História Imagines BTS - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Adultério, Álcool, Bangtan Boys, Bts, Festa, Hentai, Heterossexualidade, Imagine, Incesto, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Nudez, Rap Monster, Sadomasoquismo, Suga
Visualizações 83
Palavras 2.206
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora para postar, estava viajando e quando voltei tive um breve bloqueio de criatividade.

Capítulo 7 - A Babá pt.2


Fanfic / Fanfiction Imagines BTS - Capítulo 7 - A Babá pt.2

  - Quer assistir alguma coisa enquanto a pizza não chega? – Perguntei pegando o controle da TV que estava na mesinha de centro.

  - Pode ser. Que tal um filme de terror? – Ela disse se deitando no sofá.

  - Terror? – Ela concordou. Que droga, cara. Eu tenho medo de assistir filmes de terror desde que eu me entendo por gente. Os jovens da minha idade, quando estão sozinhos em casa, assistem filmes violentos, sangrentos, demoníacos e mais coisas ruins, coisas que eu não gosto nem um pouco de ver. – Não pode ser um de comedia? Ou ação? Pode ser também de aventura. Que tal de romance?

  - Não gosta de filmes de terror, fofo? – Ela perguntou dando um mínimo sorriso. Eu balancei a cabeça em negação. – Bom, escolha um tipo de filme que veremos. – Ela deu um sorriso dócil e se deitou.

  - Quer assistir um filme de animação, comédia, romance, ficção científica, ação, aventura?

  - Pode ser.

  - Escolhe um desses tipo então.

  - Vai em comédia.

  - Boa escolha. – Ela disse sorrindo.

    Eu coloquei no guia e fui passando pelos canais, para ver os filmes que estavam passando. Depois de um certo tempo de procura, a campainha tocou.

  - Jimin, meu fofo, eu não estou em perfeitas condições de ir atender. Minha roupa não esta adequada. Você pode ir abrir? – S/n perguntou com uma expressão de insistência.

  - Vai procurando algo para assistir. Nada de terror. – Digo me levantando.

    Ela concorda e eu dou o controle para ela. Me levantei e fui em direção a porta. Era nossa pizza.

  - Boa noite! – O entregador disse sorrindo. – Aqui esta sua pizza.

  - Obrigado. – Digo pegando. – Quanto deu? – O rapaz disse a quantia e eu logo paguei a ele.

    Quando fechei a porta, fui em direção a sala e coloquei a pizza e os refrigerantes na mesinha de centro.

  - Que delícia. Eu estou morrendo de fome. – S/n falou e eu sorri com isso.

  - Já escolheu o filme? – Perguntei me sentando ao lado dela.

  - Sim.

  - Qual?

  - ‘Os Vampiros Que Se Mordam’? – Ela colocou na guia do filme e eu li rapidamente. – É muito engraçado. É uma paródia dos filmes da saga Crepúsculo.

  - Pode ser. – Disse sorrindo.

    Ela logo colocou no filme e nós começamos a comer a pizza.

 

   ---Depois do filme---

 

    O filme já havia acabado e eu estou limpando a sala enquanto S/n lavava a louça que sujamos. Quando terminei de limpar tudo, fui na cozinha e S/n bebia um copo de água.

  - Hora de dormir, Jimin. – Ela disse logo que terminou de beber a água e enxaguou o copo.

  - Esta cedo, S/n Noona.

  - Já vai dar meia-noite, menino. – Ela disse apontando para o relógio que estava na parede. – Seus pais mandaram eu por você na cama as dez. Vamos! Dormir! – Ela disse andando na minha direção. – Eu também já vou dormir.

  - Aonde?

  - No sofá.

  - Por que no sofá? Por que não dorme na cama dos meus pais?

  - Porque eu quero dormir no sofá. Agora vai dormir menino.

  - Eu pensei que você seria legal. Mas é uma chata como as outras babás de 50 anos que eu tive. – Cruzei os braços e fiz cara feia.

  - Nossa, Jimin. – Ela fez uma cara triste e pois a mão em cima do coração. – Você me acha chata?

    Eu fiquei sem ter o que responder. Eu não queria magoar ela. De forma alguma eu quero ver a S/n triste.

  - Não... Saiu sem querer... Me desculpe, por favor. – Falo quase me ajoelhando na frente dela. – Desculpa, Noona... Foi sem querer.

  - Se acalma, Jimin. – Ela se aproxima de mim e segura meu rosto com suas mãos e da um beijo na minha testa. – Te desculpo sim, fofo. – Ela sorri e me abraça. Meus rosto ficou nos seus seios, mas eu não liguei pra isso, eu só a abracei mais forte. – Pronto, já dei seu beijinho e seu abraço de boa noite. Agora vai dormir. – Ela disse separando o abraço.

  - Tá bem. Boa noite, Noona. – Digo antes de subir as escadas.

    Cheguei no meu quarto e me deitei na cama. Eu só me embrulhei e dormi.

 

Jimin OFF

 

   Narrador ON

 

    Quando Jimin subiu para seu quarto, S/n esperou cerca de trinta minutos antes de trocar de roupa, vestindo um short jeans e uma blusa preta. Ela logo pegou seu celular e discou o número de um amigo.

Ligação ON:

S/n: Alô? Jhonny?

Jh: Alô, princesa. – O rapaz de voz rouca disse o outro lado da linha. – O que deseja?

S/n: Desejo que você e os outros venham para a casa dos Park. – A menina disse se sentando no sofá.

Jh: Na casa dos Park?

S/n: Sim, seu cabeça oca. Se esqueceu que eu disse que seria a babá do pequeno Park Jimin enquanto os pais dele viajavam?

Jh: Ah, tinha me esquecido disso. – Ri fraco do outro lado a linha. – E o cara que nunca comeu uma mulher? O virgem que vamos pegar também. Já tá com ele?

S/n: Não. Vocês tem que pegar ele quando estiverem vindo para cá. A Elisa sabe onde ele mora.

Jh: Ok então. Até daqui a pouco, gatinha.

S/n: Hei, não se esqueçam das bebidas e dos salgadinhos.

Jh: Não vamos esquecer.

S/n: Ok, até.

Ligação OFF

    S/n se levantou de onde estava sentada e foi ate a cozinha, onde fez um simples lanche. Depois de uns certos minutos, a campainha tocou. S/n lavou as mãos e as poucas coisas que havia sujado e foi atender a porta.

  - Olá, gatinha. – Disse Jhonny entrando na casa.

  - Oi, Jhonny. – Disse S/n e deu um beijo na bochecha do rapaz. – Cadê o resto do pessoal?

  - Eles foram pegar o idiota e comprar as bebidas. – Disse o rapa entrando na casa e fechando a porta, logo puxando S/n pela cintura. – Vamos curtir um pouco enquanto eles não chegam. – Beijou o pescoço dela e deu uma leve mordida.

  - Não, Jhonny. – Afastou o rapaz do seu corpo.

  - Por que não? – Perguntou fazendo um biquinho.

  - Qualquer barulho muito alto, podemos acordar o Jimin. E se ele acordar e ver vocês aqui, vai perguntar quem são vocês e o que estão fazendo aqui.

  - Esse garoto mijão acorda com qualquer barulhinho besta?

  - Não chame ele assim. Jimin é um bom rapaz. Mas não podemos fazer barulhos muito altos, ele pode acordar e isso vai dar merda. Por isso não podemos fazer nenhum barulho muito alto.

  - Tá bom. Mas na próxima você não escapa.

    S/n revirou os olhos e suspirou. Jhonny vivia dando em cima dela, querendo ter relações sexuais com ela. Eles já ficaram uma noite. Mas isso só aconteceu porque eles estavam muito bêbados.

    A campainha tocou de novo. S/n logo foi atender a mesma.

  - Oi, amiga. – Disse Elisa entrando em casa.

  - Oi, mana. – S/n deu um beijo na bochecha dela.

  - Oi, S/n. – Disse Nathaniel.

  - Oi, Nath. – S/n abraçou e deu um beijo na bochecha do rapaz.

  - Olá, S/n. – Disse Jasmine entrando.

  - Olá. – S/n sorriu.

  - O-oi, S-s/n... – Disse Emanuel, o jovem rapaz que ficou amigo recentemente deles.

  - Oi, Emanuel. – S/n abraçou e beijou a bochecha do rapaz. – Fico feliz que você tenha vindo. Fiquei com medo de você não querer vir.

    Emanuel sorriu fraco e logo ele entrou. Os jovens foram para a sala e afastaram os sofás e a mesinha de centro, deixando tudo no canto da sala. Todos se sentaram no centro da sala e arrumaram as bebidas perto de onde eles estavam.

  - Vamos começar a brincadeira? – Jhonny perguntou, parecendo bastante ansioso.

  - Vamos! – S/n disse sorrindo.

    Eles logo pegaram alguns copos que estavam junto com as bebidas. Cada um se serviu. S/n colocou a garrafa vazia no centro da roda que eles haviam feito e girou a mesma. Eles começaram a brincar de “Verdade ou Desafio”.

    No meio da brincadeira, Nathaniel teve que fazer um desafio que ele tinha que virar uma garrafa de Soju. Quando ele terminou seu desafio, a garrafa escorregou da sua mão e se espatifou no chão.

  - Caralho! – S/n disse se levantando rapidamente. – Vai lá nos fundos e pega a vassoura e a pá. Vai Jhonny! – Jhonny se levantou e correu para onde S/n falou para ele ir. – Elisa, você limpa aqui enquanto eu vou ver se Jimin acordou. – Elisa concordou e S/n correu para as escadas.

   ---Com Jimin---

    Jimin se sentou na cama. Ele se assustou com um certo barulho. Parecia algo quebrando. Ele ia se levantar, mas escutou passos. Ele se deitou rapidamente e novamente se embrulhou. Ele ouviu a porta do seu quarto abrindo, logo alguém se sentando na sua cama e tocando no seu rosto.

  - Desculpa pelo barulho, Jimin. – Era a voz de S/n. – Mas pelo menos você não acordou. – Ele sentiu um beijo na sua bochecha.

    Ele logo percebeu que S/n se levantou da cama e saiu do seu quarto. Jimin se sentou na cama e coçou os olhos. Ele se levantou da cama e calçou sua sandália, logo, em silencio, saiu de seu quarto e foi para a escada. Ele não desceu ao ver cinco jovens que não conhecia. E no meio deles, estava S/n. Ele pensou em descer e perguntar o que estava acontecendo. Mas, se ele fizesse isso, ele nunca saberia como é uma festa de pessoas adultas.

    Ele se escondeu no topo da escada em um lugar que dava para ele ver e ouvir o que estava acontecendo na sala.

  - O carinha acordou? – Perguntou Jasmine.

  - Não. – S/n respondeu. – Já terminaram de limpar?

  - Sim. – Elisa respondeu.

  - Vamos voltar a brincadeira. – S/n disse se sentando novamente.

    Logo todos se sentaram e voltaram ao jogo.

  ---Pouco depois---

    Jimin ainda olhava para os jovens. Ele viu todas as coisas que nunca imaginou que veria. Viu os jovens bebendo. Viu uma jovem morena, Elisa, beijando todos da roda, inclusive S/n. Ele viu várias coisas.

    Quase todos já haviam perguntado e respondido, menos S/n.

  - Verdade ou desafio, S/n? – Jasmine perguntou jovem.

  - Desafio. – S/n respondeu sorrindo.

  - Eu te desafio a beijar o Emanuel. – Jasmine sorri e S/n só se ajoelha e ficando na frente do Emanuel.

  - Vamos logo fazer isso. – S/n sussurrou.

  - Espera! – Emanuel disse se levantando rapidamente.

  - O que foi, fofo? – S/n perguntou se levantando.

  - E-Eu acho que já vou. – Disse nervoso.

  - Por que quer ir embora? A festa só esta começando. – S/n sorri e segura nas mãos de Emanuel.

  - Bom, eu não conheço vocês direito... – Emanuel disse quase gaguejando.

  - Não se preocupe. – S/n disse com uma voz doce e gentil. – Somos amigos e isso é só uma brincadeira.

    Emanuel sorriu e concordou com a cabeça de leve. S/n tirou os óculos do rapaz e guardou no bolso da calça dele. Ela logo colocou as mãos no rosto do rapaz e aproximou seus lábios dos dele, o beijando de forma suave.

  “Por que ela não ME beijou assim em vez de beijar minha testa?” – Jimin pensou vendo aquele beijo.

    Jimin ficou olhando para S/n. Estava triste em ver aquela cena.

    No meio do beijo, S/n pegou duas facas que seus amigos entregaram a ela por trás do Emanuel. Ela separou o beijo e levantou as mãos, enfiando as facas na cabeça de Emanuel. O rapaz não caiu no chão pois Nathaniel o segurou, impedindo a sua queda.

    Jimin arregalou os olhos ao ver aquela cena. Estava surpreso e assustado. Nunca podia imaginar que aquilo aconteceria.

    Elisa e Jasmine ficaram do lado de Emanuel. Cada uma delas segurava um pote. Quando S/n retirou as facas da cabeça do Emanuel, seu sangue começou a sair de sua cabeça, caindo dentro dos portes. Quando os dois estavam cheios, Nathaniel pegou Emanuel no colo e levou ele para o quintal da casa, jogando o corpo do rapaz dentro de um soco de lixo, com a ajuda de Jhonny.

    Logo, os dois voltaram para dentro de casa.

  - E o que falta agora? – Jasmine perguntou para S/n.

  - O sangue do Jimin. – S/n disse calma.

    Quando Jimin ouviu isso, ele quase gritou. Saiu rapidamente, em silencio, de onde estava e foi em direção ao seu quarto. Ele calçou seus tênis e saiu de seu quarto, correndo para o quarto de seus pais. Ele mexeu na gaveta do seu pai e tirou de lá uma pistola semi-automática. Ele voltou correndo para seu quarto e guardou a pistola na sua mochila.

    Jimin, com os lençóis da sua cama, fez uma corda. Ele amarrou a mesma no pé da sua cama e a jogou pela janela. Quando ele ia sair, escutou vozes vindas do corredor. Ele rapidamente escondeu a corda, tirou seu tênis e fechou a janela do seu quarto, logo se deitando novamente na cama e fingiu dormir.

    A porta do seu quarto foi aberta e S/n e seus amigos entraram.

  - Façam silencio, ele pode acordar. – S/n disse se sentando ao lado do Jimin. – Tira logo o sangue dele. Nós temos que fazer logo o ritual.

    Jimin sentiu algo pontudo no seu braço. Era uma agulha. Elisa tirou uma certa quantidade de sangue, que não foi muito, e logo todos saíram do quarto de Jimin e voltaram para a sala...


Notas Finais


gostaram desse capítulo? Eu continuo essa imagine?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...