1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Seungmin: The End >
  3. Episódio 24: Eu te amo

História Imagine Seungmin: The End - Capítulo 24


Escrita por:


Capítulo 24 - Episódio 24: Eu te amo


Fanfic / Fanfiction Imagine Seungmin: The End - Capítulo 24 - Episódio 24: Eu te amo

 P.O.V S/N

Acordo com a claridade. 

Égua... Eu não tinha morrido? 

Penso colocando as mãos em meus olhos e me acostumando com a claridade, me levanto olhando ao redor, era a igreja, estava de noite ainda, então... 

Essa luz é o quê? 

Me levanto olhando para a claridade, que logo cessa e percebe que era um homem, ele aparentava ter 40 e um pouquinho, quando finalmente o reconheci, levo minha mão a boca e corro em sua direção o abraçando. 

– Sr. Allen! - falo ao choro. 

Allen: Que bom te ver de novo, minha pequena! - ele devolve o abraço. Após alguns minutos o solto e o encaro. 

– O que faz aqui? Eu morri? 

Allen: Olhe para trás - fico um pouco confusa, mas olho para trás, e ali estava, meu corpo no mesmo lugar que levantei, me aproximo e tento tocar meu corpo, mas passava reto. 

– Então... Seungmin está salvo. - sorrio aliviada. 

Allen: Pelo contrário, ele vai morrer. 

Giro meus calcanhares em sua direção rapidamente o encarando. 

– Como assim? E-eu morri, ele não pode mais morrer! A Tzuyu prometeu! - falo nervosa. 

Allen: É preciso, S/N. Ele ia morrer de um jeito ou de outro - falo abaixando a cabeça. Sinto lágrimas escorrerem pelo meu rosto. 

– POR QUÊ? - grito, olho para cima - O QUE VOCÊ TEM CONTRA MIM? PARA! POR FAVOR! - minha garganta ardia, mas não continuo a repetir por favor. O Sr. Allen segura minha mão, me fazendo parar e olhar para ele. 

– Eu não entendo - digo aos prantos. 

Allen: Vou te explicar, ok? - confirmo com a cabeça, o mesmo suspira e começa - A 2 anos atrás... Você sabe o que aconteceu a 2 anos atrás, certo? 

– Como posso esquecer do meu acidente em que matou meus pais e tirou meu irmão de mim? - limpo as lágrimas. 

Allen: Era para ser você. 

Meus olhos se arregalaram, coloco a mão em meu peito e olho para o meu corpo. 

– C-como assim? 

Allen: Quer se chocar mais ainda? - ele fecha os olhos - Seungmin morreu naquele acidente. 

Aquilo foi um choque, coloco minha mão na boca e tento controlar a respiração, não posso entender... 

– Não, ele morreu em um acidente na ponte... - falo para mim mesma, tentando me convencer que era mentira. 

Allen: Vocês sofreram o acidente onde? - o encaro e abaixo a cabeça sentindo mais lágrimas vindo. 

– N-não... Não pode ser! – levo minhas mãos aos cabelos puxando sem machucar - Por que ele mentiria para mim? 

Allen: Ele não mentiu, Seungmin é tão vítima nessa história quanto você, S/N.

– Como assim?

Allen: Você vai saber a verdade agora.

P.O.V Seungmin

A 2 anos atrás... 

– Para, pai! - digo rindo - O senhor está dirigindo! 

Xxx: Ele tem razão, amor! - concorda rindo. 

Xxx: Ok, ok, parei! - ri prestando atenção na estrada. 

Estavamos voltando do sítio, meu pai fazia piadas que me faziam rir. Até minha mãe entrou na onda. 

Xxx: Ok, minha vez! - fala se preparando - Haviam 3 homens em uma balada, eles estavam bêbados, do nada viram um homem com um pescocinho diferente, era engraçado, eles começaram a zoa-lo e um amigo deles disseram: "Aposto 50 reais quem chamar ele de 'Pescocin'", o outro disse: "Também", então, o 3° deles se levantaram todo convencido: "Eu vou!".

– Tô esperando a hora de ficar engraçado - falo brincando fingindo desgosto. 

Xxx: Tu tá muito engraçadinho, vou já decer o tapa - riu - CONTINUANDO, ele andou até o homem e tocou em seu ombro, o cara do pescocinho olhou para ele: "Que foi?", falou todo grosso, o homem disse: "Que isso amigo? Não se lembra de mim?", o do pescoço respondeu: "Não", o homem fingiu estar ofendido: "Você e eu pescamos juntos!", o do pescoço: "Eu nunca pesquei com você", o homem apontou o dedo para ele e disse: "PESCOCIN! PESCOCIN!".

Meu pai e eu acabamos rindo, eu entendi a piada, até que percebi que um carro vinha, apontei fazendo meu pai olhar e o mesmo tentou desviar, o carro que vinha acabou capotando e parando quando bateu nas barras da ponte, o nosso carro bateu em um poste parando na ponta da ponte, abro meus olhos devagar. 

– Mãe... Pai... - digo com dificuldade, percebo que meu pai não estava no carro, o vídeo tinha quebrado e ele não estava de cinto, minha mãe estava sangrando muito e eu não também, tento acordar minha mãe - Mãe! Mãe! O papai... - os chamo chorando. 

Só paro ao ouvir uma voz fora do carro, abro a porta me soltando do cinto de segurança e caio na estrada, percebo que era uma voz feminino.

Garota: Por favor! Pai! O Théo, ele não está aqui... Pai! - ela gritava desesperada - Mãe? Eu não sinto minhas pernas... Mãe? - a garota chorava - Por favor... Alguém me ajuda... Eu não quero morrer. 

Me sento encostando minhas costas no carro, o carro que a garota estava ficou de cabeça para baixo. Vejo duas luzes branca. 

– Acho que tive um traumatismo craniano, estou vendo coisas - riu tentando esquecer a dor que sentia. 

Ouço uma dessas luzes falando. 

Xxx: Todos os humanos dizem isso, mas não podemos fazemos nada... 

Garota: Por favor... Eu não quero morrer... Eu não posso... - ela implorava. 

Xxx: Pobre humana - uma voz vindo das luzes se pronuncia novamente - Ira para o céu, não se preocupe. 

Abaixo minha cabeça, ela repetia a mesma frase: "Eu não quero morrer", meu coração doía a cada palavra, olho para o carro novamente, minha mãe... Meu pai... Encaro as luzes novamente e tento me levantar, consigo com muita dificuldade, andando quase caindo até o outro carro. 

– Você não vai morrer - digo abrindo a porta que estava de cabeça para baixo - F-fique tranquila - falo tentando controlar a dor que sentia. 

Xxx: Quem esse humano pensa que é? 

Caio de joelhos gemendo um pouco, olho para a garota que estava de cabeça para baixo presa pelo cinto e por conta da cadeira da frente que estava prensando suas pernas, ela me encarou. 

Garota: O-brigada - vejo sangue escorrendo da sua boca. Era impossível ela sobreviver aqui, sei disso porque quero cursar Medicina, estou estudando desde agora. 

Xxx: Vamos logo com isso... - ouço a voz. 

Eu encarava a garota seu olhar era doce, ela estava desesperada, não queria morrer, ela tem um futuro tão promissor, percebi seus dedos machucados, não foi por conta do acidente, ela dança? Abaixo minha cabeça suspirando. Seguro a mão da garota que estava agarrando a cadeira. 

– Você vai dançar muito ainda - vejo um sorriso brotar com muita dificuldade em seu rosto. Eu segurava a mão dela - Não morra, lute. 

Xxx: Esse humano está me estressando - diz em um tom de raiva. 

– Você não vai levá-la! - me viro e encaro as luzes - Talvez eu esteja doido por estar falando com luzes, mas é, você não vai levá-la. 

Xxx: C-consegue nos ver? - nego com a cabeça - Ufa, reza a lenda que quando um humano consegue ver um anjo é porque logo, logo, eles vão finalmente para o Julgamento da alma, não quero ir ainda. - diz aliviado. 

Xxx: Isso é só uma lenda falsa que inventam, aliás, o destino dela é morrer! - a outra luz diz. 

– Ela não quer... - digo respirando fundo. 

Xxx: Nem tudo é como queremos, precisamos da alma dela. 

Olho para o meu carro que estava do outro lado, vejo meu pai jogado para fora do carro sangrando, sua cabeça estava praticamente aberta, olho para a minha mãe que dava de enchergar e abaixo a cabeça sentindo lágrimas escorrerem. 

Eles estão mortos

– Pode levar a minha no lugar dela - digo olhando-os. 

Xxx: Você está louco? 

Xxx: Só pode! - eles diziam surpresos. 

– Não posso viver sem minha mãe, sem meu pai, vocês vinheram buscar a alma deles também, não? Ela quer viver, eu não, pode levar minha alma - agarro com mais força a mão dela. 

Garota: N-nã-oo - a olho, ela chorava - N-nã-oo posso permitir... Q-que v-ocê se-e sacrifique p-oor m-iim - ela estava fechando os olhos aos poucos. 

– Por favor! Leve minha alma no lugar dela - digo encarando as luzes - Não quero que ninguém mais morra! 

Ficaram em silêncio por alguns segundos. 

Xxx: Certo! - se pronunciam - levamos sua alma, porém, ela morrerá no mesmo dia que você iria morrer! - volto meu olhar a garota. 

– Se isso der a chance de ela viver novamente e aproveitar... - encaro as luzes - com todo o prazer! 

Xxx: Está bem, que você descanse em paz! 

Começo a sentir muita dor em minha barriga, acabo cuspindo sangue, assim, caio encostando as costas no carro. 

Garota: N-nã-ooo, por favor! - dizia chorando. 

– Viva e aproveite sua vida - e assim tudo ficou escuro. 

Dias de hoje... 

Tzuyu: Você se lembra agora? - eu estava de cabeça baixa, confirmo, Tzuyu suspira. 

Hyujin: Você morreu para que ela não morresse, salvou a vida dela uma vez, Ele achou sua ação nobre, então, o transformou em anjo. Mesmo não sendo um escolhido - sinto lágrimas escorrerem pelo meu rosto. 

P.O.V S/N

– Ele... Ele já tinha me salvado uma vez? - caio no chão de joelhos com a mão no peito  enquanto chorava - Como eu pude... Como eu pude esquecer? 

Allen: Você teve um choque do acidente, se esqueceu do que aconteceu, nunca soube que um casal junto de seu filho morreu no acidente? - nego com cabeça. 

– Mesmo assim... Por que ele tem que morrer? 

Allen: Ele não vai morrer, já está morto, sua alma apenas será levada para o julgamento, onde decidirá se irá para o céu ou para o inferno - ele se coloca de joelhos e segura minha mão. 

– Ele deu a vida por mim... E olha o que eu fiz! - olho para o meu corpo. Começo a chorar novamente. 

Allen: Você ainda não entendeu? - o encaro, o mesmo suspira - Entenda... 

P.O.V Seungmin

Hyujin: Era para você ter morrido no 2° acidente que a S/N sofreu, era para ser você naquele carro, não ela, ela viveu por você, viveu uma vida que você viveria se tivesse sobrevivido, S/N só perdeu a mãe porque você tinha que perder! Ficaria sozinho, assim como você. Ela viveu a vida prevista para você. 

Eu estava pasmo. 

– Eu fiz ela sofrer todo aquele inferno? - estava chorando muito, me sentia culpado, aperto minha mão que estava agarrando meu peito, fecho meus olhos apertando meus punhos. 

Tzuyu: O inferno que valeu a pena - abro-os rapidamente encarando ela surpreso - Se não fosse por isso, vocês não teriam se conhecido, não teriam se apaixonado, não teria passado aquele momento juntos, isso é inesquecível, não? 

– Mas... 

Hyujin: Não diga que se arrependeu! - o encaro agora - Ela não se arrependeu de nada, pode apostar, você sofreu até o final, salvou ela, a vez sentir amor, riu, chorou e principalmente, conviveram com as diferenças, você a conheceu, conheceu a garota que salvou, a fez voltar a andar, você viveu isso com ela, porque foi planeja do Ele. 

Enquanto ele falava eu me lembrava dos nossos momentos juntos, ele tinha razão. 

Tzuyu: Pelo menos uma coisa boa Ele soube fazer além de nos esconder a verdade - resmunga.

– O que vai acontecer comigo? - questiono. 

Hyujin: Era para você receber sua punição pelo que fez. Mas... Ele te perdoou. 

Tzuyu: Você vai ir para o céu - ela sorri para mim, devolvo o sorriso. Solto a minha mão deixando-as cair e fecho os olhos, agradecendo a Ele por tudo. Me preparo para dizer minhas últimas palavras. 

P.O.V S/N 

– Foi por isso que ele foi buscar minha alma? - Allen concorda, acabo sorrindo - O plano esse tempo todo era... 

Allen: Conhecer você, viver com você, pois seria injusto morrer sem conhecer seu salvador e faze-lo viver com você, aposto que e também não se arrependeu - o mesmo sorri - Ele vai para o céu, você também precisa ir. 

Me levanto e encaro o Sr. Allen, suspiro rápido. 

– Então, vamos! 

P.O.V Autora 

E ali estava os dois, se despedindo desse mundo, Seungmin e S/N cumpriram seus propósitos na Terra, uma luz ficaram sobre suas cabeças. 

Seungmin: E vocês? - diz preocupado. 

Hyujin: Vamos ficar bem, também descansarei logo, logo, assim como Tzuyu, vá! 

Tzuyu concordou, o rapaz sorria. 

Já na igreja, S/N abraça novamente Sr. Allen. 

Allen: Vamos juntos! - S/N concorda e assim, da a mão a ele. 

S/N pensamento: Foi tão bom viver tudo aquilo com você, sorrimos, choramos, brigamos, mas foi prazeroso, não se sinta culpado, pois eu te amo, e agradeço por cada dia que passei com você. Dizem que temos direito a um desejo antes de nossas almas irem, eu desejo renascer e poder viver uma vida feliz com você, mas cheia de aventuras. Eu te amo, Seungmin. 

S/N sorri e olha para luz. 

Seungmin: Também te amo. 

A mesma olha para trás e vê Seungmin ali, a garota começa a chorar, mas antes que pudessem fazer alguma coisa, suas almas somem. 

S/n e Seungmin morreu. 

Continua... 


Notas Finais


Ai meu coração, é isso gente, dois episódios por que quero lançar o último amanhã, o que será que vai ser do final? Será que o desejo dela vai se tornar realidade? Aguardem!

E UMA COISA, EU NÃO ME INSPIREI EM NENHUM DORAMA NESSE FINAL PORRA, vai ter gente vindo falar "Goblin", sei nem se tá certo mas eu nunca assisti essa série, ok? A única que me inspirei foi "A missão do anjo: Love" e só foi o tema que peguei, de resto inventei (tirando o acidente, foi a mesma coisa), enfim, deixem seus comentários, irei ler todos e tentar responder. No último capítulo direi quando postarei outra fic, enfim, BYE!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...