História Imagines - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 121
Palavras 2.155
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores, tudo bem?

Voltei hoje com mais um capítulo e eu tenho que confessar que estou meio nervosa em estar o postando.

É minha primeira vez escrevendo com o CR7 e eu confesso que foi meio difícil sair da minha zona de conforto porque estou acostumada a escrever com quem eu já tenho uma personalidade formada na minha mente e eu não tinha isso com ele ainda.

Espero que vocês gostem.

• Plágio é crime.
• Contém palavras de baixo calão e cenas 18+. Se não gosta, não leia.
• Peço desculpas pelos erros de digitação, o capítulo foi corrigido mas ainda assim tem aqueles erros chatos que sempre passam despercebidos.
• Cristiano Ronaldo como Cristiano Ronaldo
• Adelaide Kane como Lola Blanco

Boa leitura.

Capítulo 2 - 01. Cristiano Ronaldo


Fanfic / Fanfiction Imagines - Capítulo 2 - 01. Cristiano Ronaldo

Eu não tenho mais medo. Estou parada no olho da tempestade. Pronta para encarar, morrendo para provar esse doce calor doentio. Eu não tenho mais medo. Eu quero o que você tem planejado. Estou pronta para provar agora, vá para o seu lugar. - Not Afraid Anymore (Halsey)

Animes

Capítulo 01 - Cristiano Ronaldo X Lola Blanco  (Adelaide Kane)

O tempo estava nublado, o vento estava forte e o frio havia tomado conta de Madri de um jeito que não fazia a muito tempo. Cristiano achou que, apesar da ironia, o universo estava combinando perfeitamente bem com o seu humor.

Triste, cinza e sem vontade nenhuma de sorrir ou ter contato social com alguma coisa ou alguém.

A reunião havia acabado a menos de cinco minutos e o contrato com o Juventus havia sido fechado. Tudo o que o craque tinha em mente depois que saiu daquela sala de reuniões, era de que precisava procurar Lola.

Lola Blanco.

A única mulher que já foi capaz de mexer com ele de uma forma que ele não entendia, de uma forma surreal e que ele não fazia questão de descobrir o que era.

Ela havia saído da Argentina, deixado sua família e amigos para trás para começar o renomado doutorado de história da arte em Madri, ele sabia que tudo o que ela tinha em mente quando se conheceram era estudar e se formar com honras.

Ele não conseguiu se manter longe.

Como poderia?

Ela era perfeita, ele ainda se lembrava perfeitamente bem do momento em que viu os cabelos pretos balançando por conta do vento, os olhos castanhos brilhando em divertimento enquanto escutava uma piada sem graça de um colega do curso, o sorriso mais belo que ele já viu em toda a sua vida estampado em seu rosto enquanto, diferente de todas as garotas do bar, ela vestia uma calça jeans, tênis e uma regata azul que destacava seu tom de pele branco.

Ela era perfeita demais para ser realidade.

Depois de alguns copos de cerveja com os companheiros de time, finalmente tomou coragem para abordar a garota misteriosa sentada no bar.

Ele percebeu quando todos os amigos dela travaram com sua presença, o encarando como se fosse um ser de outro mundo extremamente fascinante. Ele também se lembrava de Lola dar espaço para que ele chegasse até o bar e diferente de todos ali, não dar bola para a sua presença.

Ela não gostava de futebol, como poderia saber que o cara ao seu lado era o melhor jogador do mundo?

Lola o tratou como uma pessoa normal naquela noite, o tratou de uma forma que ele não era tratado fazia anos e aquilo o fascinou. Ele não teve coragem de contar a verdade e quando acordou no outro dia, com aquela bela mulher ao seu lado, ele soube que ela traria mais problemas do que deveria.

E alguns meses depois, ali estava ele, correndo até ela para lhe contar que estava indo embora de Madri, embora de sua vida.

Como ele viveria sem Lola? Ele não sabia.

- Hey. - A argentina o cumprimentou com um sorriso nos lábios assim que abriu a porta de seu apartamento. -  Achei que não viria hoje.

- Eu não ia.

Lola franze o cenho de forma confusa assim que percebe que algo estava o incomodando de uma forma que ela nunca tinha visto antes, lhe dando espaço para adentrar sua residência, fechando a porta atrás dele.

Em poucos meses, ela havia sido capaz de decorar cada expressão no rosto do jogador, cada olhar, cada mania e cada costume. Ela sabia perfeitamente bem quando algo estava errado sem que ele precisasse dizer uma sequer palavra, e esse era um desses momentos.

- O que aconteceu?

- A gente precisa conversar.

Aquelas 4 palavrinhas mágicas que antecedem o término de um relacionamento.

Lola as conhecia bem o suficiente para saber o que viria a seguir. A tristeza tomou conta de seus olhos e expressão e antes que pudesse disfarçar o desapontamento, Cristiano percebeu e se sentiu o pior ser humano do mundo.

Ela o amava.

Por Deus, ela o amava!

- Pode falar.

Ele engole em seco antes de se sentar no sofá e a levar consigo, mantendo o contato visual a todo o tempo. Ele precisava que ela soubesse que ele estava tão quebrado quanto ela, precisava que ela soubesse o quanto estava sofrendo.

- Nós estávamos em negociação com o Juventus a alguns meses, eu não comentei nada porque achei que não daria certo e que eu iria permanecer no Real Madri. - As palavras de repente se tornam pesadas demais e ele sente que sua garganta está sendo rasgada a cada palavra pronunciada. - O contrato foi fechado a alguns minutos e eu vou jogar no Juventus.

O silêncio dura por longos minutos que para o jogador parecem séculos, ele estava esperando gritos, choro ou até mesmo que ela falasse alguma coisa boa sobre seu futuro na carreira. Como o silêncio poderia ser pior do que todas as palavras de ódio que ela poderia ter a dizer?

Lola não sabia o que dizer, não sabia o que pensar e nem o que fazer. As palavras dele tinham a pegado em cheio. Ele sabia que isso poderia acontecer a meses e não falou nada, sabia e deixou que ela se apegasse a ele, que se apaixonasse.

O que ela poderia dizer diante desses fatos?

Ela estava com medo do que aconteceria a partir daquele momento.

- Por favor, fale alguma coisa.

- Eu não tenho nada para dizer. - Lola dá de ombros antes de se levantar do sofá e ir em direção a cozinha, tentando segurar as lágrimas. - Você vai embora, fim de papo.

- Lola...

Ele se levanta rapidamente do sofá e corre em sua direção, agarrando seus braços com delicadeza antes de a virar em sua direção, encarando os olhos castanhos que ele tanto adora.

A tristeza automaticamente tomou conta de seu ser, Lola estava tão perdida em seus pensamentos, tão perdida em seus sentimentos e isso estava tão visível em seus olhos que ele não teve como não sentir seu coração se quebrar.

- Eu queria muito te pedir para ir embora comigo, para morar comigo e assumir uma coisa que já deveríamos ter assumido a muito tempo, mas eu sei que seu futuro está em Madri e não posso ser egoísta a tal ponto. - Ele suspira antes de deslizar os dedos pelas lágrimas que escorrem pelas bochechas da mulher em seus braços. - Eu não posso ser egoísta quando se trata de você.

Lola deixa escapar um soluço e sabendo que não vai conseguir mais segurar suas lágrimas, se agarra a Cristiano como se sua vida dependesse disso, como se sua felicidade dependesse disso.

Ela estava tão confusa.

Nas próximas duas horas, tudo o que os dois fazem é consolar um ao outro, dizer que tudo vai ficar bem e que eles podem dar um jeito. Tudo o que eles fazem é se iludir porque para que tudo realmente de certo, um deles vai precisar desistir de seus sonhos e nenhum deles sabia se estava disposto a isso.

O frio de Madri havia sido substituído pelo calor do ar climatizado e pelo cobertor que Lola havia pego em seu quarto. Ela estava deitada sobre o peito dele, agarrada a sua cintura como se fosse seu porto seguro, suas pernas estavam entrelaçadas e Cristiano acariciava seus cabelos com carinho.

O clássico filme de romance adolescente já estava na metade quando eles engataram em uma conversa sobre seu passado, sobre o que fizeram quando tinham a idade do protagonista e sobre todos os amores fracassados.

- Eu acho difícil de acreditar que você um dia não tenha sido bonito. - Lola zomba fazendo com que o craque ria. - Quer dizer, olha pra você.

- É mais interessante olhar para você.

Naquele momento os olhos se encontram e tudo dentro deles parece se aquecer. Lola se inclina para cima e lhe beija os lábios de forma carinhosa, se agarrando ainda mais a ele.

Quando as línguas se enroscam o clima começa a esquentar e não demora para que Lola esteja sentada sobre o colo de Cristiano que não perde tempo em lhe apalpar todo o corpo, deixando Lola ainda mais quente.

Eles precisavam um do outro.

Com calma as camisetas vão ao chão, junto das calças. Cristiano a segurou pelas coxas e levanta do sofá, caminhando de maneira calma para o quarto de Lola, ele queria que aquela noite fosse diferente das outros, ele queria fazer tudo com calma e decorar cada detalhe do corpo perfeito em seus braços.

Quando chegaram ao quarto, o corpo de Lola foi deitado com calma sobre o colchão e não demorou para que Cristiano estivesse sobre ela, apoiando o peso de seu corpo sobre seus braços e joelhos e beijando com carinho o pescoço da morena.

- Você é perfeita. - Ele murmura antes de começar a beijar o colo de seus seios, cobertos por um sutiã preto.

Lola arfa ao sentir os lábios do cara que ama, deixando uma trilha imaginária de beijos e chupões por seu corpo. As mãos não demoram a achar o feixe do sutiã, e logo a peça de roupa está no chão.

- Cris… - O gemido sai manhoso e arrastado assim que os lábios do craque circulam o mamilo de um de seus seios e ele começa a chupar.

O prazer começa a tomar conta do corpo de Lola e a morena perde a pouca sanidade que lhe resta, se agarrando aos cabelos do jogador e entrelaçando suas pernas na cintura dele, o puxando em sua direção e se esfregando nele sem pudor algum.

Cristiano adorava cada som e expressão que Lola fazia ao sentir seus lábios em cada parte de seu corpo. A boca entreaberta, as bochechas coradas e os olhos fechados enquanto aprecia o prazer que só ele consegue lhe proporcionar.

A calcinha dela logo está fazendo companhia a cueca de Cristiano e seu sutiã no chão. Os lábios colados e cada parte do corpo procurando se encostar no outro, procurando o outro.

Cristiano adentra levemente o corpo de Lola e os dois gemem em uma única voz ao serem tomados pelo prazer. Os corpos pareciam ter sido feitos um para o outro e se encaixavam de forma perfeita.

As estocadas eram calmas e precisas, Cristiano não queria simplesmente transar naquela noite, ele queria fazer amor com Lola e a morena não se importava nenhum pouco com isso.

- Eu te amo.

As palavras saem sem que Cristiano consiga impedir e isso é o suficiente para fazer com que Lola trave em baixo do corpo dele.

O jogador nem havia percebido que confessará seus sentimentos por ela, talvez ele nem tenha percebido o que realmente sente por ela e mesmo assim seu coração se aqueceu, mesmo assim Lola viu uma luz no final do túnel.

- Olha pra mim. - Lola pede, agarrando sua nuca e o obrigando a encará-la. - Eu preciso saber, eu preciso que você seja sincero comigo e consigo mesmo… - Ela suspira antes de fechar os olhos com força para só então encará-lo. - O que você sente por mim?

- O que?

- O que você sente por mim, Cristiano?

E por longos segundos tudo o que ele consegue fazer é encará-la, seu coração começou a se aquecer ao ver a esperança brilhando nos olhos castanhos. Tudo o que ele queria naquele momento era que aquela esperança continuasse ali, era fazê-la feliz.

Ele só queria cuidar dela.

- Eu te amo, Lola.

O sorriso que ela abre é o suficiente para fazer com que seu coração bata mais forte. Ele não precisa ouvir dela as mesmas palavras para saber que ela sente o mesmo por ele.

- Eu te amo!

O medo de repente desaparece e parece apenas uma realidade muito distante.

Ele ri antes de beijá-la. O beijo era diferente de tudo o que eles já haviam dado, pela primeira vez desde que se conheceram, o beijo envolvia todo o sentimento que os dois sentiam, toda a paixão e eles sentiram que tudo estava bem no mundo naquele momento.

As estocadas começaram novamente, dessa vez um pouco mais rápidas e profundas, o prazer recomeçando a tomar conta de seu corpo.

Naquele momento a calma não parecia importar na idéia de fazer amor, porque agora eles sabiam que se amavam e que estavam sendo correspondidos, agora eles sabiam que sempre que fossem para a cama, eles fariam amor.

Quando Lola explode em um orgasmo debaixo de Cristiano, ele ouve várias vezes que ela o ama e por Deus… ele não se importaria nenhum pouco em ouvir aquelas três palavras o resto de sua vida.

Algumas estocadas depois é a vez dele de gozar, se agarrando a ela o máximo que pode e deixando que todo o seu amor seja visto por meio de gestos, ele a amava e era apenas isso que importava.

Algumas semanas depois, Cristiano foi embora de Madri e Lola ficou. A despedida no aeroporto foi chorosa e cheia de promessas para o futuro porque eles sabiam que aquilo não era um adeus e sim um até logo.

Mal sabiam eles que esse até logo estaria mais próximo do imaginavam, nove meses depois eles estavam juntos novamente e o motivo do reencontro estava nos braços de Cristiano.


Notas Finais


E aí, o que acharam?

Esse capítulo foi um pedido da @Lafferty espero que tenha gostado.

Lembrando que os pedidos ainda estão abertos e que tudo o que vocês precisam saber está no capítulo anterior.

Até a próxima ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...