História Imagine Sana - Twice - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, DAY6, Demi Lovato, EXO, Got7, IKON, ITZY, Jessi, K.A.R.D, Lu Han, PSY, Red Velvet, Somi, Sugar, Tomorrow X Together (TXT), TWICE
Personagens Chaeyoung, Jackson, Jihyo, Nayeon, Sana
Visualizações 252
Palavras 3.121
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Orange, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente: desculpe qualquer erro, oto com sono e devo ter deixado algo passar.

Segundamente: Primeiramente

Terceiramente: O capítulo tá um pouco pesado mas é necessário para que vcs entendam, tá fofo também.

Parei.

Capítulo um pouco grande, espero que goste e comente o que achou :3


Boa leitura pudinzinho :)

Capítulo 10 - Lembranças - Cap 10


SÁBADO 10:34 AM

  Estava em um sono tranquilo, fazia tempo que não dormia tão bem assim. Sinto algo pequeno andando em cima do meu corpo, chegando perto do meu rosto e... lambendo? O que? Abro os olhos e vejo Boris, dou um sorriso pro mesmo faço carinho no mesmo, olho para frente da minha cama e vejo kookie tentando subir sem ser notado, ele não tinha visto que eu estava acordada, então finjo que estou dormindo. O menor sobe em cima do meu corpo e quando estava pronto pra me acordar eu o pego de surpresa dando um susto no mesmo e em seguida fazendo cosquinha no menor.

  - Achou que iria me acordar sem antes de tomar um susto mocinho? - Falo ainda fazendo cosquinha nele.

 - Aish (S/A), não era pra ter acordado! Eu ia te dar um s-susto sua chata! - Diz se contorcendo e rindo por conta das cosquinhas - P-Para por favor.

 - Seu zé roela, parece que o jogo virou não é mesmo? - Digo parando com os movimentos no menor.
 
 - Chata! - Diz se recuperando - a Omma disse pra você levantar que já está ficando tarde - Fala já saindo do quarto com Boris no colo.


    Após fazer minhas necessidades eu vou para o andar de baixo em direção a cozinha, onde todos estavam.


  - Bom dia família - Digo já pegando um pedaço enorme de bolo e colocando no meu prato e um copo de suco.

  - Bom dia Dorminhoca - Diz meu Appa dando um beijo no topo da minha cabeça.

  - Bom dia fominha - Diz minha Omma

  - Chata - diz Kookie

  - Eu sei que você me ama - Digo para o mais novo, em seguida ele me mostra a língua. - Alá Omma o kookie sendo chato

  - Jungkook!

 - Desculpa mamãe - Diz kookie em português para amolecer o coração da mais velha.


   - Pivete - Falo baixo para o menino

  - Não me chame de pivete, eu já sou um homenzinho! - Fala o menor

  - Traduzindo, Pivete! - Falo, o menor me dá a língua e eu faço o mesmo.



 
    ~QDT~



 Eu estava sozinha em casa, meu irmão foi para uma festa infantil e dormiria na casa do amigo dele e meus pais foram para a empresa. Eu estava com tédio e não queria sair de casa, pego meu celular e abro o app de mensagens, resolvi chamar Sana.


         <MENSAGEM ON>


                                                                       Você:
                                                                     Sana?
                                                                  
Sana ;) : Oi (S/A)! Tudo bem?

                                                                        Você:
                           Tudo sim, o que está fazendo?

Sana ;) : Ahn estou deitada olhando para o teto, aqui está o maior tédio! E você?

                                                                        Você:
            Arg, aqui também está o maior tédio! Você quer vir aqui pra casa? A gente pode fazer algo legal:)

Sana ;) : Tudo bem, estou indo.



    <MENSAGEM OFF>


     Alguns minutos se passam, continuo falando com meus amigos por mensagens até que escuto a campainha tocar, vou em direção a porta a abrindo, assim vendo Sana.


  - Oi Sana, pode entrar - Digo dando espaço para a garota entrar.

 - Obrigada, lá fora está um gelo - Fala dando um sorriso mínimo.

  - Imagino, mas eai vamos fazer o que? - Pergunto

 - Podemos assistir algum filme ou série, o que acha? - Fala me olhando

  - Pode ser, vem vamos pegar algo pra comer.

  Fomos em direção a cozinha, chegando lá pegamos alguns salgadinhos, doces e algo para beber. Seguimos para sala e deitamos no sofá, pego um cobertor e cobri nós duas.

Passamos a tarde toda  assistindo filmes da Disney, conversando, dando bastante risadas e comendo feito duas crianças. A companhia de Sana ultimamente tem sido uma das melhores, ela é uma garota muito divertida e otimista eu gosto disso nela.

 - Ahn, minha mãe está ligando, esqueci de avisar que estou aqui, Aish. - Sana reclama, logo atendendo a chamada.

 
       SANA POV

  - Oi Omma. - Digo apreensiva

  - Onde você está Sana? - Senti um pouco de autoridade

  - Eu estou na (S/A), eu esqueci de avisar. Não se preocupe eu estou bem. - Digo

  - Quando você sair assim avisa né Sana - Diz brava. - Vem logo pra casa

  - Tudo bem, já estou indo. - Antes de eu ouvir sua resposta (S/A) tira o celular de minha mão e começou a conversar com a minha mãe, indo em direção da cozinha.


    Um tempo depois (S/N) volta com o celular em mãos e logo se senta ao meu lado, estendendo o celular na minha direção.

  - O que você disse a ela? - Pergunto curiosa

  - Nada demais, só falei que ela não precisava se preocupar, pois você está em boas mãos. - Diz dando um sorriso e arqueando as sobrancelhas.

 - Hmmm... Eu vou ter que ir embora, ou ela vai Bri - (S/N) me corta.

 - Nah, eu perguntei se você podia dormir aqui hoje, ela disse que tudo bem. - Diz sorrindo

 - Sério? - Perguntei confusa.

 - Claro, a não ser que você não queira - Diz sorrindo - quero passar mais tempo com você. - Ok não surta Sana.

 - Por mim tudo bem, parece ser uma boa ideia - Digo tentando segurar o sorriso, mas falho. Por que essa garota mexe tanto comigo?

 - Vem - Diz levantando e seguindo em direção das escadas - Vamos para o meu quarto
 

  Entramos em seu quarto e ele estava completamente escuro, eu vejo a garota se aproximar de uma tomada e logo conectando a mesma. Quando menos espero seu quarto é iluminado por lâmpadas de led de cores azul e roxo nas paredes, seu quarto era lindo, tinha fotos polaroides na parede dela com várias pessoas o que chegava ser fofo, sua cama era grande, tinha alguns ursos de pelúcia pela mesma, havia uma mesa de estudos onde localizava-se seu notebook e coisas da escola. Nas paredes haviam também posters de desenho e algumas bandas e pelo que parece alguns time de futebol. Era reconfortante e eu gostava disso.

  (S/N) deitou na sua cama e deu leves tapas ao seu lado, indicando para eu deitar ao seu lado. Ficamos em silêncio por um tempo até a garota levantar e ir em direção a uma caixinha de som ligando a mesma em seguida colocando uma música calma para tocar, o som não estava nem tão alto e nem tão baixo, estava na medida certa. Estico minha mão para o teto e vejo as luzes da led refletindo na minha pele dando um efeito legal, (S/N) faz o mesmo e em seguida começa a falar.

  - Sana?

  - Sim? - Digo ainda olhando para minha mão

  - Posso te fazer uma pergunta pessoal? Não precisa responder se não quiser. - Fala olhando para própria mão também. Acabo assentindo

 Já imaginava sobre o que seria, e querendo ou não eu teria que contar sobre isso para ela ou para outra pessoa em alguma ocasião, sobre meu pai.

 - O que houve com seu Pai? Por quê ele está tão longe? - Pergunta dessa vez segurando a minha mão e olhando para mim.

 - Como disse minha mãe e meu pai se separaram, mas eu não contei o motivo. Meu pai é um homem muito ocupado, seu nome é conhecido em muitas empresas japonesas e ele tem uma grande empresa por lá, e muitas filiais espalhadas pela Ásia. Quando eu tinha uns 8 anos meu pai era muito presente na minha vida, na do meu irmão e na da minha mãe, papai era um homem carinhoso e compreensivo conosco mas assim que ele foi demitido da empresa que trabalhava na época, ele mudou, chegava tarde em casa, passava o dia e a noite em bares e minha mãe, Yuta e eu ficávamos muito preocupados. Até certa vez que resolvemos conversar com ele, falamos que ele precisava parar com tudo aquilo e deveria se reerguer, papai começou a frequentar um psicólogo e tudo começou a ficar bem de novo, ele abriu uma pequena empresa e investiu nela, minha mãe ajudou ao máximo nos investimentos. Nós estávamos felizes de novo, os anos foram se passando e meu pai ficou cada vez mais viciado em trabalhar, começou a chegar tarde, não dava mais atenção à minha mãe e nem aos próprios filhos. Trabalhava de segunda à segunda e nunca teve tempo para nós. Ele perdeu algumas fases do crescimento meu e do meu irmão, minha mãe começou a ficar depressiva e toda vez que via meu pai os dois acabavam discutindo, ele chegou a agredir ela algumas vezes. Eu já tinha uns 14 anos na época e Yuta 16. Yuta começou a enfrentar meu pai e os dois acabavam por se agredir também. Meu pai tinha voltado a beber e descobrimos que meu pai também traía minha mãe, ela ficou arrasada. Yuta e eu nos juntamos e começamos a confortar nossa mãe, ela precisava sair do fundo do poço. Nós já conversávamos sobre mudar para Coréia apenas nós três, nós tentamos de tudo para fazer nosso pai voltar a ser um bom homem mas ele nunca quis voltar para a família. Nós permanecemos as seu lado, mas ele só permanecia ao nosso apenas por aparência, a "Família Perfeita", mas isso mudou. Um dia estávamos todos juntos na mesa de jantar, papai estava junto, parecia um milagre. Ele estava de bom humor. Yuta e eu sempre fomos muito unidos e sabíamos tudo um sobre o outro, Yuta é Gay, nós nos "descobrimos" quase que no mesmo período e sempre dávamos forças um para o outro. E nesse dia do jantar Yuta decidiu se assumir para mamãe e papai.




   <FLASHBACK ON>


  - Eu sou Gay - Diz Yuta, me surpreendo pois eu não fazia a mínima ideia que Yuta iria revelar isso, do nada.

  - V-Você o que? - Pergunta minha mãe, ela parecia estar surpresa, mas não demonstrava sentir raiva.

  - Eu sou Gay mamãe - Yuta fala e começa a chorar - P-Por favor não me odeie - Finaliza

 - Meu filho! Nunca que eu irei odiar você! Eu te amo mais que tudo nessa vida. Não importa do que você goste, menina, menino, uva passa, pêssego, não interessa! O que importa é a sua felicidade! Eu te amo e nada irá mudar isso - Fala levantando e indo abraçar meu irmão, começando a chorar também.

  Eu estava apenas a observar aquilo e de certa forma aqueceu meu coração, comecei a chorar também mas de felicidade. Olhei para meu pai e ele estava quieto olhando para baixo, via algumas veias de sua cabeça saltando. Do nada ele levanta da mesa batendo as duas mãos com os punhos fechados sobre ela, nos assustando, por impulso me levando de imediato.

  - Sua vagabunda! COMO É QUE VOCÊ PODE ACEITAR ESSA ABERRAÇÃO EM NOSSA FAMÍLIA!? - Grita fazendo meu corpo tremer.

  - ELE NÃO É UMA ABERRAÇÃO! VOCÊ QUE É, SEU NOJENTO! - inconscientemente grito fazendo o homem olhar pra mim

 - O que você disse? O que você disse sua putinha?!! - Fala se aproximando de mim e me dando um tapa no meu rosto, fazendo virar completamente por conta do contato. Sinto uma lágrima escorregar no meu rosto e um gosto metálico se fazer presente na minha boca, era sangue.

  - O QUE VOCÊ FEZ? VOCÊ É LOUCO? SEU IMBECIL! - Minha mãe grita indo em direção ao meu pai e desferindo socos e tapas contra o homem.

  O homem que pensava ser meu pai segurou os pulsos de minha mãe e a jogou contra a parede desferindo um murro contra seu estômago, a ergueu do chão puxando ela pelo cabelo e desferiu um soco em seu rosto. A partir dali eu não vi mais nada e nem ouvi mais nada, esmurrava o homem a minha frente, arranhava seu rosto, usava toda minha força contra o homem, mas não era o bastante. Me senti ser jogada longe e em seguida chutes serem dados contra meu estômago. Estava quase desmaiando até que escuto alguém gritar.

  - SEU FILHO DA PUTA! NÃO ENCOSTE MAIS SUAS MÃOS IMUNDAS NA SANA E NA MINHA MÃE, EU VOU TE MATAR SE IMUNDO! - Yuta grita enquanto chorava, nunca o vi tão bravo e tão alterado. O vejo ir em direção ao mais velho e desferir socos em seu rosto, parecia que a cada soco suas mãos ficavam cada vez mais machucadas, mas parecia que aquilo era o que menos importava para Yuta. O Homem mais velho empurrou meu irmão e começou a gargalhar.

- Você até que tem os socos fortes, mas você não passa de uma bichinha assustada. Eu tenho nojo de gente como você - Disse cuspindo cada palavra se aproximando lentamente de Yuta - Passei a vida toda lutando, trabalhando que nem um condenado pra ouvir do meu filho que eu pensava ser MACHO dizer que gosta de dar o cú? - Diz se aproximando mais ainda - EU VOU FAZER VOCÊ VIRAR MACHO SEU MOLEQUE! VOCÊ NÃO ENVERGONHARÁ A MIM DE NOVO!


 O Homem pegou Yuta pelo pescoço e começou a sufocá-lo, apertando cada vez mais seu pescoço, o jogou praticamente inconsciente no chão e subiu em cima do garoto, desferindo socos em seu rosto. Eu via toda aquela cena de longe, eu chorava cada vez mais, mas não conseguia me levantar. Sentia minha visão turva, parecia que iria desmaiar a qualquer momento. O rosto do meu irmão já estava vermelho de sangue, quando o homem estava preparado para dar mais um soco minha mãe quebra uma garrafa de vinho contra a cabeça do homem o fazendo cair desmaiado. Depois disso minha visão escureceu e não consegui ver mais nada.



 
    <FLASHBACK OFF>



 
  - E depois de todo esse acontecimento minha mãe exigiu o divórcio, passamos um tempo nos meus avós aqui na Coréia. Fiquei um ano sem ir pra escola, Yuta ficou internado por 5 meses, ele estava em estado grave, minha mãe que nos fez superar todo o acontecido, ela é uma mulher muito forte, trabalhou duro para comprar a casa que estamos atualmente e agora estamos mais felizes que nunca. - Digo, contei a história toda de como fui parar aqui que nem percebi que ainda rolavam lágrimas pelos meus olhos. - Sabe (S/A) Eu realmente sinto falta do meu pai, não desse monstro que ele se tornou. Mas sim do meu pai, de quando eu tinha 8 anos, ele era completamente o oposto de quem é agora.


  - Sana... Eu sinto muito, muito mesmo. Eu não saberia como passar por metade do que passou - Ela fala se levantando da cama e eu sento olhando para a mesma, a garota se ajoelha na minha frente e segura as minhas duas mãos - Não chora, por favor. Me desculpe por te fazer lembrar disso, mas fique sabendo de uma coisa, seu pai teve escolhas e ele resolveu ser quem é agora, uma pessoa ruim, orgulhosa, gananciosa, preconceituosa e mil e uma coisas. Você deve sim sentir falta de quem ele foi, isso é normal. Apenas guarde em seu coração os bons momentos, você é uma garota tão boa e não deve pensar nas coisas ruins que ele fez, você pode odiá-lo sim, você tem toda a razão mas não guarde esse sentimento por muito tempo, você acabará se amargurando e isso lhe fará mal. - Abaixo a cabeça, ela segura meu queixo me fazendo olhar para a mesma - Seja quem você quiser agora, seja feliz com a sua família, com os seus amigos, todos nós iremos te apoiar em tudo, seu pai não fará falta pois aqui há pessoas que te amam e querem seu bem.

  - O-Obrigada, você não tem noção do quão bom é ouvir isso de você, obrigada por se importar - Digo fungando

  - Não agradeça bebê, agora vem aqui. - Fala se levantando e me puxando logo colando nossos corpos - Eu vou cuidar de você e não vou deixar ninguém te fazer mal - Ela diz envolvendo seus braços em minha cintura, levo meus braços ao seu pescoço a puxando para mais perto. Descanso minha cabeça em seu ombro, sentindo o seu doce cheiro, ela me dava paz, meu coração estava acelerado. A sentia fazendo um leve carinho nas minhas costas, eu acho que estou começando a gostar dela.

  - Promete? - Falo me afastando um pouco para olhar para os seus olhos

  - Prometo - Ela diz olhando no fundo dos meus olhos, ela se aproxima e deixa um beijo carinhoso na minha testa. - Eu prometo.


    Depois daquele chororô todo (S/N) me emprestou uma blusa um shorts e peças intimas, tomamos banho, separadas. Mais tarde os pais da (S/N) haviam chegado e eu finalmente os conheci, eles me trataram muito bem e eles são bem legais e engraçados, disseram que nós fazíamos um belo casal e eu? Não sabia onde enfiar a cara.





       (S/N) POV

  - Você pode dormir na minha cama, eu vou dormir no cha... - Sana me corta

  - Nananinanão, você pode dormir comigo! Por favor - Faz cara de cachorrinho sem dono.

Não resisto e logo cedo aos encantos da mais velha.

  - Tudo bem, agora vai mais pra lá - Deito e sinto Boris subir em meu colo - Olha só quem resolveu aparecer, olha Saninha, o teu gêmeo - Falo brincando

  - OWWWWWN QUE GRACINHA - A garota diz com a voz fina - QUE NENEM MAIS LINDINHO

  Observo a cena e nem percebo que estou sorrindo que nem boba.

  - Você é linda - Solto mas dessa vez eu falei para ela sem me arrepender - Linda demais.

  - O-Obrigada (S/A) - Vejo suas bochechas vermelhas. - Vamos dormir - Fala tentando desviar o assunto. Ela coloca Boris no chão e o menor vai pra fora do quarto.

 - Vamos - Digo sorrindo por conta da reação da Japonesa.

  Deito ao seu lado e ela vira de costas pra mim, nós estavamos próximas. Estava frio, envolvi minha mão sobre sua cintura e a abracei, trazendo a garota pra mais perto. Ouvi um suspiro da mesma e senti a garota entrelaçar sua mão na minha. Ficamos naquela posição e eu nem sei porquê agi dessa maneira, meu coração só faltava gritar de emoção, esbocei um sorriso mínimo e fechei os olhos.

  - (S/N)?

  - Hmmm?
 
  - Você já se apaixonou por alguém? - Pergunta se virando pra mim, olhando nos meus olhos.

  - Eu não tenho certeza. E você? - Pergunto

  - Eu também.

  A garota deita sobre meu peito me abraçando, levo uma de minhas mãos até sua cabeça fazendo um leve carinho e logo a Japonesa dorme.

  - Eu acho que eu estou apaixonada - Falo baixo sabendo que a garota não havia escutado. Em seguida peguei no sono.



Notas Finais


Novamente releve qualquer erro :)
@ apaixonada? :)

O que acharam sobre o passado da Sana? :'(

Comentem o que acharam:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...