História Imprinting - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Drama, Jikook, Lobos, Namjin, Suga, Taeseok, Vhope, Vhopeproject
Visualizações 552
Palavras 3.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu disse que iria correr

haha

mas era para terminar o cap ^^

espero que me perdoem por ter demorado
não revisei então se houver erro me avisem.

Aproveitem e até lá em baixo

PS: TOMBADA EM COMO O BTS E BIGHIT ME FIZERAM TOMBAR ESSA SEMANA JESUS !!
.
.
.

Capítulo 11 - Want


Fanfic / Fanfiction Imprinting - Capítulo 11 - Want

Eu quero você por um motivo que não sei explicar, e talvez na verdade não seja mais um motivo mais sim uma necessidade. Eu-quero-você.

▂ ▃ ▄ ▅ ▆ ▇ █ █ ▇ ▆ ▅ ▄ ▃ ▂

 

Nunca tive um sonho tão estranho como o dessa madrugada chuvosa. Não é certo chamar de sonho já que era uma coletânea de lembranças, lembranças de todos os momentos desde que Hoseok apareceu em minha vida.

Primeiro quando ele me salvou – a primeira vez que vi a estranha coloração esverdeada sumidoura de seus olhos -, quando nós nos conhecemos oficialmente, quando ele me levou ao penhasco e me abraçou, quando eu chorei em seus braços, entre tantos outros momentos que a minha memória reuniu dentro da minha cabeça confusa.

Agora é oficial ele mexeu comigo. Não posso mentir e falar que não tenho sentimento por ele... Eu tenho! Mas não sei identificar quais são. Só sei que está tudo estranho e eu... eu quero ele.

— Você despertou as coisas mais bonitas que existiam em mim, as que eu nem sabia que tinha.

Ele estava acordado? Petrifiquei. Eu mesmo estava acordado ao um tempo, não queria levantar, pois, a sensação dos braços quentes de Hobi eram como o céu. E também eu não queria abrir os meus olhos e vê-lo, sabia que meus sentimentos só iriam ecoar e eu ainda tenho medo deles.

— Se você tivesse me conhecido a alguns meses atrás ia ver que eu não sou nada parecido com isso... Eu nunca fui essa pessoa “boa”, nunca me importei com ninguém além de mim e minha família. Tudo fora disso era descartável em minhas mãos. É tudo culpa sua sabe? Porque eu te juro, de todas as coisas do mundo, eu só quero olhar para você. E eu não acho que isso tenha haver com o imprinting.

 Nada haver com imprinting.

Eu tentei não sorrir, mas não consegui aguentar. Em minha lista de motivos para não aceitar os sentimentos de Hoseok eram por eles virem de uma “síndrome” psicológica. Todos os seus sentimentos por mim eram robotizados, programados, obrigatórios.

Mais sua confissão secreta esquentou-me.

 

▹◈◃

 

Quando mamãe disse que meu “pai” viria eu automaticamente me senti enjoado. Já fazia um mês que ele estava tentando se aproximar de Yoora (e eu por tabela), mas eu neguei qualquer envolvimento por ele. Já sou maior de idade e ele não tem mais nenhum dever quanto a mim.

Só quero esquecer que ele existe.

— Você está bem?

E como sempre a voz de Hoseok me tira dos meus pensamentos dolorosos.

— Sim. Ah... o que você vai fazer hoje?

— Não pensei em nada especifico. Acho que vou para casa e dormir todo o final de semana, por que?

— Nada. É que eu pensei que talvez você quisesse... hum deixa pra lá.

Tinha um embrulho da minha garganta, se ele me rejeitasse iria ser vergonhoso, assim preferi terminar antes de começar o convite. Me afastei para colocar minha xicara na pia, mas seu braço me puxou para colidir com ele. Ele nunca, em nenhum momento esteve tão próximo como agora, estou suando frio.

— Fale. O que estava planejando?

Comecei a contar sobre o convite de Nana fiquei nervoso demais, falando sem parar o quão eu precisava passar esse tempo com ele. Mesmo que eu estivesse em uma praia maravilhosa nunca seria a mesma coisa sem ele para me fazer esquecer do meu pai, Jungkook e o resto de aborrecimentos. Eu falei demais já que ele me olhava atônico.

— Tae você quer um itinerário de final de semana comigo?

— Foi exatamente isso que eu quis dizer.

Eu quero ficar com você, mas eu estou com medo demais para admitir...

Me sinto pequeno. Desde do dia que ele apareceu foi como se todos tivessem perdido realmente a graça. Na verdade, perderam mesmo, porque nenhuma essência se compara com a dele. Ele se tornou gigante perante o meu mundo fazendo-me sentir encolhendo em sua presença.

— Não temos limites.

Sua palma quente penteou alguns fios para trás de minha orelha deslizando a mão sobre meu pescoço. É... eu realmente o quero. Sinto meu coração falhar assim que percebo seus olhos esverdearem, eles sempre se tornam tão lindos assim? Me sinto atordoado.

Nem me dei conta que meu corpo tinha se aproximado para tão rente de sua face, percebo o que está me deixando tonto. É ele. Algo nele faz com que me sinta prestes a despencar. Derreter. Arder em chamas.

Se suas mãos não estivessem sobre mim eu juro que cairia aos seus pés de tão anestesiado estou. Minhas mãos buscaram apoio em sua cintura. Me desconcentrei olhando para a pequena pinta em seu lábio superior. Tão bonito... eu quero te beijar.

— TaeTae você viu o secador... oops!

O susto foi tão grande que pulei para o mais longe que consegui. Mamãe nos atrapalhou. Eu não sei fico feliz ou aliviado, se nos beijássemos o que aconteceria depois? A resposta certa é: eu provavelmente estragaria tudo como sempre.

Mas mesmo com essa certeza eu o sinto escapar pelos meus dedos... a cada passo a mais que ele abre em direção a porta mais eu me sinto sufocado - meus sentimentos são confusos de mais - ,mas se eu quero ele porque não me permitir? Sou solteiro, livre não a nada que me impeça de quere-lo. Não é ruim o querer.

— Hobi!

Mesmo as frações de segundos em que a minha boca esteve sobre a dele fez meu estomago tremelicar. Um calor estranho começou pelo meu coração. É semelhante a explodir.

— Até daqui a pouco Hoseok.

 E o choque da minha ação fez com que eu afobado batesse a porta em sua cara. Escorei-me na porta tocando meus lábios, nem eu acredito que eu realmente tomei uma iniciativa – uma iniciativa medíocre – ainda sim eu fiz algo.

 

▹◈◃

 

Estava terminando de colocar algumas mudas de roupa na mochila quando ouvi a buzina de em frente à minha casa. Apresei-me procurando alguma blusa para vestir - já que iriamos a praia e só precisaria de uma, na qual já iria vestido -, mas eu não estava achando nada que me agradasse.

Até eu avistar o moletom preto de Hoseok que havia acabado de recolher do varal. Eu senti a textura do pano não resistindo em levar as narinas. Mesmo depois de ser lavada o odor peculiar ainda estava no tecido. O cheiro do Hobi. Deslizei o pano sobre meu corpo me sentindo orgulhoso. Então é assim que os ômegas se sentem ao ter algo do seu alfa?

— Já estou indo mãe! – gritei já na porta.

— Vão com deus, e vê que se resolve logo com meu genro! — ela me gritou de volta. Mereço.

Nana estava encostada em um Doblò (Fiat para sete pessoas), pela porta aberta podia ver Jimin e Kookie e o fato que mais me surpreendeu: Yoongi estava no banco do passageiro. Tipo, a única coisa que Nana e Yoongi tem em comum é o ódio um pelo outro.

Sorri quando uma moto encostou. Hoseok estava com a mesma roupa e com uma mochila militar nos ombros. A primeira coisa que ele fez foi olhar para o meu tronco – vestido por seu moletom – por um segundo eu achei que ele iria ficar bravo, mas que bobeira a minha... ele sorriu aquele tipo de sorriso lindo que mostra todos os dentes.

Uau! Parece que a noite foi boa... — Nana disse com uma voz insinuante.

— Não melhor que agora, — disse me lembrando que eu estava furioso com ela — Acho que você deve desculpas a alguém não é Im Jin Ah?

— Porque?! — ela parecia indignada — Ao meu ver eu só ajudei certas pessoinhas — ela piscou pra mim e depois deu batidinhas nas costa de Hobi.

— Não importa o resultado, o modo operante foi totalmente ridículo, humilhante e ultrajante! Embora eu queria muito tomar um sol e evitar até a morte um encontro com meu pai... Não vou a lugar nenhum até você reconhecer seu erro e pedir desculpas.

Ah! Ok, Jung me desculpe pelo meu comportamento inconsequente, mas garanto que mesmo minhas atitudes sendo “extremas” eu fiz pensando no bem de vocês.

— Tudo bem. Valeu, acho. — Hoseok sorriu de lado.

— Satisfeito Kim Taehyung?

— Realizado! — devolvi em tom de escárnio.

Nana já estava dando a volta para entrar no carro e Hoseok guiando a moto para o meio-fio para guardá-la em meu jardim até eu o parar, o que lhe surpreendeu.

— Nós vamos seguir vocês de moto.

 Falei sobre os ombros vendo Nana nos dar mais sorrisos insinuantes e Jungkook incrédulo, vi que Jimin segurava seu braço o impedindo de sair do carro. Hobi ainda mantinha os olhos em mim surpreso, mas as pontas de sua boca subindo por fim guiando a moto para a rua novamente.

— Vou colocar a mochila de vocês no porta-malas então. - Yoongi surgiu ao meu lado deslizando a alça de minha bolsa e pegando a de Hoseok.

— O que deu em você hoje? — Hoseok perguntou mexendo no meu cabelo.

— Só estou descobrindo quais são as minhas prioridades.

Dei de ombros subindo na traseira junto a ele. Percebi que minha frase o deixou um pouco avoado – e seu sorriso meio bobo –. Ele me estendeu um capacete, mas não era o negro como de costume. Esse era branco reluzente e aparentemente novíssimo.

— Você me comprou um capacete?

— Nada mais justo. — disse colocando o seu capacete escuro — Afinal você sempre está comigo, não é?

 

▹◈◃

 

O sol já estava baixo quando chegamos. Diferente da casa de campo do Im’s – na qual eu também tive o prazer de visitar algumas vezes com Nana – essa era mais modesta, mas em nada deixava a desejar. A entrada cheia de palmeiras caminho de pedras sobre a areia branca.

Entremos pela porta de ladrilhos de vidro. A casa era quase transparente de tantas paredes dos meus ladrilhos. A sala era integrada com a cozinha pequena, porém bem mobilhada com eletrodomésticos de “rico”. Os moveis estavam cobertos com lençóis brancos.

— Ninguém fica no quarto do final do corredor, ele é dos meus pais e eu ficarei com ele — Nana ditou — Tem mais um quarto de casal a esquerda, então o casal fofura pode ficar com ele... — ela disse apontando para Jimin e Jungkook — Sobrando dois, um tem duas camas e o outro uma...

— Eu fico sozinho. — disse rápido.

— Ok. Agora as tarefas, — ela puxou sua mala para o centro de frente para todos — Hum... Jimin arrume os quartos, Kookie pode ficar com a sala, Hoseok pode lavar os utensílios da cozinha, TaeTae você dá uma geral nos banheiros.

— E a bonita vai fazer o quê? — cruzei os braços indignado com a minha tarefa.

— Eu vou a cidade comprar os mantimentos e abastecer a casa logicamente. — disse jogando os cabelos para trás — Ei Min! — ela jogou uma almofada na cara de Yoongi que já estava deitado em um dos sofás — Levanta você vai comigo preciso de braços para carregar as comprar.

— Que eu saiba você que é a alfa daqui. — resmungou sentando-se.

— Ok, então você lava os banheiros e Tae vem comigo.

— Até parece — ele voou para a porta.

E subimos para colocar as malas em nossos respectivos quartos. Meu quarto não chegava a ser pequeno nem imenso. Tinha uma pequena varando na qual já dava para ver o mar, uma cama de casal pequena branca acompanhada de um dossel de tecido creme. Lindo, chique e aconchegante.

Após me instalar fui começar minha tarefa maçante. Primeiro pela suíte e depois para o banheiro do corredor. Não foi tão ruim quanto imaginei, pois estava tudo em ordem nada que uma passada de água não resolvesse. Já estava terminado do secar o chão quando meu celular começou a apitar loucamente. Era a alarme me avisando de tomar meus supressores. Guardei as coisas na dispensa de limpeza e rumei a meu quarto.

Jimin já tinha passado nele, agora a roupa de cama era azul bebê e também avia travesseiros e uma manta grossa dobrada em cima dela. Peguei meu comprimido descendo para a cozinha. Hoseok estava secando a pia já com uma pilha de panelas, pratos, copos, etc. no escorredor.

— Precisa de algo? — ele tinha um sorrisinho de lado se aproximando de mim.

— Agua.

Ele se esticou pegando um copo e o enchendo no filtro na porta da geladeira. Engoli a capsula beberriquei a agua e a coloquei de volta na pia sentindo Hoseok se aproximar mais. Ele me encurralou no balcão seus braços de cada lado de mim. Ele me olhava curioso.

— Por que você me beijou? — direto e reto como sempre.

— Por acaso te ofendeu ou algo assim? — provoquei fugindo da resposta, eu não sei colocar a resposta em palavras.

— Responda a minha pergunta.

— Responda a minha.

— Não vai mesmo me dizer?! — ele me repreendeu, apesar dele estar com o semblante sério ele também estava se divertindo. — Taehyung...— ele se ergueu colando seu nariz no meu, nossos olhos não se desgrudaram eu sorri.

— Beijei pelo mesmo motivo do qual quero beijar você agora.

Ele elevou seu rosto e selou minha testa com ternura meus olhos se fecharam automaticamente e meu sorriso abriu, eu podia sentir todo seu carinho. Arrastou sua boca pelo meu nariz, escorregou para minha bochecha até chocar na ponta dos meus lábios.

Mas que porra! — rugiu resmungando quando ouviu passos descendo a escada.

— Acho que o universo tem algo contra nos beijarmos em uma cozinha — segredei brincalhão o empurrando de leve para longe.

Não havia errado em nos beijar na frente de Kookie e Jimin, afinal somos solteiros e não devemos nada a ninguém, mas acho que agora ele pensava do mesmo jeito que eu... o primeiro beijo tinha que ser só nosso. Algo que não iriam interromper, algo que só deveria ser apreciado por nós.

— Quartos arrumados — Jimin disse estralando seu pescoço sorrindo para nós.

— Interrompemos algo? — Jungkook perguntou visivelmente incomodado, eu percebi as feições de Hoseok se enraivecerem, mas antes dele respondeu e intervi.

— Não. Estávamos falando em dar uma volta na praia.

— Ai eu até queria, mas minha disposição sumiu acho que vou me jogar no sofá e assistir TV — Jimin disse entrelaçando seu braço em Jungkook que relaxou seus ombros sorrindo para o namorado, mas depois fechou a cara (para mim e Hoseok) novamente.

— Vamos então? — chamei o moreno.

A noite tinha caído por completo. O céu escuro com uma tonalidade opaca de azul marinho e cheio de estrelas. A lua grande e redonda pairava tranquila sobre o mar.

Caminhamos calados lado a lado nos afastando mais e mais da casa, apenas comtemplando o ambiente com a brisa morna tocando nossa pele. Estou nervoso, é um frio na barriga que fica me incomodando para falar logo com ele.

Assim eu estacionei meus pés na areia ainda quente e respirei fundo juntando toda coragem que há em mim.

— Está tudo tão estranho... até poucos dias eu tinha um monte de certezas, mas agora elas meio que evaporaram.

Ele estava muito atento a mim, seus olhos me cercavam, mesmo se eu quisesse não poderia mais fugir.

— Você tomou conta de tudo. Está em cada parte de mim, em cada pensamento, em cada vontade. Só dá você em tudo Hoseok.

Ele fez menção em se aproximar, porém eu não tinha terminado meu desabafo.

— Eu gosto de você. E estou com medo. Medo das minhas confusões te machucarem... eu não sei se posso continuar sendo assim tão incerto com você. — eu sentia uma lagrima escorrendo pelo canto do meu olho.

— Você pode repetir o que acabou de dizer, por favor? — ele disse acariciando meu rosto com sua mão quente.

— Eu disse que tenho medo e...

— Não... começa com “Eu gosto...” e termina com “de você”. — eu sorri sentindo meu rosto avermelhar.

— Hobi... — minha voz saiu um tanto manhosa.

— Todo a vez que você me chama assim eu enlouqueço. — ele fechou os olhos e quando os abriu a coloração deles já havia mudado.

— Não... nós não estamos em uma cozinha agora. — eu disse.

Sua mão puxou meu rosto com uma demasia delicadeza. E finalmente estamos nos beijando. Entreabrimos nossas bocas ao mesmo tempo, parecia que uma já conhecia a outra. Seu braço livre cercou minha cintura me trazendo para mais dele. Era tudo calmo e delicioso, minhas mãos subiram para seu peito pude sentir os bombardeios de seu coração em minhas palmas. Ele puxou meu lábio com os dentes quando nós separamos apoiando sua testa na minha.

Subi meus olhos para olhar ele ainda sentindo as sensações respirando tão descompassado quando eu. Ergueu lentamente seus olhos para me fitar. O verde das írises brilhava, não me contive colocando minhas mãos em seu rosto. Meu polegar massageou a área perto daqueles olhos estranhamente perfeitos.

Lindo.

Depois de sussurrar para a beleza de homem a minha frente entrelacei meus braços envolta de seu pescoço o trazendo novamente para minha boca. Éramos mais urgentes agora, minha mão procurava seus cabelos na esperança de poder me fundir mais a ele. Hoseok me esmagou em seus braços e isso de nada me incomodou.

Desacelerar era doloroso mais necessário. Agora ambas de suas mãos seguravam meu rosto me fitando com um sorriso gigante ele chupou seu lábio inferior um pouco inchado – devido ao beijo – e começou a distribuir selares em meu lábio e rosto e eu comecei a rir.

— Temos que voltar. — disse me afastando.

— Ah não porquê? — ele fez aegyo.

— Porque eu estou com fome.

Entrelacei meus dedos nos dele e por pouco tempo eu fiquei analisando como nossas mãos ficavam bonitas juntas. Percebi que ele também fazia a mesma coisa, nossos olhos se encontraram e começamos a gargalhar andando de volta para a casa.

Antes de passarmos pela porta ele me roubou um selinho sibilando um “Vou tomar banho” e entrou cantarolando pela sala. Nana estava na cozinha arrumando as comprar e Yoongi no sofá mexendo em sua câmera.

— Por que você veio? — perguntei sentando ao meu lado.

— Por que eu não viria?

— Você e a Nana se odeiam... o que mudou?

— Nada. Ela ainda é a pessoa que eu mais detesto em todo esse cosmo, mas estou trabalhando para o desfile dela agora. Estamos planejando um tema, ou seja, isso aqui é mais trabalho do que diversão para mim.

— Nossa quem diria.

— Quem deveria estar dizendo isso era eu, já que uma pessoa tinha me dito que não gostava de um tal de Jung Hoseok e agora estão namorando.

— Não estamos namorando. — disse rápido pensando em mais coisas para complementar e tirar o sorrisinho de sua face — Namoro envolve pedido e você sabe que eu ainda tenho um problema...

— Jungkook?

—Não, tô pouco me fodendo para ele... é a outra coisa.

— Ele não vai te deixar por isso, é só você conversar com ele. Hoseok é um cara legal e gosta de verdade de você. Ele vai entender.

— Eu sou incompleto... quem ficaria com alguém assim?

— Você não é “incompleto”, só precisa de alguém que cure você. E esse alguém é o Jung. Agora eu vou me banhar.

Yoongi beijou meus cabelos brevemente subindo as escadas enquanto Hobi descia secando seus cabelos com uma toalha. Maravilhoso. Como alguém podia ser tão glorioso assim? Pois é, ele é todo perfeito.

— O que foi? — não percebi que o encarava demais até ele me perguntar. — Acho que escorreu baba aqui.

— Convencido. – rolei meus olhos o ignorando e ligando a TV.

Mesmo olhando para a tela eu não estava lá. Até mesmo quando ele me entregou o jantar e nós todos comíamos na sala. Eu estava pensando, pensando na pilha de nada que eu estava oferecendo a Jung Hoseok.

Porque olhando assim, não tenho nada para oferecer, nada além de um coração cansado, machucado e inseguro. E a ideia de machuca-lo ou de não poder oferecer a ele uma relação normal me quebra psicologicamente.

— Você está bem?

 Hoseok sussurrou colocando seu braço sobre meus ombros. Todos estavam entretidos demais pela na televisão para prestar atenção em nós. Apoiei-me mais em meus braços olhando para aquela face que me deixou confuso por tanto tempo e agora tinha se tornado o meu tudo.

E se ele não me querer mais o que eu vou fazer?

— É só sono. — sorri tentando disfarçar.

— Então vamos subir. — eu arregalei meus olhos começando a me desesperar — Eu te deixo na porta como todo cara faz quando acaba um encontro — ele sorriu caçoando do meu espanto.

Eu finalmente puxei o ar de volta para meus pulmões. Que vergonha Kim Taehyung. Queria que ele não me seguisse por estar não vermelho de tanto constrangimento. Abri a porta do quarto ainda com receio de me virar, mas o dia tinha sido cheio de coragem não ai deixar ela se esvair agora.

 E ainda quero beija-lo novamente.

Ele me olhou travesso sorrindo e, meu Deus, que tipo de sorriso é esse: que tira o fôlego, dá nó na garganta, acelera o coração e faz as pernas tremerem?

Eu desisti de todos pensamentos negativos que tive quando senti mais uma vez sua boca esquentar meu corpo. E não é aquele tipo de calor. Era novamente o calor estranho que começa em seu coração e se alastra como incêndio por todo seu ser.

Beijar Jung Hoseok não podia ser comparado com nada no mundo.

 

 


Notas Finais


FINALMENTE UM KISS DE VERDADE OUSO UM AMÉM ????
meu deus fala se não foi fonhinhoooooooooooooooooooo <333

AGORA PERGUNTINHAS HAHAHAHA

(1) Você acharam que o Tae entendeu seus sentimentos de uma hora pra outra (tipo pareceu meio repentino?)
(2) O que vcs sentem em relação a toda essa "incomodação" do Jungkook em relação ao nossos protagonista? Tipo porque porras ele tão tão estresadinho?
(3) Nana e Yoongi tu já suspeitam de algo (tipo que vai rolar um couple todo mundo sabe), mas vcs tem ideá de como vai desenvolver isso?
(4) Adivinham qual é o "problema" do Tae? (já digo ele é um pouco grave)

(5) E CLARO NÉ? O QUE ACHARAM DO CAP !!!

Acho que é só isso
Deixem sua autora feliz e comentem!
QUERO REVIEWS JÁ TO LOGO AVISANDO!


PLAYLIST DA FANFIC: https://www.youtube.com/playlist?list=PLD0_Ge0OrjeRtPARETV4BWLMr5r8CGmvF
TWITTER: https://twitter.com/BlanketKickk
XoXo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...