1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Ray (the promised neverland) >
  3. Resolvendo mal entendidos e a Mama é sua mãe?!

História Imagine Ray (the promised neverland) - Capítulo 25


Escrita por: _Paloma_oliveira_

Notas do Autor


Manoo, eu imagino muito o Ray fazendo isso com a versão mais nova dele, AMEI ESSA FOTO 🛐

E sim garela, FINALMENTE nosso casal preferido se resolveu 😍✋

Nesse vocês choram de felicidade, juro KKKKK

Capítulo 25 - Resolvendo mal entendidos e a Mama é sua mãe?!


Fanfic / Fanfiction Imagine Ray (the promised neverland) - Capítulo 25 - Resolvendo mal entendidos e a Mama é sua mãe?!


Você pela primeira vez já estava acordada quando os primeiros raios de sol passaram pelas cortinas, você tentou de todos os jeitos dormir, deitou de costas, deitou de barriga pra cima, virou de lado, nada adiantou, mas o bom é que hoje você daria a chance de Ray se explicar então ele poderia explicar oque realmente aconteceu na versão dele, logo depois do raio de sol cruzar uma fresta da janela as crianças já começaram a dar sinal de que estavam acordando, elas se levantavam rapidamente, você tentou fingir que estava dormindo, não estava com sono mas estava com preguiça de levantar, logo você ouviu Ray se levantando atrás de você, você fechou os olhos com força e controlou sua respiração para fingir dormir.


Ray se levantou, não havia dormido nada de noite, olhou para sua cama e você parecia estar dormindo, ele sabia que você não estava dormindo de verdade mas não se sentiu no direito de falar isso, então apenas se levantou da cama e foi trocar de roupa, depois de trocar de roupa ele foi no banheiro lavar o rosto e viu que ele estava com olheiras grandes, Ray suspirou, não sei se aguento mais um dia sem você Ray pensou se sentindo incompleto, saiu do banheiro e desceu para o café.


Depois que Ray saiu do quarto você abriu os olhos levemente para ter certeza que ele foi embora, Emma viu você abrir o olho.


- S/n? Acordada a essa hora? - Emma disse se aproximando, droga! Você pensou irritada, queria ficar na cama mais um tempo, pensava que se Ray saísse do quarto seria mais fácil você dormir.


- Eu não consegui dormir direito essa noite - você disse com a voz rouca, Emma se aproximou de você.


- Já que não conseguiu dormir direito levanta aí - Emma encorajou, você revirou os olhos mas se levantou.


Você levantou da cama e Emma viu que você estava com grandes olheiras.


- S/n?! Parece que você não dormiu a noite inteira! - Emma falou assutada, você colocou a mão atrás da cabeça.


- Bom, foi exatamente oque aconteceu - você confessou, Emma te olhou espantada mas logo percebeu o porque você não conseguir dormir, ela sabia que você era acostumada a dormir com o Ray então como você e Ray estavam brigados, você não conseguiu dormir.


- Não dormiu por causa do Ray? - Emma perguntou, você a olhou espantada por ela acertar na mosca, viu que não conseguiria mentir então concordou com a cabeça.


- Sim - você disse brincando com os dedos da mão.


- Acho que tá na hora de vocês dois conversarem direito - Emma falou colocando a mão no seu ombro, você encarou Emma e sorriu levemente.


- Eu vou falar com ele daqui a pouco - você disse, Emma sorriu de volta.


- Bom, então vamos descer tomar café - Emma disse tentando te animar como sempre.


- Eu já desço, só vou trocar de roupa e lavar o rosto - você disse, Emma concordou com a cabeça e foi descendo.


Você suspirou e foi trocar de roupa.


Ray desceu as escadas e viu Norman sentado parecia concentrado. 


- Ohayo Norman - disse Ray sentando do lado de Norman, Norman olhou para Ray.


- Ohayo Ray - Norman disse, olhou para Ray e se assustou - Ray! Você dormiu essa noite? - Norman perguntou assustado com as olheiras de Ray, Ray suspirou a coçou a cabeça.


- Na verdade, eu não dormi nada essa noite - Ray confessou sorrindo, Norman o olhou assustado mas logo entendeu que Ray não conseguiu dormir, porque você não estava com ele.


- Tem algo haver com a minha irmã e você não terem dormido juntos ontem e estarem brigados? - Norman perguntou, Ray corou um pouco mas concordou com a cabeça.


- Isso é meio constrangedor, mas dormiamos todos os dias juntos - Ray disse coçando os olhos - agora não consigo dormir sem ela do meu lado - Ray confessou abaixando a cabeça descepcionado em como ele podia ser tão idiota, Norman deixou e ciúme de lado e colocou a mão no ombro de Ray.


- Pelo menos hoje ela deixa você se explicar - Norman disse solidário, sentia ciúme? Sentia, mas tinha horas que era melhor deixar ele de lado e ajudar esse casal que fazia ele passar raiva, Ray sorriu para Norman em agradecimento.


Você trocou de roupa e foi no banheiro lavar o rosto, lavou o rosto e viu que você realmente estava com olheiras espero que a Mama não perceba você pensou.


Saiu do banheiro desceu para o café.


Ray estava sentado com Norman quando Mama Isabella passou por eles, Mama viu as olheiras de Ray e se preocupou.


- Ray você dormiu a noite? - perguntou Mama Isabella colocando a mão no rosto de Ray para ver melhor suas olheiras.


- Eu não consegui dormir direito - Ray disse ficando surpreso pela preocupação da Mama Isabella, nunca pensou que ela se importasse muito com ele.


- Vem eu vou te levar para a enfermaria e lá você vai dormir - Mama Isabella ordenou ainda preocupada e já pegando na mão de Ray para levá-lo.


- E eu tenho escolha? - Ray perguntou vendo que já estava sendo puxado para a enfermaria sem falar nada, Mama Isabella ignorou o comentário e continuou a levá-lo na enfermaria.


Você desceu para o café e logo viu Norman sentado sozinho.


- Ohayo Norman - você o cumprimentou, Norman que estava distraído logo te cumprimentou de volta.


- Ohayo S/n - Norman disse sorrindo, você sentou do lado de Norman, Norman viu suas olheiras - você também está com olheiras? - perguntou assustado, parece que todo mundo tirou o dia para não conseguir dormir, você o olhou confusa.


- Como assim, você também? - você perguntou.


- Ray também estava com olheiras - Norman disse meio hesitante, não sabia se você queria tocar no nome de Ray, você por outro lado não ficou mal, na verdade ficou preocupada, mesmo você e Ray não estando mais juntos você ainda se importava com ele.


- Ele tá bem? - você perguntou em um tom preocupado.


- Ah sim, Mama Isabella levou Ray á enfermaria para descansar - Norman disse aliviado por você não ficar mal ao tocar no nome de Ray.


- Ah que bom - você disse mais aliviada.


- Então você não conseguiu dormir por que Ray não estava com você? - Norman perguntou sarcástico, você corou um pouco.


- Q-que? - você tentou não se aprofundar no assunto, mas Norman já esperava essa reação.


- Nem adianta desconversar - Norman repreendeu - te conheço muito bem, se você quer saber, Ray não dormiu pelo mesmo motivo - Norman informou cruzando os braços, você corou mais um pouco.


- Ray não dormiu pelo mesmo motivo? - você perguntou um pouco confusa, Norman confirmou com a cabeça deixando você pensativa.


Você ficou alguns segundos raciocinando até ouvir a voz da Mama Isabella na sua frente.


- S/n? Você também está com olheiras - Mama Isabella perguntou, você acordou dos próprios pensamentos, quando viu Mama Isabella coçou a parte de trás da cabeça.


- É, não dormi direito á noite - você disse, Mama Isabella colocou a mão na sua testa para ver se não estava com febre.


- Sem febre - Mama informou - que estranho, Ray também estava com olheiras, talvez uma gripe? - Mama pensava alto, talvez uma gripe que não deixe ter uma boa noite de sono? Como ela ainda não sabia de você e Ray poderia fazer sentido.


Mama se levantou da sua frente e estendeu a mão para você.


- Vem querida vou te levar na enfermaria para dormir - Mama disse sorrindo gentil, você deu a mão para a Mama.


- Okay - você disse, enquanto você e Mama caminhavam você olhou para Norman e acenou em despedida, Norman concordou com a cabeça como despedida.


Você e Mama foram até a enfermaria, lá era bem silencioso, quase nenhuma criança passava por lá, Thoma e Lani tinham o costume de fazer brincadeiras para assustar os outros, então as crianças evitavam ir ali para se poupar do susto que normalmente levavam, os dois só não assustavam quem ficava na enfermaria porque a Mama ficava brava.


Mama deu uma batida na porta da enfermaria antes de entrar com você, quando entraram você viu Ray já de pijama, pronto para dormir.


- Ray a S/n não dormiu direito a noite também, então ela também veio aqui - Mama disse sorrindo para Ray, Ray logo se preocupou com você, podia não se importar muito com a própia saúde mas tratava a sua como prioridade.


Você inflou as bochechas ao ver a preocupação esplicita no olhar de Ray.


- S/n querida, tem um cômodo ali do lado, pode trocar de roupa ali - Mama disse se virando para você.


Tinha uma porta na enfermaria que levá-la aos remédios, roupas, e termometros.


- Tudo bem Mama - você disse indo em direção a porta do lado.


Você entrou e viu várias prateleiras com remédios diferentes e termometros para a febre, você viu alguns pijamas de tamanhos diferentes num criado mudo, foi até ele e achou um pijama do seu tamanho, o vestiu e enrolou um pouco naquele cômodo, estava nervosa para sua conversa com Ray, tinha medo da verdade, ela podia doer quando não se estava preparado.


Depois de enrolar um tempo fazendo nada você suspirou e foi até a porta, encarou a porta por alguns segundos e finalmente a abriu.


Quando abriu viu que Ray estava sentado na cama onde ele iria dormir, quando Ray ouviu a porta abrir olhou para ela, viu você saindo do cômodo e disse.


- Será que podemos conversar? - perguntou Ray te encarando, você suspirou.


- Precisamos - você disse andando até a cama na frente de Ray, se sentou e vocês dois se encararam por alguns segundos.


- Hum, por onde quer que eu comece? - Ray perguntou se arrumando melhor na cama, nervoso.


Você pensou por alguns segundos, estava ansiosa para ouvir a explicação de Ray com Anna mas oque mais te intrigou foi a de Ray ser o traidor.


- Acho que... Você ser o traidor - você disse se decidindo, Ray engoliu em seco, estava nervoso porque se não contasse a história direito você podia entender errado de novo, e isso seria péssimo.


- Okay - Ray concordou suspirando, você se arrumou na cama para se concentrar melhor - eu... Eu sou o espião da Mama há muito tempo - Ray disse meio incerto de onde começar - muito antes de você chegar, eu me ofereci como voluntário, eu a procurei - Ray olhou para você, estava concentrada, não iria cair em mentiras de novo então analisava tudo cuidadosamente - não, seria mais preciso dizer que eu me vendi a ela - Ray disse com certo amargor na voz, na opinião dele havia praticamente se vendido a Mama, não gostava disso mas também precisava ser o espião dela, você olhou para Ray surpresa, não esperava por esse amargor na voz dele - tudo para me preparar para a fuga - Ray disse, se preparar para a fuga? Ray planeja há tanto tempo assim a fuga? Você pensava um pouco confusa, Ray percebendo sua confusão explicou - o melhor modo de conhecer o inimigo e obter recursos é fingir estar com ele - Ray explicou, você entendeu agora oque ele quis dizer, fazia sentido, Ray suspirou o continuou a explicar - foi por isso que propus um acordo para a Mama - Ray disse, você se assustou, foi perigoso, o acordo podia fazer Mama desconfiar de Ray, involuntariamente você comentou.


- Foi perigoso - você disse involuntariamente, era acostumada a comentar no meio de explicações e dessa vez não foi diferente, Ray olhou para você e sorriu levemente feliz por você falar com ele novamente, mesmo que apenas comentasse coisas mínimas.


- Mas tinha chances de funcionar - Ray disse olhando nos seus olhos, amava como seus olhos ficavam quando estava concentrada, podia ser meio idiota isso mas ele amava tudo em você, até seus defeitos - As crianças com as melhores notas são as mais valiosas, Mama não as colheria antes da hora - Ray disse oque você já sabia, já tinha presenciado várias situações onde a Mama entregava as crianças a partir de 6 anos mais "burras" primeiro do que as inteligente, afinal você estava em Grace Fields porque queriam esperar você crescer para depois te "colher" - em troca de eu ser o espião eu pedi duas coisas a Mama - Ray continuou explicando - primeira, eu cooperaria para não ser enviado - Ray disse, ele precisava ficar vivo até seus 12 para poder completar o plano que planejava - segunda, pedi recompensas em troca de resultados - Ray disse, você ficou um pouco confusa com a segunda.


- Recompensas? - você perguntou, Ray te olhou novamente, estava feliz pelo passo que estavam percorrendo, agora você falava e perguntava à ele coisas que não entendia, sorriu levemente de novo, mas logo parou para se concentrar em explicar.


- Um monte de bugigangas - Ray explicava - se não existisse na casa, ela as encomendava - quando Ray disse aquilo você olhou surpresa para ele entendendo oque ele queria fazer com as bugigangas, Ray concordou com a cabeça vendo sua cara de espanto por entender, Ray estava usando as bugigangas para quebrar os rastreadores - queria testar oque era possível e impossível de conseguir - Ray disse olhando nos seus olhos, mas ele hesitou, desviou o olhar e confessou - e queria saber mais sobre o mundo exterior - Ray confessou corando um pouco, não gostava de admitir, mas estava curioso sobre o mundo lá fora, as vezes pedia a Mama bugigangas inúteis apenas para ele ficar admirando e imaginando o mundo lá fora, você olhou surpresa para Ray, não sabia de sua curiosidade pelo mundo lá fora - como resultado, ela me deu várias coisas, desde que não fossem perigosas, mas só consegui modelos antigos - Ray continuou a explicação não querendo pensar muito no mundo lá fora, se pensasse demais saia um brilho dos seus olhos, sempre adorou e imaginou um mundo sem demônios ou crianças morrendo para alimenta-los.


- Quando disse que tinha uma idéia para desativar os rastreadores... - Você começou, mas Ray já respondeu antes de terminar a pergunta.


- Eu cheguei a ver o dispositivo - Ray admitiu, você ficou surpresa pela informação - fiz testes e, depois de muitos anos, descobri como quebra-los - Ray fez uma pausa - os rastreadores podem ser anulados - Ray disse a resposta que você esperava, você quase vibrou de felicidade ali mas se controlou, não perderia a postura, se anulassem os rastreadores, como Ray já disse que conseguiria, ficariam muito mais perto de fugir, e com vários problemas a menos, Ray deu um mini sorriso vendo seus olhos vibrarem de felicidade, você podia esconder os sentimentos na postura mas seus olhos sempre mostravam a verdade, Ray tirou o mini sorriso do rosto e continuou - estou me preparando desde que descobri a verdade da casa - Ray admitiu, você ficou surpresa desde quando Ray sabe da verdade da casa? Você pensou, para ele pensar em tudo isso deve ter perdido muito tempo pensando.


- Ray - você acabou resmungando um pouco preocupada, Ray estava se esforçando bastante para fugir dali.


- Eu Manipulei Norman e Emma para que fossem até o portão - Ray disse com amargor, odiava manipular os outros mas naquele dia foi preciso, você olhou surpresa pelo amargor em sua voz - eu fiz tudo isso para garantir que os dois não morressem - Ray admitiu, não gostava de falar mas Norman e Emma eram muito importantes para ele, mesmo não desmonstrando muito, você olhou surpresa para Ray, sabia que Norman e Emma eram importantes para ele, mas não imaginava que era tanto - e agora você também é o motivo de eu continuar a ser o espião - Ray disse e você corou um pouco, ficou brava com ele por ser o espião e ele fazia isso apenas para garantir que você, Norman e Emma não morressem, como tinha sido injusta, Ray desviou o olhar corando um pouco também.


- Ray eu... - você ia dizer que acreditava nele mas se lembrou de Anna - eu quero ouvir oque você tem a dizer da Anna - você mudou a frase na metade endurecendo o corpo, Ray suspirou lembrando de Anna.


- Claro - Ray disse com culpa na voz - depois que Emma voltou da casa, disse que você tinha dormido eu fiquei na árvore porque não adiantava ir falar com você se estava dormindo - Ray deu de ombros - Norman e Emma foram brincar de pega-pega para "manter as aparências" - Ray disse fazendo aspas com a mão - Anna foi a primeira a ser pega e foi na árvore, onde eu estava, e pediu se podia falar comigo - Ray disse com culpa na voz, como podia ter sido tão idiota a ponto de não perceber as intenções de Anna? - e... Eu aceitei, ela me levou para o lado da casa, perto da porta de entrada - Ray disse abaixando a cabeça - aí ela falou que gostava de mim e antes que eu pudesse reagir ela me beijou, mas eu juro que eu saí o mais rápido que eu pude - Ray disse erguendo a cabeça rápido com um olhar desesperado, você estava com as duas mãos do lado do corpo, Ray não teve coragem de olhar para o seu rosto, estava com medo  da sua expressão ser de quem não estava acreditando muito, abaixou a cabeça novamente - aí eu ouvi sua voz atrás de mim e... Aconteceu - Ray disse não querendo repitir sobre a briga que vocês tiveram depois, ainda doía nele ao lembrar das suas palavras duras.


Ficou alguns segundos em silêncio, Ray estava começando a ficar nervoso pelo silêncio que estava naquela enfermaria, mas ele sentiu você pular em cima dele, o abraçando.


Ray levou um susto e acabou caindo de costas, você estava chorando de alívio, estava muito aliviada em saber que Ray não estava mentindo ou manipulando você, Ray no instinto te abraçou de volta.


Não havia percebido que você estava chorando, Mas quando percebeu disse.


- Ei, ei, não chora - Ray disse te levantando de cima dele, você levantou de cima de Ray e sentou em cima da barriga dele e limpou as lágrimas sorrindo, Ray botou a mão na sua cintura para você não cair pra trás.


- Desculpa, desculpa, desculpa, desculpa - você disse abraçando Ray de novo, Ray quase ficou sem ar porque você se jogou em Ray de novo.


- Não, tudo bem, você tinha o direito de ficar brava - Ray disse te erguendo porque você estava esmagando ele, você sentou de novo na barriga de Ray, você estava tão feliz de terem se resolvido, e no final não foi nada de mais, mal entendido atrás de mal entendido.


Vocês dois ficaram se encarando por alguns segundos apenas aproveitando de não estarem brigados nem nada, até Ray falar.


- Hum... Você podia sair de cima de mim? - Ray perguntou meio sem graça, a abarriga dele estava começando a doer, você percebeu que estava esmagando a barriga de Ray e disse rapidamente.


- Ah, sim, foi mal - você disse saindo de cima de Ray, você sentou do lado de Ray e Ray se sentou depois de levantar da cama.


Vocês dois se olharam e sorriram.


- Eu senti sua falta princesa - Ray disse colocando a mão no seu rosto.


- Eu também senti a sua - você disse sorrindo.


Ray aproximou seus rostos e te beijou, foi um beijo lento, apenas para matar a saudade mesmo, ficaram brigados por um dia mas pra vocês já era muita coisa, depois de um tempo se separaram, se encararam e Ray deu mais um selinho em você, os dois sorriram.


- Bom, vamos dormir, precisamos - você afirmou rindo e se levantando da cama.


- Vai dormir comigo? - Ray perguntou se levantando a pegando sua mão, você corou.


- Como se eu tivesse escolha - você resmungou indo até a cama onde Ray deitaria, deitou e se cobriu.


- Você com certeza não tem - Ray disse rindo, se você não dormisse na cama dele ele iria dormir na sua com você.


Depois de você se cobrir Ray foi deitar também, colocou o braço de baixo da sua cabeça e te abraçou, ficaram um de frente pro outro, se encararam e você sorriu.


- Sem mais segredos? - você perguntou para se certificar que não tinham mais nada a conversar, Ray hesitou, não queria falar daquilo, você percebendo a hesitação ficou séria - oque você não me contou? - você perguntou olhando nos olhos de Ray, Ray olhou um pouco assustado com seu olhar sério e suspirou.


- Eu não te contei uma coisa ainda - Ray disse desviando o olhar, você ergueu uma sombrancelha para ele continuar - a... A Mama é a minha mãe biológica - Ray confessou, você ficou perplexa que até se afogou com a própia saliva.


Tossiu e se sentou cama para não se afogar ainda mais, Ray sentou rapidamente também, dando leves tapinhas nas suas costas para ajudar, depois que passou a tosse você se virou para Ray.


- A Mama é sua mãe?! - você perguntou perplexa, nunca esperaria por essa, nem na sua quinta reencarnação imaginaria que a Mama era mãe de Ray, Ray desviou o olhar um pouco magoado.


- É tão ruim assim? - perguntou tirando a mão das suas costas, você se apressou em dizer.


- Não, não, claro que não, só fiquei... Surpresa - você disse rapidamente, não que não gostou da notícia, só estava surpresa pela grande coincidência, percebeu que Ray ainda não havia acreditado muito então você colocou a mão no rosto de Ray - desculpa minha reação, eu só não imaginava a coincidência que as coisas estavam - você disse olhando Ray nos olhos, Ray sorriu levemente e deu um beijo no seu nariz.


- Tudo bem, foi muita coincidência mesmo - Ray disse te encarando.


Você sorriu de volta por ele entender, Ray te puxou e deitou novamente na cama com você deitada por cima no seu peito.


Ray ficou fazendo carinho nas suas costas enquanto você colocou a cabeça no ombro de Ray, até que veio um pensamento na sua cabeça que fez você levantar e sentar na barriga de Ray de novo.


- Espera ai - você disse - como você sabe que a Mama é sua mãe biológica? Ela te contou? - você perguntou meio confusa, Ray suspirou e colocou a mão na sua cintura para não ter perigo de você cair para trás.


- Eu tenho uma... Doença, acho que é assim que fala, ela me faz lembrar de tudo oque aconteceu na minha infância, me lembro até quando estava no útero da minha mãe - Ray disse e você o olhou impressionada, lembrar de tudo na infância devia ser bom, e ruim, porque lembraria de traumas que teve que poderia ter sido esquecido, você se lembrou de Nora, ela também tinha isso, foi por isso que ela te contou o segredo da casa, se ela não te mostrasse o segredo da casa você nem saberia onde poderia estar, talvez morta.


- A Nora também tinha essa doença - você disse sorrindo para Ray, mas veio outro pensamento em sua cabeça - Nora sabia quem era a mãe dela... - você disse ficando pensativa, ela nunca havia te contado quem era sua mãe, como nunca tinha pensado nisso? Era tão óbvio - eu podia saber quem eram a mãe dela e de Norman - você continuou seu raciocínio, Ray te puxou para deitar novamente do peito dele.


- Tenho certeza que se ela visse a mãe dela pelo orfanato, ela contaria, afinal como ela podia contar para você uma pessoa que ela viu apenas quando nasceu? - Ray disse fazendo carinho nas suas costas e dando um selinho no topo da sua cabeça, você pensou por uns segundos e concluiu que era verdade, afinal a Mama não era mãe de ninguém mas todos a consideravam suas mães de verdade.


- É, nem toda mãe biológica pode ser considerada mãe - você afirmou entendendo no ombro de Ray, você mesma não estava a fim de conhecer a sua, você não via mais a Mama Emily mas ainda considerava ela sua mãe, Mama Isabella era sua segunda mãe, mas a Mama Emily sempre seria sua primeira, esperava que ela ainda se lembrasse de você.


Vocês dois ficaram um tempo em silêncio até Ray dizer.


- A Mama vai ser sua sogra - Ray brincou, você corou bastante, mal tinham se resolvido e Ray já falava de casamento, você deu um leve soco no peito de Ray.


- Mal nos resolvemos e já está falando isso, idiota - você reclamou e Ray riu.


- Se depender de mim ela vai ser sua sogra sim - Ray brincou de novo, você ficou vermelha e deu um soco mais forte do peito de Ray - aí! Parei, parei - Ray disse ainda rindo, era engraçado o jeito que você ficava envergonhada com coisas simples.


Você acabou rindo também, podia ficar constrangida mas era engraçado o jeito que Ray falava do futuro como se fosse tão simples, então acabou com você e Ray rindo fraco dos acontecimentos.


Depois de rirem você se aconchegou melhor em cima de Ray colocando as pernas do lado do corpo dele, Ray fazia carinho nas suas costas enquanto sorria bobo para o nada, agora se sentia completo, nem se preocupava com a fuga estava apenas pensando em você.


Logo o sono começou a dominar os dois e acabaram dormindo, com a mente mais leve e calma.




Notas Finais


Desculpem algum erro de português.

Me agradeçam por esse capítulo pq demorou um cacete pra fazer, tive que ir no anime catar as falas do Ray explicando porque era o traidor 😭

E ainda por cima eu tava com o capítulo PRONTO e o spirit BUGOU e apagou METADE do capítulo que eu tinha escrito, então tive que escrever tudo de novo.

Dois dias fazendo esse capítulo, DOIS DIAS, direto, agora eu tô com tema atrasado, então capítulo só semana que vem, desculpem, mas a escola me obriga 🤡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...