1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Sana - Twice >
  3. Loving You Had Consequences - Cap 34

História Imagine Sana - Twice - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


Não irei enrolar muito, então... Fiquem com o Cap novo :)


Boa leitura 💜

Capítulo 34 - Loving You Had Consequences - Cap 34



 - Pode ser... - Falei e Suspirei. - Você tem algo para me contar? - Cruzei os braços.

   - Eu? - Perguntou e apontou pra si mesma, sorri e olhei pro lado. - Por que está sorrindo?

  - Sana, você está estranha desde o final de semana. Ontem nem conversou comigo direito, você tem alguma coisa pra me contar? - Perguntei séria.

  - Eu estou normal (S/N). - Falou séria, o que me surpreendeu um pouco, pois raramente me chama pelo meu nome, geralmente é por (S/A) ou algum apelido carinhoso.

  - Então por que está agindo assim comigo? Eu fiz algo que você não gostou? - Perguntei.

 - Você não fez nada. - Falou e olhou para o lado.

 - Eu te conheço Sana... Você não vai me contar para pelo menos eu entender? - Perguntei calma.

 - Eu já disse (S/A), não está acontecendo nada. - Falou e me olhou séria, pela primeira vez não vi sinceridade em seus olhos.


  Abaixei a cabeça e suspirei, olhei pro lado e depois para ela que ainda me olhava, neguei e me pronunciei.

 
   - Deixa pra lá, vamos. - Segurei sua mão e de primeira era recuou, a olhei sem entender, logo ela entrelaçou nossos dedos e pegou sua mochila.

  - Vamos. - Falou e andamos em direção ao estacionamento.


 Subimos na minha moto e seguimos em direção à nossas casas, Sana me abraçava por trás com uma certa força, mais que o normal, sorri. Poucos minutos depois parei em frente a casa da japonesa, descemos da moto.

 
  - Você está com fome? - Perguntei, ela apenas negou. - Quer ir lá pra casa?

  - Eu tenho algumas coisas pra organizar, quem  sabe outro dia. - Disse e começou a brincar com os próprios dedos.

   - Ah... tudo bem então. - Ficamos paradas ali por alguns segundos. - Eu vou indo...


  Falei e virei de costas colocando minhas mãos sobre a moto afim de levar ela até a garagem da minha casa.


  - Espera. - Segurou a alça da minha camiseta, me virei para ela. - É... pode me dar u-um abraço? - Falou baixinho, a olhei e me senti um pouco mal por ela ter pedido isso, é como se não tivéssemos mais intimidade.

  - Sempre que quiser me abraçar ou me beijar ou qualquer outra coisa, não precisa pedir. Você é praticamente minha namorada Sana. - Falei e ela apenas abaixou o olhar.

 - Eu sei, desculpe. - Falou e me olhou, envolvi meus braços em sua cintura a trazendo para perto, a mais velha envolveu seus braços no meu pescoço nos fazendo ficar em um abraço confortável.


  Eu não sei se está acontecendo algo com Sana ou não, mas ao menos quero ser quem ela possa ir no fim do dia, onde pode descansar e se sentir segura. Apertei mais o abraço, a ouvi suspirar, parecia de alívio, tentei conter o sorriso mas foi inevitável.

Fomos separando lentamente, seu rosto estava perto do meu, nossos olhares se encontraram. Seu olhar caia sobre o meu intensamente, desejo. Meu coração se agitou quando a vi transferir seu olhar para meus lábios e logo começou com um carinho suave na minha nuca, fechei os olhos e aproximei meu rosto do seu.



  Encostamos nossos lábios em um selo calmo, suas mãos deslizaram-se para meu rosto o segurando e fazendo um leve carinho. Começamos um beijo calmo, apenas os toques e chupadas entre nossos lábios. Apertei sua cintura, o beijo calmo se transformou em um beijo necessitado, Sana pediu passagem com a língua e nem sequer pensei em recusar.


   Sua língua em contato com a minha me dava um pequeno desconforto em um lugar em específico, coloquei minhas mãos por debaixo de sua camiseta segurando sua cintura firmemente e a trazendo mais pra perto. Sana não estava tão diferente de mim, soltou um suspiro longo, logo separamos o beijo com alguns selos.


  Eu iria dizer algo mas Sana foi mais rápida, me puxou para dentro de sua casa, fechou a porta e a trancou num piscar de olhos. Quando menos esperava a mesma me empurrou contra o sofá e se sentou em meu colo começando a selar meu pescoço.


 Suspirava e arrepiava a cada toque da japonesa, suas mãos agora desabotavam os botões da camiseta de seu uniforme logo o tirando deixando a mostra seus seios com seu sutiã os cobrindo, estava com sua saia escolar que a deixava extremamente sexy daquele jeito.


   Sana parou com seus atos, levei minhas mãos à suas costas fazendo um leve carinho, suas mãos seguravam meus ombros. Ela sorriu pra mim e levou uma de suas mãos ao meu cabelo, levando uma mecha para trás da minha orelha, me olhava carinhosamente. Sorri também.


  - Você foi a melhor coisa que me aconteceu. - Disse acariciando meu rosto, sorri sem graça logo senti minhas bochechas esquentarem. - Adoro quando te deixo assim.


Falou e selou nossos lábios novamente, inverti nossas posições a deitando no sofá ficando entre suas pernas. Passei minhas mãos em seu rosto fazendo um carinho, separei o beijo.


  - Não consigo me imaginar sem você de agora em diante, você é uma peça essencial na minha vida. Você é minha luz. - Disse e a vi fazendo um biquinho o qual fiz questão de selar.

  - Eu não te mereço. - Falou enquanto colocou mais uma vez uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha.

   - Não fale besteiras. - Disse e sorri.






























   [...]



Estávamos deitadas no sofá completamente nuas, Sana estava deitada sobre meu corpo, a mesma brincava com a minha mão. Estávamos em um silêncio confortável, nós tínhamos acabado de fazer amor, foi tão intenso e único, carinhoso e mais significativo quanto às outras vezes.


   Depois que terminarmos Sana apenas deitou sobre meu corpo e ficou em silêncio, senti algo molhando meu peito, ela chorava, não a questionei apenas acariciei sua costas e em pouco tempo ela se acalmou.


 Minha preocupação não tinha ido embora, eu estava feliz também mas meu peito se sentia apertado e preocupado.


 Sana se levantou, olhou em meus olhos e sorriu, beijou minha mão.


  - Não se esqueça nunca que Eu te Amo e sempre serei sua. - Falou e beijou minha mão novamente com um sorriso mínimo, uma única lágrima caiu do seu olho direito.

  - Por que está dizendo isso, amor? - Perguntei calma e passei o dedo sobre a lágrima a limpando. - Até parece uma despedida.


  Falei e a mais velha apenas ficou em silêncio, levei minhas duas mãos a seu rosto o apoiando nelas.


   - Aconteceu alguma coisa? - Ela negou e sorriu. - Certeza? - Assentiu ainda sorrindo.

  - Certeza amor. - Falou baixinho.

- Aish garota, eu te amo demais. - Disse e apertei suas duas bochechas, Sana começou a rir.

 - Boba. - Falou e selou minha bochecha, ouvi meu celular tocar, Sana saiu de cima de mim e o pegou logo me entregando, fiquei admirando seu lindo corpo. - Acorda. - Disse e me entregou meu celular.


   - Ah ok. - Disse



   <LIGAÇÃO ON>


Você: Alô. - Disse lerda vendo Sana colocando sua camiseta social da escola e logo sua calcinha, babei.

Omma: (S/N)? Tá me ouvindo?


Você: A-Ah mãe tô sim. - Falei tentando prestar atenção.

Omma: Onde você está?

Você: Ah eu tô na Sana, nós estávamos fazendo um trabalho juntas. - Falei e olhei maliciosa para Sana, a mesma olhou pra mim e sorriu envergonhada, sorri também.

Omma: Trabalho, sei.

Você: Omma! - Falei e comecei a rir.

Omma: Tô mentindo? - Perguntou, já sabia do que se referia.

Você: Não. - Sorri envergonhada.

Omma: Jovens... Enfim, vem pra casa, tenho uma boa notícia pra dar pra você e para Jungkook.

Você: Ok, tchau.

Omma: Tchau.



     <LIGAÇÃO OFF>


 Fiquei em pé e comecei a me vestir, fui ao banheiro lavei meu rosto, mãos e arrumei o cabelo, voltei a sala arrumando a roupa em meu corpo. Sana veio até mim e colocou minha gravata, a ajeitando.

 
   - Ah... - Sentei no sofá e suspirei. - Devemos fazer isso todo dia? - A perguntei me referindo ao nosso momento juntas.

  - Você é uma pervertida ou algo do tipo? - Perguntou e riu da cara que fiz.

 - Só com você. - Disse e a puxei para meu colo a fazendo colocar as pernas de cada lado.

 - Boba. - Falou e deitou sua cabeça sobre meu ombro. - Você tem que ir? - Apenas concordei.


   Abracei seu corpo e inspirei seu doce aroma, beijei seu pescoço que estava descoberto por seu cabelo, Sana suspirou. Levantei com a mesma ainda no meu colo, Sana envolveu sua pernas em torno da minha cintura para não cair.


  - Você é o meu bebê. - Falei e rimos.

 - Eu sou pesada. - Falou e fez uma careta fofa.

 - É nada, poderia ficar assim o dia todo. - Falei e dei um beijo na ponta do seu nariz.

 - Exagerada. - Devolveu o beijo, Sorrimos. - Vai logo antes que sua mãe venha te buscar aqui. - Falou e em seguida a coloquei no chão.


  Seguimos em direção a porta eu ia saindo e Sana também mas parei antes de sair pela porta.

   - Você vai sair? - Perguntei a olhando.

  - Vou, por quê? - Perguntou confusa.

  - Por mais que eu adore olhar para o seu corpo e ache ele incrível, eu não quero que os vizinhos vejam minha namorada só de calcinha! - Falei e a mesma se tocou e ficou da cor de um tomate, voltou para sala e pegou sua saia logo a vestindo, sorri vendo o quão lerda Sana era.

   - Eu esqueci. - Falou baixinho assim que chegou em mim novamente, ainda vermelha.

   - Nada de novo. - Falei e recebi um tapa da mais velha. - Aish.


 Guardei minha Moto na garagem e voltei até onde Sana estava, ela apenas me observava.

   - Nos vemos amanhã? - Perguntei.

 - Claro. - Falou. - Espero que não se importe mas apartir de amanhã vou começar a ir pra escola com Momo. - Disse e estranhei.

  - Ué, você pode ir comigo, como sempre. - Falei.

  - Eu sei, é que... - Olhou para o lado. - Ela me pediu...

  - Ah... tudo bem. - Falei sem entender. - Até amanhã então. - Tentei dar um selo nos seus lábios mas ela sutilmente virou o rosto me fazendo beijar sua bochecha.

  - Até. - Falou e desviou o olhar.

  - Tô indo. - Falei e me afastei aos poucos, acenei e ela fez o mesmo mas um pouco hesitante. - A olhei confusa e adentrei a minha casa.
























         POV SANA


   - Aish... eles irão ficar 24h na minha cola? - Me perguntei olhando para o carro preto do outro lado da rua.


 Virei de costas e entrei dentro de casa, fechei a porta e encostei minhas costas na mesma. Passei minhas mãos por meus cabelos, agachei até sentar no chão. Minha paz acabara de ir embora, e com a falta dela e vontade de chorar voltou. Suspirei tentando segurar o choro.


Eu deveria estar evitando ela agora mas eu nem sequer consigo fazer isso. Derrepente lembrei do dia em que dançamos juntas em meu  quarto, das flores, dos abraço e beijos. Sorri enquanto escorriam algumas lágrimas, pude sentir suas mãos firmes em minha cintura como aquele dia. Fechei os olhos e uma sequencia de Flashbacks começaram a se fazer presente na minha cabeça, seus sorrisos, olhares, carinhos, piadas sem graça, seus momentos de ciúmes, as manhãs que acordava antes dela apenas para ficar lhe admirando, de quando ela sem motivo algum me abraçava apenas para garantir que eu ficasse bem e sempre ficava.


  Pensar que irei embora e ter que partir seu coração só fazia o meu sofrer mais ainda antecipadamente, eu estava tentando me despedir hoje, mas eu não consegui ser forte o suficiente. Eu tenho que dar um fim nisso antes que alguém a lhe machuque e eu prefiro ser esse alguém.


   Corri até o sofá e peguei meu celular e liguei para Momo pedindo para a mesma vir imediatamente para minha casa, felizmente a mais nova já estava a caminho, ao menos eu tenho alguém para contar em meio a esse caos.


Notas Finais


Cap um pouco fofo/melancólico

Espero que tenham gostado... 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...