História Imagines K-pop - Capítulo 5


Escrita por:

Visualizações 116
Palavras 2.165
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello, tudo bem com vocês?
Espero que sim.
Esse cap ficou bem longuinho, espero que gostem.
Boa leitura e desculpem os erros ortográficos.

Capítulo 5 - Park Chanyeol - Exo


Fanfic / Fanfiction Imagines K-pop - Capítulo 5 - Park Chanyeol - Exo

Acordo com o som do alarme estridente em meus explodindo meus tímpanos, resolvo apertar a botão soneca e volto a dormir. Acordei de repente e olhei no relógio ao lado da cama e percebi que estava fodidamente atrasada para a aula. Levanto da cama correndo indo em direção ao banheiro.

Tiro a roupa e tomo um banho ninja, de tão rápido que foi, me vesti o mais rápido possível, ou melhor tentei me vestir. Pois quando estava trancando a porta do meu miniapartamento, estava abotoando minha roupa do uniforme com uma mão, com a outra estava segurando minha mochila e na minha boca tinha uma maça que eu peguei enquanto passava pela cozinha correndo.

Assim eu estou na rua eu percebo uma coisa, eu não penteei meus cabelos. Tento arrumar meus fios rebeldes em um coque e deve ter ficado uma merda, mas não me importo, tenho que chegar na escola quem nem o flash antes da segunda aula, senão eu não vou conseguir entrar naquele inferno.

Vejo o ônibus no ponto e eu sai correndo que nem o flash. Eu consigo entrar nele graça ao motorista bonzinho. Agradeci o mesmo e passei meu cartão no leitor, fico esperando o meu ponto e observo o ponteiro do meu relógio basicamente “correr”, faltando apenas 5 minutos para o sinal para a segunda aula começar eu desço do ônibus e saio correndo desesperadamente para ver se eu chego antes dos portões fecharem.

Entrei na escola bem a tempo e a diretora me observa com um olhar divertido enquanto estou abaixada tentando recuperar o ar.

- Mais um minuto e não conseguiria senhorita S/N- disse “tirando” uma com a minha cara.

- V-verdade- digo ainda tentando recuperar ar.

Assim que percebo a burrada que estou fazendo, saio andando para minha sala torcendo para que meu professor deixe eu entrar. Por sorte, quando chego na mesma ele ainda não chegou e meu lugar atrás de meu amigo, Park Chanyeol, está vago. O que é um milagre pois as garotas viviam em cima dele como se fossem abutres famintos. Vou me arrastando até a mesma e despenco na cadeira chamando atenção do Chany, que se virou para falar comigo.

- Onde você estava s/n? Parece que um caminhão te atropelou- Ele nem deixou eu começar a protestar e me interrompeu- Perdeu o primeiro horário, era de ciências e a professora passou um trabalho e por sorte minha você não ficou sem parceiro.

Tagarelou e eu suspirei aliviada, ele havia me salvado, já que eu nunca conseguia chegar a tempo para aula de ciências e era bem possível que eu seja reprovada na matéria.

- Eu te amo Chany Oppa você salvou minha pele- digo apertando suas bochechas que agora estavam avermelhadas.

Ouvi cochichos na sala toda sobre essa repentina forma de “carinho”, porque aqui na coreia um abraço é muita coisa, imagina uma garota apertando as bochechas de um garoto, nem liguei e continuei apertando as mesmas.

- Está me machucando s/n- disse ele e eu o soltei.

Reparei que Chany estava usando óculos que o deixavam ainda mais lindo do que era, talvez eu tivesse uma quedinha por ele, ou talvez um precipício, igual a todas as “abutres” que o rodeavam.

Mas como não amar aquele garoto?

Ele sempre estava me fazendo rir, eu sempre sou eu mesma com ele, ele não liga pelo fato de eu ser a estrangeira maluca, ele aguenta minha chatice, aguenta as minhas crises de existência e minha TPM, ele deveria ganhar um prêmio por isso, a questão é que ele é maravilhosamente ele.

- Está lindo de óculos Oppa- digo e Chanyeol se virou para esconder que estava com vergonha.

Eu o elogiava constantemente e ele nunca se acostumou, eu digo para ele que é meu jeitinho brasileiro que fala mais alto e o mesmo sempre acredita. Mal sabia ele que eu sou só cara-de-pau mesmo.

- O-obrigado, vamos fazer na minha casa ou na sua? - Disse e eu não entendi ao que ele se referia- o trabalho S/n.

Acho que ele percebeu minha cara de confusa.

- Ahh sim, vamos para minha casa, ninguém vai nos interromper- digo e ele assente.

Professor logo entra e Chany se virou para prestar atenção na aula, resolvo prestar atenção também, já que minhas notas não estão tão maravilhosas assim.

E o dia se prosseguiu dessa mesma maneira.

{................................}

Na saída da escola

- Finalmente livre – Digo dramatizando, junto ao Baek e o Kai, de braços abertos quando finalmente saímos da escola.

Vi Chanyeol e o Kyungsoo revirar os olhos para nós três e darem uma risadinha logo depois.

- Vamos fazer o que agora? – Perguntou Chen.

Quando pensei em dizer algo divertido Chanyeol me traz de volta a realidade.

-  Eu e S/n vamos fazer um trabalho.

- Verdade- digo fazendo uma expressão triste.

 - Vocês vão fazer um trabalho juntos? Sozinhos?-  perguntou Kai com um olhar é um totalmente sorriso malicioso.

- Kai n-não pense besteira- disse Chany corado.

- Mas eu não disse nada, você que está se entregando aí- disse com as mãos para cima em forma de rendição.

- Para de atormentar o Chanyeol, D.O dá um jeito nele aí vai- peguei na mão de Chany e disse para os meninos- Bye gente até amanhã.

E sai com o Chanyeol de mãos dadas sem nem perceber, só percebi quando o mesmo mexeu seus dedos tentando achar uma posição para que sua mão, extremamente grande comparada a minha, ficasse confortável. Soltei nossas mãos e caminhamos lado a lado até meu apartamento.

Entramos no meu apartamento e vi Chanyeol observar tudo ao redor, pois era a sua primeira vez no meu cubículo de apartamento. Não gostava de trazer as pessoas aqui, eu morava sozinha, meus pais morreram em um acidente e meus tios me emanciparam para que eu pudesse me virar sozinha. E também não gostava de trazer as pessoas aqui porque eu sempre arrumava a casa depois que chegava da escola, ou seja, minha casa está de pernas para o ar agora.

- Não ligue para a bagunça Oppa, fique à vontade só vou me trocar para a gente começar o trabalho – disse e ele assentiu se sentando no sofá.

Fui no meu quarto e troquei de roupa, pus uma regata com um decote discreto que marcava bem o meu corpo, uma saia acima do joelho e amarrei meus fios em um coque folgado. Estou curiosa com algo, acho que Chany gosta de mim como eu gosto dele, então vamos ver se eu descubro se é só mais uma paranoia minha ou não.

Chego na sala e sinto seu olhar sobre o meu corpo, vejo o mais alto morder o lábio inferior. Pelo menos ele me acha atraente.

- Oppa, está tudo bem? - Pergunto inocentemente.

- Claro, porque não estaria- disse rápido demais, estava me segurando para não rir de seu nervosismo.

- Ok, então vamos começar o trabalho, qual o tema? – Digo me sentando ao lado do mesmo e o ouvindo soltar um suspiro.

- Anatomia humana- Disse.

Adorei o tema, posso tirar proveito disso.

Começamos a pesquisar no navegador sobre o tema e resolvermos dividir as partes que ficaríamos. O trabalho estava acabando, faltava apenas a parte dos órgãos sexuais.

Sorri travessa subindo no colo de Chanyeol e rebolei sobre seu colo lentamente.

- S/-N o que vo-ce-ce está fazendo? - Disse gaguejando me fazendo dar um sorrisinho travesso carregado de malicia.

- Oppa, eu quero ver para poder descrever certinho no trabalho – Sussurro em seu ouvido tentando fazer o olhar mais inocente que posso- Você deixa?

Mordo seu lóbulo lentamente e Chany suspira pesadamente.

- S/n não me provoca- grunhiu ele e eu rebolei novamente em seu colo- Não me diga que eu não avisei.

Chany agarrou minha cintura e apertou minhas coxas, me surpreendi com tal ato, cade aquele menino tímido?

 Envolvi meus brações em seu pescoço, puxei seu rosto em direção ao meu e o beijei.  O beijo estava carregado de desejo, desejo que foi sucumbido durante muito tempo, e carregado de muita paixão.

Chanyeol me joga no sofá e sobe em cima de mim, desce seus beijos pelo meu pescoço, mordendo e chupando furiosamente, tenho certeza que vão ficar marcas. Agarro seus cabelos e observo seu olhar faminto sobre mim.

Ele aperta meus seios por cima da blusa e eu arfo, ele está observando cada uma das minhas reações. Tira minha blusa e joga em algum lugar da sala e observa meus seios sobre o sutiã, na minha opinião não tinha seios grandes comparado ao padrão das brasileiras, logo o mesmo solta o fecho do meu sutiã e circula sua língua pelos meus bicos que estavam rijos. Gemo e sinto Chany sorrir entre as lambidas. Chanyeol desceu umas das mãos até a minha calcinha, a afastou e passou seus dedos pelo meu clitóris lentamente.

- Geme para mim baby- eu sorri e neguei- tem certeza que vai me desobedecer?

Chanyeol estava com um olhar de pura luxuria, sua voz estava rouca me fazendo ficar ainda mais excitada. Ele introduziu dois dedos enquanto chupava meus seios fortemente, gemi e arqueei minhas costas. Ele sorriu em resposta e distribuiu seus beijos mais para baixo, beijou minha barriga e arrancou minha saia e calcinha. Chanyeol abocanhou minha intimidade e eu gemi alto em resposta.

- Porra Chanyeol- gemi quando ele introduziu mais um dedo.

Passou toda sua língua na minha vagina e sugou meu clitóris, rebolei contra seu rosto e lhe puxei os cabelos conforme as investidas dele iam aumentando. Logo gozei e ele sugou meu liquido. O puxei para um beijo, acabei por sentir meu gosto em sua boca e isso me deixou ainda mais excitada.

Arranquei a blusa de Chany e joguei longe, arranhei toda sua barriga sentido o mesmo se arrepiar, tirei sua calça e inverti as posições ficando agora por cima. Rebolei por cima do seu membro coberto pela cueca e ele gemeu arrastado entre o beijo.

Tirei sua cueca e passei a mão por toda sua extensão, ele estava tão duro como mármore, senti seu membro pulsar e ele estremecer sobre meu toque. Comecei fazendo uma masturbação lenta e torturante, ele gemia baixinho. Passei minha língua por toda a sua extensão, desde a base até sua glande, circulei minha língua sobre a sua glande rosinha e o abocanhei. Comecei a chupa-lo rapidamente e ele gemeu alto, ele agarrou meus cabelos e ditou o ritmo, no vai e vem constate senti que ele estava perto de gozar então parei de chupa-lo, ouvi um gemido de reprovação. Peguei uma camisinha na estante da sala e coloquei em seu membro ereto.

- Você está me deixando louco s/n- disse enquanto eu sentava em seu membro e rebolava sobre o mesmo.

Gememos em uníssono.

- Pelo menos é louco de tesão Chany Oppa- disse em seu ouvido, aproveitando para morder seu lóbulo.

Comecei a cavalgar sobre seu membro e ele agarrou minha cintura para poder me guiar, eu rebolava fortemente e nós gemíamos feitos loucos.

Chany trocou nossas posições ficando agora por cima e me estocando violentamente, minhas pernas circularam sua cintura lhe dando total acesso, seus dedos agarraram minha cintura e ele a apertou marcando seus dedos. Arranhei toda a extensão de suas costas e deixei mordidas em seus ombros conforme as estocadas iam fundo. Com certeza iriamos ficar marcados.

Senti meu orgasmo chegar pela segunda vez no dia e ele logo se desfez.

Seu corpo despencou em cima do meu e respirávamos com muita dificuldade. Ele logo saiu de dentro de mim se levantou e jogou a camisinha no lixo. Eu estava estirada no sofá tentando recuperar o ar perdido. Chanyeol se deitou ao meu lado me espremendo sobre o sofá, que era de um tamanho mediano, e me beijou mais uma vez. Olhamos um para o outro com sorrisos enormes no rosto.

- E agora Oppa, como ficamos? - Disse o olhando nos olhos.

- Namorados certo? - Perguntou incerto.

- Sem nenhum pedido? – Digo brincando com o mesmo.

- Se é isso que você quer, S/N/C aceita se tornar minha namorada? - Diz dramatizando.

- É claro dumbo- lhe dou um beijo na ponta de seu nariz.

- Vem vamos tomar banho- Diz se levantando.

Eu até tento, mas minhas pernas ainda estão bambas por causa do sexo. Vejo Chanyeol segurar uma risada nada discreta. Depois de ver minha cara de irritação ele solta uma gargalhada alta.

- Vamos eu te levo amor- disse me pegando no colo.

- Chany tem que pegar mais leve, quase me arrombou- Digo brincando e ele dá mais uma gargalhada.

- Disse para não me provocar S/n- disse me levando para o banheiro.

- Vou continuar provocando se for assim- digo pensando alto.

Chany dá risada e tomamos um banho juntos.

Conseguimos terminar o trabalho e ele resolveu passar a noite comigo.

- Te amo – disse enquanto fazia carinho em seus cabelos.

- Eu também te amo Park Chanyeol.

E assim dormimos agarrados um no outro.


Notas Finais


Capitulo dedicado a Min-Sun-Hee, Obrigada por fazer o pedido amore.
Obrigado por lerem ate aqui, espero que gostem, e caso tenha gostado comentem para eu ficar sabendo.
E se quiser fazer um pedido é só deixar nos comentários o Idol e o gênero desejado.
Beijos e até o próximo imagine amores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...