1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Taehyung: Vida de Híbrido >
  3. Estranhamente.

História Imagine Taehyung: Vida de Híbrido - Capítulo 42


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores, desculpem pela demora! Minhas aulas voltaram e agora ficou meio difícil postar capítulo, mas farei o possível para postar mais rápido.

B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 42 - Estranhamente.


Fanfic / Fanfiction Imagine Taehyung: Vida de Híbrido - Capítulo 42 - Estranhamente.


S/N SAKAMAKI:


Eu e o Tae fomos para um Jardim, bem próximo dali para falar a verdade. Era em meio a floresta, e tudo era tão bonito.

- Isso é muito bonito Tae.

- Preparei está noite só pra você.

Eu sorri para ele. O mesmo envolveu seus braços em minha cintura, trazendo me para mais perto dele. Ele pressionou seus lábios contra os meus, dando início a um beijo caloroso e apaixonante. Ele me colocou em seu colo e me colocou contra uma árvore.

- Certeza de que quer fazer isso aqui? - perguntei parando o beijo.

- Ninguém vem aqui há centenas de anos, e quem só conhece este lugar sou e os meninos.

- E se eles aparecerem?

- Não vão. Eu os avisei para não incomodarem. - ele sorri voltando a me beijar.

Tirei minha blusa a jogando no chão, ele me levou até a toalha estendida no chão que o mesmo havia deixado lá, me deitou cuidadosamente ficando sobre mim.

- Ouviu isso? - me referi ao barulho vindo de uma árvore.

- Calma, deve ser só algum guaxinim procurando comida.

Suas mãos deslizaram pela minha coxa, vindo para a cintura. E seus lábios deslizaram levemente meu pescoço, causando calafrios prazerosos.

O ajudei a tirar sua camisa, sentindo seu abs ficar contra minha barriga.

Seu peso certamente era muito maior que o meu, mas ele fazia o possível para que eu não o sentisse sobre mim.

Suas mãos deslizaram da minha coxa até minha intimidade. O mesmo abriu o flash do meu short, colocando sua mão já por dentro da minha calcinha. Ele acariciou de leve meus lábios, me fazendo arfar. Senti o mesmo me penetrar com dois dedos, me estocando devagar.

Enquanto me estocava, com sua mão livre ele acariciava meu seio esquerdo, o apertando não tão forte para não me machucar.

- T-Tae... - eu gemi seu nome procurando chamar sua atenção.

- Tem algo errado S/n? - ele perguntou continuando a me estocar.

- Não, é só que...- agarrei a toalha onde estava deitada. - Preciso de você!

O mesmo entendeu o que eu quis dizer.

Vejo ele abrir o flash da calça e tira-la sem a minha ajuda. Sinto meu membro contra minha intimidade, logo me penetrando sem aviso.

Gemi seu nome por várias, até o mesmo aumentar a velocidade das estocadas.

Senti chatos fortes acertarem minha intimidade, logo, também senti o mesmo retirar seu membro e deitar ao meu lado.

- Sabe, queria saber uma coisa. - digo enquanto ele me cobre com o lençol.

- O que ouve S/n?

- Porque você está aqui?

Percebi sua expressão mudar de repente. Era como se ele estivesse escondendo algo de mim.

- Acho melhor conversar sobre isso depois. Porque não aproveitamos o momento?

- Tae, se tem algo pra me dizer fale agora. Sabe muito bem que não gosto de surpresas.

- Tudo bem, eu falo. - ele coloca meu cabelo para trás da orelha e diz enquanto olha nos meus olhos. - Eu vou me mudar.

- É mesmo? Que bom!

- Não, isso não é bom.

- Porque não? - desconfiei.

- Eu vou mudar de país. Algumas pessoas estão percebendo que meus avós não estão envelhecendo.

- Fala como se eles já não fossem velhos.

- Eu sei S/n, mas você entendeu o que eu quis dizer!?

- Tudo bem, eu vou com você!

- Você não pode.

- Porque não? O que me impede?

- Eu quero que você fique aqui, com sua família.

- Mas e você?

O mesmo desvia o olhar enquanto alisa meu rosto.

- Tae, você vai me deixar?

- Não, não. Jamais faria isso!

Ele junta seu rosto do meu e me dar um selinho.

- Então, porque está dizendo essas coisas?

- Eu não sei se vamos nos ver sempre como antigamente.

- Mas eu te amo!

- Eu também te amo!

- Então fica comigo!?

- Eu não posso.

Sinto meus olhos arderem, aquilo não era apenas um tchau, ou até logo. Era um adeus.

O Abracei fortemente, não conseguindo evitar as lágrimas.

- Por favor não chora! - ele sussurrou em meu ouvido.

- Você vai me deixar!

- Eu sinto muito meu amor.

Ele enlaça seu braço envolta da minha cintura, juntando nossos corpos. Fazendo com que o frio fosse embora.

Acabamos dormindo ali entre nossas próprias lágrimas e amarguras.

Na manhã seguinte, voltamos pra casa. Ao entrar na sala, me deparei com os garotos sentados no sofá brincando com...

- White!? - disse ao ver minha pequenina nos braços do Hoseok.

Ela correu até mim, subindo por minha perna e se encolhendo no meu ombro.

- Faz tempo que não nos vemos S/n! - ela disse por pensamento.

- É verdade. - a respondi em pensamento também.

- Achei que fosse querer ficar com ela, não? - Tae sorri para mim.

Estava tentando parecer normal, mas depois do que ele disse na noite passada, pra mim nada parece normal.

- Adorei! - falei fazendo carinho nas orelhas de White.

- Cadê o Jimin? - Tae perguntou olhando para Jungkook.

- Ele chegou ontem bem tarde. Acho que deve estar dormindo.

- Dormindo? Onde?

- Acho que no quarto do Mark.

- DO MARK? - gritei de olhos arregalados.

Corri até o quarto do meu irmão, abri a porta rapidamente acordando os dois. Jimin estava abraçado a Mark, seu rosto estava vermelho e seus olhos inchados.

- O que vocês querem? - Mark perguntou furioso.

Me senti confusa. Porque meu próprio irmão estaria com raiva de mim sem eu ter feito nada?

- Porque o Jimin tá dormindo aqui?

Olhei para o mesmo que tentou esconder o rosto.

- E porque estava chorando?

- Porque vocês dois não vão continuar transando na moita? Deixem ele em paz!

Agora tudo fazia sentido. O barulho na árvore que ouvimos, não era um guaxinim, era o Jimin! Mas o que ele estava fazendo ali tão próximo, mesmo sabendo que eu e Tae estávamos lá? E o que ele estava fazendo em uma árvore?

- Não estão me ouvindo? - Mark gritou. - SAÍAM!

Saí do quarto assustada com a cena. Ainda consegui ouvir a voz de Mark e o choro do Jimin logo que saí. Tae me puxou para meu quarto em total silêncio, quebrando-o apenas quando entramos e ele fechou a porta.

- O que foi aquilo? - ele perguntou confuso.

- E você acha que eu sei?

Viro o rosto para o outro lado, esperando que o mesmo não perceba minha preocupação.

- Ainda tá pensando no que falei pra você ontem?- Confirmei. - Ei! - ele santa ao meu lado. - Falta muito tempo. Eu vou passar esse mês todo com você.

- Mas ainda sim, vai embora e vai me deixar. - deixo as lágrimas escorrerem por meu rosto.

Ele me abraça e põe a cabeça sobre meu queixo.

Mesmo chorando, o pensamento na cena que vi do Jimin chorando abraçado ao Mark. Porque ele havia reagido daquela maneira quando me viu? E porque Mark estava tão furioso comigo?


Notas Finais


Desculpem se ficou pequeno. Com tantas coisas para fazer acabei só conseguindo isso. Espero que gostem!

(Obs: amanhã tem capítulo novo!)

OBRIGADA PELA LEITURA!

Comentários?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...