1. Spirit Fanfics >
  2. Imprinting >
  3. Uma tarde na casa dos Lahote

História Imprinting - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Oi Galerinha do Mau!!!
Como vcs estão??
Gostariade agradecer a todos os comentários e favoritos.
Boa leitura!!!

Capítulo 6 - Uma tarde na casa dos Lahote


Fanfic / Fanfiction Imprinting - Capítulo 6 - Uma tarde na casa dos Lahote

Alex's POV


Nosso beijo começou calmo, mas logo foi se tornando mais intenso, Paul levou às mãos à minha cintura e me puxou para mais perto eu levei minhas mãos até seu cabelo escuro, bagunçando os fios. Eu não queria parar aquele beijo, mesmo que estivesse precisando de ar, porque parecia que, sentir seus lábios nos meus, era mais importante do que respirar e, cada toque de suas mãos quentes em meu corpo, me deixava em chamas, um fogo ardente, mas confortável.


Quando nos separamos, ambos estávamos ofegantes e permenacemos apenas um olhando nos olhos de Paul. O quileute me olhava de forma intensa, com fascinação e um brilho nos olhos, mas, pela primeira vez, aquele olhar de Paul não me incomodara, pelo contrário, me deixara feliz.


Sorri para Paul e ele devolveu o sorriso, colando nossas testas.


                                   xXx


No dia seguinte, Bella e eu resolvemos fazer um pouco de companhia ao tio Charlie, que estava de folga e, como estava uma tempestade do lado de fora, ele não iria pescar e nós também não teríamos muito o que fazer em La Push, embora eu não me importasse em ficar a tarde toda trancada na casa de Paul.


Quando contara à Bella sobre meu beijo e o de Paul, ela não me pareceu surpresa, talvez a atração que sentíamos um pelo outro, fosse tão óbvia, que todo mundo já imaginava que aquele beijo acabaria acontecendo, mas, além disso, minha prima não me pareceu muito animada com o que havia acontecido.


Pela manhã, ela me questionou sobre meu futuro com Paul.


- Alex, entendo que vocês estão encantados um pelo outro, mas como será quando você for embora? - Bella me questionou.


Eu não havia parado para pensar naquilo. Não era como se eu tivesse me mudado para Forks, estava apenas passando uma temporada na casa do meu tio, mas não queria pensar naquilo agora, queria apenas passar o máximo de tempo possível ao lado de Paul e, se nosso romance fosse para frente, então nós acharíamos uma solução, mas naquele momento, só queria aproveitar meus momentos ao lado do quileute.


Naquele exato momento, tio Charlie preparava a salada enquanto eu colocava a mesa e Bella terminava de fazer sua carne assada com batatas.


Senti meu celular começou a tocar em meu bolso e meu coração deu um pulo, parecia estar adivinhando que era o garoto de corpo musculoso e olhos castanhos. Não fiquei surpresa quando constatei que realmente se tratava de Paul.


- Oi!

- Ei...

- Vem para La Push hoje?

- Não sei, o tempo não está muito agradável hoje.

- Podemos ficar em casa jogando video game ou qualquer outra coisa.

- Não sei Paul, é que tio Charlie está de folga e Bella e eu não queríamos deixá-lo sozinho. - Sussurrei.

- Eu não paro de pensar em você, Alex.

- Eu também Paul.

- Ótimo! Eu passo aí então.


Antes que eu pudesse responder, Paul encerrou a ligação, praticamente recusou qualquer outra opção. Não é que eu não quisesse passar um tempo com ele, eu queria e muito, mas Bella precisava de mim e tio Charlie era um homem solitário, amava a filha, mas não sabia exatamente como lidar com as pessoas.


- Parece que alguém tem um compromisso. - Tio Charlie cruzou os braços. - Eu conheço o rapaz?

- É Paul Lahote, pai. - Bella surgiu na sala de jantar, com a assadeira de carne assada com batatas.

- Aquele garoto briguento? - Tio Charlie me olhou com um olhar repreensivo.

- Fale com o Bill pai, ele pode te comprovar que Paul melhorou seu comportamento e que não fará nada para magoar Alex. - Bella sorriu para mim.

- Sei... - Tio Charlie semicerrou os olhos.


Sabia que, por algum motivo, Bella não aprovava muito meu envolvimento com Paul, mas ela me apoiava e tentava me ajudar, mesmo não gostando daquilo e eu a agradecia muito por aquilo. É disso que se trata amor, fraternidade, você pode não concordar com a pessoa, mas apoia as escolhas dela, sejam elas quais forem.


- Depois do almoço, vou à La Push. - Disse enquanto me servia da carne com batatas e da salada.

- Bella vai com você. - Tio Charlie disse.

- Eu adoraria levá-la, mas não quero que fique sozinho, tio. - Afaguei sua mão.

- Querida, antes de Bella vir morar comigo, eu vivia sempre sozinho, eu gosto da minha solidão. - Tio Charlie sorriu para mim.


Tio Charlie não gostava da solidão, apenas tinha se acostumado com ela, mas era fato que ele detestava estar sozinho e eu desejava que um dia ele pudesse arrumar uma namorada.


- Pai, porque não vem conosco? - Bella sugeriu. - Faz tempo que não vê Sue.


Meu tio pareceu desconfortável. Uma vez, Bella me dissera que estava feliz por seu pai finalmente estar se interessando por uma mulher e, talvez, devesse se tratar de Sue Clearwater, a adorável mãe de Clea e Seth.


- Bem, pode ser uma boa ideia. - Tio Charlie disse.


Depois de almoçarmos e arrumarmos a cozinha, peguei meu celular e mandei-lhe uma mensagem, avisando que não precisava me buscar.


Me sentei na cama de Bella e vi que minha prima olhava para suas roupas tentando decidir o que vestir. Ela nunca fora do tipo que se importava muito com suas vestes, então me lembrei que não havia lhe perguntado o que tinha acontecido entre ela e Jacob.


- Bells? - Disse e minha prima virou-se para me fitar. - Ontem, o que aconteceu quando você o Jake ficaram sozinhos?


Sua feição serena, de repente, ficou dura. Bella não estava irritada com a minha curiosidade, estava irritada com o que acontecera, ou talvez, com o que não acontecera. Ontem, na volta de Port Angeles, ela estava calada, mas pensara que fora apenas cansaço, mas estava claro que não era nada disso.


- Não quero falar sobre isso! - Bella disse irritada.


Me levantei da cama e abracei-a de lado. Por mais que ela não quisesse falar sobre o assunto, desabafar, era sempre uma boa forma de aliviar a mágoa do peito.


- Você sabe que pode falar tudo para mim. - Disse e ela assentiu para mim.

- Ontem, o Jacob me disse que teve um...


Bella parou de falar e pareceu pensar se deveria continuar com o que estava prestes me dizer.


- Um? - Incentivei-a.

- Ele está interessado, apaixonado por uma uma garota e, do modo como fala, parece ter encontrado "a" garota. - Bella cruzou os braços.


Não pude evitar a risada que saiu dos meus lábios. Bella tanto negara, mas estava claro que estava morta de ciúme e aquilo era bom, porque significava que estava se interessando por um cara legal e esquecendo do maldito Cullen.


- É por isso que eu não queria te contar. - Bella disse irritada.

- Bells, você está com ciúme do Jake e isso é maravilhoso. - Disse e ela me olhou como se eu fosse louca.

- Desde quando isso é algo bom? - Bella franziu o cenho.

- Por que, isso significa que está esquecendo o Cullen. - Disse.

- Eu estou? - Bella disse pensativa.

- E, outra coisa, já lhe ocorreu que você pode ser a garota por quem ele está interessado? - Sugeri.


Bella riu.


- Impossível, se fosse eu, já teria acontecido na primeira vez em que retornei à Forks. - Bella disse.

- Nem todos os amores acontecem dessa forma, Bells, às vezes, as pessoas se tornam amigas e, depois se apaixonam. - Disse.

- Mas é que...


Tapei sua boca com a mão.


- Afinal de contas, se está com tanta raiva do Jacob, porque está tão indecisa sobre o que vestir? - Arqueei uma sobrancelha.

- Não estou indecisa por causa disso, só estou em dúvida se coloca uma camiseta roxa ou uma verde. - Bella deu de ombros.

- Claro! - Revirei os olhos.


Minha prima acabou vestindo uma camiseta de manga compirda roxa, jeans escuro, seus habituais tênis e uma camisa xadrez em preto e branco. Eu coloquei meus coturnos uma camiseta preta, jaqueta preta e um jeans escuro.


Quando descemos até a sala de estar, tio Charlie já estava à nossa espera..


- Podemos ir em dois carros, porque eu provavelmente vou acabar voltando antes. - Tio Charlie sugeriu.


Eu fui em meu carro e Bella e tio Charlie foram na picape da minha prima. Enquanto Bella estacionou seu carro na residência dos Black, eu segui para a residência dos Lahote.


Estacionei meu carro ao lado de uma motocicleta e avistei Paul me esperando na varanda, como de costume, ele estava de bermuda e sem camisa. Uma tentação, devo admitir.


- Oi! - Paul sorriu e beijou-me nos lábios.

- Oi! - Sorri para ele.


Paul pegou minha mão e nós entramos na casa de madeira. Cumprimentei o senhor Lahote, que estava no sofá vendo televisão e nós seguimos direto para o quarto de Paul.


Era a primeira vez que entrava em seu quarto, as paredes eram azuis, tinha uma estante de livros, um computador antigo e uma casa de solteiro no canto da parede. O cômodo não era grande, mas tinha seu cheiro e parecia condizer com sua personalidade.


O garoto fechou a porta atrás de nós e se aproximou de mim. Ficamos apenas analisando cada detalhe do rosto do outro, Paul tinha um tom de pele lindo, lábios bonitos e seus olhos castanhos eram ainda mais bonitos de perto, tinha um brilho especial, que meu coração me dizia ser pela minha presença e eu realmente torcia para que fosse.


Beijei-o nos lábios e levei as mãos ao seu cabelo. Paul levou às mãos à minha cintura e me ergueu no colo, me deitando em sua cama. Ele começou a beijar meu pescoço, me fazendo soltar um suspiro, Paul me beijou novamente e suas mãos foram até minhas coxas, mas eu interrompi o beijo.


Eu poderia ser uma garota um pouco maliciosa e já ter beijado vários garotos, mas não passava disso, eu nunca tinha feito mais do que um beijo de língua e não sabia se estava pronta para me entregar naquele momento. Eu queria, queria muito, mas, antes, eu precisava entender o que eu realmente sentia por Paul.


- Não vou te forçar a nada. - Paul disse e eu assenti.

- Eu sei, obrigada! - Sorri e dei-lhe um selinho.


Nunca duvidara da índole de Paul, eu sabia que ele não me forçaria a nada, era atão carinhoso e cuidadoso, que, às vezes, acho que ele tinha medo de me quebrar.


Aquilo tudo era diferente para mim, porque, geralmente, os garotos queriam "avançar o sinal" e, quando me recusava, saíam me xingando e, numa das vezes, um garoto tentou me forçar, mas Ian me salvara e espancara o garoto. Ian era mais que meu melhor amigo, era meu anjo da guarda.


Pensei em Paul e Ian se conhecendo e sorri ao concluir que meu amigo aprovaria meu novo "pretendente".


Nós dois passamos o resto do tempo com ele deitado na cama e eu deitada em seu peito, enquanto ele acariciava meu cabelo. Aquilo era tão reconfortante que eu não queria sair daquele quarto nunca mais.


                                    xXx


Senti um beijo quente em meu rosto e abri os olhos. Não estava no quarto de Bella, estava no quarto de Paul, eu havia adormecido em seus braços e sabe-se lá quanto tempo havia se passado.


- Acorda, princesa. - Paul sussurrou.

- Que horas são? - Disse meio grogue.

- Já está anoitecendo. Bella me ligou preocupada. - Paul disse com a voz serena.

- Jesus! - Sentei-me na cama.

- Calma! - Paul sorriu e beijou meus lábios, -  Queria que ficasse, mas você tem que ir.


Assenti para Paul e me levantei da cama. Me despedi do pai de Paul e nós dois seguimos pela varanda.


- Viu a cara do seu pai? Eu devo estar parecendo um espantalho. - Tentei ajeitar meus cabelos desgrenhados.


Paul riu e beijou-me nos lábios, me erguendo do chão, depois, me abraçou e eu coloquei meu rosto na curvatura do seu pescoço, me permitindo sentir seu cheiro.


- Você é o espantalho mais lindo que eu já vi. - Paul riu e eu revirei os olhos.

- Babaca! - Disse e dei-lhe um selinho.


Tentei me soltar dos braços de Paul, mas ele não moveu um músculo sequer.


- Hã, sabe, pra ir embora, você tem que me soltar. - Disse e ele bufou irritado.


Paul tirou seus braços da minha cintura e eu dei um último beijo antes de seguir até meu carro.


- Vejo você amanhã? - Paul disse.

- Quem sabe! - Sorri para ele.


Segui para a casa dos Black e, quando estacionei meu carro, vi a cena que eu tanto esperava ver, Jacob e Bella aos beijos. Pensei em buzinar e estragar o clima, mas minha prima sofrera tanto que merecia um pouco de privacidade, então, parei meu carro e esperei que o beijo terminasse.


- JÁ PODE VIR, ALEX! - Jacob gritou.


Senti meu rosto corar. Estava tentando ajudá-lo e ele me entrega? Maldito Jacob Black!


- Eu estava tentando lhes dar privacidade, sabia? - Disse depois de sair do carro.


Jacob riu e tratou de bagunçar ainda mais meu cabelo.


- Ridículo! - Empurrei sua mão.

- Vejo que teve uma tarde interessante com Paul. - Jacob sorriu malicioso.

- Vocês dois...

- Não, mãe, não aconteceu nada entre o Paul e eu. - Disse para Bella de forma irônica.

- Ainda. - Jacob complementou.


Peguei algumas pedrinhas do chão e joguei em sua direção.


- Fica na sua, Don Juan. - Disse.

- Alex! - Bella me repreendeu.

- Tchau, Don Juan! - Acenei para Jacob.

- Tchau, senhorita. - Jacob fez reverência - Tchau, Bells.

- Tchau! - Bella corou.


Entramos no carro e eu liguei o motor. Bella estava em silêncio, então eu liguei o som no volume alto, mas ela sequer reclamou daquilo, seus pensamentos estavam longe e eu esperava que estivessem em Jacob.


- Bella? - Desliguei o som e olhei-a com preocupação.

- Oi? - Bella despertou de seu transe. Suas bochechas estavam rosadas.

- O que está se passando nessa cabecinha? - Disse.

- Eu confrontei o Jacob sobre a tal garota. Ele me disse que não iria revelar o nome dela, eu perdi a noção e beijei ele. - Bella disse. - Acho que estou ficando maluca.


Estava orgulhosa de minha prima, Bella nunca fora uma garota que tomava alguma iniciativa, principalmente quando se tratava de garotos, então, vê-la investindo num garoto como Jacob, mostrava que ela estava começando a seguir em frente e que, junto à isso, estava tornando-se uma nova garota, como uma fênix que renasce das cinzas e se reinventa. No fim das contas, alguma coisa de boa o Cullen tinha feito, estava tornando Bella uma pessoa melhor e mais decidida.


- Maluca de paixão. - Disse e ela revirou os olhos.

- Você não entende, Alex, se ele ama outra garota, eu não posso me apaixonar por ele. - Bella engoliu em seco. - Não posso passar por isso de novo.


Tinha passado tanto tempo provocando Bella em relação a Jacob, que não havia parado pra pensar na possibilidade de que ele realmente poderia estar interessado em outra garota e, se esse fosse o caso, não poderia permitir que minha prima saísse com seu coração partido mais uma vez. Ela não iria aguentar.

 


Notas Finais


Trecho do próximo capítulo:
"- Nunca mais chegue perto de mim. - Tentei parecer ameaçadora, mas acho que tudo o que parecia, era patética.

- Em breve, estarei mais perto do que imagina. - O home riu."


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...