1. Spirit Fanfics >
  2. Impossible Not To Love You >
  3. 02

História Impossible Not To Love You - Capítulo 2


Escrita por: e Tia_Dite


Notas do Autor


Hello!
Gente desculpa pela demora, estava andando muito ocupada. Mas aqui está o capítulo 2 e espero que gostem pois deu muito trabalho. Bjs 💋💋❤️❤️

Capítulo 2 - 02


Fanfic / Fanfiction Impossible Not To Love You - Capítulo 2 - 02

~Capitulo 02: Brides

Hinata havia ajudado Hilda com todas as tarefas da mansão e agora ambas aproveitaram para irem até a biblioteca já que a jovem queria saber um pouco sobre os irmãos Sakamaki, Hilda lhe contou sobre cada um mas sempre tomando cuidado e escolhendo as palavras certas para usar, Hina não podia saber o que acontecerá exatamente com os vampiros no passado, já que suas infância não foram das melhores.

A pequena estava esperando na sala Yui e os outros chegarem, e quando já estava ficando cansada e fechando os olhinhos a porta foi aberta e rapidamente se levantou vendo todos de volta e Yui estava com uma cara meio triste, mas ao ver o rostinho da garota sorriu e a abraçou.

– Como foi sua aula?

– Yui, para meu quarto agora!– Reiji ordenou e a loira apenas beijou o rosto da jovem e a mandou ir dormir que logo estaria em seu quarto.

Hina obedeceu e foi para o quarto ainda meio desconfiada e se deitou na cama dormindo.

[•••]

– Reiji, por que eu vou ter que ir embora?

– Por que seu pai quebrou o contrato e novas noivas iram chegar!

– Mas e a Hinata? Poderei leva-la comigo? – Yui teve uma ponta de esperança e viu o vampiro se virá em sua direção.

– Não! – Seus olhos rosé se arregalaram e a mesma se levantou rapidamente da cadeira a deixando cair no chão. – Ela fará parte da mansão, quando tiver idade suficiente poderá ser uma noiva de sacrifício.

– Não irei permitir isso Reiji! – Um tapa foi deferido no rosto da loira e a mesma encarou o chão enquanto seus batimentos cardíacos se acelaravam. – Desculpe-me.....

– Saia daqui agora.

A loira saiu em passos rápidos e correu até o quarto de Hinata e a viu dormindo tranquilamente, sorriu e se aproximou beijando sua testa e a abraçou.

– Você vai ficar bem minha querida...

~ Um Mês Depois

Hinata já havia se acostumado com todos na mansão e virado amiga principalmente de Subaru e amando seu jardim onde passava maior parte do tempo. Esperava um dia poder ir para a escola junto de Yui e os outros, mas por agora sempre tinha lições com Reiji e se apaixonou pela literatura, vivia na biblioteca particular de Reiji escolhendo livros para se divertir com sua imaginação.

– Hina, você terminou seus deveres? – Perguntou Reiji ao aparecer no quarto da jovem e vendo que a mesma estava concentrada num livro. – Hinata!

– Oi! – A jovem saltou no susto e rapidamente pegou o caderno entregando para o mais velho. – Eu não fiz a segunda questão.

– Não importa, você melhorou muito em física, quando for para a escola passará facilmente. Está liberada para brincar. – Reiji se virou e viu a mesma correr até o jardim com seu livro. – Se continuar assim será a noiva perfeita.

Hinata Pov's

Sentei-me na grama encostanda na árvore que fazia uma sombra gostosa para aquele dia, continuei lendo meu livro por um tempo. Mas uma coisa chamou minha atenção era igual a um choro, seguir aquele som e vi que havia um cachorrinho por entre os espinhos das roseiras vermelhas. Me surpreendi, ele era branco, mas seu pelo estava imundo, e os espinhos estavam lhe machucando.

– Calma amiguinho... – Lhe acariciei e fui afastando os espinhos e o mesmo saiu e pulou em minhas pernas, sorri e o peguei no colo. – Que fofo, acho que posso ficar com você, vamos falar com o Reiji!

Hinata carrega o cachorrinho o levando para dentro da mansão só que ao entrar na sala viu Laito sentado vendi televisão.

– Bitch-angel de onde você trouxe esse cachorrinho?

– Pervertido-kun, eu achei ele no jardim, não sei como ele veio parar aqui.

– Deixa eu advinhar, você vai pedir para o Reiji deixar ele ficar? – Laito sorriu e a pequena riu.

– Será que ele vai deixar? Você viu o Reiji?

– Estou aqui, o que você quer? – O mesmo apareceu no nada assustando a menina que se virou rapidamente.

– Bom, eu achei esse cachorrinho lá no jardim então queria saber se posso ficar com ele?

– Não!

– Por que? Reiji por favor. – Hina lhe imporou.

– Por que ele vai dar trabalho e eu não quero esse puguento aqui dentro! – O mais velho se virou pronto para sair quando ouviu o choro baixo da pequena de cabelos pretos.

– Mas Reiji eu vou cuidar dele...

– Hinata! Eu já disse não, então não insista.

– O que está acontecendo? – Yui apareceu na sala vendo o cachorrinho e no colo de Hinata.

– Mamãe, eu achei ele no jardim...

– Reiji, eu me responsabilizo por ele também deixa a Hinata ficar com ele...

– Já disse não! Eu quem mandar nessa mansão, e esse cachorro não vai ficar aqui. – Reiji se alterou e pegou o cachorro dos braços de Hina.

– Quem disse que você manda na mansão?! – Naquele momento Shu apareceu e Reiji se virou. – Eu sou o mais velho.

– Mas não faz nada! Você pode até ser o mais velho, mas eu quem cuida da mansão. Como sempre digo: você é um bom pra nada!

– Posso não fazer nada, mas eu nunca pedir para você coordenar a casa, você fez e ainda faz por quê quer! – Todos ficaram surpresos e Reiji soltou o cachorro e o mesmo correu até Hinata e a mesma o abraçou. – O cachorro fica e a Hinata vai cuidar dele!

– Ótimo, não irei mais comandar nada nessa mansão, então passo a responsabilidade para você Shu!

Reiji se retirou da sala e Shu se aproximou de Hinata e a mesma sorriu e por impulso o abraçou.

– Obrigado Shu-kun... – A pequena sorriu e o loiro encarou o cachorrinho e a vasta lembrança de quando tivera seu primeiro cachorro. Não queria que Hinata sofresse o mesmo que ele sofreu ao se separar de seu companheiro. – Mamãe, vamos dar um banho nele!

– Vamos para o banheiro Hina, irei preparar a banheira com água quentinha. – Yui sorriu e viu Hinata correr até o banheiro com o filhote nós braços.

– Shu, você acha que Reiji falou sério quando disse que você mandaria na mansão? – Kanato se aproximou do irmão e o mesmo passou a mão em seus cabelos e sorriu.

– Não se preocupe, ele gosta de administrar essa casa e não vai entregar assim de bandeja.

...Uma Semana Depois...

– Ayato! Kanato! – Subaru gritou ao ver a sala completamente bagunçada. – O que ta acontecendo aqui?!

– Eu e Kanato estavamos entediados e acabamos brigando, baguncamos um pouco... – Explicou Ayato.

– Chega! Desde que Reiji deixou a casa na mão do Shu isso virou uma zorra! – Subaru sentiu um líquido quente em sua perna e ao olhar para baixo viu Yuki fazendo xixi em sua perna. – Grrr.... Seu cachorro miserável! – O albino bateu o pé assustando o filhote que correu.

– Hahaha o Yuki mijou no Subaru. – Kanato riu e viu o irmão se aproximar de ambos com puro ódio.

Subaru pegou os dois pela gola da camisa e os ergueu.

– Eu vou dá exatos trinta minutos para arrumarem a sala! Quando voltar isso tem que ta cheirando a rosas! – O albino pegou o Teddy os braços de Kanato e levou consigo.

– Teddy!!!

Subaru passou pelo quarto de Hinata vendo a mesma estudando então não atrapalhou, viu o cachorro no corredor e o pegou pela coleira o levando para o jardim.

– Sinto muito, mas hoje teremos gente nova então você vai ficar aqui preso. – O prendeu ao lado das rosas e claro que iria se arrepender depois mas era o melhor lugar.

Ao retornar para sala viu que a mesma estava limpinha e encarou Kanato que o encarava com raiva.

– Seu urso tá la no meu quarto pode pega-lo. – O vampiro sumiu e Subaru se jogou no sofá encarando Ayato. – Ta me olhando por que?

– Sinto cheiro de gente nova, ela chegaram! – O ruivo viu Reiji e Laito entrarem na sala e até mesmo Shu estava presente.

– Por que estamos aqui? – Hina pulou no colo de Subaru e o mesmo a carregou.

– Nossas noivas chegaram.

A porta da sala foi aberta e todos viram cinco meninas, Hina encarou cada uma mas o que chamou sua atenção foi o gato que estava nós braços da garota de cabelos brancos.

– Se apresentem meninas. – Pediu Reiji.

– Eu sou Yumiko Tashy e essa é minha irmã Kristina. – A ruiva puxou a jovem de olhos rubis que sorriu timidamente e abaixou seu olhar perante aos irmãos.

– Sou Vanda Laughing. – A jovem tinha cabelos rosados e olhos verdes azulados e quando refletidos pela luz ganhavam um brilho especial. Seu sorriso era fofo e ao mesmo tempo sedutor, coisa que chamou atenção de Ayato que cravou seus olhos na jovem.

– Bom, eu sou Keyser Mirai, o que eu vim fazer? Não sei, mas já tô desejando ir embora. – A ruiva de olhos dourados cruzou os braços fazendo seus seios ficarem espremidos e quase saltarem para fora de seu vestido que continha um decote em "v" na frente.

– Vocês não vão embora tão cedo. – Kanato falou e sorriu encarando a morena que tinha olhos vermelhos, já que pareciam vermelho na luz. – Teddy, elas não estão com medo?

– Por que estaria com medo? Vocês que deveriam ter medo... A propósito, sou Ayume Karachi. – A jovem de cabelos escuros sorriu e seus encontraram os da pequena Hina que via tudo ainda no colo de Subaru.

– Apresentações feitas, agora podem nós dizer quem são vocês e o que viemos fazer aqui? – Yumiko tomou a palavra antes de um silêncio se instalar.

Observando-me pela sua janela
Garoto, seus olhos pularam para fora um pouco”

Um sorrisinho surgiu nos lábios de Reiji e o mesmo já estava cansado de tanta falação, já fazia tempo que rejeitava o sangue da loira que ainda estava pela mansão e se controlava para não cravar suas presas na pele da pequena recém chegada. Seu lado sádico falava mais alto e queria poder ficar com a ruiva de olhar destemido e de jeito um pouco bruta com as palavras.

– Se não percebeu ainda, somos vampiros! – Laito quem tomou a palavra e passou a língua pelos lábios e foi se aproximando da ruiva de olhos dourados que era Keyser, um alivio para Ayato já que a garota que ele queria estava ao lado e se apressou em puxá-la pelo pulso trazendo para perto de si.

Eu vou lhe cortar e lhe fazer de jantar
Você chegou no final, você é a vencedora”

Hinata olhava sem entender nada e já começará a ficar assustada e abraçou o pescoço de Subaru e soluçou baixinho.

– O que está acontecendo? – Perguntou sussurrando e o albino a entregou para Yui que subiu para o quarto e segurava Hina em seus braços, sem pensar a garotinha olhou para trás e viu Subaru puxar a mulher de cabelos brancos e isso fez com que ela soltasse o gato no chão que por impulso correu para algum lugar da mansão. – Mamãe, por que eles tão fazendo aquilo? Elas são nossas visitas...

– Hinata, dorme por favor, e não saia do quarto até eu volta. – Yui saiu do quarto e Hinata escutou o grito de alguém, não sabia quem havia gritado apenas encarou sua porta e viu a maçaneta se virada várias vezes mas a porta não abria, tomada pela curiosidade correu e rodou a a maçaneta e quando abriu uma fresta da porta a mesma foi fechada bruscamente a fazendo cair no chão.

– Achei você bitch-chan! – Conhecia a voz de Laito e tentou novamente abrir a porta e quando rodou novamente a maçaneta a porta se abriu rapidamente fazendo com que batesse sua testa na porta.

Hina caiu no chão meio tonta e sentiu uma ardência em sua testa e passou a mão pela mesma e sentiu algo escorrer. Viu uma mulher cair dentro de seu quarto e viu que era a ruiva chamada Keyser, seus olhos dourados estavam cheios de lágrimas e logo uma sombra apareceu.

– Por favor! Não... – Laito ignorou o perdido da mulher e segurou seus braços cada um ao lado da cabeça e lambeu seu pescoço e cravou suas presas fazendo a mesma gritar e chorar virando o rosto para o lado direito vendo Hinata no chão paralisada com aquela cena. – M-me ajuda...

Hinata se levantou e acabou correndo para fora do quarto e Laito sorriu vendo a garotinha correr desesperada.

– Ela não vai te ajudar, você é toda minha.

Correndo pelo estacionamento
Ele me perseguiu e não queria parar”

Hinata chorou e correu descendo as escadas e na sala não via mais ninguém, e estava tudo escuro, alguns gritos ecoaram pela mansão e a mesma se ajoelhou tampando os ouvidos e acabou gritando para abafar aqueles que ecoavam, se levantou novamente e correu para a cozinha vendo um rastro de sangue, a pequena de cabelos pretos fechou os olhos e seguiu o rastro e viu que dava pela portas dos fundos.

Queria a todo custo saber quem estava ferida e quem estava a perseguindo, escutou os arbustos do jardim se remexendo e se aproximou lentamente e viu o gato da menina chamada Kristina e o acariciou, viu um pingo vermelho manchar o pelo branco do gatinho e lembrou que estava machucada. O deixou naquele local e escutou o latido de Yuki e correu até o jardim vendo dessa vez Subaru prensar a menina branca contra a árvore.

– Pa-pai... – Hinata não percebeu o que havia falado e o vampiro se virou com a boca completamente manchada de sangue que escorria direto por seu pescoço alvo, os olhos lilases se arregalaram com medo. – Por... Que?

– Hinata, volte pra mansão agora! – Seus olhos não eram os mesmos, estavam com um olhar sórdido e seu sorriso se transformou.

Hina olhou para a mulher e viu que seu olhar estava concentrado apenas em um ponto, ela segurava uma faca de cozinha e seu pescoço estavam marcados pelas mordidas e o sangue manchava seu belo vestido florido.

Peguei, está com você
Peguei, peguei, está com você
Agarrou minha mão, me empurrou para baixo”

A pequena estava vivendo um pesadelo, onde estava Yui? Por que todos estavam machucando aquelas meninas que haviam chegado? Hinata sabia que eles eram vampiros, só não queria acreditar que eles estavam sendo tão cruéis, por que machucar?

Ninguém estava se importando para ela, eles haviam ficado cegos e o sadismo tomou conta de suas mentes os levando a caçarem suas presas pela mansão, os gritos ecoavam pela sua cabeça e Hina parou por um momento.

Viu uma mulher de vestido vermelho e seu sorriso transmitia tristeza e solidão, seus olhos eram azuis e estavam sem cor, sem vida, não havia brilho neles. Seus cabelos estavam com uma trança lateral e o ruivo estava apagado. Quem era ela? Por que aquela mulher apareceu?

Hinata não tinha conciência de quem seria a tal mulher, um fantasma? Uma vaga lembrança da sua mente? Como uma menina de oito anos acharia respostas para o que ela acabará de ver.

– Menina! – Hinata saiu de seus pensamentos e virou seu rosto assustado para a escadaria vendo a ruiva de olhos violetas, a mesma estava com um ferimento no braço esquerdo e estava com suas roupas rasgadas. – Por favor me ajuda...

– Eu.... Eu não....

– Você é que nem eles... – A mulher empurrou Hina que caiu no chão e quando a mesma se virou Reiji estava a sua frente e a mesma foi acertada por um tapa a fazendo cair no chão ao lado da pequena.

– Reiji, por favor não faz isso! – Hinata abraçou as pernas do vampiro e o mesmo apenas a puxou pelos cabelos a jogando para o lado.

– Fique longe de mim! – Reiji puxou a ruiva e a mordeu novamente e a mesma encarou a pequena chorando.

Hinata não agüentou e saiu correndo pelas escadas, entrou no segundo corredor e ouviu a voz de Ayato e os gritos da jovem de cabelos rosados.

– Não... Por favor... Parem! – Hinata solucava de tanto chorar e a mesma se sentou ao lado da porta.

Dizendo: Peguei, está com você
Peguei, peguei, está com você
Ele está dizendo: Peguei, está com você
Peguei, peguei, está com você”

– Não tenha medo minha pequena... – Uma mulher de cabelos ruivos a carregava correndo pelos extensos corredores do castelo. O uivo de um lobo ecoou pela cabeça da pequena e a mesma ergueu seu rosto encarando a lua que estava vermelha. – Saía daqui! – A mulher gritará e apertou a menina contra seu peito e a mesma viu apenas os olhos dourados e o sorriso sádico do homem.

Hinata se levantou e sentiu seu corpo em chamas, sua garganta ardia e seu corpo estava dolorido e o que eram aquelas visões que teve?

Os gritos no quarto de Ayato pararam e a garota se aproximou da porta que agora estava aberta e viu o vampiro sentado numa poltrona e a jovem de olhos verdes jogada sobre a cama completamente ferida, seu corpo estava marcado e Hina pois a mão na boca ao ver que os lençóis estavam com sangues.

Saiu do quarto lentamente e correu até o outro corredor e escutou as risadas de Kanato virem do porão, a menina desceu as escadas lentamente e viu o mesmo lambendo o corpo de Ayume, melado com alguma coisa e tinha o cheiro doce. A garota estava com os pulsos algemados e seus braços estavam esticados para cima, estava semi nua e Hina viu as mordidas espalhadas por cada curva da morena.

– Diga doce Ayume, você tem medo de mim? – Kanato acariciou o rosto da garota e a mesma o encanrou com seu olhar assustado e balançou os braços fazendo o som das algemas.

– Solte-me... Por favor... Snif.

– Ainda não terminamos... – Kanato segurou o rosto da mesma e a beijou forçado e logo sorriu lambendo o pescoço da morena e cravando suas presas.

Hinata não podendo fazer nada subiu novamente e sua cabeça rodou e a mesma estavam se arrastando pelas paredes da mansão mas apenas conseguiu chegar até a escadaria e ao se apoiar no corrimão sua mão escapuliu e seu corpo perdeu as forças e se inclinou para frente, a pequena viu tudo rodando e quando seu corpo parou no chão ela apenas moveu a cabeça vendo os degraus e o seu sapato que havia ficado lá emcima com a queda.

– Alguém.... Me ajude.... – Hinata balbuciou suas últimas palavras antes de desmaiar ali mesmo no chão.

"Peguei, está com você
Peguei, peguei, está com você"

Continua... 


Notas Finais


Próximo: Dias, Semanas, Mêses, Anos...

Música do Capítulo: Melanie Martinez - Tag, you're it.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...