1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Pansy >
  3. Capítulo Único

História Imagine Pansy - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leituraa Anjooooosss

Capítulo 1 - Capítulo Único


POV Pansy

-Chega a ser ridículo seu medo de ir falar com ela- Blasie resmunga ao meu lado.
-Não é?-Draco também reclama.
-Vão se ferrar!-Empurro os dois e passo a andar até a mesa da Grifinória.
Explicando de maneira rápida : Eu, Pansy Parkinson, nos meus dezessete anos, me encontro perdidamente apaixonada por (S/N) Diggory. Apesar de ser da Lufa-Lufa como o irmão, ela tinha uma grande amizade com os gêmeos Weasley e vivia acompanhada por eles e pelo trio de ouro. Apesar de tudo, tínhamos uma boa "amizade", tanto que ela era minha dupla na aula de poções.
-(S/A)?-Toco seu ombro, já recebendo olhares tortos pelos alunos da Grifinória.
-Pans!-Ela se levanta e me abraça, me fazendo sorrir feito idiota ao retribuir.
Por ser relativamente mais alta, apoio o queixo no topo da sua cabeça, apreciando do cheiro de seu shampoo. Noto os gêmeos rindo entre si, até mesmo a Granger parecia segurar a risada. Afasto (S/N) devagar, a puxando para dar uma volta. A lufana me conta sobre suas aulas e faz algumas reclamações sobre a aula de adivinhação, na qual a professora Trelawney disse que em breve um admirador inesperado se revelaria. Não deixo de sentir ciúmes, até porque até onde eu sabia era a única a nutrir sentimentos pela Diggory, mas claro que isso não seria para sempre, nunca que uma beldade como (S/N) seria só minha. Passamos o resto da tarde juntas, até conversamos com o Cedric em algum momento mas nada muito relevante. Após o jantar, quando voltamos para nossas comunais, fico um bom tempo apenas olhando para o teto, pensando sobre como conquistar (S/N) antes desse outro possível "admirador". Na manhã seguinte acordo de mau humor pela noite mal dormida, me tornando alvo de várias brincadeiras dos meus colegas da Sonserina.
-Só beija ela!-Zabini me empurra de leve.
-Endoidou foi?-Lhe empurro de volta.
-Não é como se ela fosse te dar um fora- Ele para na minha frente.
-Gente?-Draco nos cutuca, mas o ignoro.
-Agora não Malfoy!-Volto minha atenção para Blasie- Você não pode simplesmente beijar alguém do nada, por mais apaixonada que eu esteja!
-Gente!-Draco eleva um pouco o tom.
-Tá na cara que ela gosta de você também!-O garoto nega com a cabeça.- Então qual a dificuldade!?
-OH caramba!-Draco grita.
-O QUE?-Eu e Zabini gritamos juntos.
O loiro aponta com a cabeça. Quando me viro sinto minha alma sair do corpo e voltar. (S/N) estava a alguns metros, parecia bem chateada, mas forçou um pequeno sorriso quando nossos olhares se encontraram. Ela acena com a cabeça e anda rapidamente na direção oposta. Fecho os olhos com força, me xingando internamente. Draco xinga a mim e Zabini também no caminho da sala. As aulas passam voando, principalmente por eu não estar prestando atenção. Nas duas últimas aulas, que eram de poções, fico ainda mais nervosa quando (S/N) não aparece.
-Alguém sabe me dizer onde está a senhorita Diggory?-Snape questiona enquanto fazia chamada.
Quase que no mesmo instante batem na porta e, após a autorização do professor, Filch entra na sala, ele segurava um pedaço de pergaminho.
-Me mandaram para avisar que (S/N) Diggory não poderá comparecer a aula de hoje- Ele anda até a mesa do Snape e lhe entrega o papel.
-E por quê?-Ele pega o pergaminho.
-Aparentemente ela teve algum acidente nas estufas- O zelador diz com desdém.
Snape acena com a cabeça e Filch sai da sala. Olho imediatamente para Draco, que da de ombros. Olho para minha mesa e vejo um resto de um "acido" com que trabalhamos na aula passada. Respiro fundo e derramo um pouco na minha mão. Snape vem rapidamente até mim, analisando a situação.
-Vá para a enfermaria senhorita- Ele me encara por mais alguns segundos.
Ando rápido até a enfermaria, não pensei que iria doer tanto, mas eu precisava saber se (S/N) estava bem. Quando chego sou recebida de imediato por madame Pomfrey. Ela me faz sentar em uma maca e passa um tipo de pasta onde derrubei o acido, fazendo minha mão parecer nova. Quando ela vai para um tipo de sala no fundo da enfermaria, me levanto e passo a procurar (S/N), a encontrando deitada em uma maca não muito longe da minha.
-(S/N)!?-Me aproximo rápido.
Ela se senta na maca e me olha surpresa. Me sento ao seu lado e a abraço, sentindo ela retribuir devagar. A analiso inteira, procurando algum machucado.
-O que aconteceu?-A olho preocupada.
-Mandrágora- Ela faz um bico muito fofo.- Não coloquei o fone direito.
Rio e nego com a cabeça. Seguro seu rosto, fazendo um carinho. Fico a admirando por um instante e oque Blasie disse mais cedo vem na minha cabeça. Respiro fundo e me aproximo lentamente, deixando bem claro oque queria fazer. Fico surpresa ao vê-la fechar os olhos. Junto nossas bocas em um selinho calmo, sentindo mil borboletas no estômago. (S/N) passa os braços envolta do meu pescoço, me puxando para um beijo de verdade, e eu retribuo. Eu já estava com uma das mãos em sua coxa quando me lembro de onde estávamos e afasto (S/N) lentamente de mim.
-Quer sair daqui?-Beijo sua testa, sorrindo feito idiota.
-Sei de um lugar muito bom- Ela sorri de lado e se levanta.
A olho desconfiada, mas a sigo sem questionar. Ficamos fugindo de possíveis inspetores e do Filch até o terceiro andar, onde ela me empurra para dentro de um dos banheiros.
-O banheiro dos monitores é um ótimo lugar para um banho-(S/N) diz com claras segundas intenções.
Ela tranca a porta e para na minha frente, me puxando pela gravata para mais perto. (S/N) morde meu lábio inferior e o puxa, me fazendo suspirar e segurar em sua cintura. Mas ela me empurra e anda até perto da enorme banheira ali, retirando suas roupas no caminho. Quando completamente nua, ela vira pra mim, me fazendo quase babar, e entra na água. Me apresso para me despir e logo me junto a ela. (S/N) se aproxima, envolvendo os braços no meu pescoço e eu seguro em sua cintura.
-Pans?-Ela toca de leve meu rosto.
-Sim?-A olho atentamente.
-Eu te amo- Ela sussurra e me beija.
Sinto meu coração acelerar e retribuo alegremente o beijo. Seguro em suas coxas, envolvendo suas pernas na minha cintura, e a prendo contra a beirada na banheira. O beijo começa a esquentar ainda mais, (S/N) puxa me cabelo e arranha minhas costas, me excitando mais.
-Você não vale nada- Rio e desço minha boca pelo seu pescoço.
Deixo algumas marcas, escutando sua respiração ficar cada vez mais pesadas e ela soltar alguns gemidos baixos. Marco e aperto seus seios, escutando ela gemer meu nome. Dou mais um impulso, a sentando na beirada, e abro bem suas pernas.
-Pansy!-(S/N) segura meu cabelo e puxa minha cabeça em direção ao seu sexo.
Rio baixo e logo começo a chupá-la, ouvindo-a gemer alto meu nome. (S/N) segura meu cabelo com mais força e tomba a cabeça para trás. Intercalo entre a penetrar com a língua e chupar seu clitóris, sentindo ela se desmanchar na minha língua alguns tempo depois. A puxo de volta para a água, a abraçando e beijando seu rosto. (S/N) segura meu rosto e me beija, enquanto me empurra contra a beirada.
-Achou que só você iria se divertir?-Ela diz ao pé do ouvido.
Acabo gemendo baixo, já que também estava excitada. (S/N) sorri e sinto sua mão descer pelo meu corpo, chegando ao meu sexo. Ela afasta um pouco minhas pernas e me penetra com dois dedos.
-Ah! Porra!-Gemo alto e agarro seus ombros.
Ela sorri mais, começando a marcar meu pescoço e a mover seus dedos em mim. Fecho os olhos e me deixo levar, sem me preocupar em segurar meus gemidos, apenas aproveitando o prazer (S/N) estava me proporcionando.
-I-isso! (S/N)!-Tombo a cabeça pra trás, sentindo os olhos dela em mim.
Meu corpo dá um espasmo mais forte e em seguida relaxa. (S/N) abraça minha cintura e eu apoio a cabeça no seu ombro.
-Quer voltar?-Ela sussurra no meu ouvido.
-Só um minuto- Digo no mesmo tom, a abraçando mais forte.
Ficamos mais um tempo abraçadas, então terminamos o banho e nos trocamos. Como as aulas já estavam para terminar, apenas ficamos andando um pouco pela escola e conversando.
-Bom, sábado vamos poder ir pra Hogesmade- A abraço por trás- Quer ir comigo, tipo...
-Sim!-(S/N) beija meu rosto- Mas você me paga uma cerveja amanteigada.
Concordo com a cabeça e ficamos apenas trocando carinho, oque resultou em uma chuva de piadas quando nossos amigos nos acharam, mas deu para passar um bom tempo com todo mundo, até mesmo com as pessoas da Grifinória


Notas Finais


Te contar que eu nunca vi uma fic dela...
Então...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...