudo bem, mas não pode ser outra coisa? - Ele perguntou na calmaria de sempre.

- Não... - Abaixei a cabeça.

L: - Não pode comer um de cada vez então? - Ele perguntou pegando as coisas das minhas mãos devagar.

- Não, tem que ser isso. - Falei abaixando a cabeça e as lágrimas caindo.

L: - Mas eu não quero que você passe mal. - Ele falou olhando para mim.

- Eu sei! Mas eu quero tanto comer aquilo tudo misturado... - Sentei no chão encolhida e abraçando as pernas enquanto as lágrimas ainda caem.

{pensamento do L: pela primeira vez eu não sei o que fazer.}

L: - Quer sorvete?

- Não.

L LAWLIET

O que mais você gosta...

- Pudim? Tem do seu preferido aqui.

S/n: - Não... - Ela enfiou a cabeça para dentro.

Não posso perder a calma, e também tenho que pensar...

- Chocolate?

S/n: - Não...

- Alcaçuz?

S/n: - Com leite, mel e jujuba? - Ela sorriu e olhou para mim.

- Não porque assim você passa mal e pode vomitar depois.

S/n: - Então não quero... - Ela voltou a chorar e abaixou a cabeça nas pernas (quando está encolhida sabe? No canto da parede.) - Eu quero mel, jujuba, alcaçuz e leite... - Ela disse entre soluços.

- Mas--

S/n: - Você não me deixa comer! - Ela se exaltou de repente.

{Ryuk: - Cacete ainda bem que não sou eu. - Ele riu}

- Espera S/n--

Ela se levantou e correu pro quarto.

- S/n calma! Cuidado! - Fui atrás dela e quando cheguei ela está encolhida na cama e abraçando o travesseiro com as mãos e as pernas. - Eu não queria te chatear.

S/n: - Eu não tenho culpa de querer comer essas coisas! - Ela falou com o rosto no travesseiro e ainda chorando. - E você tá negando isso pro nosso bebê!

- Mas eu não quero que você passe mal S/n... - Cocei a cabeça completamente desconcertado com tudo isso.

{Ryuk: - Nem o maior detetive do mundo sabe lidar com a esposa grávida. Ai ai, a coisa só melhora.}

S/n: - Eu não tenho culpa do nosso bebê querer comer isso! - Ela jogou um travesseiro com força no meu rosto, agora estressada.

- Tá bom, eu sei que você não tem, calma. - Peguei o travesseiro do chão e o coloquei na cama.

S/n: - Sai... - Ela falou com a voz de choro abafada por conta do travesseiro no rosto.

- Tudo bem.

Saí de lá e me joguei no sofá, olhando pro teto.

Fiquei com vontade de comer pudim agora.

...

Passou um tempo e ela saiu do quarto, com cara de sono, deve ter dormido, mas ela apareceu sorrindo e pulou em cima de mim, e me fazendo cair no sofá segurando as duas laterais do quadril.

- Olá. - Falei enquanto a vejo animada em cima de mim.

S/n: - Oi! - Ela respondeu animada e deu um selar longo na minha boca, até me espantei.

- Que bom que está de bom humor. - Falei quando ela parou de beijar.

S/n: - Te amo L. - Ela me abraçou e deu um beijo rápido na lateral do meu pescoço.

{Ryuk: - Misericórdia, do nada ela sai de nervosa pro feliz... bolinho que sobreviva os próximos meses}

- Eu também te amo... - A abracei encostando a cabeça no ombro da mesma.

Mas essa mudança dela me assustou, por um instante eu achei que ela ia querer sair de casa de tanto stress...

2 meses depois...

Fomos para o hospital, agora já dá para saber o sexo do bebê, confesso que estou um pouco ansioso, ou nervoso, não sei dizer.

A S/n fez a ultrassonografia e...

Enfermeiro: - Olha só o que temos aqui...

S/n: - O que? 

Enfermeiro: - Tem dois bebês aqui dentro.

Arregalei os olhos e a S/n arqueou as sobrancelhas.

- Sério? - Perguntei neutro, mas ao mesmo tempo chocado.

S/n: - Qual o sexo deles? - Ela perguntou curiosa.

Enfermeiro: - São dois meninos. - Ele falou enquanto olha no aparelho. - E eles são bem quietinhos, geralmente as crianças mechem as perninhas, mas esses dois nem isso. - Ele riu.

Fiquei feliz com essa notícia, e a S/n a mesma coisa, só que ela ficou mais empolgada, eu fiquei um pouco mais na minha.

 

{Ryuk: - Rapaz... duas crias, como será que elas vão ser... agora só no próximo pra saber né?}

____Trailer do próximo episódio____

Achou mesmo que eu ia dar trailer do último capítulo? Não né kkkkk esperem e vão saber.

Mas já adianto que vai ser uma coisa engraçada...

 

As músicas usadas para fazer esse capítulo (acreditem se quiserem):

Rap do Jeff The Killer (Creppypasta) – O JEFF CHEGOU | NERD HITS

Stray Kids "Get Cool" (não julguem por favor <3)

AURORA - Runaway

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...