1. Spirit Fanfics >
  2. Imagines Ghotam >
  3. INTERRUPÇÃO - JAMES GORDON

História Imagines Ghotam - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura🌃

Capítulo 2 - INTERRUPÇÃO - JAMES GORDON


"Mas é noite de encontro!" Veio seu gemido alto.
"Está no caminho, não pode demorar mais de dez minutos", respondeu Jim, irritado, odiando quando você choramingava. "Por favor? Você geralmente é uma garota tão boa. ”
Definitivamente, isso não era mentira. Normalmente, você permanecia no seu melhor comportamento, o trabalho de Jim era estressante o suficiente e ele não precisava se preocupar com você. Era divertido ser uma boa garota às vezes. Claro, ser uma garota má era igualmente divertido. Especialmente quando você pressionou Jim o suficiente para fazê-lo te punir.
“Olha, S/n, eu te amo e nossa noite é importante. Eu preciso encontrar para descobrir onde a gangue guarda suas armas", implorou, estacionando o carro na frente de um clube.
"Por favor, papai?" Você fez beicinho, braços cruzados na frente do seu peito. “Eu nunca passo um tempo com você desde que chegamos a Gotham. A cidade precisa de você, com certeza, mas eu também.
"Eu não quero decepcioná-lo. Essa é a última coisa que eu quero. É muito difícil para as crianças na rua. Quero torná-lo mais seguro para eles e para os nossos, se tivermos filhos. Prometo, vou compensar você - ele disse, tentando fazer você ver o que viu.
"Estou bem! Mas só porque as crianças merecem boas vidas. Eu te odeio, Gordon.
Ele levantou uma sobrancelha: "O que você disse?" Jim havia estabelecido algumas regras quando vocês dois se reuniram. Uma delas era nunca se referir a ele usando o nome dele, se você estivesse sozinho.
"Você me ouviu. Eu disse isso claramente, mas se eu precisar dizê-lo novamente. Eu odeio. Vocês. Gordon - você repetiu com um sorriso doce e doentio.
Sua mandíbula se contraiu, mas mesmo assim ele deu um beijo na sua bochecha. Jim nunca saiu sem fazer você lembrar que ele a amava. "Seja uma boa garota e espere no carro." Ele bateu a porta do carro quando saiu, assegurando que havia um castigo por vir.
"Seja uma boa garota e espere no carro", você imitou com uma imitação fraca da voz dele.

P.O.V - JIM GORDON

"Detetive Gordon, o que posso fazer por você hoje, meu amigo?"
“Preciso de informações sobre as próximas guerras de gangues acontecendo. Onde as armas são mais específicas - exigi, encarando o homenzinho.
"Eu não posso lhe dar essa informação", disse ele em sua irritante voz, "a menos que, é claro, eu possa receber um favor em troca. Então, talvez eu possa ver o que posso fazer por você.
“O que você quer Oswald? Não tenho a noite toda - bufei, cruzando os braços.
“Eu só preciso que você pareça um empreendimento meu. Ainda não há com o que se preocupar, você saberá quando isso acontecer. ”
Pensei em minhas opções com cuidado, o Cobblepot, por mais manso que ele parecesse, era incrivelmente astuto. Ainda assim, a iminente guerra de gangues era uma ameaça maior no momento. "Tudo bem, faça do seu jeito."
Oswald me forneceu caches conhecidos e boatos. "É sempre um prazer fazer negócios com você, detetive Gordon."
"Gostaria de poder dizer o mesmo." Eu me virei, já me sentindo um policial mais sujo. Se alguém me dissesse que eu faria isso há um ano, não haveria maneira de eu acreditar neles.


P.O.V - S/N

"Dddaadddyyy, estou entediad", lamentei assim que ele entrou no carro.
"Agora não, S/n."
Uma olhada em seu rosto foi suficiente para calar sua boca. "Sim senhor."
O resto do seu encontro foi gasto com respostas curtas e um ombro frio. Você imaginou que tinha a ver com quem quer que ele conhecesse no clube, ainda doía algo horrível.
"O filme foi legal", você tentou uma conversa, "eu não esperava a reviravolta no final".
"Sim, claro, qualquer que seja o S/n."
Você suspirou e revirou os olhos, encostando a cabeça na janela do carro. É melhor não tentar mais. Jim superaria isso em algumas horas se você tivesse sorte.
Ao retornar ao seu apartamento compartilhado, você serviu um uísque para ele e correu para tomar um banho. Espero que uma boa bebida possa conquistá-lo ou, pelo menos, deixá-lo de bom humor.
Quando você o encontrou novamente, ele estava sentado na frente das pernas da TV bem abertas. "Desculpe por me comportar mal, papai ..." Você sussurrou, sentando no colo dele e aninhando perto, "Como está se sentindo?"
"Não se desculpe, pirralha", ele brincou, pressionando um beijo em seu pescoço, "Você não foi quem arruinou a noite. Desculpe por isso, amor. Quando decidi me juntar ao DPGC, havia essa imagem na minha cabeça, mas agora ... eu simplesmente não esperava que a vida fosse assim. Esta parte da minha vida é perfeita, não duvide disso. O trabalho se transformou em algo mais sombrio.
"Gostaria de falar sobre isso?"
Ele balançou a cabeça, passando os braços em volta da sua cintura. É melhor para mim manter essas vidas separadas. "
Você acenou com a cabeça, entendendo. "Lembre-se, eu estou sempre aqui para você. Mesmo que você seja mal-humorado de vez em quando. Você riu e deu-lhe um beijo rápido.
Ele riu e bebeu o resto do uísque. “Mas você parece amar. Agora, acredito que você me deve um castigo."
Seus olhos se arregalaram, em falso choque. "Eu sou um anjo!" Ainda assim, você escorregou do colo dele e fugiu: "Pegue-me se puder!"


Notas Finais


Opiniões e pedidos!🖖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...