1. Spirit Fanfics >
  2. Imagines Haikyuu >
  3. HOT Hinata Shoyo

História Imagines Haikyuu - Capítulo 76


Escrita por:


Notas do Autor


Pedido por: lila-angel
Hinatinha de inocente só tem a cara né kkk, boa leitura para todos >-<.

Capítulo 76 - HOT Hinata Shoyo


Eu e Hinata estamos passando por uma fase difícil no nosso namoro. Andamos muito separados, por causa de seus treinos, e por causa do meu trabalho, e mesmo quando a gente estava em casa juntos sempre estávamos cansados e nem conversávamos direito. 

Tínhamos recebido um convite de alguns amigos dele para irmos para uma festa. E como era em uma sexta, depois do horário de trabalho, e depois do horário do seu treino aceitamos. O que foi uma péssima escolha. Se eu tivesse ficado em casa, me pouparia tanta coisa, mas eu não tinha como prever o futuro.

Estávamos na festa, eu estava sentada ao lado de Hinata conversando com eles e com seus amigos, enquanto bebíamos. Estava tudo correndo bem, até que vimos a ex-namorada dele, eu não me importei muito, mesmo eu não me dando bem com ela, mas nunca tinha tido ciúmes dela, até aquele momento.

Eu olhei para o meu namorado, que não parecia surpreso por ela está ali, eu apenas ignorei e fiquei ouvindo eles conversando, até ouvir um, “eu achei que ela não viria mais” do meu namorado. Eu só respirei fundo e concordei com a cabeça, ele sabia que ela viria e em nenhum momento ele comentou isso comigo, quando ele estava me dizendo quem estaria na festa.

Ela se aproximou e começou a dar em cima do meu namorado, ele não fez nada, e ver que ele nem ao menos tentava se afastar dela estava me dando nos nervos. 

O auge da minha noite, foi os amigos dele perguntarem o porquê dele não dizer nada, e ele apenas dizer “Eu tenho uma consideração por ela, então acho que seria rude dispensa-la assim. Afinal ainda temos uma ótima convivência.” Naquele momento eu não consegui disfarçar minha feição de raiva, eu só queria sair para me divertir, mas não estava dando certo.

Passado algumas horas saímos da festa, passamos aquele caminho inteiro em silencio, o carro nunca esteve tão silencioso. Quando chegamos em casa eu entrei deixando os sapatos, subindo as escadas em direção ao meu quarto, mas eu sou impedida por Hinata. 

Shoyo segura o meu pulso, me puxando mais para perto dele, quase grudando os nossos corpos.

"O que foi?" Não vai falar, você podia me falar o que tem de errado." Ele disse olhando nos meus olhos.
"Ah fala sério." Eu suspirei olhando para ele. "Me larga, “Eu tenho uma consideração por ela, então acho que seria rude dispensa-la assim. Afinal ainda temos uma ótima convivência.” Isso soa bem para você?" Eu disse tirando as mãos dele do meu pulso, voltando a subir as escadas.
"SN!" Ele exclamou vindo atrás de mim.

Eu subi para o meu quarto, e sentei na cama trocando de roupa. Eu suspirei fundo, passando a mão no cabelo jogando ele para trás, eu logo olho para Shoyo, que estava parado na porta me olhando.

"O que foi?" Eu perguntei levantando da cama, pegando uma toalha, eu cobri o meu corpo e fui direto para o banheiro, e ele não desistiu e veio atrás de mim. "Vai me falar o que agora? Você ainda tem essa consideração pela sua ex, mesmo depois dela ter te traído?" Eu disse com os olhos marejados de lágrimas. "Você tá me traindo?"
"SN, você sabe que mesmo ela me traindo ela é muito importante para mim. Ela me ajudou com tanta coisa. E eu só queria que você entendesse isso." Ele disse parando na minha frente. "Eu nunca te trairia." Ele disse segurando a minha mão.
"Então por que? Por que você não me disse que ela iria?" 
"Se eu contasse você não iria, e eu não queria que você ficasse em casa, era para nos divertimos juntos." Ele disse segurando a minha outra mão, levantando as duas a altura dos nossos queixos. "Você sabe que eu só tenho olhos para você não sabe." Ele disse dando beijinhos nas minhas mãos, e eu apenas concordei com a cabeça olhando para ele. 

Ele soltou as minhas mãos, deixando elas em volta do meu rosto, passando os seus polegares abaixo dos meus olhos, impedindo que as lágrimas caíssem. Ele sorriu espalhando beijinhos pelo meu rosto, até que nossos lábios se encontram em um beijo calmo e delicado.

"Eu te amo SN, você é tudo para mim." Ele disse sorrindo separando do nosso beijo, e eu apenas sorri olhando para ele. "Eu deveria ter te contado." Ele disse sorrindo me olhando voltando a me beijar. 

Separamos do beijo e eu entrei no box do chuveiro, ligando ele, eu molhei meu cabelo enquanto eu sentia a água caindo pelo meu rosto, me relaxando. No momento em que eu olho para trás eu vejo ele tirando a sua roupa entrando comigo debaixo d'água. Ele sorriu me abraçando por trás, jogando o meu cabelo para frente. 

Eu sorri olhando para a água caindo. "Você não tem jeito não é." Eu sussurrei enquanto ele começou a espalhar beijos pelas minhas costas, soltou a minha cintura, passando as unhas nas minhas costas, me arrepiando. Ele deu mais alguns beijos e chupões pelas minhas costas, subindo pela minha nuca, onde ele apenas respirou contra ela dando um selinho, eu senti o arrepio pelo meu corpo inteiro. 

Ele desce os beijos pelo meu pescoço, descendo pela clavícula, seus dedos traçavam o caminho dos chupões e dos beijos, no mesmo tempo em que ele continuava me beijando cada vez mais. Com as suas mãos novamente na minha cintura ele me vira grudando os nossos corpos. Nossos lábios se encontram em mais um beijo, dessa vez um mais intenso, mas ainda era calmo. 

Suas mãos percorriam explorando todo o meu corpo, quando nossos lábios se desencontraram. Ele passa os seus beijos pela linha do meu maxilar, descendo pelo meu pescoço, clavícula e busto. Deixando alguns beijinhos na parte exposta dos meus peitos, o que não era muito, afinal os nossos corpos estavam colados. Ele se separou um pouco mais de mim, beijando os meus peitos.

Ele sorriu olhando para mim, enquanto ele mordiscava os meus peitos. Depois de mordiscar ele apenas passa os seus dentes deslizando pelos meus peitos, deixando alguns chupões. "Vamos fazer as pazes." Ele disse com um sorriso sedento no rosto. 
"Eu sei muito bem como fazemos as pazes." Eu disse com um sorriso sádico no rosto, enquanto eu olhava para os seus olhos de forma intensa. 
"Desse jeito mesmo." Ele disse sorrindo, ainda com as mãos na minha cintura, ele afasta um pouco o seu corpo do meu, me grudando contra o vidro do box. 

Ele desliza os meus dedos para o meio das minhas coxas, me fazendo arrepiar novamente, eu solto um gemido baixo no momento em que ele pressiona o meu clitóris. Eu bato a minha cabeça no vidro enquanto eu gemo olhando para ele. Seus dois dedos medianos penetram dentro de mim, me fazendo soltar um gemido alto olhando para ele. Seu olhar era intenso, com um brilho de tesão nele, seu sorriso sedento para combinar com o meu.

"Eu senti... Eu senti falta disso." Eu choraminguei um gemido ofegante o olhando.

O seu polegar pressiona o meu clitóris, me fazendo contrair contra os seus dedos, eu tento sair do lugar, sua mão empurra o meu ombro contra o vidro. 

"Não saia do seu lugar." Ele disse fazendo movimentos circulares em volta do meu clitóris, eu sorri concordando com a cabeça. 

Ele passou as mãos pelas minhas coxas, se ajoelhando no meio das minhas pernas abrindo elas lambendo o meio das minhas coxas. Ele tira seu polegar do meu clitóris, agora o pressionando com a sua língua macia e úmida. Meus dedos entrelaçam em seu cabelo, arranhando o seu coro cabeludo, eu puxo o seu cabelo, puxando o seu rosto mais contra a minha intimidade. 

"Eu senti falta do seu gosto, ele é tão doce." Ele disse descendo sua língua pela minha intimidade, tirando os seus dedos lentamente de mim, colocando a sua língua fundo em mim, a curvando batendo no meu ponto sensível. 
"Porra você não esquece esses pontos não é." Eu choraminguei olhando para ele. 
"Nunca esqueceria, eu acho que você sentiu falta do seu próprio gosto tanto quanto eu." Ele disse colocando os seus dedos na minha boca, e eu chupei os seus dedos o olhando. "E doce não é?" 

Ainda com os dedos na minha boca, eu concordei olhando para ele. Seus dedos percorreram as minhas coxas apertando elas enquanto ele olhava nos meus olhos. Ele voltou a chupar o meu clitóris, de uma forma intensa, puxando um pouco ele com a boca. 

Minhas pernas quase vacilaram, elas tremeram por um instante, ele deixou escapar uma risadinha breve segurando o meu quadril me impedindo de cair. Ele coloca a minha coxa em seu ombro, puxando um pouco mais o meu quadril, seus dedos voltam a me penetrar, a velocidade em que seus dedos entravam dentro de mim era incrível. Meus gemidos estavam sendo abafados pela costas da minha mão, mordiscando ela.

Meus olhos reviram no momento em que ele começa a fazer movimento de tesoura dentro de mim, porra eu estava quase gozando. Eu bati minha cabeça no vidro novamente, quando uma de suas mãos apoiou no meu rosto. 

"Não tire os olhos de mim." Ele disse me olhando. "Que assim eu te deixo gozar." Ele disse sorrindo, voltando a se concentrar apenas no meio das minhas pernas.

E eu concordei com a cabeça aproveitando a sensação, de sentir o meu êxtase cada vez mais perto, o bem estar, seus dedos se curvam dentro de mim, me fazendo soltar um gemido alto, e puxar mais o seu cabelo, minhas pernas bambeiam enquanto eu olho para ele sorrindo.

Eu senti o bem estar se espalhando pelo meu corpo, meus olhos reviram novamente, enquanto eu apenas soltei o seu cabelo aos poucos. Eu estava extasiada, eu não pensava em mais nada. Ele saiu do meio das minhas pernas me beijando.

Ele passou a mão pelo meu corpo, colocando os seus quatro dedos no meu queixo, com o seu polegar no meu lábio inferior. "Você consegue gozar mais uma vez não consegue." Ele disse rouco me olhando, respirando contra o meu pescoço em seguida.
"Consigo." Eu disse ofegante olhando para ele, o ruivo passou a mão pelo meu corpo me olhando. 
"Então se apoia no vidro para mim." Ele disse sorrindo mordendo o canto dos seus lábios olhando para mim, e eu logo fiz o que ele pediu, eu fiquei de quatro me apoiando contra o vidro.

Ele sorriu passando a mão pela minha cintura, descendo pelo meu quadril, apertando ele, logo soltando e dando um tapa médio na minha bunda, me fazendo ofegar e cerrar as minhas mãos contra o vidro, respirando fundo. Em pouco tempo depois ele deu um tapa um pouco mais intenso. 

"Droga." Eu choraminguei virando o olhar para ele.
"Vai ficar marcas." Ele disse com um sorriso sedento. "Mas você não se importa não é." 
"Nenhum pouco." Eu disse ofegante olhando para ele. "Se eu me importasse não namoraria um jogador de vôlei."

Ele penetra o seu pau fundo em mim, eu mal consigo falar nada, eu apenas mordo os meus lábios, deixando escapar alguns gemidos. "Boa resposta." 

Ele começou a dar estocas um pouco mais rápidas, suas mãos seguraram o meu quadril, me puxando contra o dele. Tínhamos um encaixe perfeito, eu sentia ele batendo fundo em mim, enquanto eu contraia contra o seu pau. Uma de suas mãos puxaram o meu cabelo em um rabo de cavalo bagunçado, enquanto ele apertava o meu quadril, metendo fundo em mim.

Os meus gemidos baixos, começaram a escapar dos meus lábios cada vez com mais facilidade, eles ecoavam pelo banheiro, minha mente estava em branco e a cada vez que ele ia mais fundo. Minhas pernas tremeram por um momento e ele logo segurou as minhas coxas, me impedindo de cair novamente. 

Ele tirou o seu pau lentamente de mim, sem penetrar novamente. "Vira para mim." Ele disse me puxando mais para perto do seu corpo, me pegando no colo logo em seguida. "Suas pernas não vão aguentar assim." Ele disse penetrando em mim novamente, os nossos corpos estavam grudados, eu sorri para ele o beijo, um beijo intenso e rápido, estávamos ofegantes. 

Eu estava contraindo cada vez mais contra o seu pau, e ele estava cada vez pulsando mais intenso dentro de mim, eu passo as mãos descendo pelas suas costas, passando as unhas arranhando suas costas.

Eu senti ele arrepiando contra mim novamente, eu comecei a beijar o seu pescoço, deixando algumas mordidas, e marcas. Com suas mãos na minha cintura ele ditava um ritmo um pouco mais lento, ele andou um pouco mais para frente, fazendo com que eu grudasse as minhas costas no vidro, me apoiando enquanto aumentava a velocidade das estocadas.

Eu começo a mordiscar o seu pescoço ombro e clavícula, enquanto ele ofega contra a minha orelha, eu gemo contra os seu pescoço no momento em que ele começa a ir mais fundo dentro de mim. 

"Ah, porra Shoyo." Eu choraminguei gemendo contra o seu ouvido.
"Geme mais meu nome amorzinho." 
"Shoyo, vai mais rápido por favor." Eu disse olhando em seus olhos, abraçando ele mais forte, eu cruzei minhas pernas na sua cintura mais forte ainda, e senti o êxtase pelo meu corpo, a minha primeira reação foi beijar ele, enquanto eu sentia a minha sensação de orgasmo. 

E não faltou muito para que ele gozasse dentro de mim, eu senti ele me preenchendo, e logo sua porra escorre pelas minhas pernas, enquanto ele me tirava lentamente de cima dele, eu ainda ofegante e com as pernas bambeando me apoio no vidro do box, olhando para ele, que veio em minha direção me dando um beijo calmo e delicado, enquanto ele dedilhava o meu corpo por completo. 

"Eu te amo tanto SN, não deixa ninguém atrapalhar isso." Ele disse dando selinhos pelo meu rosto. 
"Eu também te amo." Eu disse sorrindo, e ele logo me puxou para debaixo do chuveiro, jogando o meu cabelo para trás selando os meus lábios.

 


Notas Finais


É muito estranho eu me sentir afetada por um hot que eu mesma escrevi? Eu acho que não kkkk. Eu esprero que tenhm gostado, obrigada por lerem >-< <3.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...