História A nossa loucura combina - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hoseok, Jeongguk, Jhope, Jimin, Jiminie, Jungkook, Lgbt, Namjoon, Suga, Tae, Taehyung, Taetae, Yoongi
Visualizações 161
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Chapter V


Fanfic / Fanfiction A nossa loucura combina - Capítulo 5 - Chapter V

Point Of View Lis Payne.

Após um dia cansativo cheguei em casa me atirando em nosso sofá, Rose estava na mesa com inúmeros papéis espalhados, um óculos, enquanto planejava algum local. Suspirei alto pegando meu celular em minha bolsa. É claro que havia mensagens – dos meus pais – porque de resto.

Srta. Payne:

Oi filha!

Eu e o seu pai colocamos mais um dinheirinho na sua conta.

Ficamos sabendo da sua compra, queremos sempre o seu conforto, minha linda!

Lis Payne:

Ah mãe! Não precisava, eu já consegui um emprego.

Agora eu irei me sustentar.

Srta. Payne:

Pense nisso como um pagamento, afinal você tem ações da empresa.

Lis Payne! Só estamos lhe pagando.

Lis Payne:

Ok, ok. Com vocês dois não da para discutir.

Preciso tomar banho e descansar, boa madrugada para vocês porque aqui já está noite.

Srta. Payne:

Se cuidem! Mande beijos para Rose.

Lis Payne:

Certo.

Guardei novamente meu celular em minha bolsa, levantando do sofá, encarei Rose que agora guardava seu projeto cuidadosamente enquanto calculava algo mentalmente. Sorri quando a morena me encarou.

– Meus pais te mandaram um beijo. – a garota sorriu. – vou tomar um banho.

– Vou ficar nesses projetos noite adentro, já estou morrendo só de pensar nas minhas olheiras. – suspirou me fazendo rir nasalado. – e o seu emprego?

– Está tudo indo muito bem, estou começando por um prédio, pois é o mais difícil dos quais ele me entregou. De resto, está tudo indo muito bem, bom, antes de tomar banho vou dar uma caminhada pelo bairro. – disse sorridente. – estou pensando em adotar um cachorro, para não me sentir sozinha enquanto caminho.

– Tudo bem, não vamos discutir sobre esse assunto agora. – assenti indo para o corredor. – boa caminhada.

Ao deixar minha bolsa em cima de minha cama, me pus a procurar minha roupa de caminhada. Leggin preta, camiseta azul marinho e por fim um rabo de cavalo, peguei meu celular e fones junto a um cartão – claro que pretendo tomar um café – ao som de Perfect Places eu sai de casa.

Uma coisa que não gostei aqui na Coreia é, eu não consigo ver as estrelas e isso me deixa triste. Minha missão agora é achar algum local que dê para vê-las a olho nu, tornando aquele local meu refugio. Enquanto eu passava pelas pessoas sentia algumas me encararem, até mesmo uns universitários – alguns bem bonitinhos – mas quem acharia sexy uma pessoa um pouco suada com alguns fios grudados na testa? Só algum louco.

Já a três quadras do apartamento em que moro, encontrei uma cafeteria vazia – meu ápice da noite – sem delongas adentrei no local sendo recebida por alguns sorrisos e olhares curiosos. Tirei um fone – que reproduzia Kiss Land – para cumprimentar o atendente, não esqueça os honoríficos Lis!

– Boa noite. – sorri.

– Boa noite. – sorriu de volta. – o que você gostaria?

– Um cappuccino com um sanduiche natural, por favor. – sorri.

– Entregarei assim que estiver pronto, por favor, sente-se. – assenti. – ah, sem querer ser invasivo, mas você é nova aqui? E qual seu nome? É para o pedido.

– Sim, me mudei tem alguns dias. Estou morando a três quadras daqui.  Meu nome é Lis. – sorri.

– Seja bem-vinda então. – seus olhos viraram um risquinho, ele é fofo. Agradeci me dirigindo a uma mesa em um canto.

Point Of View Kim Taehyung.

– Como assim Hoseok? – vociferei. – aquela louca está aqui?

– E-Ela comprou um carro, e foi para um prédio. Deve ser o prédio que ela ‘tá morando! – jogou os braços para cima. – ela estava mais linda do que o normal, ‘tava usando um jeans escuro com uma daquelas blusinhas curtas branca! Céus!

– Eu lá quero saber disso! Ela só pode estar nos perseguindo! – rolei os olhos. – enfim não quero mais saber. Passar bem. – fechei a porta antes de ter que ouvir algo vindo do ruivo.

Céus! Passei a tarde toda pensando em como essa californiana falsa, perseguidora, pervertida e louca veio parar aqui! Tão longe do seu país, só pode ser louca. Ah ela é. Quando percebi já era noite, a vidraça de meu quarto dava para ver as luzes de Seul – algo que eu acho bonito para fotografar – ouvi novamente batidas em minha porta.

– Hyung! – ouvi a voz do Jeongguk seguida pela abertura da minha porta. – vamos tomar um café? Os garotos irão também.

– Sim, só vou trocar de roupa. – Gukkie concordou saindo do quarto me deixando sozinho, levantei da cama procurando por uma roupa escura.

Máscara, boné, dinheiro. Tudo certo. Sai do quarto dando de cara com seis mascarados, sorri por baixo da máscara, Jin Hyung indicou que deveríamos sair. A conversa no elevador era nada mais nada menos sobre o encontro peculiar do Namjoon com uma sasaeng.

– E cara, ela me seguiu pelo shopping inteiro! Só faltou entrar no banheiro comigo, foi assustador! – disse nervoso. – mas logo os seguranças me tiraram de lá vivo, graças a Deus.

– Cara, eu encontrei aquela garota de Los Angeles! Ela está aqui. – Hoseok praticamente berrou, chamando a atenção de todos.

– Como assim hyung? – Jimin perguntou curioso. – aquela moça bonita?

– Sim, ela estava comprando um-

– Chega desse assunto. – revirei os olhos. Saímos do prédio caminhando em silêncio, a cafeteria que frequentávamos era somente uma quadra daqui, então não tardou nem dez minutos para chegarmos à mesma e graças a Deus não era um Starbucks. – como sempre, não tão cheia e agradável. E nada de Starbucks, amém.

Namjoon foi fazer nossos pedidos – pois já sabe todos – enquanto fomos nos sentar uma mesa na ponta. Meus olhos rodearam o local logo parando na mesa na outra ponta, puta que me pariu!

– Você só pode estar de brincadeira comigo! – esbravejei em um tom baixo. Lá estava ela esperando seja lá oque for que inclua um cappuccino, com roupas de treino e alguns fios de cabelo colados ao redor de seu rosto.

– Nós estamos perseguindo essa garota, ou é impressão minha? – Hoseok perguntou sugestivo fazendo todos olharem em direção a mesma que estava alheia de tudo em sua volta. – cara, ela fica linda até suada.

– Essa roupa de treino caiu muito bem nela, nossa que roupa linda. – Park comentou sorrindo de canto, revirei os olhos. Um atendente se aproximou da mesma lhe entregando seu pedido, lá estava seu cappuccino.

Porém o mesmo começou a conversar com a garota, arrancando sorrisos da mesma. Ele estava flertando em local de trabalho? Mas que absurdo! Ela parecia dar respostas curtas, porém ele parecia puxar mais assunto.

– Ele está dando em cima dela na cara dura. – Jeongguk disse rindo soprado. – que garoto atrevido. Nós estamos babando nela a mais tempo, não é justo.

– Nada é justo nessa vida. – respondi. – agora limpem os cantos da boca, ‘tá escorrendo baba.

– O senhor implicância está de volta gente. – Hoseok cantarolou. – efeito de ver uma moça tão linda. – ignorei sua fala voltando a olhar pela janela e de vez em quando para a loira.


Notas Finais


Esse destino brincando com a cara do Taehyung? Coitadinho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...