1. Spirit Fanfics >
  2. IMAGINE YUGYEOM (GOT7) - The Elevator >
  3. Capítulo 2

História IMAGINE YUGYEOM (GOT7) - The Elevator - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Esse é o penúltimo capítulo 🔥 espero que gostem! Boa leitura 😍

Capítulo 2 - Capítulo 2


- Hyuna, por favor, avise ao senhor Jung que vou me atrasar- digo apertando o botão do elevador freneticamente- fale que está um engarrafamento, eu sei lá! Não posso perder essa prova- digo praticamente gritando.

- Ok, s/n, relaxe – ela fala- Bom dia pra você também – eu reviro os olhos. – Onde você está?

- Estou esperando a merda do eleva- falo e me surpreendo quando ele chega e a porta abre, revelando um Yugyeom com os olhinhos inchados, uma graça. Entro e o cumprimento com a cabeça – Vou o mais rápido que conseguir – digo olhando no relógio e vendo que faltam 55 minutos pra minha aula começar. Nem se eu voasse conseguiria chegar a tempo. – Não tem como esse dia piorar...- falo e no mesmo segundo, como se a vida gostasse de brincar com a minha cara, o elevador para bruscamente, acendendo a luz de emergência – Mas que porra? – falo e Yugyeom me encara com os olhos arregalados, mas dá uma risadinha depois – Desculpe – peço e Hyuna me pergunta o motivo- Não pra você... o elevador parou e acendeu a luz de emergência – falo bufando – Salve minha pele, por favor! – suplico e a ouço rir e falar que fará o seu melhor. Desligo o telefone bufando novamente.

- Está... tudo bem? – Yugyeom pergunta.

- Sim... não. Eu acordei atrasada pra uma prova muito importante e agora isso – digo irritada. De repente a voz do porteiro é ouvida.

- Olá, bom dia! Tem um botão com um microfone desenhado na parte de baixo do painel, se tiver alguém no elevador, por favor aperte e fale. As câmeras desligaram. – ele diz e Yugyeom me encara apertando e dizendo um “olá” ao porteiro. – Senhor, o elevador está com problemas – ah, jura? Eu não tinha notado. – Estamos tentando chamar o técnico, mas ele está preso em um engarrafamento, pode levar umas horas, mas vai ficar tudo bem. – ele fala e eu encaro Yugyeom desesperada. Deus, minha prova! – Qualquer coisa pode me chamar apertando o botão pro microfone ligar.- ele termina.

- Deus! – eu choramingo e Yugyeom ri. O encaro sem entender o que é tão engraçado. – O que foi?

- Desculpa, é que você fica muito fofa com esse biquinho – ele fala e me faz corar. Ele se senta no chão e o olho confusa – Vamos ficar muito tempo aqui- ele fala apontando pro chão ao seu lado e eu bufo, me sentando. – Não fica com essa cara, seu professor vai entender isso.

- É claro que não vai! Quem acreditaria que fiquei presa no elevador bem no dia dessa prova? – digo choramingando, quase chorando. Num movimento rápido, ele me puxa me abraçando fazendo minha cabeça ficar no seu peito. Ok, isso foi o suficiente pra eu me sentir melhor, afinal, o que é perder uma prova pra ficar sendo consolada por Kim Yugyeom?

- Vai dar tudo certo, hum? – ele diz fazendo carinho no meu cabelo. Ok, Deus realmente escreve certo por linhas tortas.

- Obrigada – eu falo levantando um pouco o rosto pra encará-lo. Dá pra cortar a tensão entre nós com uma faca, mas depois de alguns minutos ele pigarreia desviando o olhar. Sinto que essa é minha deixa e me afasto do seu abraço.

-------#--------

Já fazem uns 20 minutos que estamos aqui dentro e está muito quente, afinal, o ar condicionado foi desligado. Sinto meu corpo suar e retiro a jaqueta de couro que cobria meu corpo, ficado apenas com um cropped. Agradeço mentalmente por ter colocado uma saia e não uma calça como tinha pensado. Yugyeom encara meu corpo, mas desvia o olhar quando é pego no flagra. Nós estávamos em silêncio desde que me afastei do abraço dele. Eu estou presa num elevador com um cara extremamente gato que eu sou fã e não consigo pensar em nada pra conversar com ele, já que ele não sabe que sou sua fã. De repente uma ideia surge na minha cabeça.

- Eu... ouvi uma música de vocês – eu falo e ele me encara. – Hum, minha amiga veio aqui um dia e encontrou o...- finjo que estou tentando me lembrar do nome dele- JB? – pergunto e ele assente – e ela meio que surtou – eu falo e ele ri. – então descobri que você também é do GOT7- eu falo e ele assente.

- O JB hyung me contou que encontrou vocês – ele fala e eu assinto. – Qual música ouviu? – ele pergunta.

- Ah... é...– Deus, não sei! – Acho que era If You Do? – falo como se eu não tivesse certeza e ele assente.

- O que você achou? – ele perguntou curioso me fazendo sorrir.

- É muito bom – eu falo e ele sorri orgulhoso. – Eu não costumo muito ouvir kpop, mas se ouvisse, com certeza ouviria você... vocês – digo falsa, como se eu não ouvisse todos os dias.

- Ah, mas essa é antiga! – ele fala empolgado. – Vou mostrar nosso último lançamento, chama Never Ever – ele fala e pega o celular dele, abrindo no youtube. Ele se aproxima de mim e prendo a respiração. Estar tão perto dele é absurdamente perigoso. Os primeiros acordes soam e Yugyeom começa a cantar junto com a música. O caralho de Kim Yugyeom está cantando quase no meu ouvido. Deus, vou desmaiar.

Nunca achei que fingir que não conheço uma música que amo fosse ser tão difícil, mas foi. Não consegui não sorrir em certas partes, eles estão tão lindos que ficou complicado.

- O que achou? – ele me pergunta quando o MV termina. Seus olhinhos estão brilhando e eu sorrio.

- É ótima – eu falo sorrindo – Ganhou uma fã – digo e ele sorri.

- De quem você mais gostou? – ele pergunta e eu coro.

- Acho que sou meio suspeita pra falar – digo e encaro seus olhos, desviando pros seus lábios. Quando ele percebe, umedece-os, me fazendo suspirar e subir o olhar pros seus olhos novamente, notando um brilho diferente neles.

Ele cola nossos lábios num movimento rápido e me faz suspirar. As borboletas do meu estômago entram em colapso e eu me arrepio quando ele pede passagem com a língua, cedendo imediatamente, então um beijo lento é iniciado. Sua boca tem gosto de pasta de dente de menta.

O beijo vai ficando mais intenso e sinto minha intimidade pulsar. Sem quebrar o contato, Yugyeom me puxa pro seu colo e eu gemo quando sinto seu membro duro ainda coberto pela jeans. Sim, usar a saia realmente foi minha melhor decisão. Ele desce os beijos pro meu pescoço e me arrepio por completo, prendendo um gemido quando ele deixa um chupão. Ele segura minha cintura com uma mão enquanto aperta minha coxa com força, me fazendo arfar e puxar os cabelos de sua nuca. Ele volta a me beijar e sobe sua mão direita pela minha coxa, me fazendo arrepiar. Yugyeom sorri durante o beijo quando coloca a mão na minha calcinha e a encontra encharcada. Ele a empurra pro lado e começa a massagear meu clitóris, me fazendo soltar um gemido manhoso na sua boca. Ele volta a beijar meu pescoço enquanto agarra minha coxa com força e enfia dois dedos dentro de mim, me fazendo abrir os olhos e revirá-los quando ele começa movimentos rápidos e fundos.

- Yugyeom – eu gemo seu nome, e isso parece excitá-lo ainda mais, já que começa a chupar meu pescoço com força, estocando os dedos ainda mais rápido e mais fundo. Seus dedos são longos e maravilhosos, ó, Senhor. Minhas pernas estão ficando bambas, e sinto que estou perto do meu ápice, mas quero gozar no pau dele. – Quero você dentro de mim – falo e tenho certeza que corei, mas não me importo.

- Não precisa pedir duas vezes, baby – ele fala com a voz rouca no meu ouvido. Ele abre sua calça, eu encaro seu membro e salivo. Como é possível até seu pau ser gostoso? Num movimento rápido, ele me penetra me fazendo soltar um gemido alto. Eu sei que não deveria transar com ele sem camisinha, mas eu não consigo ser racional enquanto ele me penetra com força, me preenchendo e me delirando. Quico com tanta vontade, como se minha vida dependesse disso. Mordo seu ombro tentando conter os gemidos que insistem em sair. – Geme pra mim – ele fala e segura em minha cintura pra diminuir o ritmo das estocadas – Geme – ele ordena e me penetra com força.

- Y-yugyeom – gemo muito alto, ruborizando. Ele sorri vitorioso e continua as estocadas rápidas, fundas e fortes, me ajudando a quicar, já que minhas pernas já estão fracas.

Em poucos minutos sinto elas tremerem e minha intimidade contrair apertando o pau dele.

- Porra, s/n – ele geme e é o suficiente pra me fazer gozar, apertando ainda mais ele dentro de mim e arranhando seu pescoço, enquanto gemo alto. Algumas estocadas depois e ele goza, e sinto seu líquido quente me preencher. 


Notas Finais


Vocês estão gostando desse Mini imagine? Por favor me deixem saber! Kkkkk obrigada por lerem ❤️😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...