História Immortal demons - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 21
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olha eu aqui, finalmente comprindo uma promessa.
O cara da foto de capa e o Abaddon

Capítulo 14 - Abaddon


Fanfic / Fanfiction Immortal demons - Capítulo 14 - Abaddon

Nightmares- e só o que sabem?

Pai- só? Por acaso você quer uma lista com pontos forte e fraquezas? Você já sabe até muito.

Tezarya- isso seria bom, mas já que não tem. Vocês já podem ir.

Mãe- ótimo.

Então ele se vira e vai embora.

Pai- educada como um beserker, eu também já vou tenho setores pra gerenciar e almas pra condenar então tchau.

Ele também vai embora.

Metatron- então oq fazemos agora?

Nightmares- vamos voltar pra base, e então veremos o que podemos fazer com as informações que temos agora.

~°~

Estamos no refeitório da base, não tem ninguém aqui só nós.

Abaddon- então quem é esse anjo aí?

Jack- meu irmão gêmeo. Ele estava no céu, com o monstro que chamamos de mãe.

Abaddon- e como são suas asas?

Meta- bem, são como a de qualquer outro anjo só que um pouco maiores. E meio douradas.

Abaddon- as minhas são totalmente negras e só são menores que as dos Jack, embora ele nunca as use.

Bia- falando nisso, porque você não usa suas asas?

Jack- porque elas são inúteis. Quando era pequeno, quando meus pais se separaram, meu pai me deu uma surra tão forte que quebrou minha asa esquerda e como não recebi o tratamento devido elas não se recuperarem e simplesmente não voam mais. Depois de quase morrer em um abismo decide que não as usaria mais.

Abaddon- eu lembro disso. Fui eu que te salvei de virar geleia no chão.

Any- e você Jonny?

Jonny- bom minhas asas são normais.

Any- eu quero ver.

Bia- vamos fazer assim todos vocês mostram suas asas.

Meta é o primeiro a mostrar as asas, são do mesmo tamanho que as minhas de ponta a ponta deve ter uns 7 metros. São de um tom claro de dourado, as penas parecem feitas de ouro. São majestosas.

Olho para o Abaddon ele está impressionado.

Abaddon é o segundo. Suas asas são menores de uma ponta a outra devem ter uns 6 metros, as penas são de um preto bem escuro, as penas parecem feitas do breu da noite.

Jonny vai logo em seguida as asas dele são de um tom claro de azul. As penas lembram o oceano. De uma ponta a outra devem ter uns 6 metros.

Eu sou o último. Não gosto da ideia de ter que mostrar minhas asas mas vamos lá, eu as liberto. Minhas asas tem uns 7 metros, originalmente elas eram brancas mas por causa da quantidade de sangue que derramei elas tomaram um tom avermelhado. A bia parece realmente hipnotizada, todos estão me olhando.

Bia- elas são ... Lindas.

Ela vem na minha direção e as toca com delicadeza. Um arrepio de leve vai da minha asa até a minha espinha. A olho com curiosidade. Quando ela pega confiança, ela praticamente as abraça.

Bia- ai meu deus elas são muito fofas, vou te adotar como travesseiro.

Jack- só pra avisar, seu “travesseiro” já foi banhado de sangue um milhão de vezes.

Bia- quem se importa, elas são fofas.

Distraído com a cena, Meta não percebe Abaddon, que já tinha guardado as próprias asas, se aproximando sorrateiramente atrás dele. Sem aviso prévio Abaddon começa a analisar as asas do Meta, que morde o próprio lábio pra não gemer. As asas, tanto pra anjos quanto pra demônios, são uma parte muito sensível, Abaddon tem mãos habilidosas. Mas o Meta não deixa barato e acerta ele com um soco o jogando longe, imediatamente guarda suas asas.

Jack- seu tarado desgraçado para de abusar do meu irmão.

Digo tentando não rir.

Meta- seu filho da puta desgraçado que merda foi essa?

Ele diz do lado da Bia, com o rosto vermelho, mas com a mão na frente pra tentar esconder.

Abaddon- ah seu chato, eu só estava tentando analisar a envergadura, a resistência, essas coisas.

Ele diz em tom inocente.

Meta- tá, vou fingir que acredito

Ele diz de cara fechada, mas consigo ver um sorriso ameaçando aparecer.

Jack- falando em gente abusada, o que vamos fazer agora?

Abaddon- que tal apresentar os prazeres do mundo ao seu irmão e das amigas.

Jonny- mas você etarado a décima potência mesmo, né.

Abaddon- vamos lá altezas, prometo não fazer nada.

Eu e o Jonny nos entreolhamos. Entao a tal Tezarya aparece do nada.

Tezarya- eu forneço a bebida. Por volta da meia noite vão para a cobertura.

A bia olha no celular.

Bia- mas isso é tipo daqui 20 minutos.

Tezarya- sim, só vou despistar sua mãe e já estou indo.

As meninas vão na nossa frente com o Meta, eu e Jonny lado a lado e o Abaddon fica irritando o meta em toda oportunidade que tem.

Acho que se não fosse pela Any aqui ele já teria esmagado o crânio do Abaddon a uns 10 minutos. Irônico, como ela e a mais nova e ainda sim, a mãe de todos nós.

Nós chegamos a cobertura, tem uns sofás e uma luminária no centro. Nos sentamos. Conversamos sobre coisas aleatórias.

Bia- então como são as coisas lá em cima?

Meta- no geral até que são boas, a única coisa ruim era minha mãe, o jeito como ela me tratava aquilo era angustiante. Mas no geral até que era bom.

Any- legal, isso é bom. Mesmo que nós não vamos pra lá é bom saber.

Meta- porque não iriam?

Elas apontam pra nós.

Meta- ah saquei.

Tezarya- cheguei.

Ela diz abrindo a porta e a trancando logo em seguida, tem duas caixas nas mãos.

Coloca tudo no chão.

Tezarya- ai minhas costas, acho que tô ficando velha. E olha que eu só tenho 25.

Ela tá mais descontraída, se joga no sofá entre a Bia e a Any.

Bia- porque ta fazendo isso?

Tezarya- você e desconfiada igual sua mãe, credo. Mas relaxa eu só tô aqui porque estava atrás de uma desculpa pra beber a um tempo. E na boa sua mãe e a maior empata diversão que existe. Por isso trouxe vocês pra cá, porque esse é o único lugar que ninguém pode nos rastrear ou nos vigiar.

Bia- isso soa estranhamente com algo que um serial Killer diria.

Então a Tezarya pega a garrafa que ela estava na mão e vira na boca da Bia, ela até tenta resistir mas acaba cedendo. Quando termina ela faz um careta.

Bia- mas que porra..?

Tezarya- você é chata que nem a sua mãe, puta merda, mas se for que nem ela no resto você vai ficar mais legal bêbada. E outra o único perigo que você corre e o de ter uma boa foda.

Jack- ei caralho.

Tezarya- relaxa cara. Bebi uma aí também, tem umas com erva do paraíso.

Em poucos minutos, estamos mais comunicativos do que devíamos.

Abaddon- vai Meta, fala vai, diz pra gente que foi seu primeiro amor.

Ele diz balançando o Meta.

Meta- vai pro inferno.

Abaddon- eu já vim de lá.

Bia- fala logo essa merda, foi um cara não foi? Por isso você não quer falar.

Any- pode falar cara, todo mundo aqui com exceção de mim e do Jonny e a gente nem tem certeza disso, todos aqui já tiverem relacionamento homossexuais.

Meta- até o Jack?

Bia- o Jack tem a melhor história de fuder com um cara que existe.

Ela fala de forma arrastada, depois da primeira que foi a força ela não parou mais. Tô ficando preocupado. Mas ela tá hilária.

Any também já está mais pra lá do que pra cá.

Tezarya tá dando risada.

Tezarya- isso é verdade, eu tenho um monte de histórias de pegar garotas, tipo sério, garotas são as melhores.

Jack- não tenho porque negar, eu peguei um cara. O Mike mas agora estamos os dois muito bem encaminhados.

Meta- o Albino? Puta merda, ele e lindo.

Bia- eu sabia. Quem é?

Meta- O Gabriel. Mas por causa das regras rígidas de relacionamento não foi pra frente e também minha mãe quase deixou minha cara em carne viva, ela disse que aquilo era errado e um inferno todo. Disse que eu acabaria como meu pai.

Any joga a garrafa dela no chão, sua expressão e de raiva.

Any- sua mãe, e a maior desgraçada que existe ela devia ser apagada da existência.

Jonny- amor calma, tá tudo bem. Ela tá lá nós estamos aqui.

Any- eu fico puta com essa merda, porra como alguém que mora no céu pode ser tão filho da puta.

Bia- concordo, alguém como ela devia ser banido pra uma alternativa mensalidade

Jack- que?

Bia- dimensão alternativa, porra.

Eu dou risada. Ela bêbada e muito engraçado.

Meta- e depois dele foi só a luxya.

Puta merda.

Any- essa merda de novo?

Meta- Oi?

Bia- o Jack já teve rolo com essa vadia aí também.

Jonny- tá bom, o que aconteceu foi que nosso pai em um dos testes dele pro Jack. Contratou uma arcanjo se não me engano pra entrar na vida do Jack, fazer ele se apaixonar e depois sair devastando ele totalmente. Meu pai queria saber se o Jack seria capaz de tomar decisões sábias mesmo com o coração devastado. Então ele foi atrás da mamãe pra perguntar a ela quem seria uma potencial candidata, e ela sugeriu essa Luxya disse que ela era muito boa e que fazia qualquer um se apaixonar por ela. Falando nisso acabei de perceber que o céu tá cheio de anjos meio mals, o que eu sei foi que a Luxya caiu por "acidente" perto do local onde o Jack estava enquanto fazia uma missão que o pai tinha mandado. E foi surreal a maneira como ele se apaixonou rápido eu deveria ter desconfiado, ela era controladora e ele fazia tudo o que ela mandava, um dia quando ele tinha feito toda uma coisa só pra pedir ela em namoro ela disse que não amava ele, é que tudo o que ela tinha feito foi a mando do nosso pai que ele era um fraco por se entregar tão facilmente e que isso o mataria. Pelo que entendi foi que mamãe já tinha usado essa mina.

Tezarya- que família de merda vocês tem, pai e mãe manipulando e maltratando os filhos. Dois irmão que se odiavam até pouco tempo, um que é meio perfeito, uma que é um anjo.

Jack- isso sem falar na nossa 'adoravel' Schan.

Tezarya- quem diabos é Schan?

Bia- ninguém, ainda não.

Ela bebi mais um pouco.

Bia- diz aí Abaddon você que está com o Jack a mais tempo, já pegou ele?

Jack- se tivesse rolado alguma coisa o seme seria eu e outra, que tara é essa de ficar procurando caras que eu já paguei?

Bia- eu sabia então teve mais do que o Mike.

Ela diz com um sorriso vitorioso no rosto. Suas bochechas estão levemente vermelhas.

Jack- não porra, eu ...

Antes que eu possa terminar de falar a risada do Meta ecoa por todo o local.

Jack- que foi?

Meta- e que.. desde que me lembro meus únicos momentos felizes são perto de vocês. Mesmo quando nos odiavamos.

Abaddon sem vergonha como é, aporveita esse momento de descontração pra abraçar o Meta. Que imediatamente o olha de forma mortal.

Meta- eu vou te dar um soco tão forte que você vai parar na lua.

Abaddon- agora eu vejo a semelhança entre você e o Jack. A diferença e que o Jack eu até posso não conseguir pegar, mas você vai ser outra história.

Ele diz olhando para a boca do Meta e passando o polegar pelo lábio dele. Meta imediatamente fica totalmente vermelho e da um soco na cara do Abaddon, mas ele desvia e imobiliza o meta no chão embaixo dele.

Abaddon- calma aí anjinho, relaxa eu não vou fazer nada ...que não queira.

Então ele dá aquele sorriso predatório. E vou admitir uma coisa eu quase cedi ao Abaddon, pra minha sorte meu pai tava por perto alimentando minha raiva compulsiva, do contrário teria mais história pra contar do que gostaria. Abaddon e mais alto que nos dois.


Notas Finais


Bjos de trevas e se gostarem comentem isso me deixa muito feliz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...