História Impossible to love you for the obstacles that exist. - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Malhação
Tags Benê, Bruno Gadiol, Daphne Bozaski, Gune, Guto
Visualizações 839
Palavras 1.111
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


meus amores, o que foi aqueles tiros gadizaski que tivemos ontem e hoje? madú, está desmaiada. cada stories deles era um grito que eu dava. eu tô surtando até agora real. eu sei, sou muito iludida em shippar gadizaski, mas eu sempre me iludo com esses shippers. ai meu deuss, também estou imensamente feliz porque estou com 150 favoritos, muito obrigada à todos. sem vocês eu não seria absolutamente nada, e obrigada por sempre me apoiarem. e me desculpem se alguma vez deixei a desejar, ou decepcionou vocês. eu tento dar o meu melhor.

Capítulo 28 - Capítulo XXVII.


Fanfic / Fanfiction Impossible to love you for the obstacles that exist. - Capítulo 28 - Capítulo XXVII.

– A chapa me espera. Novamente, obrigado Benê. – Tato falou.

– Não precisa agradecer, Tato. Sempre que precisar é só me mandar mensagem, – sorriu – ou até mesmo me ligar. – disse Benê.

Tato saiu do galpão, indo novamente até a lanchonete. Depois de suplicar muito ao amigo, Felipe finalmente conseguiu fazer que Guto fosse até a lanchonete. Já as meninas, tentavam convencer Benê a falar sobre o ocorrido.

– Posso me sentar? – todas a encaravam – Vocês não vão começar com o interrogatório? – perguntou Benê.

– Benedita. – a chamou – Pode nos contar absolutamente tudo. – Lica falou.

– Onde você dormiu? Porque está com essa carinha? – Tina perguntou.

– Eu dormi na casa do Guto. – as meninas se espantaram – Carinha? – olhou ao redor – Não há nenhum garoto aqui. – disse Benê.

– Estamos falando que sua cara está boa, não que tem uma pessoa aqui. – Ellen explicou.

– Está explicado! – sorriu – Ela está com essa cara ótima porque dormiu com o Guto. – Keyla falou.

– Eu não dormi com o Guto. Na verdade, por partes eu dormi sim. – as fours a encaravam sorridentes – Eu estava dormindo no quarto de visitas, mas estava chovendo muito. Como não gosto de chuvas, tempestades, fui pro quarto do Guto, e ele me chamou para dormir com ele. – disse Benê.

– Conte-me tudo, não me esconda nada. Rolou beijo? – Keyla perguntou.

– Ele me beijou. – sorriu ao se lembrar – Mas não foi nada demais..

– Benedita! – gritou – Vocês estão ficando?! – Lica perguntou, sendo interrompida por alguém.

– Não. A partir de agora estamos nos conhecendo melhor. – sorriu – Bom, isso é se ela quiser. – disse Guto, fazendo Benê se virar lentamente para olhá-lo.

As meninas o encaravam sorridentes. Felipe e Luan também estavam felizes pelo amigo. Benê ainda não havia intendido muito o que estava acontecendo.

– Vou lá tomar um milk shake. – Ellen falou.

– Ops! Escutei o Tato me chamando. Vamos lá, meninas? – Keyla disse.

– Felipe, – dá uma piscada – preciso conversar com você. – Lica falou.

– Vou acabar de editar o nosso vídeo, – olhou para as fours – meu pretinho já está chegando. – Tina comentou.

As fours "saíram", juntamente com Felipe. Eles fingiram ter saído, porém se esconderam próximo ao galpão, até porque a janela estava entreaberta. Enquanto Guto e Benê continuavam se encarando.

– É.. – desviou o olhar – O que você veio fazer aqui?! – perguntou Benê.

– Ah, Benê. – se aproximou – Vai dizer que você não sabe? – perguntou Guto.

– Não. – suspirou – Definitivamente, não sei. – comentou Benê.

– Benê. – sussurrou – Não faz isso comigo. – disse Guto.

– Guto. – sussurrou – Eu não estou fazendo nada. – disse Benê.

– Tem razão. – o encarou – Eu que vou fazer. – disse Guto.

– O quê? – perguntou Benê.

Porém, foi interrompida por um ato inesperado de Guto. Guto desce seu olhar até os lábios de Benê. Nossos lábios estavam a centímetros de distância, então acabo com essa pequena distância que nos separava com um beijo. Um beijo calmo, que aos poucos foi acelerando. Ela fica por cima de mim e eu coloco minhas mãos em sua cintura, a puxando mais para mim. Enquanto uma das mãos de Benê agarrou suavemente em meu cabelo. Nossas línguas estavam em uma perfeita sincronia. Eles se separaram, quando a falta de ar se fez presente e ficaram se encarando por alguns segundos.

– É.. – mudou de assunto – Acho melhor irmos até a lanchonete. – disse Benê.

– Ahn. – o encarou – Mas.. – disse Guto, sendo interrompido pela Benê.

– Vamos?! – perguntou Benê.

– Espera! – a puxou levemente para perto – O que houve novamente entre a gente. Estamos?! – perguntou Guto.

– É.. Depois resolvem.. – disse Benê, sendo interrompida.

– CLARO QUE ESTÃO! – gritou – Se vocês não estão "namorando", – fez aspas com as mãos – estão ao menos "ficando" se "conhecendo melhor", seja lá o nome que darão à esse relacionamento de vocês.. – Lica falou eufórica.

Novamente todos voltaram ao galpão.

– Lica! – a repreendeu – Desculpem essa maluca. Sabíamos que isso ia acontecer, estava na cara. – Tina falou.

– Gunê! – as fours disseram em uníssono.

– O quê?! – Felipe perguntou.

– Ai gente. É o shipper deles. Guto e Benê, Gunê. Que fique bem claro que sempre shippei, são muito fofos. – Lica falou.

– Mudando de assunto. Como vocês sabem do que estávamos falando?! – perguntou Benê.

– É que.. Ah, gente não faz pergunta difícil. – Keyla falou.

– Estávamos escutando tudo aqui atrás. – apontou para um canto – Benê, não brinca em serviço. Conquistou um dos mais gato. – Lica falou, enquanto Felipe apenas o encarava.

– Acho que tem uma pessoa que não está curtindo muito o papo. – encarou Felipe – Não é mesmo? – perguntou Guto.

– Eu sou linda, livre, leve, solta. – cantalarou Lica.

– O papo está muito bom, mas bateu uma fome. Que tal irmos comer algo? – Felipe falou.

– Ah! – exclamou – O Luan está sozinho na lanchonete. – disse Benê.

– Benê. – a chamou – Será que podíamos conversar sobre mais uma coisinha? – perguntou Guto.

– Vamos indo. – Keyla falou.

Keyla saiu do galpão, e todos as seguiram. Deixando o "casal" conversarem a sós.

– O que você tem para falar?! – perguntou Benê.

– Não sou muito de enrolar, então vou ser direto. O que você tem com o Luan? – perguntou Guto.

– O quê?! Você não está falando sério?! – perguntou Benê.

– Estou! – suspirou – Eu aguento. – disse Guto.

– Eu não tenho nada com o Luan, nunca tive. Ele é apenas meu amigo, assim como o Tato. – disse Benê.

– Você também nunca teve nada com o Tato?! – perguntou Guto.

– Claro que não. Ele é namorado da minha amiga, eu nunca trairia a nossa amizade assim. Eu nunca vi o Tato com outros olhos, apenas como meu amigo. – disse Benê.

– E a mim?! Você já me viu com outros olhos?! – perguntou Guto.

– É.. – gaguejou – Acho melhor irmos logo. – tentou mudar o assunto – Estão nos esperando. – disse Benê.

– Tá bom. – roubou um selinho – Vai namorar comigo sim, vai por mim igual nós dois não tem. Se reclamar cê vai casar também, com comunhão de bens. Seu coração é meu, e o meu é seu também. – cantarolou Guto.

– Vamos, Guto. – sorriu – Já perdemos tempo demais aqui. – disse Benê.

– Assim meu coração não aguenta, – colocou a mão perto do coração – ele é sensível. – disse Guto.

– Tá bom, ô sensível. – a olhou – Agora, podemos ir? – perguntou Benê.

– Tá bom, minha princesa. Tudo o que você quiser. – disse Guto.

– O que você disse?! – perguntou Benê.

– Do que você está falando?! – perguntou Guto.

– Repete novamente o que você acabou de falar. – disse Benê.

– Tudo o que você quiser?! – perguntou Guto.

–  Estou me referindo à antes disso. – disse Benê.

– Minha princesa?! – a encarou – Mas é isso que você é, MINHA. – disse Guto.

– Sua? Eu não sou objeto, Guto. – disse Benê.

– Se fosse um objeto seria a coisa mais linda. – sorriu – Estou me referindo à ser a minha pequena, minha princesa. – disse Guto.

– E quem disse que sou sua?! – o encarou – Eu não sou sua, Guto. – disse Benê.

Guto se aproximou de Benê, que deu um leve suspiro com o toque repentino do mesmo.


Notas Finais


então é isso, meus amores. amanhã é dia da minha bf postar, então nós vemos na segunda. caso não saibam, a minha bf é a dona dessa fanfic. "apesar das nossas indiferenças.", recomendo demais, a história é encantadora. meus amores, qualquer coisa é só me avisaram para que eu possa melhorar, eu escrevo para vocês. e gostaria de conseguir agradar vocês na maioria das vezes. muito obrigada à todos, beijinhoss até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...