História Impossible to love you for the obstacles that exist. - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Tags Benê, Bruno Gadiol, Daphne Bozaski, Gune, Guto
Visualizações 642
Palavras 1.111
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oolá meus amores, tudu bão? Quem é vivo sempre aparece, não é mesmo? Estamos aqui. Todos estão mega ansiosos para semana que vem? Estou surtando antecipadamente. Semana de glória para o fandom, finalmente. Em meio a 5 meses sofrendo por esse shipper, teremos 1 semana MARAVILHOSA. Queria agradecer a Lina, minha bf que sempre me ajuda a ter ideias para a fanfic, e por te me dado um suporte (nível: elevado), ter escrito uma parte para que eu pudesse ter ideias e completar. E dizer para, Máah Araujo que postei esse capítulo porque você pediu no tt. Espero que goste.

Capítulo 40 - Capítulo XXXIX.


Fanfic / Fanfiction Impossible to love you for the obstacles that exist. - Capítulo 40 - Capítulo XXXIX.

– Não precisa agradecer, Dona Josefina. Eu fiz isso por que gosto da Benê, – a olhou. – de vocês. - disse Guto.

– Filha. Eu acabei de dizer uma ótima notícia, e você não falou nada. - Josefina falou.

Benê apenas alternava o olhar entre sua mãe e Guto. Por mais que a menina tentasse falar algo, sua voz falhava. Estava trêmula.

– Benê. – a chamou. – Aconteceu alguma coisa?! - indagou Guto.

– Só fui pega de surpresa. Pode repetir novamente, mãe? - indagou Benê.

– Nós vamos voltar para casa. Nossa casa ficou pronta. - Josefina falou.

– Que bom. – mentiu. – Estou percebendo a sua felicidade. - disse Benê.

– Você não ficou feliz?! - Josefina perguntou.

– Es... Estou. – olhou para Guto. – Claro que estou, mãe. - completou Benê.

– Pode arrumar sua mochila. Vamos voltar hoje. Chega de dar trabalho ao Guto. - Josefina falou.

Por um instante, Guto permanecia calado. Tentava assimilar o que acabara de escutar.

– Ih, acho que o playboy perdeu a fala... - Julinho falou.

– Para de falar bobagem, Julinho. Aconteceu alguma coisa, Guto? - Josefina perguntou.

– Acont... Quer dizer, não aconteceu nada. Dona Josefina, será que podíamos conversa um instante? - indagou Guto.

– Não! – gritou. – Eu preciso que você me ajude a arrumar minha mochila, Guto. Você pode?! - indagou Benê.

– Posso sim. - disse Guto.

– Tudo bem. Conversamos quando vocês acabarem. - Josefina falou.

O casal subiu para o quarto de hóspedes, onde Benê estava dormindo. Benê foi a primeira adentrar ao quarto, sendo acompanhada por Guto. A menina novamente olhou ao redor do corredor, para que fechasse a porta em seguida.

– O que você quer falar com a minha mãe?! - indagou Benê.

– Do nosso namoro. Já passou do tempo, Benedita. - afirmou Guto.

– Eu acho que não é uma boa ideia falar sobre o nosso namoro agora com a minha mãe. Ela está muito feliz com nossa volta para casa. Com essa notícia, pode ser que o humor dela possa mudar. - disse Benê.

– E quando vai ser a hora?! Agora você vai voltar para sua casa, tudo vai ficar mais complicado para nós dois. - disse Guto.

– Antes de voltar para minha casa, juro que falaremos para minha mãe. - afirmou Benê.

– Jura?! - indagou Guto.

– Sim. Eu juro. - disse Benê, dando seu dedo mindinho a Guto em sinal de promessa.

Josefina estava curiosa com essa “conversa”. O que será que Guto queria falar com ela? Por que, Benedita não deixou ele terminar?

– Mãe. – ela saiu de seus devaneios. – A senhora acha que o Guto quer conversa com a senhora o mesmo que estou pensando?! - Julinho perguntou.

– Eu acho que sim. Ele estava muito distante. O motivo disso só pode ser o que estou pensando. Por que voltaremos para nossa casa. Então, assim ficará tudo difícil para eles. - Josefina falou.

– Se for isso mesmo a senhora vai deixar?! - Julinho perguntou.

– Preciso de um tempo para pensar. Assim como tudo é novo para Benedita, para mim também. - Josefina falou.

Enquanto isso, Guto continuava ajudando Benê arrumar suas mochilas. Por mais que a menina demonstrasse que estava feliz com a volta para casa na frente de sua mãe, ao lado de Guto era só tristeza. Ela não queria deixa-lo, pelo menos não agora.

– Acho que a minha princesa está se esquecendo de alguma coisa. A sua boneca é a ultima coisa que colocará na mochila, para ser a primeira que pegará. - disse Guto.

– Eu queria deixar essa boneca com você, para que você não se esqueça de mim. De quanto tempo passei aqui na sua casa, com você. - disse Benê.

– Benê. – se aproximou. – Você não precisa deixar a sua boneca aqui comigo para que eu me lembre de você. Eu sempre me lembrarei de você. Não precisa de um objeto material para comprovar. - afirmou Guto.

– Eu quero deixar ela com você. Eu sei que ela ficará feliz. - disse Benê.

– Ela ficará mais feliz ao te ter em seu lado. - afirmou Guto.

– Crianças... O almoço está na mesa! - Josefina gritou do andar de baixo.

– Acho melhor irmos. - disse Guto.

– Você ficou chateado?! - indagou Benê.

– Chateado?! Com o quê?! - indagou Guto.

– Por não ter deixado você falar com a minha mãe, do nosso namoro. - disse Benê.

– Não fiquei chateado. Vamos ter outras oportunidades de falar com a Dona Josefina, princesa. - disse Guto.

– Outras oportunidades?! Não, nós vamos falar hoje. Depois do almoço. - disse Benê.

– Você tem certeza?! - indagou Guto.

– Tenho. Estava com medo da reação da minha mãe, mas com você ao meu lado estou me sentindo segura. - afirmou Benê.

– Fico mais aliviado. Não vejo a hora de assumir o nosso namoro para o público, sua família. Você é meu anjo da guarda. - disse Guto.

Antes de descerem para a cozinha, para que fossem almoçar Guto encorajou Benê.

– Vai dar tudo certo, princesa. Não fique nervosa, não se precipite. - disse Guto.

– Promete que mesmo se minha mãe não quiser ou não deixar, você vai ficar ao meu lado. Promete?! - indagou Benê.

– Eu prometo. - jurou Guto.

Para tentar passar confiança a Benê, Guto a abraçou. Toques para Benê ainda eram muito difíceis de lidar, por mais incrível que pareça com Guto tudo parecia mais fácil. Quase nunca se recusava. Ele transmitia-lhe muita confiança. Quando Guto e Benê se aproximaram da mesa, notaram olharem curiosos sobre eles. Josefina a todo momento os encaravam, Julinho também seguia os passos de sua mãe.

O almoço foi um silêncio, chegava dar medo. Benê se encontrava com medo da reação de sua mãe, Guto por mais que tentasse não demonstrar medo para Benê, por dentro estava inseguro. Enquanto Josefina queria saber o mais rápido possível do que trata-se essa conversa.

– Já arrumou tudo, filha? - Josefina perguntou.

– Arrumei, o Guto me ajudou. - disse Benê.

– Já está na nossa hora, mãe? - Julinho perguntou.

– Acho melhor irmos logo, depois o trânsito fica congestionado. - Josefina falou.

– Mãe, eu e o Guto queremos falar com a senhora. - disse Benê.

– Ahn. – suspirou. – Podem falar. - Josefina falou.

– É melhor conversamos à sos, Dona Josefina. Vamos para o escritório. - disse Guto.

Os três vão ao escritório. Josefina estava na frente, enquanto Guto e Benê caminhavam lado a lado, apenas trocando sussurros.

– Vai dar tudo certo. Eu estou aqui com você. – sussurrou Guto.

Ao chegaram no escritório, o silêncio se fez presente. Ninguém sabia o que falar. Como começar essa conversa.

– Então?! - Josefina perguntou.

– Mãe, nós chamamos a senhora aqui para conversar sobre... Continua, Guto. - disse Benê.

– Eu?! - indagou Guto.

– É você. Você é melhor nessa parte de contar, explicar. Conta você. - disse Benê.

– Eu não sei como falar isso, Benê. - afirmou Guto.


Notas Finais


É meus amores, por hoje é só. Espero que tenham gostado desse capítulo, sim eu sei que não foi "aquelas" coisas, mas juro tentar fazer uns capítulos melhores. Qualquer coisa, podem criticar aí nos comentários, para que eu possa melhorar nos próximos. Nos veremos em breve, até a próxima, beijinhosss.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...