História Imagines Marvel - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Bucky, Carol Danvers (Miss Marvel / Capitã Marvel), Clint Barton (Gavião Arqueiro), Dr. Bruce Banner (Hulk), Dra. Helen Cho, Edwin Jarvis, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Heimdall, James Rupert "Rhodey" Rhodes, Jane Foster, Janet Van Dyne (Vespa), Jessica Jones (Safira), Laura Barton, Loki, Luke Cage, Marc Spector (Cavaleiro da Lua), Maria Hill, Miss Marvel, Mulher-Aranha, Mulher-Hulk (Jennifer Walters), Mulher-Hulk Vermelha (Betty Ross-Banner), Natasha Romanoff, Nick Fury, Pantera Negra (T'Challa), Peggy Carter, Pepper Potts, Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha), Phillip Coulson, Pietro Maximoff (Mercúrio), Safira (Jessica Jones)
Tags Bucky Barnes, Capitão América, Chris Evans, Imagines, Interativa, Marvel, Robert Downey Jr, Tony Stark, Vingadores, Viuva Negra
Visualizações 37
Palavras 3.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura ❤️
Espero que gostem dessa parte final, desculpem qualquer erro e sintam-se a vontade para deixar suas opiniões, críticas, sugestões e pedidos!
❤️

Capítulo 9 - Bucky Barnes parte 2


Fanfic / Fanfiction Imagines Marvel - Capítulo 9 - Bucky Barnes parte 2

(Seu nome) Carter 

"- BUCKY! - o chamei me rastejando até aquela mão, com o vento meu cabelo atrapalhava um pouco minha visão mas eu consegui agarrar sua mão. Com dificuldade tentava o puxar, meu coração disparado, minha respiração ofegante e o desespero crescente me arrancava lágrimas, em seu rosto embargado vi o seu medo. - BUCKY! - com todo o meu peso eu tentava o puxar de volta para o trem, tamanha a adrenalina eu não me importava com mais nada, eu precisava o salvar mas a cada tentativa de o puxar de volta para dentro, ele escorregava mais, me levando junto. 

- Eu te amo. - surssurou ofegante, foi como se uma marreta se chocasse com o meu coração em seguida. Bucky soltou minha mão, o vi cair e desaparecer em meio a severa paisagem fria, um grito de desespero escapou assim como as lágrimas começaram a escorrer. Eu o perdi. 

- NÃO! BUCKY! NÃO! - gritava desesperada ainda absorvendo tudo aquilo, era como se um pesadelo estivesse se tornando realidade e eu não conseguia fazer nada, a não ser continuar ali encarando a neve enquanto meu mundo caia junto dele. - BUCKY! - tentei me rastejar para mais, eu queria acreditar que ele poderia está se segurando em algo mais abaixo, mas senti um peso no meu corpo me puxar para trás, me impedindo. 

- (Seu nome)! Nós o perdemos! - aquela voz embargada ecoou em meus pensamentos, senti braços me envolvendo e quando me virei, encontrei a expressão chorosa do Steven. - Perdemos ele. 

- Steven. - o abracei, desabando em seus braços. Bucky quebrou sua promessa. Ele não voltaria. "

- Como sua irmã mais velha eu digo que já está na hora de vim tomar café. - Sharon repetia a mesma frase enquanto eu continuava parada na porta do quarto, com os olhos perdidos nas feições enrrugadas da tia Peggy, revendo aquela maldita cena na minha cabeça, talvez eu nunca supere isso. E talvez o fato de ser uma garota fora do meu tempo não facilite tanto. Quando Steven e eu perdemos o Bucky decidimos que iríamos o honrar, derrotando a Hidra e o seu líder, o Caveira Vermelha. O preço se mostrou alto e sem uma outra saída Steven nos jogou no gelo, nos fazendo dormir por setenta anos e agora despertar em um mundo completamente diferente. Algumas pessoas, como o Steven, talvez superam e seguem em frente, mas não eu. Eu não consigo lidar com o fato de perder o Bucky, acordar em um futuro diferente, onde não tenho mais ninguém além da minha tia e da minha irmã mais nova que acaba sendo minha irmã mais velha, o que para mim não faz sentido como tudo ao meu redor. - Eu estou falando com você. 

- Eu já vou. - respondi ainda reflexiva, diferente de mim, que fico em casa cuidando da minha tia, Sharon e Steven dedicam suas vidas a Shield, a organização que a tia Peggy criou junto do Howard e do Chester. Claro que o seu novo líder, Nick Fury, tentou me recrutar, mas eu não me sinto pronta e Sharon também acha isso, talvez até mais do que eu. 

- Ela dormiu bem. - comentou ao parar do meu lado, ambas olhavamos para a tia Peggy deitada em uma cama dormindo totalmente frágil. 

- Ela sempre foi dura na queda. - respondi sentindo uma mão no meu ombro, Sharon lembrava muito o nosso pai e talvez seja por ela que eu levanto todos os dias. Por elas, na verdade. - Steven não apareceu mais aqui para vê-la, está tudo bem? 

- De verdade? Não. - virou-se caminhando para a cozinha, fui junto dela sentindo uma preocupação crescente. - Steve está sendo procurado pela Shield. Ele e a Romanoff. 

- Por quê? - incrédula recebi uma xícara de café de suas mãos, me sentando diante da mesa. A vi caminhar até o balcão, preparando torradas. 

- A morte do Nick caiu como uma bomba, foi a gota d'água para que ele se voltasse contra a própria Shield. Steve parece estar entrando em algo grande, está sendo visto como uma ameaça e caçado como nunca. 

- Esse algo grande tem nome? - perguntei, a vi se virar para mim colocando as torradas sob a mesa. 

- Soldado Invernal. 

- Quem? 

- Agente russo. Mas não qualquer agente russo, ele é como uma lenda. Os que acreditam o chamam assim e temem por ele, é um assassino impiedoso. 

- Isso é. - parei de falar ao ouvir um barulho na porta, minha irmã e eu nos entreolhamos, como de costume eu sempre tinha uma arma escondida em pontos estratégicos do apartamento, Sharon pegou uma me jogando a outra, lentamente caminhamos até a sala, parando rente a parede no corredor. Fiz um gesto para quê ela ficasse ali, guardando a tia Peggy enquanto eu fui até a sala, engatilhando a arma ao ficar do lado da porta. A maçaneta girava e eu ouvi um barulho como se alguém estivesse usando algo para a destrancar, até que abriu a porta e em um movimento rápido atingi o invasor com uma coronhada, o dando uma rasteira e colocando um pé no seu peito, com a arma apontada para sua cabeça. 

- Quem é e quem te mandou? - perguntei enquanto ele tentava se mexer, usava um boné dificultando uma identificação. - Só vou perguntar mais uma vez. 

- Melhor abaixar essa arma, mocinha. - ouvi aquela voz e um som de engatilhar por trás da minha nuca. Droga! 

- Romanoff, não. - o homem falou finalmente retirando o boné, abaixei a arma me afastando dele. - (Seu nome), sou eu. 

- E falando no diabo. - brinquei estendendo uma mão para ele, Steven a segurou se levantando e me puxando para um abraço, aquilo era confortante. 

- Senti saudades, gostaria de ter aparecido antes. - falava, assenti enquanto Sharon se apeoximava e ele ia a cumprimentar. 

- (Seu nome) Carter, devo dizer que sou uma grande apreciadora do seu trabalho. - Romanoff abaixou a arma, me estendendo a mão. - Natasha Romanoff. 

- É um prazer. - a cumprimentei. 

- Desculpe pela arma, eu só fiz o que achei certo. Mas eu espero que não se ofenda, sou uma apreciadora do seu trabalho, fez história jundo da sua tia. 

- Apenas uma agente para entender outra agente. - respondi retribuindo seu lindo sorriso. - Sinto muito pelo Nick. 

- Não deveria sentir. O safado está bem, se recuperando. - Natasha deu de ombros. - Oh, desculpe, o Rogers não gosta desse linguajar. 

- Está me envergonhando na frente delas. - Steve coçou a cabeça, vi sua expressão mudar, mesmo depois de tanto tempo eu ainda sabia pela sua expressão quando tinha algo a mais. - Eu..

- Não veio para uma visita. - o interrompi, me aproximando, olhando em seus olhos. - É sobre o Soldado Invernal? 

- Como você sabe? 

- Não temos segredos. - Sharon comentou, o vi assentir respirando fundo, pelo jeito a bomba era das grandes. 

- Bucky tá vivo. 

- O quê? - franzi o cenho completamente pega de surpresa e confusa, aquilo não fazia sentido algum. Eu vi Bucky cair daquele trem e até hoje sou perseguida por isso. - Você sabe o que aconteceu, Steve. 

- Eu sei, é difícil para mim também, mas Bucky tá vivo e ele é o Soldado Invernal. 

- Acho que não tô bem. - comentei me sentando no sofá com as mãos na cabeça, aquilo era demais para mim. Eu vi Bucky cair, nós vimos, eu chorei por ele, todos os dias lembro daquele dia frio e sinto a dor da sua perda, agora eles chegam me dizendo que ele está vivo esse tempo todo? E como um agente russo? 

- Olha, (Seu nome), Bucky foi resgatado pelos russos e de alguma forma eles apagaram a memória dele, o transformando no protagonista do projeto secreto Soldado Invernal. - Natasha sentou-se ao meu lado, sergui meu olhar vendo Steven se agachar a minha frente. 

- Ele não é mais mesmo Bucky de antes, não enquanto tiver sob o comando deles. Por isso preciso de você, de toda ajuda possível para acabar com o Projeto Insight e resgatar o Bucky. 

- Você tem certeza? 

- Eu garanto, (Seu nome). Alguma vez já garanti algo que não era verdade para você? - ergueu uma sonbrancelha, troquei olhares com a Sharon e a Natasha, assenti. Se eles garantem que é o Bucky, não vejo porquê não voltar. 

- Onde ele tá? 

...

- ... A liberdade tem um preço alto e eu estou disposto a pagar. Mas aposto que não sou único. - Steven concluiu seu discurso aos comunicadores, aquelas palavras me deram a força que eu precisava. 

- Tinha isso por escrito ou foi de improviso? - Sam Wilson questionou, balancei a cabeça negativamente assumindo o controle no lugar do Steven, junto da Maria Hill. 

- Maninha, como tá aí? - perguntei verificando as imagens e dados do Projeto Insight, eles era tolos por acreditarem que a única forma de tornar o mundo melhor é sacrificando pessoas e a paz? Literalmente destruindo o mundo? - Esse projeto é a coisa mais ridícula que eu já vi e olha que eu já enfrentei o Caveira Vermelha. 

- A força Strike está subindo, se eu fosse vocês levaria logo esses dispositivos pras espaçonaves. Estou tentando atrasar o lançamento mas não posso garantir isso por muito tempo. 

- Consegue mesmo desativar essa coisa? - perguntei a Hill, ela assentiu. - Certo, eu vou com eles e é bom que o Soldado Invernal dê as caras. 

- Eu sei o que garanto. - Steven tomou a frente, junto do Wilson o acompanhei, a cada passo meu coração disparava porque eu sabia que ele apareceria. 

- Como a gente vai saber quem é bonzinho e que é malzinho? - Wilson perguntou assim que chegamos ao angar, onde as espaçonaves se preparavam para o lançamento. 

- Se eles tentarem matar você, então eles são malzinhos. - respondi enquanto nós aproximavamos, paramos os três diante das espaçonaves na pista, abaixo da estrutura onde estávamos. Um nome me chamou a atenção. - Stark? O filho do Howard tá metido nisso? 

- Nunca pensei que diria isso mas dessa vez o playboy não tem nada haver. Não diretamente. - Steven se preparava para saltar assim como Wilson e eu, admito que estava um pouco receosa, não tenho asas como o Wilson ou aperfeiçoamento genético como o Steven. Sou apenas uma garota com um uniforme preto justo e armas. 

- Tem escadas? - perguntei, ouvi Steven rir enquanto o Wilson saltou, ativando suas asas. 

- Prazer, escadas. - Steven me puxou para junto de si posicionando o escudo em nossa frente, por segurança o abracei com todas as minhas forças a medida que nos aproximavamos do chão, até que fechei os olhos quando finalmente chegamos, caímos sobre o escudo e foi menos doloroso do que eu pensei. - Você está bem? 

- Vou ficar. - levantei rápida, formos recebidos com disparos e noa dividimos, cada um para um lado, detrás de contêineres. Troquei disparos com os agentes e acabei acertando alguns, ganhando tempo para me movimentar e me aproximar de um deles, o acertando com chutes e socos e tomando sua arma rumo aos outros. Detrás de uma pequena espaçonave acabei ficando sem munição e não demorou para Steven me chamar, me jogando o escudo. 

Com ele em minhas mãos corti até os agentes, o usando como proteção e em seguida o arremessando até eles, o recebendo de volta, peguei impulso e dei um salto, caindo ao chão e acertando os agentes restantes com chutes, socos e o próprio escudo, parando ao lado do Steven outra vez. O entreguei o escudo e Sam nos dava cobertura aérea, as espaçonaves já estavam deixando a pista e nos vimos em uma corrida contra o tempo, mas conseguimos saltar e nos segurar na enorme espaçonave. No caso Steven conseguiu, me estendendo a mão e eu a agarrei como nunca, sendo puxada para dentro da espaçonave. Eram como passarelas que levavam a um núcleo, onde segundo Hill falava em nossos pontos, deveríamos colocar o dispositivo. 

- Fácil demais. - comentei correndo junto do Steven por uma passarela, até que nos agachamos e ele tomou a minha frente com o escudo, nos protegendo da saraivada de tiros. - Eu disse. 

- É ele. - levantou-se me estendendo uma mão, acompanhei seu olhar e vi meu sonho se tornar realidade. Bucky estava caminhando em nossa direção. 

- Bucky. - repeti seu nome o analisando, eu precisava o olhar bem para ter certeza, já que agora tinha um braço de metal e cabelo comprido, mas era ele. Mesmo com aquele olhar sem sentimento alguém, ele ainda conseguia me deixar com todas aquelas sensações boas de quando estávamos juntos. - Bucky, sou eu. - tomei a frente do Steven. - (Seu nome), lembra? 

- Quem diabos é (Seu nome)? - questionou, incrédula franzi o cenho, me aproximando dele, que pegou uma arma, a apontando para mim, não acreditei de novo. Bucky estava lá mas não estava ao mesmo. Era como um sonho e um pesadelo. - O dispositivo. 

- Bucky, não é você. - Steven parou ao meu lado. - Esse não é você. Sei que está aí e sei que é mais forte que isso. 

- Vocês são minha missão. - resmungou, hesitante girei erguendo um pé e batendo em sua mão, jogando sua arma longe. Como resposta ele veio correndo em minha direção, Steven entrou em sua frente com o escudo e eu peguei impulso em seus ombros, dando um salto por cima dos dois e caindo por trás do Bucky, o aplicando uma gravata. 

- A gente não quer isso, por favor, precisa parar. - falei, como resposta ele bateu a sua nuca na minha testa, me jogando para trás, não tive tempo de reagir e ele me atingiu com um chute no estômago, me arremessando para longe. Mesmo com a dor me reergui correndo em sua direção e o vendo enfrentar o Steven, segurei em seu braço por trás, o impedindo de dar um soco no Steven, ele se virou e eu desviei de um soco seu, girando seu braço humano e o acertando com um chute, aquilo doía mais em mim do que ele. Com ele ainda no chão parei com um pé em seu peito, o olhando no rosto e sentindo a vista turva. Ele retribuía meu olhar com o cenho franzido. 

- (Seu nome)? - perguntou, assenti tirando meu pé de seu peito e me agachando perto dele, até que sem aviso algum o vi aplicar uma rasteira e me imobilizar pelo braço. Eu caí em um truque mais antigo que nós três juntos? Ele realmente iria me machucar? 

- Solta ela, Bucky. - Steven se aproximou com o escudo. - Bucky. 

- Você quem manda, Capitão. - o ouvi rir e soltei um grito assim que ele me jogou por cima do corrimão da passarela, em queda ouvi Steven me chamar, com lágrimas os lancei um último olhar. Meu amor me matou. Era tudo que eu conseguia pensar, até que bati minha cabeça em algo e junto da dor senti minha visão escurecer e meu corpo adormecer. 

...

Senti um balanço em meu corpo assim como um barulho distante, em um suspiro abri os olhos, vendo uma imagem se formar detrás de mim. Com uma dor espalhada por todo o meu corpo vi o corpo do Steven deitado a beira de um rio, com o escudo do lado. Arregalei os olhos me debatendo até que me vi nos ombros de alguém, me debati mais até que esse alguém me colocou no chão, era o Bucky. Era o Bucky diante de mim, me olhando com lágrimas nos olhos e um sorrisinho, desmanchei em lágrimas o puxando para um abraço, que ele logo retibuiu. 

- Bucky! - exclamei com a voz trêmula assim como todo o meu corpo, aquele sim, aquele era o Bucky. Aquele era o mesmo Bucky daquela noite. - Você voltou! Você voltou! - desfiz o abraço o vendo limpar minhas lágrimas com as mãos em meu rosto. 

- (Seu nome). - sorriu. - Eu lembro. Eu lembro de você. Eu... Eu amo você! Eu amo você! Eu amo você! - nos abraçamos outra vez. - Me perdoe, eu não queria machucar você! 

- É claro que eu perdoo. - desfiz o abraço unindo nossos lábios em um beijo, que ele retribuiu imediatamente, me puxando mais para si, acabei sorrindo ao partimos o beijo. Ele voltou, assim como prometeu a setenta anos atrás. - Está atrasado. 

- Mas eu voltei. - virou o rosto, o vi desfazer seu sorriso, Steven estava começando a acordar e eu vi pelas marcas em seus rostos que enquanto eu estava desacordada os dois continuaram se enfrentando por um tempo. - Eu quase matei ele.

- Podemos...

- Não, não, não. - voltou a me olhar. - Eu preciso ir. Eu não posso ficar perto de vocês, olha o que eu fiz! 

- Não era você. 

- Mas eu fiz! Eu poderia ter matado vocês, eu não posso ficar aqui e fingir que nada aconteceu! Mas eu não posso ficar longe de você de novo. - abaixou a cabeça. 

- Então não fique. - levantei sua cabeça com minha mão em seu queixo. - É difícil, mas você não tem que passar por isso sozinho. Eu amo você, James Buchanan Barnes. 

- E ela não é a única. - direcionamos nossos olhares para o lado e Steven mesmo machucado se levantou. - Ouça ela, Bucky. Não perca ela, não estrague tudo, lembra? 

- É, eu lembro. - voltou a me olhar com um sorriso, vi em seus olhos um turbilhão de sentimentos, sentimentos bons. - Me perdoem, eu..

- Não era você. - Steven colocou uma mão em seu ombro e outra no meu. - Mas agora é. - sorriu. - O que estão esperando? Vamos, quero ver um beijo! 

- Estava pensando a mesma coisa, Steven. - Bucky piscou para o amigo, ri quando ele me inclinou para trás, unindo nossos lábios lentamente. Nunca me senti tão em casa como agora e, dessa vez, sei que não haverá mais despedidas. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...