1. Spirit Fanfics >
  2. Império >
  3. O tiro

História Império - Capítulo 24


Escrita por:


Capítulo 24 - O tiro


Fanfic / Fanfiction Império - Capítulo 24 - O tiro

(Jimin On) 


Jm: O que? Mais uma vez? 

Sn: Sim. 

Jm: Tá. Quer que eu peça quando? Hoje? Amanhã? 

[A campainha tocou novamente] 

Sn: Vai logo ver quem é.

Jm: Aish, campainha chata! 

Eu saí do banheiro e caminhei lentamente até a sala. 

Seja lá quem for, deveria estar com muita pressa, pois não parava de apertar a campainha. 

Jm: Já vai! Calma. 

Sn: AMOR! QUANDO VIM TRÁS UM COPO COM ÁGUA, POR FAVOR! 

Eu apenas acenei com a cabeça e abri a porta. 

Dei de cara com um homem apontando uma arma para mim. 

Jm: Wow, parceiro. Calma aí! 

...: Cadê a Sn? - eu o olho desconfiado. 

Jm: Sn? 

...: Sim! Cadê ela? 

Jm: O que quer com ela? 

Ele ri. 

...: Tenho uma bala para colocar na cabeça dela. 

Eu respirei fundo. 

Jm: Quem te mandou? 

...: Não é como se eu fosse te falar, meu parceiro.  

Ele não parava de olhar pela sala, varrendo o local todo com o olhar. 

Jm: Ela não está aqui! Vai embora. 

Sn: JIMIN, QUEM É? - ela grita. 

...:É. Acho que ela está sim. Agora sai da minha frente. 

Jm: Não. 

Ele tenta entrar mas eu o empurro para fora. 

...: Eu mandei você sair. 

Jm: Se quiser chegar nela, vai ter que passar por mim primeiro. 

...: Com todo prazer. Creio que a sua cabeça também irá valer uma boa grana. 

Ele se recompôs e apontou novamente a arma para mim, dessa vez apertando o gatilho e disparando uma bala. 

Por sorte eu desviei. 

Sn: JIMIN!? 

Jm: SN, NÃO SAI DO BANHEIRO. FICA ONDE VOCÊ ESTÁ. 

...: Para de atrapalhar meus planos, Park. 

Jm: Quem te mandou aqui? - ele ri. 

...: Eu só quero ela. 

Jm: Eu já te falei que...

Sn: JIMIN? 

Olhei para trás e vi a Sn. 

Jm: VOCÊ NÃO ME ESCUTOU? 

Sn: O que está...

...: Isso vai ser mais fácil do que eu imaginei. 

Voltei a minha atenção para ele. Assim que ouvi o disparo sendo feito, eu bati na mão dele para o tiro não acertar a Sn. Mas não foi tão simples assim. 

Imobilizei o cara, joguei a arma dele para longe e de repente dois seguranças chegam e me ajudam a segurar ele. 

Sn: Jimin? - Eu olhei para ela. 

Ela tirou a mão do ombro e me mostrou a mão cheia de sangue. O tiro acertou o ombro dela. 

Jm: Sn!? 

Eu soltei o cara e corri até ela, mas não foi suficiente. Ela acabou desmaiando ali mesmo. 

Jm: SN? AMOR? AMOR ACORDA, CONVERSA COMIGO. 

Eu batia algumas vezes nas bochechas mas sem reação. 

Peguei meu celular e liguei para uma ambulância. Já os seguranças, garantiram de chamar a polícia. 


[•••] 


(Sn On) 


Não conseguia abrir meus olhos, minha garganta estava seca. Tentei mexer o braço, mas senti uma dor enorme. 

Com muito esforço, eu consegui abrir apenas um pouco dos meus olhos. Mas conseguir ouvir o grande barulho que estava próximo a mim. Eu reconheci as vozes. Eram os meus pais, a minha sogra, o Jimin, a Mina e a Nayeon. 

Pai: Já falei que a culpa toda é desse...muleque. 

Sogra: Por favor, Sr. Lopez. Jimin já falou que foi pego de surpresa. 

Pai: Nada disso teria acontecido se vocês não tivessem se misturado com a nossa família. 

Mãe: Querido, calma! 

Pai: Calma? Invadiram o apartamento da minha filha e atiraram nela. COMO VOCÊ ME PEDE CALMA? 

Na: Tio, por favor. Jimin já falou que não...

Pai: Nayeon, já falei pra você ficar quieta. 

Na: Mas...

Pai: Eu vou afastar ela de vocês. De todos vocês. 

Mina: Isso não é justo. 

Pai: Justo? Querem falar em justiça? Então tá. Justo não é a minha filha passar por tudo isso, sendo uma pessoa do bem. 

Sogra: Entendemos perfeitamente, Sr.Lopez. Mas a Sn...

Pai: Eu quero vocês longe da minha filha. 

Jm: O que? 

Pai: Longe. Principalmente você. 

Jm: Eu não vou sair de perto dela. 

Pai: Vai sim. 

Jm: Não vou não. Ao menos que ela mesma me diga isso. 

Pai: Então se prepare. Porque ela vai te dizer isso. Eu garanto. 

Sn: Pai...- digo em um tom fraco. 

Mina: Ela acordou. 

Mãe: Ah, graças a Deus. 

Toda a atenção fica em mim. 

Todos menos Jimin se aproximam da cama. 

Pai: Querida, como você está? 

Mina: Dói? 

Sn: Um pouco. 

Na: Garota. Você deu um susto na gente. 

Sn: A quantas horas estou aqui? 

Mãe: 5 horas. Mas não se preocupe. A bala pegou de raspão. 

Pai: Graças a Deus. 

Olhei para Jimin e ele estava com a cabeça baixa. 

Sn: Eu quero...ficar sozinha com o Jimin. 

Pai: Sn, eu não...

Sn: Por favor, pai. Eu quero. 

Mãe: Vamos. Deixem os dois. 

Meu pai tentou resistir, minha mãe o tirou a força. 

Jimin olhava para todos os cantos da grande sala, menos para mim. 

Sn: Ei. Qual foi!? Eu estou bem. 

Jm: A culpa foi minha. 

Sn: O que? Claro que não. Você salvou a minha vida. 

Jm: Salvei? Você está em uma cama de hospital. 

Sn: Que bom. Poderia estar em um caixão.

Jm: Não brinca com isso. - ele finalmente me encarou. 

Sn: Vem cá. 

Eu abro meus braços e ele rapidamente de abraça. 

Jm: Desculpa. 

Sn: Não precisa. Eu realmente estou bem. 

Jm: Fico feliz. 

Sn: Não liga para o que o meu pai te disse. Eu nunca vou te abandonar. Nunca vou dizer "não" para você. Eu te quero pra sempre. 

Ele desfaz o abraço e me encara. 

Jm: Mora comigo? 

Sn: O que? 

Jm: Vem morar comigo. Minha casa é cheia de câmeras e eu posso colocar homens lá para te proteger. 

Sn: Mas...

Jm: Por favor, aceita. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...