História Impossível - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Personagens Originais
Tags Aluno, Amor Proibido, Bangtan Boys, Bts, Drama, Jeon Jungkook, Jungkook, Kookie, Noona, Noona Romance, Romance
Visualizações 129
Palavras 1.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteii

Capítulo 15 - Você?!


Fanfic / Fanfiction Impossível - Capítulo 15 - Você?!

Estava de cabeça quente.

Sem querer, acabo esbarrando em alguém.

- Desculpa, eu... - a garota congela o sorriso ao me ver e dá meia volta.

- Eunha! Espera! - seguro seu pulso.

- O que você quer? - apesar das palavras e da expressão fria, consigo perceber que ela estava tentando muito não chorar.

- Olha, eu realmente sinto muito. Não quero que a gente fique mal...

- Você quem causou isso, Jungkook, então apenas não diga nada.

- Eunha, me escuta - quase imploro. - Eu não fiz aquilo por mal, só senti que aquilo não estava certo, por isso parei.

- As suas palavras só pioram! - diz, a voz trêmula.

- Você queria mesmo que eu tivesse te beijado só por beijar? Eu não consigo ser assim. Não sou assim. Você é uma garota legal, Eunha, e vai encontrar a pessoa certa para você um dia. Nesse meio tempo, não vou te atrapalhar fingindo preencher um lugar que não me pertence.

A garota fica sem palavras, e por incrível que pareça, eu também. Não acredito que consegui dizer tudo isso, e ainda sem hesitar.

- B-bom, para falar a verdade, acho que isso só me faz gostar mais de você.

- Eunha...

- Não se preocupe, não vou tentar nada... Quer dizer, não até você mudar de ideia.

- Então... amigos?

Ela sorri.

- Amigos.

...

Meus amigos não tocaram mais no assunto da Eunha, o que me deixou agradecido. Não sei se realmente entenderam como eu me sinto, mas pelo menos estão respeitando.

Hoje vou ver a noona na aula dela, então vou aproveitar e contar pra ela que as coisas se resolveram com a Eunha e da minha decisão sobre as audições. Mas não é só por isso que estou ansioso para hoje à tarde. Eu sempre gostei de ver a noona, mas, sei lá, nesses dias eu tenho sentido uma saudade absurda, não consigo parar de pensar nela.

Ah, sei lá.

Ponto de vista da S/N

Entro na sala de aula e ponho as minhas coisas sobre a mesa do professor.

- Oi, gente. Tiveram uma boa semana? Bom, eu espero que sim, porque agora vamos ter que trabalhar um pouco - dou uma risadinha. - Então, quem fez a lição em dupla pode trazer até aqui?

Metade dos alunos se levanta e leva uma folha toda escrita para mim. De repente, fico aflita. Será que eles não terminaram por causa da confusão que deu?

Procuro Jungkook e nossos olhares se cruzam. O garoto imediatamente olha para outro lado. Estranho.

- Aqui, professora.

Olho para a pessoa que falava comigo e dou um suspiro de alívio.

- Obrigada, Eunha.

A garota sorri em resposta e volta para o seu lugar, que era... do lado de Jungkook?! Ela diz alguma coisa e ele sorri. Pelo jeito eles fizeram as pazes. Eu deveria estar feliz, mas sinto um incômodo ao ver os dois juntos novamente.

Decido deixar para lá e me concentrar na aula.

...

A aula seguiu tranquila até eu notar que Jungkook não parava de me encarar. Não como quando se encara um professor nem alguém com ódio, mas me fitava com um olhar sonhador. Não sei por que ele fazia isso, só sei que me desconcentrava pra caramba.

Quando o sinal finalmente toca, me vejo livre e os alunos saem. Ainda bem. Não estava mais aguentando aquilo.

Começo a cantarolar enquanto guardo o meu material, mas congelo no lugar assim que o vejo entrando na sala.

- O-o que você...

- Oi pra você também, filha.

- Como encontrou esse lugar? - pergunto brusca.

- Nossa, isso é jeito de falar com o homem que te criou?

- Me criou? - digo incrédula. - Se eu tivesse sido criada por você, teria sido descriada, isso sim.

Meu padrasto franze a testa.

- Ora, ora. Na hora de comer a comida em cima da minha mesa você não reclamava. Por que está tão atrevida hoje?

Era porque ele não podia me bater aqui, mas não disse isso.

- Não mude de assunto. Como me encontrou?

Ele sorri.

- Foi fácil. Falei para a sua professora da faculdade o quanto estava preocupado com a minha filha que fugiu de casa, que queria saber onde você andava... Bom, eu queria o seu endereço, mas o trabalho já tá bom. E que trabalho, viu? - olha com desprezo para as carteiras. - Como você acabou indo de mal a pior, menina? Ia ser uma bibliotecária e virou uma professorinha? Você não pensa em nada, não é?

- Isso é da minha conta. Afinal, o que você quer?

- Direta, você, não? Então tá. Preciso de dinheiro.

Bufo.

- Use o seu.

- Eu perdi o emprego, S/N.

- Por quê? Andou bebendo no trabalho de novo? - digo em deboche.

- Olha o respeito! Você não sabe, então não fale nada.

- Então o que foi?

- É que... - ele hesita.

- Pela sua cara, não foi boa coisa. Deve ter sido bebida mesmo.

Tento sair dali, mas ele segura o meu pulso.

- Ei! Me dê o dinheiro.

Olho em seu rosto nojento.

- Você acha mesmo que eu vou te dar dinheiro para você gastar por aí com bebida?

- Quem disse que vai ser assim?!

Apenas reviro os olhos.

- Tchau.

- Não se atreva a sair daqui, sua insolente!

Meu padrasto agarra meu pulso novamente, dessa vez com força até demais.

- Me solte - arfo.

- Vou torcer esse lindo bracinho se você não me der o...

- Senhorita Cha, será que nós podemos conversar em parti... O que está fazendo?! Solte a noona agora!

Arregalo os olhos ao ver Jungkook na porta, a mochila nas costas e o rosto ao mesmo tempo espantado e furioso.

Sem qualquer delicadeza, o meu padrasto larga o meu braço.

- Não acabou, ouviu? Vamos continuar na sua casa - e sai da sala.

- Noona! - Jungkook corre até a minha mesa e levanta o meu braço. - Está tudo bem? Ele fez mais alguma...

- Jungkook - tento me manter calma. - Eu estou bem, não precisa se preocupar. O que veio falar comigo?

- Não, aquele cara...

- Não vou falar sobre isso. O que você veio me dizer?

O garoto respira fundo.

- Vim falar que já estou bem com a Eunha e que vou fazer uma audição na sexta.

- Uma audição? Isso é ótimo - sorrio.

- Sim, queria te agradecer por me encorajar.

- Não foi nada. Você nasceu para cantar.

Ele sorri tímido, mas logo sua expressão muda.

- Quem era aquele homem?

Fecho a cara.

- Isso é coisa minha. Agora eu tenho que ir. Tchau.

- Mas, noona...

- Sem mas. Até outro dia.

Saio da sala e vou para a frente do colégio, mas encontro uma surpresa desagradável. P-por que ele ainda estava ali? Começo a andar até o ponto de ônibus, mas ele me segue. Sinto um medo crescer dentro de mim. E se ele me seguisse até em casa?! Ele não ia mais me deixar em paz se soubesse onde eu morava.

De repente, uma mão toca o meu ombro, me sobressaltando.

- Jungkook!

- Ele está te seguindo, não está?

E você, não está?

- S-sim.

- Não se preocupe. Eu tenho um plano.


Notas Finais


Vou tentar postar mais❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...