História Impossible Target ( Jackson fic ) - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Got7, Mamamoo
Personagens Jackson, Mark, Moonbyul, Personagens Originais
Tags Agente Secreto, Águia, Got7, Jackson, Lobo, Mamamoo, Moon Byul
Visualizações 11
Palavras 934
Terminada Sim
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - Explosões e Bananas


Mari


 As coordenadas estão no GPS. Agora é hora de ir. Não sei o que esperar encontrar lá, não sei se quero encontrar ele ou só pistas. Não fazemos idéia de quem ele é. Nem o que ele quer. 


- Vocês fazem muito isso no emprego de vocês ? - Bia pergunta


- Perseguir criminosos ? Aquela coisa bem de drama e série policial ? - pergunto


- Exato. 


- Depende - Jack diz - Eu sou investigador. Isso significa que eu só chego em uma situação perigosa quando o corpo está frio. 


- Que horror! E você Mari ?


- Olha... Depende do dia. Mas geralmente sim. E você ? Corre atras de celebridades o tempo todo ?


- Eu sei segredos que vocês nem imaginam - Bia diz em um tom sério. Ela solta uma risada - Meu trabalho pode não ser exatamente divertido como o de vocês, mas não é nada monótono.


- Ainda bem. Morrer de tédio é a pior forma de morrer. - digo sorrindo. 


- Concordo - Bia diz. 


Chegamos ao local. Esse depósito tem cheiro de banana. Não me pergunte o porque. Macacos!! Agora tudo faz sentido! 


- Não gostei desse lugar. - Bia diz.


- Até que é legalzinho - digo, me arrependendo logo em seguida. O jeito que eu disse deu a impressão de que eu já vi lugares piores. Na verdade eu vi sim, mas isso não é algo que eles precisem saber, especialmente Bia. Não quero ela me olhando com cara de dó. A última coisa que eu preciso é isso, eu lutei pra esquecer e não deixar que as coisas que aconteceram comigo me transformar em uma vítima, mas muito pelo contrário, eu luto pra que elas me tornem mais forte. Mais capaz. Esse é o fato, as pessoas sempre que vêem alguém que sofreu de alguma forma as acham frágeis, elas tomam cuidadocom o que dizem e etc., mas eu não preciso disso, eu quero viver de uma forma normal, ser tratada de uma forma normal, é por isso que Bia não sabe sobre isso. Eu fiquei preocupada quando contei tudo pra Jack. Eu achei que ele me olharia diferente, mas esse não foi o caso. Ele continua me vendo do mesmo jeito, como alguém forte, uma pessoa com quem ele pode contar. 


- Mari! MARI! - Bia me cutuca. - Você está me ouvindo ?


 Eu estava olhando pra Jack esse tempo todo. Jack está um pouco vermelho. 


- Ah, eu... estava tentando... pensar em um jeito...


- Você deveria pensar em um jeito pra abrir todos esses cadeados, isso sim. - Mari diz.


- Ah - digo voltando minha atenção para os cadeados. São cinco cadeados totalmente diferentes um do outro. 


- Esse daqui eu conheço - Jack diz - Uma vez eu fiz um teste em que eu precisava abrir um cadeado. A chave pra abrir estava no nome. Foi fácil pra mim, eu resolvi em tempo recorde.


 Jack começa a analisar o cadeado e logo abre ele e o segundo também. 


- Agora esses daqui... - Jack diz. 


- Espera - eu digo - Esse aqui eu abri em uma missão que eu acompanhei como treinamento. - consigo abrir ele com facilidade quando o coloco na posição certa - Esse é um cadeado francês - digo observando o outro - Provavelmente ele abre com um calor intenso. - pego um fósforo que escondo na presilha do cabelo e o acendo. 


- Você tem um fósforo no cabelo ? - Bia pergunta


- Ela deve ter lâminas no sutiã - Jack diz rindo. Eu olho pra ele e sorrio. - O que ? É sério ?


- Mas é claro que sim. - digo sorrindo.


 Agora só falta um cadeado.


- Esse cadeado parece muito com um que eu uso no meu baú. - Bia diz. Ela tenta abrir com a chave dela e ela consegue. 


- Isso! Eu ajudei em algo! Sou demais! - Bia diz.


Entramos no local. Não tem nada além de uma caixa rosa enorme. Vamos até ela. Com cuidado, abrimos ela. Tem um bilhete. 


" Não esqueçam de se alimentar bem. Não deixem de viver só por causa de mim. O tempo está acabando " 


- É isso ? Viemos até aqui pra isso ? - Bia pergunta


- Deve ter mais algo na caixa - Jack diz - Vamos levar ela. 


 A hora que Jack tira a caixa, ouvimos uma contagem regressiva. Uma bomba. 

 Saímos correndo aos tropeços. Quando chegamos perto do carro, o lugar explode. Entramos rápido no carro e vamos embora. 


- Ai! Quanta adrenalina! - Bia diz. É muito engraçado as reações dela. - Isso vai ficar ótimo quando eu escrever. 


- Escrever ? - pergunto. 


- Eu estou fazendo uma matéria sobre isso. Quando o pegarmos eu pretendo colocar isso on line. 


Eu e Jack nos entreolhamos. Não sei se é uma boa idéia, mas se ela fizer isso depois que o pegarmos, tudo bem.


- Eu estava pensando sobre os cadeados - Jack diz - A serpente sabia como ajustar a dificuldade pra cada um de nós. Ela nos observa a muito tempo. Até a Bia foi incluída. 


- Como ele sabia sobre o meu baú ?


- É uma ótima pergunta. Mas uma coisa é certa: Você está na mira dele agora. 


 Bia suspira. 


- Aah! Eu vou em um restaurante com os meus amigos. Vocês vão também. 


- Mas... - começo a dizer.


- Vocês vão. Precisam se divertir. A serpente está certa, vocês não devem parar de viver por conta disso.


Jack olha pra mim. Nenhum de nós está afim de ir, mas talvez seja bom.


- Nós vamos. - digo sorrindo. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...