História Imagines Supernatural - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Abaddon, Adam Milligan, Amara, Balthazar, Benny Lafitte, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Chuck Shurley, Crowley, Dean Winchester, Ellen Harvelle, Gabriel, Hannah, Jo Harvelle, Jody Mills, John Winchester, Kevin Tran, Lúcifer, Mary Winchester, Meg Masters, Miguel, Rowena MacLeod, Ruby, Sam Winchester
Tags Imagine, Imagine Supernatural, Spn, Supernatural
Visualizações 58
Palavras 900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei, finalmente :v

Capítulo 7 - Quando você quer escrever sobre o sobrenatural


Fanfic / Fanfiction Imagines Supernatural - Capítulo 7 - Quando você quer escrever sobre o sobrenatural


'O diário de s/n e os monstros sobrenaturais que vagam pela noite'

Sim, eu iria escrever um livro. Mas, por que? Você me pergunta. Bem, chegará uma hora que Sam e Dean Winchester  irão bater as botas de vez, ou irão ficar muito velhos, ou qualquer coisa que os impossibilite de caçar. Aí, o que quê acontece? Merda.

Por que merda? Simples, me fale, quantas vezes eles salvaram o mundo? Exato. E se eles morrerem, aí fode.

Claro, temos outros caçadores e tals, mas eu pensei: por que não escrever um livro com experiências sobrenaturais? Ou melhor, como não ser morto de causas sobrenaturais? Ou melhor ainda, saber o que é o ser sobrenatural e como matá-lo?

Aí, BOOM! Surgiu a ideia. Mas... surgiu o problema também.

Mas, cara... como eu vou escrever um livro sobre isso se eu não sei praticamente nada? Bom, aí já foi coisa de Deus. Ele cruzou meu caminho com os Winchester. Mas, calma aí, como? Bem...

FLASHBACK

""Não, mãe. Claro que eu vou ficar bem!""

""S/n, você está saindo do museu quase 00h! O que você está fazendo, menina?!""

""Ah, manhê! Eu já falei para a senhora que é sobre aquele livro que eu quero escrever. Eu preciso de informações!""
Falei.

""E não dá para ter acesso às essas informações mais cedo não?!""

""É que de noite é mais emocionante, hehe
.""

Minha mãe suspirou.

""Ok, ok... faz o que você tem que fazer e volta. Te amo""

Biiiip...

"Mães, sempre tão dramáticas!" Murmurei para mim mesma. (N/A: Mentira!!! Sempre acreditem nas suas mães, rs)

Eu fui andando pelo estacionamento, e quando eu estava perto do carro, surgiu um homem na minha frente.

O cara era bombadão e tinha umas unhas gigantes, ela tava rosnando pra mim.

"Err... moço? Tu tá bem? Meu, querido, tu quer que eu ligue pra alguém?" Perguntei. Ele não me respondeu. Pelo contrário, o cara voou em cima de mim.

Ele ficou por cima de mim, e eu consegui ver seu rosto, era amedrontador.

"Me solta!" Gritei. "Socorroo!!!"

Eu lutei com ele, dei um chute em suas partes íntimas, e corri. Eu corri pelo estacionamento gritando, e ele estava bem atrás de mim. Pouco depois, me alcançou.

Mas, antes que ele pudesse  fazer alguma coisa, um cara alto, grande, com cabelos claramente mais bonitos e sedosos que os meus, o tirou de cima de mim. Os dois ficaram lutando por um curto período de tempo. Depois, um cara loiro, bonitão, de jaqueta de couro, veio e deu um tiro no cara que me atacou, ele morreu na hora. Mano, no que foi que eu me meti?

"Você está bem?" Perguntou o grandalhão.

"Eu acho... que sim?" Respondi. "Maaaaano, essa merda aí so pode ser um lobisomem!" Murmurei para mim.

"Espera, você sabia que era um lobisomem? Você é caçadora?" Perguntou o loiro.

"Ei, pera aí. Alto, grande, cabelo zika do rolê... o outro, loiro, jaqueta de couro... eita porra! Socorro, vocês são os Winchester!" Eu disse. Juro, a última frase eu falei como tipo um 'eureka!'.

Eles me olharam meio confusos.

"Bem, eu não sou caçadora. Eu... bem, eu li vocês! E agora vocês estão na minha frente! Cara, eu sabia que aquelas histórias eram reais!"

"É... aquelas histórias foram escritas por um profeta, chamado Chuck Shurley, que na verdade é Deus." O loiro, Dean, falou.

"Pera, que? Deus? Tipo, Deus? Maaaaaaano, eu não creio nisso." Eu falei, fazendo um cara de explosão de mente. "Aí, essa negoça era um lobisomem né? E você matou ele com uma bala de prata, né?" Perguntei, um tempo depois.

"Isso mesmo, senhorita. Dean Winchester." Ele falou, me cumprimentando.

"Sam Winchester" O grandão também me cumprimentou.

"Eu sou a s/n Williams. Ei, eu posso ficar com vocês um tempo?"

FIM DO FLASHBACK

Sim, eu falei isso na cara dura mesmo. E hoje eu estou aqui, moro no Bunker, estou viva graças a eles (e não, ainda não peguei nenhum deles. Ênfase no ainda).

Eu não me tornei caçadora, eu só escrevo sobre tudo o que acontece nas caçadas. Eu já tentei acompanhá-los, mas eu quase virei comida de ghoul, então melhor não... eles sempre vem me contar o que aconteceu. Isso é tããão legal. Claro, mas nem sempre é assim.


Outro dia, eu estava de boas na biblioteca lendo sobre os demônios, aí chega um Sam todo ensanguentado, carregando um Dean mais ensanguentado ainda. Cara, esse dia foi foda. Até ir para o hospital nós fomos. Dean quase perdeu o braço! Os meninos estavam caçando Vetalas, aí a merda aconteceu.

Até hoje eu vivi tantas coisas com os Winchester, eu aprendi tanto!

Eu realmente amo o mundo sobrenatural! 

Claro, porém depende. Minha mãezinha, por exemplo, eu protejo ela às sete chaves. Sim, é muito perigoso!

Falando em mãe, ela sabe sobre os meninos e tals, e ela tem muito medo! Tipo, muito mesmo! Eu entendo ela. Pelo menos ela diz que eu escrevo bem! Eu também acho que eu escrevo bem, hehe.

Olha, eu até diria que eu sou melhor em escrever do que Carver Edlund, maaaaas... cara, ele é Deus. NUNCA em toda a minha life eu falaria isso. Digamos que eu esteja num nível muito bom, comparado a ele.

Cara. Deus. Será que ele escreveu de mim? Pena que ele sumiu com a Amara. Acho que talvez eu nunca saberei a história! Ai, ai... eu só sei que...

Esse livro precisa fazer sucesso!

Notas Finais


Eu tava pensando... que tal isso virar um livro de verdade? Vocês leriam? :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...