História Importância - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Sakura Haruno, Shisui Uchiha
Tags Itahina, Itasaku, Naruto, Romance, Sasuhana, Shisuhina
Visualizações 193
Palavras 5.051
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 10 - De onde menos se espera


Fanfic / Fanfiction Importância - Capítulo 10 - De onde menos se espera

And all I gave you is gone

Tumbled like it was stone

Thought we built a dynasty that heaven couldn't shake

Thought we built a dynasty, like nothing ever made

Thought we built a dynasty forever couldn't break up

Dinasty - Miia

________________________________________________________________________

Seus pés pisavam duro no chão de mármore da companhia Uchiha, havia sido um erro fenomenal ter ido até ali, mas ao menos tinha dito à verdade e se libertado do peso que era aquele segredo. Ela era inútil e desnecessária, como ele mesmo havia salientado, e apesar dessas palavras terem sido cruéis, elas carregavam alguma verdade, uma verdade que ela esteve ignorando por muito tempo. As pessoas a encaravam enquanto caminhava, e ela devia imaginar o nariz vermelho, os soluços e as lágrimas que corriam sem que ela pudesse conter.

Uma completa perdedora!

- HINATA... - Ela gemeu ao ouvir a voz dele se aproximando. – HINATA!

A morena simplesmente o ignorou, aumentando a velocidade dos passos e rezando mentalmente para que o moreno desistisse; como ele sempre havia feito. Suas preces, no entanto, não foram atendidas.

A enorme mão se fechou envolta de seu antebraço, detendo seus passos e enviando ondas de eletricidade por todo seu corpo. De repente, Hinata estava totalmente ciente do homem que a segurava com firmeza e cada vez mais próximo. Ela podia sentir os batimentos acelerados do coração dele, a respiração ofegante... Então ele a virou, e aqueles olhos de obsidiana deixaram-na hipnotizada tamanha era sua intensidade.

Ela notou a vermelhidão e umidade naquelas piscinas negras; ele tinha chorado!

Recuperando-se do susto, a morena puxou o braço e encarou de volta o rosto do homem que havia provocado boa parte de seus problemas atuais e possivelmente futuros. Hiashi a mataria por ter desobedecido e se aproximado de Itachi! Ela já até podia ouvir os gritos e o sermão interminável do mais velho em sua mente... De repente ela estava tão cansada!

Aqueles dois eram um peso enorme demais!

Itachi a encarava quase com dor, os dedos correndo com impaciência pelos fios negros e a incapacidade de se expressar frustrando todos os seus planos de perdão. Havia milhões de coisas que queria dizer, mais nenhuma delas parecia boa o suficiente naquele momento, nenhuma delas era adequada para demonstrar o que sentia. Céus, ele a amava tanto!

- Se você não tem nada pra dizer, eu preciso ir...

- Hinata, por favor... Nós precisamos conversar!

Ela congelou no meio do hall de entrada, as mãos se fechando em punhos e o coração acelerado batendo no peito. O cretino tinha a desfaçatez de dizer que eles tinham de conversar? Depois de toda a merda que ele tinha dito? O estalido de seus dedos fez algumas cabeças virarem, as novas lágrimas vieram acompanhadas do alívio, mas nada foi mais libertador do que encarar aqueles olhos e enxergar toda a surpresa e choque que sua atitude tinha provocado. Ela estava se sentindo muito melhor depois dessa tapa, será que se continuasse batendo seu humor melhoraria? E a morena decidiu desferir mais algumas tapas até se sentir melhor.

Kami, ela estava mesmo batendo nele?

- Então, de repente, você resolveu conversar? – O moreno a encarou com surpresa, levando um cutucão no ombro. – O que você acha que eu estava tentando fazer uns minutos atrás, seu idiota? - Outro cutucão. - Antes de ser enxotada do seu escritório na frente da sua amante? Nem mesmo meu pai me tratava dessa maneira Itachi, e acredite, ele sempre soube ser cruel!

Kami, ela estava mesmo gritando e cutucando!?

- Hinata, por favor, eu só... Eu perdi o controle, ok. – O moreno suspirou cansado, será que dava pra piorar? – Eu sei que eu fui um cretino com você, em inúmeras ocasiões... Mais o seu pai começou essa caça as bruxas e nossa empresa está á beira da falência. Eu sei que isso não é da sua conta, e que você não se importa... Eu perdi o controle, não me orgulho disso, mas estamos á um passo de perder tudo pelo que minha família lutou por anos, e eu não sei o que fazer!

Ela o encarou em completo silêncio. Sim, ela imaginava que a possibilidade de perder tudo pelo que havia lutado deveria ser exaustiva, mas isso não dava a ele o direito de ser um cretino e descontar suas frustrações nela. Duplamente idiota!

- Quando você descobriu sobre o bebê?

A súbita mudança de assunto à fez encará-lo com espanto, mas o que realmente a surpreendeu foi à falta de acusações e ofensas. Ele tinha um sorriso miúdo nos lábios, e os olhos transmitiam tanta paz que a morena deu um passo incerto para trás, confusa demais com aquela aceitação tão fácil.

- Você não tem nada pra dizer? – Itachi a encarou confuso, e a morena explodiu. – Não vai me perguntar quem é o pai do bebê? Me acusar de ter tido um caso, talvez? Ou de estar usando o bebê pra reatar nosso casamento? Quem sabe agora nós voltemos a ser o casal do ano?

E foi quando ela repetiu as palavras que ele mesmo havia usado minutos atrás, que Itachi finalmente percebeu: Ele havia sido um cretino por anos e tinha feito com a esposa a mesma coisa que o pai dela fazia. Eles haviam prometido amar e respeitar, mas somente Hinata havia cumprido aqueles votos... E ela tinha sido a melhor coisa que já lhe acontecera, ele tinha sido egoísta e mimado. Um riso nervoso de auto depreciação escapou de seus lábios, ele tinha desfeito um relacionamento perfeito e aberto mão de uma mulher espetacular por orgulho, e desconfiava que o ódio que ela sentia era apenas o primeiro dos inúmeros castigos que estavam por vir.

Kami sabia, ele merecia todos!

- Eu não preciso perguntar sobre nenhum caso, por que você é a mulher mais leal e honesta que eu já conheci! – Aquela altura o moreno podia perceber a aglomeração de pessoas ao redor. – E eu sei que você jamais usaria a nossa filha, você é nobre demais pra uma atitude tão baixa. E mesmo que eu não mereça, eu sei que você sempre foi fiel ao nosso casamento... Ela é minha filha, nossa filha!

A morena queria gritar com ele, derramar alguma coisa quente naquele rosto triste de anjo caído ou simplesmente socá-lo até aquele sorrisinho idiota e aquele olhar sonhador desaparecerem, mas tudo o que ela conseguiu foram mais lágrimas. Ela era uma massa de hormônios e ele amava a bebê, e mesmo que a vontade de bater nele ainda fosse forte, aquela constatação provocava um alívio tão grande que foi impossível conter os soluços ou afastá-lo quando os braços fortes a envolveram em um abraço apertado.

Céus, porque tudo tinha que ser tão intenso?

E foi no momento em que os braços dele envolveram seu corpo com força, e seus lábios depositaram um beijo em seus cabelos que ela sentiu. Inicialmente apenas uma pequena pressão, até ela sentir o segundo chute e finalmente notar que Ele também tinha percebido. A mão grande e quente descansou sobre seu ventre, e como que pressentindo a proximidade do pai, a bebê voltou a chutar. E foi então que Hinata encarou aqueles olhos pela segunda vez, e desejou que não tivesse feito.

Havia lágrimas ali, e o moreno não fazia nenhuma questão de escondê-las ou esconder o turbilhão de emoções que o engolfavam! Aquela criança era tudo o que ele havia desejado, sem nem mesmo saber. Sarada havia despertado seu lado paternal, mas apesar de ser uma criança maravilhosa ela não era sua filha e Itachi sabia que, cedo ou tarde, Sasuke acabaria cedendo. E esse bebê trazia tanta esperança... Esperança de que Hinata o perdoasse e que eles formassem a família que deveriam ter sido desde o início. Esperança de que ela pudesse de alguma forma esquecer as idiotices dele, e dar uma segunda chance ao relacionamento de ambos.

Ele a encarou nos olhos, suas mãos pousadas sobre o ventre ainda pequeno e seus sentimentos nitidamente refletidos em seus olhos. Ele a amava!

Ela se afastou, e o pânico que o assolou foi tamanho que ele teve que retê-la em seus braços. Ela era indiferente!

- Eu prometo que vou mantê-lo informado sobre os progressos do bebê. – A frieza nas pérolas quase podia ser comparada com Hiashi. – Também vou apelar ao bom-senso do Otou-san, o que ele está fazendo não é justo... Nem com seus funcionários, nem com a sua família... Essa perseguição é injusta e descabida, especialmente agora que você tem uma filha e mais um bebê a caminho!

Itachi quis rir da própria desgraça. Ele deveria ter sabido desde o começo que seria impossível esquecer uma mulher como Hinata, e aquela postura indiferente e frio distanciamento só o faziam lembrar quem era o culpado pela atual situação. Ele, um grande idiota que amargaria o fim do casamento para o resto da vida... Exatamente como Mikoto havia dito.

Ele deveria escutar mais a mãe, ela parecia saber o que dizia!

- Ela não é minha filha! – Ela o encarou imediatamente, os olhos abertos demonstrando surpresa. – Eu disse aquilo pra te magoar, te ferir... Sarada-chan é uma Uchiha, mas é filha do meu irmão!

- Me ferir... – A morena repetiu num sussurro; lágrimas não derramadas brilhando em seus olhos. – Por quê?

- Porque eu me dei conta de que te amava, e não tinha coragem para lidar com meus próprios sentimentos...

A incredulidade nos olhos perolados o magoou por inúmeras razões, a maior delas: Ele próprio tinha feito aquilo, ele tinha quebrado a confiança dela em milhões de pedaços inúmeras vezes. Ele tinha rechaçado todas, e cada uma das tentativas dela de fazer o casamento deles dar certo e, por fim, tinha magoado ela com a mentira mais vil de todas... A criança que ela sempre havia desejado enquanto casados.

- Me amava? – As palavras dela o despertaram do torpor, e o moreno não reagiu quando ela o empurrou se afastando. – Você mentiu pra mim! Me fez acreditar que amava outra mulher, que tinha uma filha com ela... A criança que eu sempre desejei... A criança que você nunca quis me dar.

- Eu sei que eu fui um idiota...

- Idiota? Você foi bem mais do que isso, você foi um cretino, insensível e egoísta. – A morena se afastou alguns passos, o olhar perdido e as mãos correndo nervosamente pelo ventre. – Eu te amei tanto, Itachi... Mas tudo o que eu mais quero agora é você bem longe de mim!

Hinata parecia à beira de um colapso, e o moreno deu apenas um passo na direção da ex-mulher antes de ser detido; seus olhos flamejando ao encarar o semblante inexpressivo do irmão caçula.

- Você realmente deveria deixá-la em paz. – E quando Itachi estava prestes a retrucar, foi novamente impedido. – Ela está grávida, saiu do hospital há poucos dias e parece bastante perturbada... Duvido que a sua companhia seja o ideal no momento!

- O que você pode saber? Você vem fugindo das suas responsabilidades...

- Digo o mesmo de você maninho... Acabou com o próprio casamento, abandonou a esposa grávida e agora tá bancando o marido arrependido, perdi alguma coisa? Ao menos eu tenho a justificativa de não ter tido conhecimento dos fatos, você não, você fez tudo muito consciente, com perfeição... Como tudo o que você faz, certo!?

E enquanto o caçula dos Uchiha caminhava na direção de sua ex-mulher, Itachi foi incapaz de dar um passo ou sequer se mover por alguns segundos. Ele tinha ferrado com o próprio casamento, tinha perdido a mulher que amava e ainda havia decepcionado o irmão e a família. Será que havia mais alguma coisa para dar errado!?

-----oOo------

Ele a alcançou já na saída do prédio, o rosto vermelho e banhado de lágrimas. Parecia tão destruída e desesperançada como ele próprio, por isso, quando ela tentou se livrar de seu agarre, tudo o que ele fez foi puxá-la de volta para seus braços e apertá-la com firmeza enquanto depositava um beijo cálido na testa da morena.

Ele precisava daquele consolo tanto quanto Hinata.

- Vamos, vou te levar ao lugar perfeito!

Entorpecida demais pela própria dor, e pelas palavras do ex-marido, Hinata deixou que Sasuke a conduzisse de volta ao interior do prédio. Nenhum dos dois notou os flashes que disparavam do outro lado da rua, ou o sorriso que se formou nos lábios do homem ao assisti-los afastando-se abraçados.

________________________________________________________________

Ele dirigiu por horas e em completo silêncio, os olhos fixos na estrada e uma mão firmemente atada á sua, em uma demonstração de carinho e amizade que a morena jamais esperava vindo de alguém tão "egoísta e mimado" como ele. Em algum momento durante o caminho seus olhos pesaram e ela adormeceu; torturada pelos acontecimentos recentes e quebrada em milhões de pedacinhos.

Ela estava desistindo do Homem que amava, e a sensação não poderia ser pior!

Hyuuga Hinata desejava ser livre do homem egoísta e cruel que havia cruzado seu caminho, Uchiha Hinata ansiava pelo amor que ela só poderia encontrar nos braços daquele mesmo homem.

Itachi.

Sasuke deixou que um suspiro pesaroso escapasse de seus lábios ao notar a lágrima silenciosa que correu pelo rosto níveo de Hinata enquanto ela dormia. O moreno só podia imaginar o tamanho da desilusão que ela havia tido, e a dor provocada pela exposição de todos os erros do irmão. Itachi merecia apanhar, e ele se encarregaria daquela surra pessoalmente, mas em outra hora.

No momento, sua futura cunhada precisava de toda atenção e amizade que ele pudesse oferecer!

Já era noite quando ele alcançou seu destino, a antiga casa de campo da família, e uma das primeiras propriedades dos Uchiha, que remontava ao período feudal. Um sorriso miúdo se desenhou em seus lábios, ele adorava aquele lugar: o cheiro, o verde, a brisa fresca, o céu brilhante, mas principalmente a enorme e antiga construção de madeira erguida de frente á um lago que havia atravessado gerações.

Aquele lugar emitia todas as sensações que sua convidada mais precisava: Paz e sossego.

Ele a ergueu nos braços enquanto avançava em direção á antiga construção, e nem mesmo aquilo foi o suficiente para despertá-la. A porta da frente estava aberta e o fogo crepitava na lareira da sala de estar assim como ele havia orientado a srª Mayu mais cedo. E foi somente quando ele a depositou gentilmente sob as mantas defronte á lareira que os olhos perolados se abriram devagar e um sorriso miúdo e sonolento riscou-se no semblante outrora choroso.

- Desde quando você é tão gentil?

- Digamos apenas que eu evito chutar cachorrinhos, e tenho uma queda por grávidas.

A morena deixou que um sorriso sincero se desenhasse em seus lábios, um sorriso que havia muito tempo o mais jovem dos Uchiha não via estampado no semblante da mulher. E foi naquele momento que o moreno finalmente entendeu o desespero de seu Nii-san em reconquistá-la. Hyuuga Hinata era uma mulher apaixonante! Sasuke ocupou o lugar ao lado da morena, um arquear de lábios que não chegava a ser um sorriso e um semblante misterioso.

Naquele momento, Sasuke parecia capaz de desvendar todos os mistérios do mundo!

Acho que eu finalmente posso entender parte do desespero do Nii-san. – Os olhos perolados fixaram-se no moreno, o sorriso sumindo. – Você é perigosa Hyuuga!

- O que você quer dizer?

- Esse sorriso Hinata, esse sorriso... O Nii-san sempre foi um completo idiota em relação á você!

A morena inclinou adoravelmente a cabeça para o lado, encarando-o com aqueles enormes olhos perolados. Sasuke teve de reprimir a vontade de afagá-la como um filhotinho.

- Não estou conseguindo acompanhar seu raciocínio.

- Você lembra o que ele fez com aquele seu amigo cachorro? – A morena fez uma careta, Sasuke riu. – Ele sempre deixou muito nítido pra todo mundo que você era "a mulher dele", menos pra ele mesmo... Acho que o término com aquela idiota mexeu com os neurônios dele.

- Você não deveria falar assim da mãe da sua filha!

- Isso não foi legal Hyuuga... E eu estou me esforçando muito pra ser legal!

- Porquê?

- Você merece.

Foi à vez do moreno fazer uma careta, e Hinata deixar que um sorrisinho se desenhasse em seus lábios. Ela jamais imaginaria algo próximo a carinho e preocupação vindos de seu ex-cunhado egoísta e vaidoso, mas agora ela sabia que era apenas como Mikoto sempre havia dito, seus filhos se escondiam atrás de fachadas por medo de saírem machucados.

Sem saber que aquela atitude acabava sempre machucando quem ousava se aproximar demais.

Ela olhou de soslaio o moreno sentado ao seu lado, todo o relaxamento e descontração de momentos atrás haviam desaparecido, e em seu lugar havia se desenhado uma careta confusa que ela já o vira esboçar uma centena de vezes quando estava irritado, ou simplesmente confuso; o que parecia ser o que acontecia naquele momento.

- Eu sempre achei a Sakura irritante! – A morena virou-se imediatamente para Sasuke, seus olhos negros refletiam o fogo da lareira e o Uchiha parecia imerso em lembranças. – Nós nos conhecemos no primário, e passamos grande parte da infância e adolescência estudando juntos... Ela era inteligente, bonita e tudo o que os outros caras pareciam querer...

- Mas não você..

O moreno deixou que um sorriso miúdo e misterioso se desenhasse em seus lábios. Ele não acreditava que estava dizendo todas aquelas coisas em voz alta, muito menos compartilhando seus sentimentos com alguém. Quase se sentia como uma adolescente confidenciando o ultimo desastre amoroso a melhor amiga, o moreno bufou irritado, afastando aquele pensamento, no minímo, humilhante!

- Até o "Dobe" se apaixonou por ela. – Um som de escárnio escapou de seus lábios. – E eu só conseguia pensar em como todos aqueles caras conseguiam olhar pra ela e enxergar algo além de irritante? Até aquela noite, muitos anos depois... Quando ela viu vocês dois juntos.

A morena afastou os olhos do cunhado, fitando o crepitar da lenha e deixando-se anestesiar com o som da tempestade que caía lá fora. Hinata sabia muito bem como era a sensação de se sentir abandonada e preterida. Ela havia convivido com o sentimento de incompletude por todo o relacionamento, e mesmo que quisesse, não poderia culpar Itachi pela falta de sentimentos. ELA havia escolhido permanecer ao lado dele, sabendo que não era correspondida.

Deixando que um suspiro cansado escapasse de seus lábios, a morena descansou a cabeça nos ombros do cunhado, sendo imediatamente envolvida em um abraço fraternal e mais necessário do que ela gostaria de admitir.

- Eu a vi ali de pé; engolindo as lágrimas e tentando demonstrar uma força que ela claramente não tinha. – O moreno começou; a voz denotando incômodo. – E tudo o que eu consegui enxergar foi uma mulher maravilhosa, forte e determinada! – Sasuke suspirou, completando. – O resto você já deve imaginar, nós bebemos demais e saímos da festa juntos... E por mais que eu queira, não existe a mínima possibilidade de a menina ser do Nii-san.

Ele não soube quando aquilo começou, só deu-se conta do que estava acontecendo quando Hinata o envolveu em um abraço forte e o fez descansar em seus braços enquanto ele dava vazão a todos os sentimentos conflitantes que estava sentindo desde que descobriu Sarada.

A menina era linda, inteligente e era FILHA dele!

Aquela constatação o chocou tanto que ele próprio se surpreendeu com as lágrimas que vertia, apertando os braços envoltos na cintura de Hinata e buscando salvação como um náufrago anseia pela sobrevivência. Ele podia sentir o afago em seus cabelos, às palavras de conforto sussurradas por aquela voz de anjo e toda docilidade que ela transmitia... Sim, era fácil entender o desespero de seu Nii-san!

- Que tal comer alguma coisa? – A morena se surpreendeu com a mudança brusca de assunto. – Minha sobrinha já passou tempo demais sem se alimentar!

E sem dar chance de resposta á morena, ou sequer lhe lançar um olhar, o moreno sumiu pelos corredores do castelo, retornando minutos depois completamente recomposto e com um mini banquete nas mãos. Um sorriso doce desenhou-se em seus lábios, era bom saber que mesmo Uchiha Sasuke poderia ser um homem "doce", e ela se sentia aliviada, porque ao menos sua irmã saberia o que era ser plenamente amada.

Como foi que se apaixonou pela minha imouto!?

Sasuke se assustou com a pergunta a queima roupa e quase levou bandeja e toda comida ao chão devido à surpresa, seu olhar transparecendo todo constrangimento que sentia pela pergunta e a irritação pelo sorrisinho confiante que se desenhou nos lábios de Hinata ao notar seu rubor. O moreno bufou, ele jamais deveria ter dito algo àquela mulher, ela era perigosíssima e ele sequer conseguia deter o rubor na frente dela!

______________________________________________________________

 

Ele observou os ocupantes da mesa com desconfiança. O jantar transcorria com tranquilidade, e só isso já era o suficiente para que ele estivesse em completo alerta, observou o semblante sereno da esposa enquanto está lançava olhares encantados vez ou outra na direção da neta que ficaria ali pela primeira vez enquanto a mãe trabalhava, depois seus olhos pousaram no sobrinho, Shisui parecia sombrio e era nítido que algo o incomodava seriamente, prova disso eram as caretas que fazia e a mão que vez ou outra apertava a fronte, seu primogênito não parecia muito diferente, segurando o garfo com força desnecessária e alheio à conversa que Mikoto tentava iniciar já há alguns minutos.

E ainda faltava o caçula, motivo recente de seus aborrecimentos e pai ausente do pequeno anjinho que a dias enchia sua vida com um pouco mais de luz! Foi então que batidas violentas na porta o arrancaram da bolha de falsa tranquilidade, e o patriarca Uchiha suspirou inconformado. Aparentemente não seria naquela noite que ele teria algum sossego, e Fugaku só podia imaginar qual seria a confusão da vez, e qual de seus filhos seria o responsável.

Quando Hyuuga Hiashi invadiu sua sala de jantar como um lunático de olhos tão vermelhos como um cão raivoso, Fugaku suspirou desanimado... A noite seria agitada e eles teriam apenas mais do mesmo!

- Onde está a minha filha, Itachi?

Mikoto foi rápida em tirar Sarada da sala de jantar, lançando um olhar assassino na direção de Hiashi que o fez recuar alguns passos. Fugaku apenas remexeu a salada e apoiou o rosto em uma das mãos, esperando a enxurrada de ofensas e acusações que certamente não demoraria muito em chegar. Shisui pressionou os olhos com força e tentou controlar a dor ao máximo que podia, elas haviam se tornado frequentes durante os últimos dias e o moreno suspeitava que tinha algo a ver com a atmosfera pesada da Mansão Uchiha, Tobirama havia sido sucinto ao alertá-lo sobre estresse desnecessário.

Itachi levou apenas um segundo para receber a mensagem e processá-la em seu cérebro. Ele havia sido estúpido o suficiente para deixar Hinata nas mãos de seu irmão irresponsável e idiota, e agora a morena havia simplesmente desaparecido... E ainda havia sua filha, sua pequena sequer havia nascido e já sofria com seu egoísmo e covardia.

- Não vejo a Hinata desde hoje cedo Hiashi-sama... – O Hyuuga franziu o cenho, talvez ele tivesse se precipitado ao procurar os Uchiha em primeiro lugar. – Nós tivemos uma discussão e Sasuke a levou; foi a ultima vez que a vi.

Itachi podia ver a veia saltando no semblante irritadiço do Hyuuga, era nítido que o homem debatia-se entre brigar com ele ou buscar maiores informações sobre o paradeiro da filha. Ele próprio sofria a mesma disputa interna.

Onde seu irmão se enfiou com a minha filha? – Itachi franziu o cenho ao notar o tom autoritário. – Se houve uma discussão, eu posso apenas imaginar o tipo de conversa que vocês tiveram... Um assunto em que eu fui sucintamente contra toda e qualquer participação sua e de sua família... Minha neta não precisa de um pai como você!

Mikoto estagnou na porta enquanto ouvia atentamente as palavras de Hiashi, seus olhos detendo-se momentaneamente no Hyuuga e depois no olhar colérico que seu filho endereçava ao homem mais velho, não era daquela maneira que ele queria contar aos pais que em breve eles teriam mais uma netinha. Fugaku endireitou as costas e franziu o cenho, aquela era uma fofoca nova e irritava-o saber que a vida de sua família começava a assemelhar-se fielmente aos dramas que a esposa tanto adorava... Ele já até se sentia como um figurante dentro da própria casa!

- Então a Hime-chan finalmente contou sobre o bebê!?

Os olhos de todos na sala voltaram-se para Shisui. O moreno exibia um sorriso trocista e sentiu-se estranhamente magoado com o rumo que as coisas estavam tomando. Ele sabia que Hinata era proibida, ele sabia que aquele bebê pertencia á seu primo e sabia acima de tudo que não poderia proporcionar á morena tudo o que ela merecia, no entanto, nada o impedia de sonhar como um colegial e suspirar apaixonado enquanto pensava na mulher.

- Você já sabia?

A pergunta veio de Itachi; e Shisui permitiu-se alguns segundos em completo silêncio antes de lançar um olhar lúgubre na direção do primo e responder.

- Eu a encontrei em uma poça do próprio sangue, prestes a perder o bebê!

Ele viu o exato momento em que a expressão de seu primo foi tomada pelo pânico e "quase" sentiu piedade, mas nada pôde prepará-lo para o olhar choroso e apavorado de Uchiha Mikoto. A mulher entrelaçava as mãos sobre o peito e tentava inutilmente conter as lágrimas que já corriam livremente pelo seu rosto.

- Hinata-chan...E-Ela não, ela não ia nos contar nada sobre o bebê?

Mesmo Hiashi sentiu-se incomodado com o desconsolo e desilusão da mulher, que a essa altura já era amparada pelo marido e deixava que as lágrimas corressem livres pelo rosto. Shisui suspirou cansado, a cabeça doía como se o coração batesse no cérebro e o moreno só podia imaginar o que todo esse estresse e ansiedade fariam para contribuir com algo que já era insuportável.

Ele deveria repensar seriamente sobre sua estada na casa dos tios!

______________________________________________________________

Ele cerrou os punhos e tentou o máximo que podia não transparecer a irritação que sentia. Ele tinha descoberto há alguns dias que a mulher que achava que era uma alucinação criada pela bebedeira estava bem debaixo do seu nariz durante todo aquele tempo, e agora simplesmente não conseguia entender como aquela maldita foi capaz de se manter longe dele, e ainda sorrir de alguma piada idiota de um ser tão idiota quanto Sabaku no Kankuro.

Será que só ele havia sentido aquela química explosiva? Será que só ele sonhava com aquela noite? Desejava mais?

Neji rosnou, a carranca se aprofundando a cada cochicho e risinho que TenTen deixava escapar, os nós dos dedos tornando-se brancos a medida que o tempo passava e aquela maldita reunião se estendia desnecessariamente. Ele queria sair daquela sala, arrastar sua assistente pessoal pra bem longe dali e reavivar as memórias dela pra que ela se sentisse tão necessitada e desesperada quanto ele próprio!

Ele quase urrou de alívio quando um dos sócios de seu tio deu a reunião por encerrada, seus passos levando-o instantaneamente pra mais perto da morena e ignorando todos que tentaram iniciar um diálogo ou uma aproximação. Definitivamente aquela mulher havia mexido com ele, Neji orgulhava-se de jamais haver negligenciado o trabalho, e agora se resumia a isso!

- Oh TenTen-chan, que tal um jantar a dois hoje á noite? - Neji bufou, controlando o impulso de socar o atrevido. - Depois podemos pensar em um programais mais... Adulto!?

Neji fechou os olhos por um segundo tentando se controlar, ele estava a ponto de socar o irmão de um dos sócios mais importantes de seu tio e tinha certeza de que não se arrependeria nem um pouco se o fizesse, talvez Gaara até agradecesse. Mesmo que sua atitude intempestiva provocasse o fim da sociedade, o moreno avaliava os danos mentalmente,chegando a conclusão de que valeria muito a pena.

- Sinto muito Kankuro-dono, Mitsashi-san estará ocupada demais fazendo hora extra para jantar com alguém essa noite, existe uma dezena de novos acordos que precisam ser revistos depois dessa reunião!

A morena arregalou os olhos com espanto enquanto suas bochechas ganhavam um tom de vermelho intenso pela chegada abrupta e interrupção do patrão. Ainda chocada demais, a morena permitir que Neji a arrastasse dali sem sequer dar a ela a chance de se explicar, conduzindo-a direto para o escritório dele em completo silêncio e com uma carranca que a teria assustado senão estivesse queimando em fogo brando.

- Qual o seu maldito problema? – O moreno arqueou as sobrancelhas, desde quando ela falava com ele daquele jeito? – O que deu em você pra agir daquele jeito?

- Você está aqui para trabalhar... Além do mais, realmente quer sair com aquele idiota? Eu não sabia que você tinha uma queda por pervertidos.

Ela o encarou em completo silêncio, a confusão em seus olhos castanhos seria cômica senão fosse trágica. Neji bufou internamente, ele deveria ter se controlado, deveria ter controlado os ciúmes. Mas a situação se tornará simplesmente insustentável quando ele a viu sorrindo das piadas idiotas daquele imbecil e corando com o que quer que fosse que o homem estivesse sussurrando em seu ouvido... O sangue havia subido, e nem Ele havia conseguido conter a vontade de afastá-la de Sabaku no Kankuro.

- Você tem trabalho a fazer, não vai poder sair.

- Eu sinto muito Hyuuga-sama, mas eu também tenho um horário de expediente... É um direito meu e está vigente no meu contrato de admissão.

Ela realmente estava o desafiando? Só pra jantar com aquela piada?

- Você não pode se encontrar com esse cara!

- E porque não?

- Porque EU não quero!

- E com que direito você decide com quem eu saio, ou não!? – TenTen estava prestes a surrar aquele imbecil, quem ele pensava que era? – Você não é o meu dono, você é meu chefe... NADA, além disso!

- Eu não teria tanta certeza disso se fosse você!

E sem dar a morena a chance de recuar ou esquivar-se, Neji a agarrou pelos cabelos e a trouxe até ele, os lábios punitivos sobre os dela e um gemido de pura necessidade escapando de seus lábios. Mitsashi TenTen superou qualquer fantasia que ele teve até aquele momento, e Neji sequer havia começado.

 


Notas Finais


Hello People!

Andei meio desaparecida devido á uns imprevistos familiares bem chatos... O mês de julho foi um pesadelo interminável e agosto apenas seguiu pela mesma trilha.

Enfim, o capitulo foi porcamente revisado e portanto deve estar recheado de erros, mas se eu não postasse hoje, seria apenas no fim do mês!

Sobre o capitulo: Ele não está nem perto do produto final que eu queria, faltou um hentai e cenas InoSai... A ideia do SasuHina surgiu e eu achei a interação dos dois super fofa, mas já adianto que não vai passar disso... Sasuke ama a Hanabi e a Hinata ama ? Ainda não sei quem ela ama!

Vou entrar em maiores detalhes sobre a relação do Sasuke e da Sakura futuramente, por isso as coisas ficaram um pouco "Rasas" aqui, a intenção dele era apenas explicar as coisas de um ponto de vista diferente, sem se expor demais.

Outra coisa importante é o Shisui, fiz meu dever de casa e nos capitulos seguintes devo começar a introduzir a raiz dos problemas dele, e o grande motivo de ele evitar tanto relacionamentos amorosos.

Não sei quando o próximo sai, as coisas começaram a aliviar aqui agora e ainda é um pouco ruim simplesmente sentar e ter um momento de silêncio! Especialmente quando você tem uma terrorista de dois anos de idade correndo solta pela casa!

Enfim, peço um pouquinho de paciência e com sorte esse mês ainda teremos mais uma atualização! (Oremos)

Bjos e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...