1. Spirit Fanfics >
  2. Imagine Wong Yukhei (Lucas) - Lost On The Island - (NCT) >
  3. 2- Festa E "Acidente".

História Imagine Wong Yukhei (Lucas) - Lost On The Island - (NCT) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá hoje o capítulo será um pouquinho mais tenso e longo (escrevi demais não estou fazendo nada) e tomem cuidado com o corona vírus, evitem sair de casa e lavem bem as mãos. Eu estou sem aula e vou estar postando mais capítulos. Boa leitura 😘💞💓💗💕❤️

Capítulo 2 - 2- Festa E "Acidente".


Fanfic / Fanfiction Imagine Wong Yukhei (Lucas) - Lost On The Island - (NCT) - Capítulo 2 - 2- Festa E "Acidente".


Após Yeri desligar na minha cara, um número desconhecido apareceu nos contatos enviando a localização da festa e a foto do iate. Adicionei apenas como Yeri e suspirei. Eu queria aproveitar essa folga e não pensar que vou ter que trabalhar o sábado todo. Quando mais odeio essa profissão, mais ela me persegue.

Mexi um pouco no celular e conversei por mensagens com minha mãe. Dóia mentir para ela. Mas eu não precisava trazer mais sofrimento á ela. Respondia as mesmas coisas que tudo corria bem e a faculdade era incrível. Só não mentia sobre Johnny. Escrevia que nós éramos amigos e dividiamos o mesmo dormitório na faculdade ( nessa parte está meia mentira e verdade). Acabamos encerrando a conversa.

Ouvi a porta do apartamento ser destrancada e aberta. Johnny havia chegado. Saí da varanda e coloquei o celular na cama e fui para a sala. Johnny estava detonado e cansado.

( S/n)— Como foi o trabalho ? Você parece estar detonado.

( Johnny)— Cansativo e estressante. E vou ter que trabalhar até meio dia amanhã. — Responde sentado no sofá.

(S/n)— Nossa. Eu vou ter que trabalhar amanhã a noite numa festa em um iate — Digo com a expressão de ódio — E ainda trabalhar amanhã e a tarde na praia.

(Johnny)— Você ama seu emprego — Ri soprado — Mas sério eu queria voltar na época de ser criança e não ter tantas responsabilidades.

(S/n)— Quem não quer. Vamos maratonar filmes e desenhos hoje ? E esquecer por uma noite que amanhã temos que trabalhar.

(Johnny)— Isso faz parte do nosso ritual de todas as sextas-feiras nem precisa pedir. Vou só tomar banho e colocar uma roupa fresca — disse saindo do sofá — E S/n você pede pizza .

(S/n)— Do quê ? — Pergunto.

(Johnny)— Frango com calabresa, catupiry, palmito, queijo e bacon ! — Grita do banheiro — E Coca de dois litros !



Estávamos na sala sentado no sofá, comendo pizza e assistindo "Como treinar seu dragão 3". Nós somos dois adultos que amamos desenhos. E chorando vendo a cena do Banguela e o Soluço se reencontrando no final.

(S/n)— Johnny... — Fungo pelas lágrimas caídas — Nossa amizade vai ser desse jeito ?

( Johnny)— Claro. E você é meu Banguela que encontrei ferido na floresta e cuidei — Deixei as lágrimas de emoção caírem mais — Agora vamos assistir Coraline porque eu gosto.


Passamos a noite de sexta-feira, maratonando desenhos. E acabamos dormindo alí mesmo no sofá.









Sábado 09:00 AM.



Acordei com Johnny em cima de mim, babando. Empurrei ele com força que caiu no tapete, confuso e resmungando.

(Johnny)— Hmmm ? Ellen ? — Pergunta com o rosto confuso e a baba escorrendo. A cena era engraçada e daria para fazer memes.

( S/n)— Quem é Ellen John ? — Dou risada — Vai trabalhar perna longa ! — Saio rindo, indo a o banheiro me arrumar.




Havia saído e ido para o trabalho. E a praia estava muito movimentado, cheia de pessoas como todo sábado é. Pessoas nadando, reclamando, conversando, brincando e etc. Estava sentada na cadeira com o binóculos observando o movimento e vendo se tudo corria normal, sem afogamentos. De longe avistei um garotinho de cerca de 6 a 7 anos asiático, se afogando e a correnteza puxando e uma garotinha asiática tentando ajudar.

Primeira coisa que fiz foi não entrar em desespero, larguei o binóculos e pulei no mar e peguei as duas crianças no colo, salvando-as. Elas estavam bem. Era minha profissão. Salvar vidas.

( S/n)— Crianças fiquem apenas no raso. Qualquer coisa gritem socorro e a titia vem — Digo colocando elas na areia.

(???)— Obrigado titia — o garotinho fala abraçando minha perna — Você é minha heroína.

Sorri. Pelo menos algo me deixou feliz.




Estava voltando para o apartamento as cinco horas com a cena do garotinho em mente. Eu amava crianças. Algo me trouxe um pouco de alegria vindo daquele emprego. Cheguei no apartamento e abri a porta. Johnny estava numa boa comendo pipoca deitado no sofá assistindo filme. Folgado. Eu ainda tenho que trabalhar a noite na festa do iate.

( Johnny)— Como foi ?

( S/n)— Mesma coisa de sempre. Tirando a parte que salvei duas crianças e uma me chamou de heroína. Eu nunca tinha visto aquelas duas crianças lá na prata — Admiti pensativa. Isso era algo estranho, já que elas estavam sem os pais. E não ví mais elas depois de salvar.

( Johnny)— Vamos seguir nosso ritual de sexta-feira ?

( S/n)— Infelizmente hoje não dá. Tenho que fazer um bico em uma festa no iate, esqueceu ?

( Johnny)— Afe que chato S/n ! Não vou ter minha parceira de filmes !

( S/n)— Foi mal Johnny. Eu vou me arrumar.



Me arrumei rápido e pelo menos não precisava usar o maiô vulgar. Já estava saindo quando sou surpreendida por Johnny me abraçando. Ele só fazia isso quando estava extremamente preocupado ou carente/triste. Optei pela primeira opção, Johnny não curtia a idéia de eu fazer esses bicos, ele se preocupava. Ainda deu um beijo na minha cabeça.

(Johnny)— Se cuida tá ? Toma todo cuidado nessas festas e você está levando o spray de pimenta que te dei né ?

Dei risada e aproveitei o abraço de Johnny. E estranhei o sentimento no peito. Não era amor. Era um sentimento ruim....

(S/n)— Vou me cuidar tá ? — Beijo suas bochechas — E obrigada por tudo mesmo. Você é um anjo na minha vida — Desfaço do abraço — Vou indo tá ? Tchau e fique bem !

( Johnny)— Tchau e você também.

Saí então do apartamento.





Seguindo a localização enviada por Yeri, consegui chegar na praia que ficava um pouco longe dá que eu costumo trabalhar. O lugar era cheio de barcos e iates ; Já havia trabalhado naquela região. Abri a foto do iate e não foi difícil achar. Aproveitei que ele estava no píer que havia naquele local e entrei.

Havia uma garota de cabelos cor de rosas, asiática e com a maquiagem bem pesada, parada esperando alguém pelo visto. Deveria ser Yeri.

( S/n)— Oi você é a Yeri ? Eu sou a salva-vidas — Me apresento, sorrindo tentando a  máximo ser educada.

A garota de cabelos cor de rosa me olha de cima em baixo com a expressão de deboche, mascando um chiclete.

(Yeri)— Se parece realmente — Disse com deboche com a bolha de chiclete nos lábios — Sou Kim Yerim mas sou conhecida como Yeri. Senta naquela cadeira perto da piscina. Seu tempo será perdido e como disse : É inútil uma salva-vidas numa festa.

Apenas ignorei e sentei no lugar dito. Em um minuto aquele iate estava lotado de pessoas, fazendo todo tipo de coisa sem maturidade. Meu tempo realmente estava sendo perdido, observando as pessoas e ouvindo uma música calma comparada a eletrônica alta que tocava.



S/n Off


Lucas On.



Tenho vários motivos para estar em uma festa como essa. Mas vou me apresentar primeiro.

Sou Wong Yukhei ou Huang Xuxi mais conhecido pelo meu apelido, Lucas. E como sou conhecido. Tenho 22 anos, sou chinês (e que chinês) nascido de Hong Kong. Sou lindo, maravilhoso e todos me amam. Menos meus pais. Além de ter todas essas qualidades, sou nascido de uma família rica mas meus pais sempre pegaram no meu pé a vida toda. Eles queriam de todas as formas que eu fizesse a chatisse de faculdade de medicina veterinária, para quando eles morressem eu herdasse as clínicas veterinárias que eles tem espalhadas pela China e por Los Angeles. Sério eu amo cachorro mas não é minha praia estudar corpo de animais.

 Eu vivi pela China até meus 18 anos, mas tivemos que se mudar para a América por questões pessoais minhas. Meu sonho na verdade era fazer administração e comandar empresas e ser o cara mais rico de Los Angeles. Mas pelos meus coroas faço medicina veterinária mas metades das aulas eu matava. E nunca contei para meus pais sobre meu sonho.


E há aí um dos motivos por estar nessa festa.


Quando eu matava as aulas, havia uma garota linda que também fazia o mesmo. Kim Yerim. Com trocas de olhares para cá e para lá, começamos a namorar. Sendo sincero não havia um pingo de amor em nossa relação. Eu tinha um certo interesse nela, por ser filha de uns empresários mais ricos. Mas nosso namoro durou apenas três meses. Eu não aguentei ela. Yeri por mais que fosse bonita por fora, por dentro era o oposto. Era chata, mimada e nojenta.

Então Yeri me convidou á essa festa. Vim para justamente relaxar de tanta pressão dos meus pais. Não por interesse nela, admito que fui bem egoísta por namorar ela apenas por interesse. Eu não buscava mais o amor. Não depois do que eu passei. E achei estranho a forma como Yeri me encarava. Talvez ela tivesse algum ódio por eu terminar pelo telefone. Mas essa noite eu só quero relaxar e me divertir como qualquer jovem faria nos auge dos 22 anos.

Estava eu e meu melhor amigo (e único) Mark Lee. A única pessoa que sabe tudo sobre mim e eu dele. Mark é também a única pessoa que confio e meu parceiro de aventuras e de todas as merdas que já aprontamos. Bebendo perto da piscina e olhando uma garota estranha com moletom e calça jeans ( em pleno verão) sentada em uma cadeira, observando todos ouvindo música pelos fones de ouvido.

( Mark)— Garota estranha né Lucas ? Quem usa esse tipo de roupa no verão ?

(Lucas)— Né cara ainda sentada observando todos. Nem parece que está em uma festa.

E voltamos a curtir a festa. Eu estava cada vez mais bêbado.



Lucas Off.



S/n On.


Aquela festa continuava cada vez mais cheia e agitada. Não queria estar aqui. Queria estar com Johnny maratonando filmes. Mas sou paga para isso.

Tudo corria "normal" na festa, quando Yeri vai para a parte de conduzir o Iate. Eu prestava atenção em cada detalhe. E bêbada começa a conduzir o Iate saindo do píer e indo para o meio do mar. Isso estava errado. E se algo acontecesse com os convidados ?


Minhas palavras tornaram se reais.


Ela começou a acelerar o motor do iate e fazer ziguezagues no meio do mar, ainda bêbada. Os participantes das festas riam do grande perigo.


Então ela jogou o iate do lado esquerdo.


E um garoto asiático de pele bronzeada que havia me encarado junto com seu amigo uma hora atrás, sentado na borda bêbado caiu sobre o mar com o movimento de Yeri. E seu amigo começou a gritar.

( ???)— Socorro ! Meu amigo caiu do mar !

Levantei da cadeira e fui onde o garoto estava.

( S/n)— Se acalme ! Eu sou a salva-vidas vou ajudar ele !

( ???)— Por favor !


Pulei então do iate, caindo sobre o mar que por sorte a água estava iluminada com as luz da lua cheia e foi fácil encontrar seu corpo cada vez afundava mais. Sem desespero. Nadei até sua direção e abracei seu corpo tentando levar para a superfície. Seria impossível. Tentei mais duas vezes subir, nas cara vez mais afundavamos. E eu  estava sem fôlego.

Era o quê me restava... Morrer.


Abracei o corpo do garoto desconhecido e afundamos mais.


S/n Off.


??? On.


(???)— Nosso plano deu certo, Jeno.

( ???)— Claro Yeeun. Agora vamos para a segunda parte finalmente.










Continua.....





Notas Finais


A S/n e o Lucas não morreram... Logo vocês vão entender tudo, agora vai estar um pouco confuso.
Queria ter um amigo igual o Johnny (TT)
A Yeri quis se vingar do Lucas e ela é bem Psycho ( que piada bosta).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...