1. Spirit Fanfics >
  2. IMessage (Oneshot - Jung Hoseok) >
  3. Capítulo Único - You Got A New Message

História IMessage (Oneshot - Jung Hoseok) - Capítulo 1


Escrita por: easylovx e HelenaDiAngelo

Notas do Autor


Ayo, Cat e Leninha in your area!

Cheguei com esse presente maroto, espero que gostem.
Até as notas finais <3
Capa e banner por: @trancyz (@moonchildesign)
Betagem cheirosa feita pela linda da @satamik

Capítulo 1 - Capítulo Único - You Got A New Message


Fanfic / Fanfiction IMessage (Oneshot - Jung Hoseok) - Capítulo 1 - Capítulo Único - You Got A New Message

iMessage

You Got A New Message

 

O longo e estressante dia de trabalho havia simplesmente destruído todos os meus músculos e nervos. Tudo que eu mais precisava era preparar um banho relaxante na banheira, com direito a sais, essências e muita espuma. E essa foi a primeira coisa que fiz ao chegar em casa: livrar-me dos saltos, largar minha bolsa em alguma das poltronas da sala e dirigir-me rapidamente ao quarto que dividia com meu maridinho.

Minha mão rapidamente abriu o registro de água e deixei ela escorrer, enchendo a banheira. Enquanto isso, despia-me com suspiros de alívio, pois não aguentava mais todo aquele tecido sufocante. Tirei a saia, a camiseta e o blazer e, por fim, agradeci aos céus por tirar meu sutiã. Não havia coisa melhor do que jogar essa peça longe depois de estar no seu corpo o dia inteiro. Eu gemi em satisfação ao sentir meus pés em contato com a água quentinha e escorreguei meu corpo para dentro. Fiquei alguns minutos parada, apenas aproveitando a sensação morna na minha pele. A essência de camomila era revigorante, tudo o que eu precisava. Alcancei minha esponja, colocando o sabonete de lavanda e, lentamente, comecei a esfregá-la pelos braços, ombros e costas, deliciando-me com a sensação. 

Continuei ensaboando meu corpo, passando para o tronco, o vale dos seios, minha barriga, as coxas, pernas e a região íntima. O banho estava tão bom e relaxante que eu não queria sair dali, apesar de saber que minha pele enrrugaria se eu permanecesse por mais tempo. Com um muxoxo frustrado, levantei e me enrolei na toalha, abrindo o ralo da banheira para que levasse todo o meu cansaço embora. 

Segui em direção ao quarto, mais especificamente ao meu closet. Fiquei bons minutos parada na frente dele, tentando escolher o que colocaria. Mas, sinceramente, eu não estava afim de por roupas. Decidi continuar com a toalha no meu corpo, como um vestido e, assim, rumei para a cozinha para comer algo. Já eram 18:30 e meu marido ainda não tinha chegado. 

Enquanto comia algumas frutas, minha mente vagou para Hoseok. No quanto eu sentia saudade dele nos dias de trabalho, já que ambos chegávamos muito tarde em casa. Essa distância era matadora; não só para o meu coração, mas também para o meu corpo, que necessitava do dele junto ao meu e de seus toques quentes.

Nós sempre fomos um casal que curtia um bom sexo. E, não só isso, também adorávamos inovar e experimentar coisas novas, principalmente as que davam um jeito de nos aproximar mesmo distantes. Então, com esse pensamento em mente, e carregando uma enorme saudade do meu marido, tive uma ideia para a noite de hoje. Eu iria provocá-lo um pouquinho.

Voltei para o nosso quarto, indo em direção ao grande espelho na porta de um dos armários. Ainda usando a toalha como um vestido, que mostrava minhas coxas fartas e ressaltava meus seios, peguei meu celular e tirei uma foto no espelho, de um modo sensual. Então, sem mais delongas, enviei-a para Hoseok. 

Eu [18:47]
| [anexo] 

Eu sabia que ele estava em reunião no momento, pois era isso que acontecia quando demorava, o que só tornava tudo melhor. Eu amava provocá-lo, era um dos meus fetiches mais prazerosos e eu sabia que receber uma foto assim, sem legenda e do nada, o deixaria mais instigado e louco. 

Sentei na cama, que ficava bem na frente do espelho, e esperei ansiosa pela sua resposta. Meu interior queimava em expectativa sedento pelo meu marido. Podíamos não nos tocar, mas só conversar com ele em mensagens de texto sensuais levava-me ao delírio. Sobressaltei-me. levemente quando ouvi meu aparelho tremer, indicando que eu tinha recebido uma nova mensagem. 


Amor [18:51]
| Não acredito que fez isso comigo, princesa.
| Estou no meio de uma reunião. Quer me torturar?

 

Sorri safada. Era exatamente isso que eu queria. 

 

Eu [18:52]
| Eu? Torturar você, Seokie?
| Jamais!
| [anexo]

 

A próxima foto foi mais ousada, na qual a toalha estava cobrindo apenas minha intimidade e parte das minhas pernas, mas os seios estavam livres e eu apoiava-me relaxadamente na cama. Eu sabia que ele não resistia ao seu apelido manhoso e muito menos à minha falsa inocência. Mas eu amava brincar com fogo, ainda mais se fosse o fogo dele. 


Amor [18:54]
| Você está brincando com fogo, amor…
| Por acaso está sedenta por mim?

 

Eu [18:54]
| Está tão claro assim?
| Só estou com saudade dos seus toques…

 

Eu quase podia visualizar seu sorriso de canto, convencido, enquanto olhava o celular por debaixo da mesa de seu escritório. A visão fez-me estremecer. A essa altura, eu precisava muito dele, então, minha respiração trancou ao ver que tinha recebido um anexo. Céus, dai-me forças.

A foto era do mesmo no banheiro, afrouxando sua gravata cinza que antes era perfeitamente alinhada com o terno. Ele tinha um sorriso descarado no rosto, e a mensagem que veio logo em seguida fez-me arfar em desejo. 


Amor [18:58]
| Eu vou cuidar bem de você quando chegar em casa, amor.
| Então por que, enquanto isso, você não se prepara pra mim?

 

Puta merda. Eu queria provocá-lo, mas Jung Hoseok sabia jogar esse jogo muito bem e muito melhor que eu. No fim, eu era completamente entregue a ele e tudo o que me mandava fazer. Meu marido conhecia-me como ninguém e sabia do que eu gostava, sabia como tocar-me e, quando não podia, sabia orientar-me. 

 

Eu [19:00]
| E como posso fazer isso, Seokie?
| Você sabe que precisa me guiar. 


Amor [19:01]
| Primeiro, livre-se desta maldita toalha. 

 

Eu fazia muito uso da minha imaginação nessas horas e juro que consegui ouvir seu tom de voz rouco e autoritário ecoando na minha cabeça. O pano que antes me cobria foi para algum canto do chão, perto da cama, na qual eu, agora, encontrava-me completamente nua e aguardava por mais mensagens. Minha intimidade já começava a pulsar e demonstrei isso ao mandar mais uma foto com as pernas abertas.

 

Eu [19:03]
| Assim?


Amor [19:03]
| Boa garota!
| Use a mão direita para acariciar e espalhar seu líquido por toda essa sua bucetinha.
| Do jeito que você gosta que eu faça.

 

Eu obedeci ao seu comando, descendo minha mão até minha intimidade, sentindo o quanto ela já estava molhada. Espalhei o líquido pelos lábios maiores e menores, arfando ao sentir a lubrificação atingir o meu clitóris. Eu estava tão sensível, tão necessitada pelos seus toque. Saber que ele não estava ali era difícil, mas sempre conseguíamos dar um jeito. 


Amor [19:04]
| Agora, concentre-se no seu pontinho.
| Imagine-me junto a você, lambendo e chupando bem onde você fica louca.
| Louca e desesperada para que eu me enterre em você.

 

Droga, eu odiava como ele conhecia-me tão bem. Estimulei meu clitóris seguindo suas instruções, sentindo minha intimidade ficar mais e mais molhada. Minha vagina contraía, implorando para ser penetrada e não demorei muito a trocar de mãos, passando a alisar meu pontinho com a esquerda e enfiando um dedo da direita dentro de mim. 

 


Amor [19:06]
| [anexo]

 

Com muita relutância parei meus movimentos, pois minha curiosidade ainda falava alto. O anexo era uma foto de seu membro duro, já encoberto de pré-gozo, com a glande vermelhinha e inchada. Eu imediatamente salivei e gemi, desejando tê-lo dentro de mim. 


Amor [19:06]
| Já que não estou aí, use os seus dedos e finja que sou eu. 

 

Como eu poderia negar uma ordem dessas? A resposta era simples: eu não podia e nem queria. Então, continuando meus movimentos de antes, adicionei o segundo dedo dentro da minha vagina já escorregadia, esfregando o clitóris com a outra mão. Eu estava bem na frente do espelho, observando a mim mesma, e isso só me deixava cada vez mais quente. Gemi mais uma vez, sôfrega, tentando manter meus olhos abertos para me observar durante a masturbação. 


Amor [19:07]
| Use a mão esquerda para apertar os seus mamilos.

 

Ah, o filho da puta me conhecia bem. Levei a esquerda até um biquinho rijo, suspirando ao sentir o contato do meu próprio líquido naquele ponto erógeno. Coloquei o terceiro dedo lá embaixo, usando o polegar para continuar a massagem no clitóris, com a mão esquerda agarrando meu próprio seio. Tanto estímulo de uma vez só fazia-me gemer tão alto que eu podia até mesmo temer pelos vizinhos, mas a verdade é que eu não ligava. Minha respiração estava desregulada, e eu metia com força, tentando alcançar meu ponto G do jeito que Hoseok fazia. A notificação fez o colchão tremer, e só tive forças para olhá-la pela tela.


Amor [19:09]
| Vá fundo e levemente para a esquerda. O seu pontinho de prazer é lá. 

 

Céus, eu amava-o tanto. Amava o jeito que ele tinha-me na palma de sua mão. Fiz o orientado, sentindo um prazer imediato e avassalador que me fez instintivamente fechar os olhos com força. Abri minha boca, mas não consegui gemer; simplesmente nenhum som escapou. Penetrei os dedos mais rápido, seguindo na curvatura da esquerda, com uma força bruta, como se fosse seu próprio pau me estocando e eu sentia meu orgasmo cada vez mais perto. 

E, como se ele soubesse exatamente disso, a próxima mensagem foi o estopim.


Amor [19:12]
| Goza para mim, princesa.

 

Meu corpo não aguentou e eu assisti, ofegante, ele chegar a um orgasmo intenso. Minhas pernas tremeram e eu joguei meu tronco para trás, deitando no edredom macio com meus dedos ainda dentro de mim. Minha respiração desregulada denunciava o que eu tinha acabado de fazer, e esperei alguns minutinhos até ter forças para tirá-los de lá. 

Quando finalmente me senti melhor e menos fraca, ajeitei o corpo na cama, descansando a cabeça no travesseiro. Peguei meu celular, que estava jogado no canto, e rapidamente mandei uma mensagem para Hoseok. 

 

Eu [19:18]
| Orgasmo atingido com sucesso! ;)
| Você é tão bom para mim, Seokie.
| Deixe-me te ajudar também!

 


Amor [19:19]
| O que você quer fazer para me ajudar?


Eu [19:20]
| Quero te guiar para que goze bem gostoso.

 

Eu sorri sozinha com perversidade, sabendo que ele também estava necessitado, afinal, sua foto de pau duro mostrava que precisava — e muito — de um estímulo para se aliviar. Estava me divertindo com o celular enquanto permanecia deitada na cama, mas um barulho vindo da sala me fez parar. Levantei rapidamente, pegando minha toalha para cobrir parcialmente meu corpo e chegando perto da porta do quarto. Ditei, incerta:

— Olá? —  Ouvi passos lentos. —  Tem alguém aí?

Então, como se meu corpo soubesse exatamente o que estava acontecendo, arrepiei-me dos pés à cabeça, sentindo uma quentura dentro do meu peito. E tudo apenas piorou quando a porta do quarto abriu-se na minha frente, revelando meu marido gostoso sem a sua gravata. 

— Prefiro que me faça gozar bem gostoso aqui, agora, na prática. 

Eu nem ousei responder, apenas suavizei a força que usava para segurar a toalha até desuni-la de minha nudez. Aproximei-me de Hoseok e, por um único momento, o vi fraquejar diante de meu corpo e de mim, aquilo era inéditamente delicioso de se ver.

— Você me assustou, amor. — Me pus nas pontas dos pés para sussurrar manhosa em seu ouvido. 

— Digamos que minha emergência era grande, doce. — Qualquer resquício de resposta e sanidade evaporou quando meu marido levou minha destra até a braguilha de sua calça, eu juro ter salivado como nunca e desejado ele em minha boca. — Por que não me dá uma ajudinha com a minha emergência, hm? — sugeriu, com um sorriso repleto de perversão.

— Seria um prazer, Seokie! 

Curvei meu lábios em um sorriso tão sacana quanto o qual permanecia adornando sua boca. Novamente, coloquei-me em surdina e o beijei, um beijo lento, intenso e, definitivamente, muito sexy. Ainda brincando com seus lábios, eu nos guiava cegamente até a borda da cama que, até a pouco, satisfazia-me sozinha.

— O que acha de eu te chupar? — perguntei, interrompendo o beijo com uma mordidinha gostosa em seu lábio inferior.

Nunca tinha visto Hoseok tão entregue a ponto de responder apenas com um acenar positivo de cabeça e um arfar alto: ele, desde o nosso namoro, sempre comandava. E devo admitir que ter a sensação de poder em minhas mãos excitava-me de forma monstruosa. Aparentemente, meu marido sentia-se da mesma forma, ele não desviava seu olhar de mim de maneira nenhuma.

— Vou considerar seu silêncio como um sim. — Sorri sapeca, engatinhando até o meio da cama e me sentando em suas coxas, empurrando seu peito para que deitasse sua cabeça em nossos travesseiros.

Queria ter tido a paciência para ter aproveitado da situação e provocado-o mais, porém, eu estava tão necessitada quanto o homem que gemeu apenas por sentir o toque de meus dedos desabotoando preguiçosamente sua camisa social. 

— Anda logo com isso!

Não foi preciso pedir duas vezes: soltei a camisa que, apesar de aberta, continuava em seu torso, e desci um pouco até estar em uma altura que me agradasse e que facilitasse meu trabalho. Sem enrolar, desci seu zíper e, com sua ajuda, tirei sua calça, jogando-a em algum canto do nosso quarto, deixando-o apenas com a camisa social e uma boxer vermelha.

Puta merda…

Rapidamente, dei a peça íntima o mesmo destino da calça, fazendo com que Hobi soltasse um gemido em alívio. Seu pau estava exatamente como na foto que tinha mandado-me, duro com veias aparentes devido a pressão, com a cabecinha inchada e deliciosamente vermelhinha, e lambuzado com seu pré-gozo.

— Amor…

Jung perdeu suas palavras assim que me atrevi a assoprar sua glande e beijar delicadamente o local, causando um choque térmico. Eu comecei a lambuzar toda sua extensão com minha saliva, o deixando devidamente lubrificado, apenas por pura diversão e, logo, comecei a parte que, para mim, era a mais prazerosa e tenho certeza que o mesmo para ele: chupar.

Dei início pela parte de baixo, começando por suas bolas, as beijando para em seguida chupá-las e colocá-las dentro de minha boca fazendo movimentos circulares com minha língua, não deixando nem um cantinho escapar. Logo que acabei de divertir-me ali, subi as sucções para parte mais interessante: sua glande, que, no momento, pedia por atenção. Então, concentrei-me naquela parte, iniciando uma felação e masturbando com as minhas mãos o que não cabia.

— Você me chupa tão bem, mas eu não quero “terminar”, ainda —  disse entre gemidos, enquanto acariciava meu cabelo de forma suave. — Por que você não senta e rebola bem gostoso aqui? — Tirou delicadamente minha mão de seu falo para substituir com a sua própria, masturbando-se e olhando para mim profundamente. 

— Se insiste… — Ajoelhei-me limpando o canto de meus lábios, sustentando seu olhar selvagem.

Fiz o que pediu, sentei bem ali, no centro do seu prazer, descendo lentamente acostumando meu interior com seu tamanho.

Porra!

Em resposta, recebi um tapa ardido em minha nádega direita que provavelmente deixaria marca, e eu não ousaria reclamar.

— Rebola para mim, princesa. — Pediu.

Concedi seu pedido, rebolando de maneira lenta, mas extremamente agradável para nós dois. Um tempo depois comecei a concentrar-me, as reboladas suaves se tornaram mais intensas e logo se transformaram em quicadas fortes, digamos que uma surra, em palavras de baixo calão.

Eu estava quase lá.

Faltava tão pouco.

— Acho que já se divertiu no comando hoje, doce.

Antes que ouvisse meu questionamento, Seokie nos desconectou, virando-me e forçando de forma não tão delicada minhas costas, fazendo com que meu rosto se encontrasse com o travesseiro que ele usava de apoio anteriormente.

Ele tinha colocado-me de quatro, por ele e para ele.

— Agora, empina bem direitinho do jeitinho que nós gostamos. — Eu apenas acatei a ordem, estar no comando era bom, mas não era a mesma coisa que Hoseok comandando. — Isso! Agora sabe o que vai acontecer?

Ah, eu sabia, e como sabia... Mas eu restringi-me em apenas mentir, dizendo que não.

— Não seja uma garota má! — Ele acertou outro tapa dolorido na mesma nádega de antes. — Tem certeza de que não sabe? — sussurrou, debruçando-se sobre mim, fazendo-me sentir a pressão do seu pênis bem na minha entradinha que necessitava tanto dele.

Não... — Minhas palavras morreram em um arfar após sentir seus dedos explorando minha intimidade.

Ele espalhava minha lubrificação natural por toda ela, brincava com meus lábios, tantos os maiores como os menores. Até que ele fixou seus dedos, indicador, médio e anelar em cima do meu pontinho inchado fazendo movimentos circulares tão suaves que chegava a irritar-me.

— Já que não sabe, acho melhor eu te falar. — Levou seus dedos até minha entrada, penetrando-a com o indicador e o médio. — Eu vou foder aqui do jeito que você gosta: forte e fundo. 

E, para minha surpresa, ele o fez, mas com seus dedos.

— Algum problema? — perguntou-me, depois que bufei em descontamento.

 Era como se eu pudesse ver o sorriso debochado e safado em seus lábios.

Eu não quero seus dedos, Seokie!

— E o que você quer, princesa? — Retirou seus dedos de meu interior.

Eu não o respondi, pelo menos não verbalmente. Em resposta, eu rebolei sentindo seu pau exatamente na minha entrada.

Ele queria isso tanto quanto eu.

Nem ele mesmo aguentava mais suas provocações, então, ele logo encaixou-se novamente em meu interior, e começou a mover-se sem dó.

Forte e fundo, como gostávamos.

Como nós queríamos.

Como nós necessitávamos.

O ritmo não diminuiu nem por um mísero segundo, Hoseok metia cada vez mais forte, eu já estava quase explodindo em meu próprio paraíso que, no momento, limitava-se ao meu marido me fodendo em cima da nossa king size, enquanto segurava meus cabelos de forma bruta os puxando para trás, elevando, incondicionalmente, meu tronco a ponto que ele encontrasse seu peitoral definido levemente coberto pela camisa social que se encontrava transparente por conta de suor.

— Seokie, eu estou quase lá, não para… 

 Ele não só continuou como conseguiu meter mais fundo ainda, ele não parava de acertar meu ponto G, e eu posso afirmar com toda certeza do mundo, aquela foi uma das nossas melhores fodas em todos os nossos 7 anos juntos.

Jung Hoseok! — gemi alto, alto até demais, provavelmente receberíamos algum aviso por conta do barulho.

Eu estava pouco me fodendo. Na verdade, ele que estava me fodendo. Meu desejo era gritar aos quatro ventos o quanto amo meu marido. E o quanto ele me come como ninguém.

O seu desespero e esforço em me fazer gozar fez todo sentido quando, ainda sensível após meu orgasmo intenso, fui virada de barriga para cima e pude ver a cena que me assombraria nos meus melhores sonhos eróticos: Jung Hoseok, gemendo e se masturbando com a merda daquela camisa branca grudando em seu corpo.

Gostaria até de ajudá-lo, mas ainda estava extasiada e atordoada por conta do meu “fim” tão vigoroso. Não levou muito tempo para que acelerasse os movimentos de suas mãos, o fazendo gemer mais alto e, sem demora, ele se desfez, fazendo questão de espalhar seu sabor por meu corpo. E, não pensei duas vezes em levar meus dedos até o resquício do seu prazer e levá-los até a boca, chupando o líquido e fazendo questão de mostrar o quanto seu sabor agradava-me. Ele apenas sorriu, cansado com a cena, deitando-se ao meu lado e me puxando para seu peitoral.

— Uau! — Riu sem forças.

— Uau! — O respondi com suas palavras.

 Enquanto desenhava círculos imaginários em seu peito, pensava no que aprontamos a poucos segundos atrás e toquei-me de algo que me fez levantar completamente irritada:

— Jung Hoseok, faça o favor de me falar que não usou a droga do celular enquanto dirigia com pressa até aqui! — Levantei-me rapidamente de seu peito, usando-o para apoiar uma de minhas mãos e encará-lo com raiva. — Ah, você está ferrado!

Antes que esgueirasse meu corpo para longe e saísse da cama, Hobi puxou-me colocando meu corpo em cima do seu, segurando meu rosto, e teve a ousadia de dizer:

— Que tal um banho relaxante de banheira?

 


Notas Finais


Eai??? Já deram o favorito maroto e os surtinhos nos comentários??? Quero muitos!
Link Do Grupos das Gatinhas:

https://chat.whatsapp.com/ID3ssgyZQjN0aTCQR9PTAM

Lia, eu não tenho muito o que te falar além de: Te amo muitão, você em incrível em todos os aspectos, espero que você esteja tendo um dia maravilho e que goste do presentinho, rs.
caso queira ler mais algo meu: https://www.spiritfanfiction.com/historia/o-cliche-do-entregador-oneshot--kim-taehyung-16402320

mensagem da Lena: Lia, te desejo as melhores coisas desse mundo! você é incrível, um amorzinho de pessoa e merece conquistar tudo aquilo que deseja. espero q aproveite muuuito seu aniversário e os seus 17 aninhos! <3 xoxo

fic nova colegial com jimin gostoso: https://www.spiritfanfiction.com/historia/blackmail-longfic-park-jimin-18925226

nos sigam: @easylovx @HelenaDiAngelo

xoxo, see u later


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...