História Impossible Love - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Got7, Lee Min Ho, Lee Soo-Hyuk
Personagens JB, Jinyoung, Lee Min Ho, Lee Soo-Hyuk, Mark, Youngjae
Tags Got7, Jaebum, Jinyoung, Kactors, Kidols, Kpop, Lee Min Ho, Lee Soo-hyuk, Youngjae
Visualizações 9
Palavras 1.316
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite!! Aqui vai mais um capitulo ;) Espero que estejam a gostar até agora!! :)))
O ship dos Got7 está quase a chegar por isso quem estiver ansioso por eles espere só mais um pouquinho!!
Beijinhos!!!
( caso haja erros ortográficos, peço desculpa! )

Capítulo 8 - POV Minho


Fanfic / Fanfiction Impossible Love - Capítulo 8 - POV Minho

Quinta feira, dia 21 de Julho. Tinha passado exatamente uma semana desde que tinha conhecido Soo Hyuk. Senti-me um pouco assustado já que nos tínhamos aproximado muito em tão pouco tempo. Este dia foi um dos dias mais especiais para mim, mas também foi um dos dias que mais me causou nervosismo e um pouco de desanimo.  

Quando cheguei à escola soube de uma noticia que me deixou muito feliz! Jinyoung e Na Ri tinham começado a namorar. Nós já brincávamos a dizer que eles eram namorados e ambos gostavam muito um do outro mas ainda não era oficial. Ficamos todos muito felizes por eles os dois. Foi um pouco complicado ao inicio pois a Na Ri e o Soo Hyuk "namoravam" devido ao negocio entre ambas as famílias, mas já tinham acabado com isso à algum tempo. O único que estava feliz mas um pouco desanimado era o Jaebum, já que era o único "solteiro" no grupo. 

Jaebum- Isto não é justo! O que é que eu não tenho que vocês têm? 

Soo Hyuk- Deixa de procurar por namoradas, pode ser que alguém apareça. 

Jaebum- Se eu não procurar não vai aparecer! 

Soo Hyuk- Aí é que estás enganado...quanto mais procuras menos encontras. 

Na Ri- O Soo Hyuk tem razão! Não fiques muito preocupado! De certeza que vai aparecer alguém.  

Jaebum- Qualquer dia viro-me para os gajos. Minho ainda estás disponível? 

Soo Hyuk revirou os olhos e disse com uma cara séria 

Soo Hyuk- Ele não gosta de ti. 

Jaebum- Ai...desculpa se feri os teus sentimentos!  

Toda a gente se começou a rir e mais uma vez o Soo Hyuk não percebeu e ficou chateado. 

Na Ri- Simplesmente ignora Soo Hyuk 

Ficamos a falar mais algum tempo e depois fomos todos para as aulas... passaram demasiado devagar. Cada vez que olhava para o relógio o tempo passava cada vez mais lentamente, mas era impossível não olhar. Como naquele ano ficamos todos com o horário da manhã, saímos à hora do almoço. O caminho até casa foi mais alegre que o costume, normalmente depois das aulas estávamos todos cansados e não queríamos pensar em nada, mas naquele dia a conversa foi bem mais animada. Quando nos estávamos a despedir puxei levemente o braço de Soo Hyuk e questionei se nos podíamos encontrar mais tarde no parque onde estivemos com as crianças e ele aceitou um pouco curioso com o que aconteceria já que eu não lhe contei o que queria.  

Como sempre levou-me a casa mesmo que eu não quisesse. Tínhamos de atravessar a estrada. O sinal estava verde para os peões, mal comecei a andar um carro em alta velocidade passa e Soo Hyuk agarrou-me pela cintura e puxou-me contra ele. 

Soo Hyuk- Estás bem? - perguntou muito preocupado 

Eu- Acho que sim...obrigada... - sorri levemente e corei 

Se não fosse Soo Hyuk teria sido atropelado. Ficou agarrado a mim durante mais algum tempo enquanto olhava para os dois lados da estrada para ter a certeza de que não passaria mais nenhum idiota. Largou-me com calma e seguimos caminho. Comecei a pensar no momento em que me ia confessar e comecei a sorrir para mim mesmo enquanto balançava a cabeça para tentar tirar as imagens da minha mente. Soo Hyuk apercebeu-me e perguntou-me no que estava a pensar. Eu disse-lhe que não era nada, que apenas estava feliz. Retribuiu-me com o sorriso e olhou para o céu.  

Soo Hyuk- Chegamos! 

Queria que a viagem tivesse demorado mais tempo. Despedimos-nos e entrei em casa. Cozinhei a minha refeição e comecei a comer. Mandei uma mensagem a Soo Hyuk a dizer para nos encontrarmos por volta das 18:30. Esperei algum tempo pela resposta dele e passado 5 minutos obtive-a. Respondeu-me que sim.  

Passei a tarde toda a estudar e a pensar na roupa que ia levar... "Idiota leva a mesma que tens vestida!", pensei. Parecia uma rapariga a experimentar roupa para o seu primeiro encontro com o namorado. Desisti e acabei por ficar com a mesma que tinha levado de manhã, não fazia sentido mudar de roupa só porque me ia declarar. Saí de casa às 18:15 e como ainda estava calor e passei ao lado de uma loja de gelados comprei um e fui até ao ponto de encontro enquanto o comia. Quando cheguei lá, Soo Hyuk já estava sentado no banco de madeira a ouvir musica. Viu que eu já tinha chegado e acenou com a mão enquanto sorria. Sorri de volta e fui ter com ele. O meu coração batia extremamente rápido, parecia que ia morrer. Necessitava de me confessar, necessitava de mostrar-lhe o quanto o amava. Não sabia se era a escolha certa fazê-lo naquela altura, mas quer o resultado fosse bom ou mau eu iria fazê-lo.  

Sentei-me eu lado dele sem dizer nada. Olhou para mim com cara de pensativo e perguntou-me. 

Soo Hyuk- Então... o que queres dizer? 

Minho- Espera só mais um pouco... 

Soo Hyuk- Porquê?... 

Minho- Eu não sei o que dizer... 

Soo Hyuk- Como assim? Chamaste-me sem saber o que dizer? - riu-se levemente 

Minho- Estou a pensar numa forma de o dizer... 

Soo Hyuk- Aconteceu alguma coisa? - Perguntou preocupado enquanto colocava a sua mão no meu ombro. 

Minho- Aconteceu... 

Soo Hyuk- O que?? Diz-me! Assim eu posso-te ajudar! 

Minho- Podes? 

Afirmou que sim com a cabeça. Olhava para mim de forma preocupada. Olhei para ele sério e ficamos assim algum tempo. Não conseguia parar de olhar para os seus lábios... para quê falar se ia gaguejar? Estava tão nervoso que ia demorar meio ano para me declarar com palavras. Pensei que o melhor seria passar logo ao ato, o que me deixou com mais medo ainda, mas ao menos não teria de dizer nada, ainda assim, decidi dizer aquilo que estava a pensar.  

Minho- Acho que não vou conseguir explicar com palavras... 

Não lhe dei tempo de responder. Inclinei a minha cabeça e aproximei-me dele rapidamente até os nossos lábios se tocarem. Encaixavam-se perfeitamente um no outro. Os seus lábios eram macios e quentes. Olhava-me com os olhos arregalados provavelmente por estar surpreendido pelo meu ato, mas logo depois os fechou e entregou-se ao beijo tal como eu. Foi um beijo muito calmo, queríamos ambos explorar bem as nossas bocas sem pressa alguma. Colocou a sua mão no meu rosto enquanto eu colocava a sua no seu peito e intensificou o beijo até que me afastou um pouco bruscamente. Não conseguia olhar fixamente para algum lado. Levantou-se muito rapidamente. 

Soo Hyuk- Desculpa...mas não consigo... - disse com a cabeça abaixada e logo a seguir foi embora a passos rápidos.  

 Fiquei imobilizado no banco. Porque é que ele não conseguia aceitar? Tinha a certeza absoluta que ele gostava de mim, se não gostasse não me deixaria beija-lo nem teria aderido ao mesmo. Mas após demonstrar os seus sentimentos tentou logo apaga-los. Não conseguia entender o que ia na mente dele e achei que seria melhor deixa-lo pensar um pouco. Não fui atrás e fui direto a casa, não lhe mandei mensagem nem lhe contactei de forma alguma. Não sabia se devia estar feliz já que demonstrou que gostava de mim da mesma forma ou se ficava triste pois decidiu voltar atrás no ato...mesmo que tivesse voltado atrás tinha a sensação que era por pouco tempo...de qualquer forma apesar de ter todos estes pensamentos havia um que não me saía, o dos seus lábios. Queria tanto voltar a toca-los daquela forma, sentir o seu calor... 

Cheguei a casa e vi que tinha uma mensagem de Na Ri, provavelmente a perguntar-me como tinha corrido. Respondi-lhe a contar o que tinha acontecido e logo a seguir recebi a sua resposta, "Não te preocupes, nabo como ele é, simplesmente não quer aceitar que gosta de ti. Daqui a pouco tempo ele vai aceitar". Fiquei feliz ao ler aquilo, mas não queria que demorasse tanto tempo, queria tê-lo nos meus braços rapidamente... 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...