História Imgine Jikook: The Destiny - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, HyunA
Personagens HyunA, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Rosé
Tags Jikook
Visualizações 13
Palavras 2.934
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), LGBT, Luta, Magia, Mistério, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Créditos: Cat Love_ARMY_

BOA LEITURA ❤🙆❤

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Imgine Jikook: The Destiny - Capítulo 2 - Capítulo 2

                      Jm On 

Hope: Jimin é impressão minha ou... Está nevando mais forte? 

Jm: Está nevando mais forte, qinda bem que estamos protegidos com essas roupas quentes, porém se continuar assim, vamos virar picolés. - suspiro tentando não surtar. - Seu celular está com você?

Hope: Claro né, sempre estou com ele. - meteu a mão dentro do bolso do casaco grosso, pegando seu K10.

Arregalo os olhos de surpresa e sinto meu rosto esuentar de raiva.

Jm: Por que não disse logo que estava com o celular?! - quase berrei, não queria assustar meu amigo mas estou um pouco bravo por ele não ter falado antes. 

Hope: Porque você não perguntou, não sou adivinha! - rebateu guardando o celular de volta no bolso. 

Abri a boca em um perfeito "O", completamente surpreso, Hoseok me respondeu de uma forma tão fria que senti meu coração gelar, o desespero de perder meu melhor amigo bateu rapidamente, atravessando o meu corpo de uma forma cruel, fazendo meus olhinhos encherem de lágrimas. 

Com a visão borrada, consigo ver Hoseok com uma cara de arrependido, ele sabe que sou sensível. 

Hope : Chim, me desculpa - sussurrou me abraçando, me passando conforto, retribui seu abraço choroso. - Eu estou assustado, com medo e perdido, não queria ter falado daquele jeito com você. 

Funguei, concordando com a cabeça lentamente. 

Jm: Nós vamos morrer aqui Hope? 

Hope: Não  vamos! - parou de me abraçar, segurou meus ombros e sorriu me passando confiança. 

Eu sabia que era mentira, com macacos aqui, nós morreremos!

Jm: Eu confio em você. E seu celular?

Jope: Está com cinco porcento de bateria, vamos usar ele quando realmente for necessário, julgo que aqui não tem área/torre, então não vamos arriscar igual aos filmes de terror.

Jm: Você está certo. - olhei no fundo dos seus olhos, e sorri fraquinho e assim começamos a caminhar lado a lado.

Não sei por quantas horas a gente andou,  mas já estava anoitecendo, uma coisa que não queria muito, mas o tempo passou voando. 

Olhei Hoseok que parecia cansado, eu também estou cansado, andar e andar, e nunca char o que tanto precisa. Cansa.

Jm: Hbi, vamos parar um pouquinho? Minhas pernas estão doendo. - reclamo baixinho, parando de andar. 

Hope: Precisamos continuar ChimChim... Seus cílios já estão congelando! - comentou fazendo eu ficar surpreso, está tão frio assim?

Jm: Isso explica o motivo do meu olho estar congelando.  - volto a seguir Hoseok.

Hope: Não me faça rir agora. - murmurou segurando o riso, então sorriu. 

Olho na direção de Hoseok apontou o dedo, e sorriu mais, porém fecho o mesmo quando lembra de alguma coisa.

Jm: E se tiver um urso lá dentro? - urso gosta de invernar dentro de cavernas, né? - pergunto com medo.

Hoseok parou para pensar um pouco, e depois boltou a andar, eu apenas segui.

                Nam On

 Suspiro vendo aquela praga andando de um lado pro outro.

Nam: Se continuar assim, vai abrir uma cratera no chão. - sussuro, mesmo sabendo que ele escutaria, e como eu disse, ele escutou. 

Jk: Não enche Namjoon. - parou de andar para me encarar de ima forma raivosa.

Nam: Não me olha assim, não se preocupe. As coisas irão ficar bem, o Jin e o Taehyung estão cuidando disso.

Suspirou se sentando na cadeira, descansou seu braço em cima da mesa de madeira.

Jk: Ele não irá atacar, não irá atacar minha vila.

Suspiro, realmente ele está preocupado e não vai tirar essa idéia da cabeça, de atacar para proteger seu povo.

Nam: Jungkook, se acalme homem! Nada vai acontecer com essas pessoas. - tentei o acalmar mas vejo que falhei.

Jk: Namjoon, se Jung ficou dez anos sem atacar ou enviar alguma carta, quer dizer que alguma coisa ele está tramando! - rosnou e eu suspiro, sempre protetor e isso o destrói por dentro. 

Eu espero do fundo do meu coração, que esse idiota saiba disso.

Jk: Se ele atacar meu povo, e eu não esriver preparado... Eu jamais irei me perdoar. - confessou abaixando o olhar.

Jin: Senhor, tem uma pessoa querendo falar com você.

Jk: Já disse para não me chamar de senhor, me sinto um idoso assim, venha Namjoon. - Levantou e saiu com o Jin, nego com a cabeça lentamente e vou atrás.

Assim que chegamos na porta principal do castelo, demos de cara com um baixinho, com a cor de pele pálida, olhos pequenos e um sorriso fofo. Deu para perceber que é um vampiro.

Jk: O que faz por esses lados? De onde veio?

Olho Jungkook, parecia desconfiado.

Yg: Eu me chamo Min Yoongi, vim do Sudoeste,  preciso de um lar já que minha família... Foi morta.

Jk: Sudoeste... - repetiu Jeon pensativo, e por fim, me olhou. - Procure uma casa para ele.

Apenas concordo.

Nam: Jin, faça os documentos desse vampiro. Tenham um bom trabalho. Desejou e saiu, tenho quase certeza ue irá caçar, caçar briga.

                Jm On 

Choramingo morrendo de sede e de vontade de urinar.

Jm: Hobi... Não consigo mais segurar! - olho Hoseok segurando as lágrimas.

Hope: Segura homem, se você urinar no meio do mato, os animais vai sentir o cheiro e podem vir predadores pro nosso lado, então segura! 

Jm: Vai estourar! - fiz drama vendo Hoseok reviarar os olhos mas os arregala enseguida.

Hope: Aquilo é um portão?!

Arregalei os olhos surpreso ao ver um grande portão coberto por neve, mas dava para abrir. Hoseok não esperou menos, se aproximou e empurrou o portão enorme, porém o mesmo não se moveu.

Hope: Me ajuda Jimin!

Acordo para vida, e o ajudo a empurrar o portão, o mesmo se abre silenciosamente por causa da neve. 

Entramos ansiosos, sorrimos um para o outro e saimos correndo pelo caminho de neve abaixada, como se fosse uma rua.

Não sabemos por quanto tempo corremos, mas chegamos meio que em uma pequena vila, e parece que todos estavam dormindo já que não há ninguém andando na rua.

Jm: Que horas são? - pergunto ofegante, Hoseok pega seu celular vendo a hora e o guarda novamente.

Hope: Duas e cinquenta e sete da manhã.

Porra, nós corremos tudo isso? Senti minhas pernas moles como gelatina, parecia que eu ia cair, e foi isso mesmo o que aconteceu, cai e só vi a escuridão me cercar.

Abro os olhos confuso mas cansado, levanto da cama rapidamente, corro para uma porta que tem no quarto, achando o banheiro. Aproveito para me liberar, porque puta que pariu, eu ia estourar a qualquer momento.

Saio do banheiro depois de lavar as mãos e saio do quarto dando de cara com um corredor, pego o caminho da esquerda vendo Hoseok sentado no sofá e uma moça muito bonita conversando com ele.

Assim que percebem minha presença no local, Hoseok já vem me abraçar, retribuo seu abraço.

Hope: Pensei que tivesse morrido idiota, sabe que horas são? Três da tarde Jimin, mas mas ainda bem que Hyuna estava voltando para acasa dela e acabou nos ajudando.

Rio baixinho com seu desespero para falar, me solto dele e olho a garota.

Jm: Obrigado. - agradeço.

Hyn: Vocês são daqui? Eu ia perguntar para Hoseok, mas ele também acabou desmaiando de cansaço. 

Jm: Não, Eu e meu amigo não somos daqui, na verdade... Nós nôs perdemos, e acabamos achando o portão, e entramos. Desculpe pela inavasão, é que a gente estava desesperado atrás de um abrigo. - expliquei mantendo a calma, nós estamos na casa de uma estranha, ou seja, tudo pode acontecer.

Hyn: Vocês vieram de muito longe então, foi um prazer ajudar vocês mas... Não sei como  posso ajudar vocês a voltarem para casa.

Abaixo o olhar magoado, escuto um suspiro do Hoseok. Queremos voltar para casa, e minha mãe? Como ela deve estar?

Hyn: Mas... - levantei o olhar para a mpça bela. - tem uma pessoa que pode os ajudar, ele é meio que nosso salvador. Então ele pode ajudar.

Hope: O dono? Pensei que você fosse a dona dessa vila. - exclama Hoseok surpreso. - Pode nos levar até ele?

Hyn: Não posso leva- los até lá, não faço parte da mansão. Mas conheço um amigo que pode levar vocês.

Assim que ela termina sua fala, entra um homem alegre.

 Hyn: BamBam! Que bom rapaz, já ia te procurar.

Bam: Vim tomar café antes de voltar ao trabalbo, e quem são esses?

Coro um pouco, ele tem a íris vermelha e é mais branco que o normal, isso está estranho. Mas pode ser lente.

Hyn: Bem, este é Hoseok, aquele é Jimin. Acabaram se perdendo na floresta e acabaram entrando aqui, eles precisam de ajuda, pode levar eles para a mansão? 

O tal do BamBam arregalou os olhos.

Bam: Você trouxe gente c

Comum para cá?! Como vocês entraram?

Hope: O portão só estava encostado. - Hoseok se pronunciou, já que eu estava confuso de mais para responder.

Bam: Tudo bem, eu vou levar eles até lá, mas por você Hyuna! 

Hyn: Ai seu fofo. - Hyuna brincou e depois nôs olhou. - Desculpa por ele ser "assim", é que ele trabalha de segurança o dia todo, por isso ele está bravo.

Bam: Aqueles idiotas não sabem trancar o portão não? Idiotas mesmo, vão levar uma bronca. Me sigam.

BamBam saiu da casa eu e o Hoseok o acompanhou, andamos por minutos, no máximo, vinte e cinco.

Paramos enfrente a "mansão" que parecia mais um castelo mas tudo bem.

Eu me pergunto, como essas folhas não caíram? E estão verdes, e que nem no chão tem neve... Estranho.

Havia um segurança ali, vigiando a porta... Mas tipo, só um? E se tiver um ladrão com arma? Pois ele está sem nada na mão, que confuso.

Isso realmente não tem segurança.

Bam: Kai! Como está?!

O segurança que parecia mais uma estátua, olhou BamBam e sorriu largo.

Kai: Estou bem BamBam, e você? Não ia trabalhar? Está de folga?

Bam: Não, eu vim falar com o Jeon, ele está?

Eu e o Hoseok apenas ficamos quietos, não queriamos estragar a conversa.

Kai: Sim, chegou as dez horas, mas julgo que não pode atender agora.

 O tal Kai olhou para mim e Hoseok confuso. 

Bam: Pode chamar ele? é uma coisa meio urgente.

Kai concorda com a cabeça e se vira, bate na porta cinco vezes, depois se virou e a porta grande de madeira se abriu.

Uma pessoa de cabelo loiro saiu da mansão e nôs encarou.

??: Quem são vocês dois?

Hope: Eu sou Hoseok e ele é o Jimin. - sussurou, me senti tenso ao ver o jomem loiro, então me encolhi.

??: De onde vieram?

Jm: Do norte.

Digo cortando Hoseok que iria falar, vejo o loiro arregalar os olhos e olhar BamBam que estava ao nosso lado, se afastou.

??: Nosso povo não aceita gente do Norte. Vão embora! - exclamou com ódio no olhar, porém com a expressão facial calma, para não preocupar algumas pessoas que passavam por perto.

Hope: A gente está perdido! Não conseguimos achar o caminho para casa, acabamos entrando aqui. A gente quer ajuda! - Hoseok pede me empurrando para trás dele, como se quisesse me proteger.

??: Ajuda? Se virem! Saiam daqui! Ou iremos tirar a força! 

Disse com calma, mas com ódio ao mesmo tempo.

Hope: Mas...

Toco o ombro do Hobi, meio vhateado e com medo, chamando sua atenção.

Km: Vamos embora por favor. Não vale apena. - digo baixinho, Hoseok suspira e da as costas para eles, e assim que nos viramos, uma voz diferente da do loiro, é escutada, mais grossa.

Nam: Que faladeira é essa?!

Eu e o Hobi nôs viramos, dando de cara com um homem de cabelo cinza. 

Kai: Senhor, esses são Jimin e Hoseok,  vieram do norte. - Kai se pronuncia. 

Nam: Do norte?

Bam: Sim. - confirma BamBam, e eu e o Hoseok ficamos quietos, um pouco nervoso.

Nam: Venham comigo.

??: Namjoon! Essas pessoas não podem ficar aqui!

Nam: Quieto Jin, quem manda aqui é o Jeon, ele vai saber o que fazer! - Jin ficou quieto. - Venham.

Nôs chamou novamente e entrou depois na mansão, eu e o Hoseok apenas concordamos com o olhar e seguimos o  tal Namjoon, subimos a escada principal e entramos em um corredor cheio de portas, e entramos em uma delas, dando de cara com uma biblioteca, grande por sinal.

Nam: Jungkook, tem duas pessoas querendo falar com você, mas não sei se gostara da visita. 

Olhei Namjoon com uma pequena raiva,  mas ele apenas me encarou e saiu fechando a porta grande.

O silêncio bateu de uma forma um tanto assustador, até parecia que não havia ninguém no local, olhei Hoseok desconfiado, então decido falar alguma coisa.

Jm: Vamos embora? Acho que não tem ninguém.

Hope: É, vamos.

Jk: Esperem. - olhamos na direção da voz, vendo um homem alto vindo em nossa direção, com o cabelo negro e um olhar, um tanto amedrontador. - Quem são vocês?

Jm: Eu me chamo Jimin e esse se chama Hoseok, nós nôs perdemos de casa.

Hope: E antes que nôs pergunte, nós viemos do norte.

Olho Hoseok com uma cara de: " Por que disse isso? Ele vai nos matar!

O homem me encara com um olhar profundo, me fazendo arrepiar, ele vai nôs mata, concerteza. Desvio o olhar já constrangido.

Jk: Do norte, vocês parecem ter vindo em paz. - disse calmo.

Hope: Nós viemos em paz. - confirmou Hoseok.

O homem rodeou a gente com calma, e isso me fez enxergar ele como um predadore enxergar eu e o Hoseok como seu alimento.

Parou de andar, parando em nossa frente, me encarou, e por fim assobiou e ssgundos depois, dois seguranças entraram, o que eu achei estranho.

Jk: Prendam eles. - mandou e eu e o Hoseok arregalamos os olhos no mesmo momento.

Jm: Olha no que deu Hoseok! Não era para você ter falado.

Hope: Caralho, ele é o presidente ou algo do tipo? Como assim ?! Prendam eles? A gente não robou e não matou ninguém!

Reclamou Hoseok frustrado.

Eu estou irritado, confuso, irritado, frustrado e ansioso.

E olha, a gente não está em uma cadeia não, a gente está em uma masmorra, e a cela não é tão limpa assim, tem ossos crânio de pessoas, sangue, correntes manchadas com líquido vermelho, arranhões na parede com pequenas escritas  nada haver, e só.

Não tem cama, não tem privada, não tem pia, não tem luz! E sabe, está anoitecendo, ou seja, escuridão para o nosso lado. o bom é que tem dois seguranças aqui, com tochas.

Eu tinha quase certeza que esse negócio de prender pessoas em masmorras, é proibido, nem deveria ter essa praga mais.

Eu queria estar comendo, eu quero escovar os dentes e desejo tomar um banho, mas nenhuma dessas coisas possso fazer.

Me encosto na parede, e sento no chão, com fome e sede, me encolhi no cantinho, me juntando na escuridão, já que a pequena luz solar batia na janela, batia só no meio da cela, iluminando só aquela parte.

Hoseok se junta a mim e começa a chorar, pegaram o celular dele, então deve estar acabado mesmo, o entendo, se tivesse macaco aqui, eu estaria morto aqui.

Jm: Hope, o que vamos fazer? Eu estou com fome, estou com sede, eu preciso de água e comida.

Hope: Não vamos morrer de sede, vamos morrer de fome... Ou iremos devorar um ao outro e eu acho que é isso que ele quer. - choramingou e eu abaixei a cabeça começando a chorar.

Jm: Que homem cruel. -sussuro com a voz recarregada de tristeza, fraca e baixa.

Sabemos aue os seguras estão escutando, mas não podemos nos privar de nôs falar, se não ficariamos loucos.

Eu e o Hoseok levantamos a cabeça rapidamente ao ouvir passos se aproximano cessarem depois de segundos.

Jk: Saiam, quero dicar a sós com eles.

Escutamos mais alguns passos e depois o barulho da porta se abrir, eu e o Hoseok ficamos nôs abraçamos, com medo.

Vimos ele se aproximar segurando uma tocha, e parar em nossa frente.

Ficamos quietos, ninguém resolveu abrir a boca para falar.

Choramingo fechando os olhos com força, Hoseok me abraçou mais forte, mas senti ele sendo puxado violentamente para longe de mim.

Jm: Hoseok! - grito vendo meu amigo ser arrastado sem dó alguma, ele chorava, e eu levanto rapidamente e corro até eles e seguro a mão do meu amigo, e o homem parou de andar para me encarar. - Larga o meu amigo, por favor! Eu te dou qualquer coisa, mas deixa ele por favor! Por favor! Tenha piedade!

Imploro em prantos, ele soltou Hoseok que gemeu ao se coledir com o chão duro, ele se aproximou de mim me encarando tão profundamente, que não resisti em me encolher com medo e desviar o olhar. 

Me empurrou, empurrou com certa força que me fez largar a mão do meu amigo e me fazer cair no chão.

E por fim, voltou a puxar Hoseok para fora daquela cela.

Hope: Jimin, me ajuda! - gritou assustado, e corri até eles mas Jeon fecha aquela porta na minha cara. Tento abrir mas é claro, o homem trancou.

Jm: Hoseok! Hoseok! - gritei choroso, batendo naquela maldita porta com força. - Não machuque ele! Escutou?! Não o machuque! - grito o mais alto que posso, para ver se aquele homem doentio escuta, mas só escuto o silêncio. 

Silêncio, comecei a odiar essa maldita palavra, me assusta, me fere mentalmente, me deixa louco, me deixa confuso, me deixa perdido...

Será que o Hoseok ficará bem? Será que estou sozinho aqui? Será que meu amigo... Será morto?

Tantas perguntas, mas todas não tem uma resposta.

E isso, me deixa ansioso. Se Hoseok morrer, não irei me perdoar.




Notas Finais


AHHHHH MEU DUS TERMINEI 😥😥 Grande de mais °<°
Pessoal eu já sei como irei postar os capitulos, será um dia sim e um dia não pois vou precisar para escrever são muito grande os capitulos '-'
Mas era só isso tchau❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...