História Imagine Magcon - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Sam "Wilk" Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Personagens Originais, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Visualizações 269
Palavras 2.293
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hellooooo

Imagine do Taytay para ~Little_Caniff
Espero que gostem!

Obs: ignorem aquela sombra ali na ft da naja, e imaginem que aquela garrafa é um protetor solar, ok? Ok.
Boa leitura! ❤

Leiam as notas finais.

Capítulo 8 - Taylor Caniff - We do not have much time


Fanfic / Fanfiction Imagine Magcon - Capítulo 8 - Taylor Caniff - We do not have much time

Kethy havia pego o protetor solar em sua bolsa, felizmente o sol não estava tão quente, então, ela apenas se bronzeou um pouco. E assim que se lembrou, correu para se proteger. Pegou o objetivo, colocou um pouco do produto nas mãos e começou a passá-lo em suas pernas com calmaria. Ela trajava um biquíni preto, um pouco justo

Seus óculos escuros davam um ar de sensualidade na garota,  além de que desfaçavam a direção em que Kethy olhava indiscreta. Fazia questão de apreciar todos aqueles tanquinhos maravilhosos bem a frente do seus glóbulos oculares. 

Ela havia chegado ao paraíso. 

Taylor Caniff, desejado bastante por todas e inclusive Kathy, havia a chamado para sua festa na piscina particular. Quando falou com o garoto pelo telefone, quase deu um treco quando ouviu Taylor comentar que a festa era apenas para os mais íntimos. 

E como a garota queria ser mais íntima dele... sonhava acordada praticamente. 

- Precisa de ajuda aí? - uma voz masculina a fez estremecer, ela assustou-se, mas não fez nenhum movimento brusco. Fingindo estar apenas surpresa com sua chegada. 

- Anh... - virou-se, dando de cara com o Caniff, o invejável garoto que fazia parte do time de basquete da escola, e por sua fama, era bastante popular com as garotas. 

Kethy, por alguns grandes minutos, se perdeu olhando para aquele peitoral definido. Mas por estar de óculos escuros, provavelmente Taylor não percebeu. 

- Você poderia passar pra mim? - perguntou ela, dando um sorriso mínimo. Enquanto lhe entrava o protetor solar. Taylor pegou de sua mão o mesmo. 

Um amigo do Caniff, acabou pulando na piscina, fazendo a água ir de encontro a dois jovens. E por um acaso, não eram ninguém além de nossa protagonista e sua "paixão". 

- Que caralho! - Caniff resmungou, e jogou seu cabelo para o lado, Kethy permaneceu imóvel, nem sequer ligou por estar molhada, estava ocupada admirando o garoto. 

- É... Foi mal. - seu amigo gritou, com um sorriso grande no rosto. Ele parecia satisfeito. 

Ele além de molha-los, ainda molhou também as toalhas e algumas cadeiras que estavam ali perto. 

- Vem, eu vou buscar uma toalha pra ti. - Kethy acordou de seus devaneios e aceitou, já que sua toalha havia sido encharcada. 

Os dois foram até a casa, Tay abriu a porta fazendo a garota parar assim que chegou perto da mesma. 

- Não vai entrar? - ele perguntou.

Kethy estava com entusiasmo, mas claro que iria tentar ocultar aquele sentimento. Ela negou. 

- Olha para mim, eu irei molhar a casa toda. - ela mostrou para si mesma, e levantou seu óculos, deixando-o em sua cabeça. Seus cabelos molhados pingavam consideravelmente. 

- Nada que um pano no chão não resolva. - ele respondeu-a, sorrindo. Enquanto a puxava para dentro sem a deixar contestar. 

- JÁ TÁ PEGANDO EIN, ESSE É O MEU GAROTO! - Um de seus amigos, palhaços, comentou gritando. Kethy gelou, não sabia como reagir. Estava com medo de levar um fora ou algo do tipo. 

- VAI QUE É TUA, MERMÃO! - o outro gritou também, os fazendo revirar os olhos, juntos, no mesmo instante. 

- Ignora. - Taylor suspirou e a mandou o seguir. 

- Eu irei. - sorriu aparentemente constrangida. 

Tay chegou em seu quarto e foi até seu armário, onde pegou uma toalha limpa e entregou-a para a garota. 

- Obrigada. - agradeceu sorrindente. Taylor retirou sua bermuda rapidamente, pois não estava nada seca e pegou uma outra para se vestir. Ele não estava ligando para a presença da garota, apenas queria trocar sua roupa. Kethy não disfarçou, lançando olhares curiosos em sua direção. Ela não acreditava no que via. 

Infelizmente ou felizmente, ele estava com uma cueca por baixo da bermuda em que retirou. Mas ainda assim, a garota desfrutava da visão. Apreciando o volume na cueca. 

Taylor percebeu e a olhou com a sobrancelha arqueada. 

- O que foi? 

- Nada, ué. - balançou sua cabeça. - E-Eu irei me trocar, com licença. - apontou para fora do quarto e foi em passos apressados até o primeiro banheiro que achou. Puxou sua bolsa, que trouxe consigo e abriu-a. 

Se trancou no banheiro, por precaução. 

- Puta que pariu. - ela estava com a respiração descompassada. - Eu sou muito burra! 

Começou a se encarar pelo reflexo no espelho. Murmurando alguns xingamentos enquanto batia o pé no chão, frenética. 

- Eu não devia ter encarado daquela forma. Ficou muito na cara! - suspirou. - Mas, eu vou fazer o quê? Não tenho culpa se meus olhos não possuem cercas. 

Ela bufou frustada, por estar conversando consigo mesma pela sua imagem refletida no espelho. 

Pegou a toalha e secou suas grandes madeixas. 

- Eu deveria estar feliz, esse dia poderia ser mais proveitoso. - falou pensando alto demais. - E não esse desastre. 

- Ainda está aí? - a voz do Caniff enpregnou no banheiro, mesmo com a porta fechada. Ele girou a maçaneta. 

- Estou! - respondeu Kethy. 

Os garotos decidiram jogar dez minutos no céu, eles prolongaram o tempo, sendo que eram apenas três minutos. Kethy mesmo receosa aceitou, pois Caniff praticamente a implorou. 

Os meninos pareciam com segundos intenções, e Kethy só conseguia pensar nisso. 

O jogo era simples, dois nomes seriam sorteados, e os donos dos mesmos deveriam entrar no closet, esperando o tempo passar, até que finalmente desse a hora de sair do mesmo, juntos. 

- Tá, eu vou sortear. - um dos amigos do Caniff pegou o papel, deixando escapar um "hummm" assim que leu o conteúdo. 

- Quem saiu? - Kethy impaciente perguntou. 

- Você. - respondeu ele, a fazendo fingir que estava tranquila, mas de fato não estava, em sua mente vagavam vários pensamentos diferentes. Ela seria tão sortuda ao ponto de ficar cinco minutos ou mais trancada no mesmo ambiente que algum desses garotos gostosos? - E o Taylor. 

- De novo? - um garoto reprimiu um grito, levando um soco pela garota a seu lado. Uma morena, aparentemente incomodada, fechou a cara. 

- Vamos então, Kethy. - Taylor a puxou pelo braço, cuidadoso. E enlaçou logo seu braço em sua cintura. 

- Ridícula. - a garota, que estava totalmente irritada com aquilo, sussurrou. Mas ainda assim falando nesse tom, Kethy conseguiu ouvi-la. Mas não rebateu, apenas reergueu a cabeça e pensou com si mesma; 

" Essa daí queria estar em meu lugar, isso sim! Pois que de morda de inveja, vadia. " 

Ambos entraram no closet, e os garotos do lado de fora trancaram os dois lá dentro. Kethy e Taylor começaram a se encarar, sem dizer nada. Estavam se estranhando, talvez? 

- Vou perguntar mais uma vez, o que foi contigo? - ele, confuso, perguntou. Não sabia o que se passava na mente da garota, então deduzida que eram coisas boas, pela maneira que ela o olhava. 

- Taylor... - ela queria tanto lhe disse o quanto era praticamente apaixonada por ele. Mas, um nó imaginário em sua garganta, parecia a deixar totalmente desconjuntada e sua voz falhava toda vez que tentava se pronunciar sobre o assunto. 

- Oi? - Colocou sua mão em sua cintura, como se estivesse pronto para ouvir tudo o que ela tinha para dizer. E ele estava, se ela finalmente tomasse coragem de se abrir. 

- Por que não colocou uma blusa? - ela perguntou, fugindo do foco principal. 

- Por que não me responde de uma vez? - Taylor estava começando a ficar diferente consigo. 

- Por que você não me ajuda? 

- Ajudar em quê? 

- Taylor, porra. - bufou ela, seu orgulho era imenso e o medo de ser evitada ou rejeitada depois depois é maior. 

- Porra? - Kethy refletiu sobre o que havia lhe falado. - Tá me xingando ou o quê? 

Ela mais uma vez, bufou, negando com a cabeça negativamente. 

- Mas é claro que não. - Kethy se recompôs, dessa vez iria falar. Sua mãe a ensinou a correr atrás de seus sonhos, e no momento, seu maior sonho está ali em sua frente. - Eu nunca te disse isso, e estou meio receosa... 

- Então... Diga-me. 

- Promete que não vai começar a me evitar? - Kethy esperava por sua resposta, ele não demorou muito, mas sua confusão parecia ter aumentado. 

- Eu não tô te entendo. - ele estranhou. - Por que eu te evitaria? 

- Só promete! - ela foi direta, com o tom da voz como se ordenasse a ele. 

- Tá, eu prometo. - ela sorriu sem mostrar seus dentes. - Vai ficar só me olhando estranho ou vai falar logo? 

- Calma, impaciência! 

- Você não fala logo, fica aí fazendo suspense. - ele estava realmente muito interessante com aquela expressão. 

- Eu gosto de você. - Kethy disse em alto e bom tom, fazendo o garoto arregalar seus olhos e nada dizer. 

- você o quê? - Caniff lhe perguntou. 

- Você ouviu! - cruzou seus braços. Dando de ombros. 

- E o que custa repetir? 

- Eu não irei repetir. - Kethy não esperava aquela reação. Estava praticamente nervosa. Se declarar para alguém, na visão dela, já era difícil, mas ainda mais se você não souber o quê a outra pessoa pensa sobre. 

- A quanto tempo você gosta de mim? - ele perguntou. Lhe causando um leve tremor. 

- A muito tempo. Dois meses. 

- Dois meses, ahn? - Taylor sorriu. - engraçado, porque eu também gosto de ti. 

- A quanto tempo? - repetiu a pegunta do menino, encurtando-a. 

- Algumas semanas. - Kethy suspirou. De repente, tentou abrir a porta, mas logo notou que ela ainda estava trancada. 

- Eles não vão abrir? 

- Não. Eu conheço eles, vão esperar muito tempo pra abrir. 

- Porquê? 

- Porque será, né? - a garota riu pelo nariz. Ela entendeu a indireta. 

Kethy não queria perder tempo e logo avançou nos lábios carnudos do garoto. E assim começaram um beijo, indermediando entre mordidas e sorrisos. Taylor desceu para seu pescoço e lhe distribuiu algumas lambidas, ameaçou deixar um chupão. Mas, Kethy o empurrou um pouco para trás, e ele a encarou seu entender. 

- E eles? Não esquece que não estamos sozinhos em casa. - Sua tentativa de fazê-lo parar foi em vão. 

- É só você não gritar. - voltou a mordiscar seu pescoço. - Quietinha. - Kethy soltou longos suspiros. 

Taylor a encostou em uma parede, e a deu impulso, Kethy enlaçou suas pernas em seu tronco e levou suas mãos nos cabelos do garoto. Alisando ali. 

Aquilo estava indo longo demais, pensou ela. 

- Não acha que aqui não é seguro? 

- Como assim? 

- A qualquer momento eles podem abrir essa porta e nos flagrar. 

- Não vão fazer isso. 

- Como sabe? 

- Só confiar em minha pessoa. Eu sempre estou certo. 

Kethy puxou os cabelos do Taylor o fazendo morder o lábio inferior de sua própria boca. 

- Eu estou ficando exitada. - sussurrou em seu ouvido. 

- Eu tô mais. - ele concluiu, também sussurrando. 

Taylor juntou seus corpos, e ela pôde sentir seu amigo animadinho, além de e seu peitoral, que subia e descia rápidamente. 

 Kethy levou suas unhas em seu tanquinho, o arranhando de cima para baixo, parou sua mão assim que encontrou o botão da bermuda jeans. 

Ela fez questão de abrir o mesmo. E a bermuda caiu, deixando apenas uma cueca. 

- Assim não vale. - ele levou suas mãos até os shorts jeans da garota. - Você ainda tá vestida. 

- É só você tirar, fácil fácil. - respondi, o fazendo sorrir malicioso. Taylor retirou a blusa da garota, meio eufórico, a ereção dele estava começando incomodar. 

Caniff levou suas mãos até o fecho do sutiã da garota e os tirou também, abaixou sua cabeça um pouco e lambeu o seio de Kethy, enquanto massageou o outro. 

Kethy estava arfando alto. O que de alguma maneira, exercia um controle sobre o Taylor. Ela arfava em seu ouvido, praticamente. 

- Quietinha. - reforçou o pedido. Eles não poderiam fazer muito barulho. 

Estavam realmente se arriscando, pois não sabiam se havia alguém naquele local ou não. 

Taylor também retirou o short com um pouco de dificuldade, por estarei em uma posição não totalmente confortável. 

- Vai demorar muito, aí? - ela tirou sarro, tentando amenizar o clima tenso. 

- Não, querida. - Taylor ainda não estava satisfeito, pois a garota ainda tinha sua calcinha intacta, vestida. 

Ele a olhou por alguns segundos, percebendo seus olhos mais escuros que o normal. O Caniff levou sua mão diretamente na alça da peça íntima. 

- Pode tirar. - deu-lhe liberdade. Ele não esperou muito tempo, tirou a peça com ríspidez. - Vai, sem mais preliminares, por favor. 

Taylor assentiu, por mais que não quisesse ir direto. Ele retirou sua cueca, a deixando cair para baixo. Kethy olhou para baixo, e arfou apenas por ver aquele membro totalmente ereto. Ele a adentrou rapidamente, sentindo seu ombro esquerdo sendo levemente mordido. Ele começou as estocadas, o que não foram nada lentas. Kethy não conseguia reprimir seus gemidos e já tinha certeza que alguém havia ouvido. 

Taylor apertava seus nádegas enquanto continuava nos movimentos, ele jogou sua cabeça para trás e Kethy unhou suas costas. 

- T-Taylor - deu uma pausa, ele não parou os movimentos, o que dificultou em sua dicção. Ela gemia mais alto. - A-acho que nós não temos muito tempo. 

Taylor não respondeu, apesar de morder os lábios da garota, enquanto continuava freneticamente. 

Cansado, saiu de dentro dela. Suas respirações estavam descompassadas, e ambos arfavam alto. Taylor recolheu sua roupa e a vestiu, e Kethy repetiu seu ato, com medo de alguém abri a porta naquele instante. 

- Agora é só esperar ele abrir a porta. - Ele comentou, ainda cansado. 



Notas Finais


Olá de novo, rs
Me desculpem por não estar postando com frequência, eu infelizmente estou enfrentando um bloqueio de criatividade, além de que o tempo livre tá meio curto.
Porém, estou fazendo o possível por vcs, perdi as contas de quantas vezes reescrevi esse capítulo, pois não estava sentindo q estava bom...
Tenham paciência, ok? Eu não vou abandonar nada, aliás, tenho mais duas fanfics, caso queiram ler, fiquem a vontade! ^

Ah, e comentem comentem

Beijão 💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...