História Impúdico é a latência de meu prazer. - Yoonseok - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga)
Tags Babyboy, Daddy, Daddykink, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 240
Palavras 5.782
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioioi! Demorei? MT, puts!

Desculpa, sério pessoal, não estava com tempo de escrever e minhas férias se resumiram a pegar Internet só pra att capítulos que já estavam escritos.

Espero que gostem e boa leitura...

Capítulo 5 - Ninfeta do Papai


Fanfic / Fanfiction Impúdico é a latência de meu prazer. - Yoonseok - Capítulo 5 - Ninfeta do Papai

êxtase

1. estado de quem se encontra como que transportado para fora de si e do mundo sensível, por efeito de exaltação mística ou de sentimentos muito intensos de alegria, prazer, admiração, temor reverente etc.

 2. PATOLOGIA

 absorção em uma ideia fixa, acompanhada de perda de sensibilidade e motricidade.


 ¥


 Respirava fundo pela oitava vez enquanto apertava a mochila e vigiava o estacionamento para que Nick, o zelador, não o visse e o colocasse  para dentro. Mordeu os lábios fortemente olhando o relógio e percebendo que o professor saia bem tarde do Internato, como se desse aulas para a turma da tarde com as aulas de etiqueta - estas que fazia questão de não comparecer a nenhuma, vale ressaltar - mas nunca pensou que o ruivo saía daquele lugar que mais parecia o próprio inferno, tão tarde e principalmente no meio da semana.

 Ouviu um som de alarme de carro e observou uma BMW preta ser destravada bem a sua frente. Encarou aquilo confuso e um pouco ansioso, seus poros já se animavam com a hipótese de que aquele carro fosse do professor Jung e que, em breve, estaria com ele depois de horas de espera. Pulou quando sentiu um hálito quente em sua orelha e braços enlaçarem seu quadril em um abraço surpresa. Ficou mais calmo quando sentiu o perfume do professor e um beijo em sua têmpora, acarinhado com o nariz pela lateral de seu rosto até o maxilar, onde deixou ali um selo singelo e desceu para o pescoço em mordidas fraquinhas que arrancavam arrepios por toda a pele pálida. Yoongi suspirou quando sentiu um beijo em sua nuca e o queixo do professor descansou com calma no topo de sua cabeça.

 --- Esperou muito, Baby?- perguntou e Yoongi assentiu.

 Digamos que o aluno havia chegado muito antes do horário pelo evidente nervosismo. Era a primeira vez que sairia com o professor e somente isso já lhe irritava profundamente, nunca ficou tão ansioso para sair daquela escola. Mediante aquilo, resolveu seguir seus instintos e ficar por ali até que o ruívo saísse e viesse lhe procurar. Seu orgulho naquele momento estava realmente morto depois de tudo. Havia se entregado, gemido, obedecido, ficado e ligado no meio da noite para pedir uma sextape, fora que já havia se masturbado várias vezes pelo professor e feito um boquete que desejaria fazer novamente só por ter gostado de ouvir os gemidos roucos do ruívo e do aperto em seus fios. 

 --- Desculpe, as turmas avançadas cansam muito e os alunos querem minha atenção o tempo todo.- respondeu o Jung em seu ouvido e Yoongi sentiu uma pontinha de ciúmes crescer.

 --- Tsc...- ouviu uma risada e olhou o sorriso cafajeste do professor.

 --- Não sinta ciúmes, Baby, o papai só tem atenção para você no momento.- falou e o platinado enrusbeceu, virando o rosto envergonhado pela sentença.- Comprei um presente para você, está no banco de trás. Use hoje, Baby boy...

 --- O que é?- perguntou curioso enquanto sentia o Jung se afastar e lhe puxar pela mão até a BMW. 

 --- Irá descobrir, venha. 

 Ambos andaram pelo estacionamento até o carro. A ansiedade do Min estava nas alturas e o coração martelava no peito como um tambor. O ar faltava quando sentia com a briza leve, o perfume masculino do professor. Observou o mais velho abrir a porta de trás para si e entrou, reparando em sacolas e em uma caixa com laços azuis bebê. O Jung entrou no banco da frente e trancou a porta, olhando pelo retrovisor, esperando que o Min abrisse os presentes que havia ganhado. O olhar cheio de brilho encantava o professor que ficou levemente bobo pela expressão curiosa e animada do platinado ao abrir os pacotes.

 O primeiro presente era um moletom azul bebê e um short colado, um pouco mais escuro que o moletom. Yoongi paralisou, olhando a marca e também surpreso por ter gostado bastante da combinação. Sorriu agradecido, sabendo que o Jung estava lhe vigiando pelo retrovisor. Abriu outra sacola e dentro havia uma caixa de sapato e uma pequena sacolinha junto. Abriu a caixa de sapato e observou um converse branco cano alto e com alguns detalhes em azul escuro. Olhou a sacolinha pequena e de lá, tirou duas meias pretas que iam até sua coxa e com fivelinhas pretas que prendiam na calcinha que vinha junto. Leu a etiqueta e arregalou os olhos pela marca, envergonhado por saber que gostou, mesmo que não fosse muito seu estilo usar meias como aquelas e muito menos calcinhas. Na verdade, nunca usou ou teve curiosidade de usar. Tudo isso era novo para si. 

 --- Não precisa usar elas hoje, Baby, use quando se sentir confortável.- falou o Jung suspirando. 

 --- Tudo bem... mas eu gostei delas, isso que me assusta.- murmurou quase inaudível e pegou a caixinha com laços azuis. Abriu a mesma e olhou confuso para a chupeta azul bebê e uma chocker com "Daddy" como pingente.- D-daddy...

 --- Vista-se. - mandou e Yoongi arregalou os olhos.

 --- E-espera, você quer que eu...

 --- Sim.- respondeu rápido e o platinado estagnou no lugar. - Vai querer mesmo que eu te vista? 

 --- O-o que?- sua mente havia desligado e tudo que viu foi o Jung sair do carro e abrir a porta do banco de trás.- D-daddy, espera...- sentiu seus ombros serem empurrados e seu corpo cair no banco. O corpo quente do ruívo por cima do seu fazendo o ambiente ficar difícil de respirar e as respirações se misturarem fracamente. O Jung lhe olhava nos olhos e aquilo foi o baque para o Min perder totalmente a guarda, ficando molinho abaixo do professor e sentindo o nariz deste em seu  pescoço, ao mesmo que as mãos do mais velho desabotoavam sua blusa, botão por botão.

 --- Por que você não me obedece?- perguntou rouco fazendo o platinado suspirar e fechar os olhos pelo beijo casto em sua nuca.- É tão difícil assim?- levantou o tronco para tirar a blusa por inteiro, desceu as mãos pelo corpo pálido, parando somente na barra da jeans e puxando para baixo com força, desabotoando o tecido e descendo-o até os pés, onde os levantou e arrancou os sapatos surrados, jogando no piso do carro.- Olha como você fica lindo desse jeito...- entrou no meio das pernas do Min e lambeu o membro um pouco desperto  por cima da box.  Yoongi tremeu de ansiedade, fechando os olhos pelo carinho na parte interna de suas pernas.- Você está muito ansioso, Baby, relaxe...- mandou beijando o ventre do platinado, sentindo a barriguinha lisa contrair em excitação.- Se vista, tudo bem? O Daddy tem um horário para te levar para casa, comporte-se...- pediu com a voz baixa, deixando um beijo na têmpora do mais novo. 

 --- Sim, papai...- respondeu deixando o seu Daddy sair do carro e voltar para o banco da frente, ligando o carro e o ar condicionado.   

Vestiu-se com as roupas confortáveis e calçou o tênis branco, se sentindo um bebê usando aquelas roupas tão claras e macias. Pegou a chocker e colocou em seu pescoço, sentindo uma sensação estranha em seu peito, como se aquilo fosse realmente seu e um sorriso saiu de seus lábios por ouvir o pingente dourado balançar em seu pescoço. Olhou para a chupeta e colocou na boca, lembrando de sua infância quando usava aquelas coisas aos seus três ou quatro anos. Ouviu seu Daddy suspirar e olhou para o mesmo, corando ao extremo ao perceber o olhar fixo deste em si. 

 --- Eu não ia pedir para usar se não quisesse, mas acho que vou rever meus conceitos.- lambeu os lábios como um predador e Yoongi respirou fundo pelo olhar guloso do ruívo em seu corpo.- Ficou lindo, pequeno... 

 --- Obrigado... pelos presentes, Papai...- agradeceu tirando a chupeta e esticando-se no banco para beijar a bochecha de Hoseok. - Amei todos eles...- voltou ao banco quando o professor lhe olhou meio surpreso e também agraciado pelo gesto. Colocou o cinto e balançou os pés ansioso.- Não tinha horário? - perguntou colocando a chupeta e observou o mais velho sorrir balançando a cabeça e ajeitando a marcha. 


 ¥ 


 O bar estava cheio. 

 Somente pelo tanto de carros estacionados, Yoongi poderia ver claramente que naquele horário, o estabelecimento estava cheio de fregueses, mesmo que fosse um lugar privado apenas para pessoas que tinham condições de pagar a entrada. Pelo visto, Hoseok tinha.

 Assim que passavam pela entrada vigiada por dois seguranças, o Min arregalou os olhos pelo que viu. Haviam diversas mesas reservadas e com casais de duas ou três pessoas acompanhadas. Pessoas como o professor e ele. Sentiu o ruívo pegar sua mão e lhe puxar para uma mesa que estava reservada para os dois. Sentaram no estofado macio ao redor da mesa redonda e ficaram ambos em silêncio. O platinado ouvia os gemidos das pessoas ao redor, babys que nem ele, agradando seus Daddys ou Mommys em baixo ou em cima da mesa, não ligando se poderiam vê-los ou não. Mas ele via, ele sabia o que estava acontecendo ali. O ar ao redor clamando com o cheiro de sexo e bebida, a excitação e o calor fazia parte daquele bar como se aquela fosse sua alma.  Hoseok pegou um bloquinho que havia em cima da mesa e uma caneta dourada de seu bolso, sorrindo para o Min enquanto escrevia algo nos papéis do bloquinho e chamava o garçom com a mão, dando o caderninho e logo ficando sozinho com este em um silêncio - não tão silencioso assim por causa dos suspiros do sexo ao redor, mas não tão incomodo- o que talvez fosse o melhor para ele se acostumar com o ambiente novo em que estava. 

 Quando um uísque com gelo e limão chegou junto à uma caixinha de veludo, sua mente havia percebido que aquele não era apenas um barzinho de esquina que sempre ia farriar as noites para não poder ir à escola, e sim, um clube especial para aquelas pessoas que tinham algum tipo de fixação por aquele fetiche. Não sabia que aquele tipo de lugar existia, mas indagava consigo mesmo se o professor vinha ali frequentemente, afinal, fora ele que o trouxe até ali.

 --- Nunca veio a um lugar assim?- perguntou o professor ruívo, fazendo o Min negar e pegar seu corpo de uísque, bebendo-o para tirar um pouco de seu nervosismo.- Então é sua primeira vez... entendo...

 --- O que é aqui?- perguntou dando sua chupeta ao Jung que a guardou com carinho no bolso.- Digo, além de um motel. 

 O Jung riu, descontraído, puxando o pulso do aluno e o aproximando de si.

 --- Aqui não é um motel, Yoongi, aqui é onde vou mostrar para você que não precisa ter vergonha de mim.- falou sorrindo doce e alisando a bochecha um pouco corada pela sua fala.- Não precisa ter vergonha quando eu estou por perto, de absolutamente nada.

 --- O que quer dizer com isso?- perguntou baixo quando uma mecha de seu cabelo foi para atrás da orelha por um carinho que recebeu em seus fios.

 --- Você irá entender, apenas relaxe...- falou e o Min assentiu, bebendo um gole de seu corpo novamente.- Não beba muito, quero que nossa vinda aqui realmente valha a pena.

 --- Está com medo de não valer?- provocou e o ruívo lhe olhou cínico. 

 --- Não estou com medo, estou com expectativas que precisam ser cumpridas, trate de fazê-las se realizarem, Baby...- respondeu bebendo também de seu uísque e Yoongi sentiu um arrepio em sua espinha, principalmente ao sentir o aperto em sua coxa, a mão firme do Jung amassando sua pele com gula e desejo, não medindo forças ao amaciar a carne entre os dedos, começando a batuca-los logo em seguida em um carinho descontraído e erótico no meio de suas pernas.- Me conte, Baby... Por que estava com tanta pressa na madrugada?

 --- V-você sabe porquê.- não evitou sua voz sair junto a um suspiro quando a mão do Jung subiu pela coxa e chegou na sua que descansava ali perto, levando até seu membro e massageando levemente.- M-me deixou com vontade... P-papai...- gemeu baixo a última palavra, colocando num reflexo, sua mão livre em sua boca. 

 --- Com vontade?... Mas eu não já tinha à saciado, neném?...- perguntou ainda massageando a intimidade do platinado e chegando perto de sua nuca, arrastando os lábios até o nódulo da orelha cheia de brincos.- Você não gostou de ser fodido na sala de aula?...- sussurrou no ouvido do menor, arrancando um arfar alto, porém contido pela mão.- Responda.

 --- D-daddy... eu gostei, é lógico que eu gostei... mas eu queria o docinho do papai... e-em mim...- mordeu os lábios para conter um gemido ao sentir um aperto em sua intimidade por cima do short. 

 --- Ah, Baby boy, você queria?... - lamentou e Yoongi gemeu choroso, principalmente quando a mão do Jung habilidosamente entrou em seu short e passou pela sua box, apertando seu membro com a mão quente.- Por que não disse? Eu te daria ele com todo o prazer...

 --- N-não seja malvado comigo, papai...- segurou a mão do professor que entrou em seu short e contorceu pela massagem em seus testículos, revirando os olhos pela onda de prazer que sentiu naquela massagem lenta e tortuosa.- P-papai, a-ai não...- pediu fechando os olhos com força e abrindo a boca pelo aperto em seu membro novamente. 

 --- Malvado? Por que eu estaria sendo malvado com você? - perguntou com falta inocência e Yoongi engoliu a seco, a boca precisando de líquido pela excitação enorme que sentiu ao ser beijado em sua clavícula exposta.- O que você quer, Baby? Quer o docinho do papai de novo? 

 --- Q-quero... Quero muito o doce do papai...- afirmou quase que de imediato, já sentindo a boca salivar.

 --- Baby, sua gula me deixa tão excitado, olha para mim...- mandou e o Min fez, respirando pesado pelo estímulo em sua intimidade, esbarrando com o nariz do maior na sua bochecha e os lábios roçando levemente.- Pegue, eu estou com tanta vontade de te comer aqui...- pegou a mão do Min que estava dentro do short e colocou por cima de sua calça, esta que tinha um volume saliente e quente.- Mas ele quer tanto sua boquinha, Baby, quer tanto você se lambuzando com meu gozo como mais cedo... Só que ele quer mais, ele quer você aproveitando até a última porra que sair... ele quer você chupando seu docinho para sempre se puder, você aguenta? Aguenta neném? Aguenta deixar o pau do papai te deixar todo sujinho até essa boquinha ficar dormente?- perguntou e Yoongi assentiu.

 --- Papai... O Baby quer seu docinho... - pediu rouco e apertou inconscientemente a intimidade alheia, ouvindo um arfar dolorido e excitado.

 --- Pois chupe, Baby. Venha aqui, venha fazer seu boquete no papai. - pediu e Yoongi levantou, ficando debaixo da mesa de joelhos e as mãos já prontas para tirar o cinto do ruívo, este que lhe segurou e sorriu negando.- Estique as mãos.- mandou autoritário e Yoongi fez, esticando os dois pulsos e encarando o Jung tirar seu próprio cinto e amarrar suas mãos juntas com ele. O Jung abriu sua calça e agarrou os fios platinados, olhando a gula no olhar do aluno.- Faça questão de olhar para mim o tempo todo, ouviu? O papai gosta de ver você todo bonitinho desse jeito.- pediu e Yoongi mordeu os lábios.- Você quer, neném?- tirou o pênis para fora, este já inchado e dolorido, expelindo um pouco de pré-gozo pela excitação.

 --- Q-quero...- pediu em um choramingo e sequer notou que estava fazendo o que estava achando estranho os outros ali fazerem. 

 A vontade ultrapassava qualquer vergonha que havia em seu ser naquele momento. O ruivo tinha aquele poder sobre si que ainda não entendia como funcionava, mas que para seu bel prazer, adorava.

 --- Quer é? - passou a glande inchada nos lábios do Min que formigaram ao sentir a lubrificação natural do pênis do professor.- Por que não estou convencido?- provocou, passando seu pau na bochecha vermelha do aluno e descendo-o pelo maxilar bonito, descendo pelo pescoço que era enfeitado pela choker.- Implore. 

 --- P-papai... eu quero tanto meu docinho...- pediu manhoso, principalmente ao sentir o pênis do Jung subir novamente pelo seu pescoço e parar em seus lábios, sendo afastado quando tentou abocanha-lo.- Pode gozar minha boquinha toda...

 --- Até ela ficar dormente...

 --- Até ela ficar dormente, papai...

 --- Pois chupe bem, Baby, chupe até seu papai gozar e deixe que eu mesmo sujo essa boquinha.- apertou o queixo do Min antes de roubar um beijo rápido e o aluno ganhar a glande inchada em sua boca.- Isso...

 O platinado lambia a glande enquanto Hoseok segurava o pênis pela base e observava a fome do aluno pelo seu pau, a luxúria ultrapassando qualquer som que vinha das outras mesas. As íris profundas e volumosas encararam os lábios do menor beijarem toda a extensão de seu membro e lamber desde a base até o prepúcio, deixando um rastro de saliva pela língua quente. Quando o Min abocanhou a glande e chupou, ouviu o arfar do professor e levantou os olhos para encará-lo como foi mandado, sentindo a fisgada em seu membro por ver o olhar safado do Jung e o copo de uísque ser virado de uma só vez. A sede pelo álcool que escorria pela lateral da boca do professor e a fome que sentia pelo seu pau, fez o Min descer a sua boca até metade da intimidade do professor e ficar ali por alguns segundos e voltar devagar, chupando a glande novamente e sentindo o pré-gozo na língua, voltando a descer pelo pau quente só que até a base, revirando os olhos ao sentir a glande em sua garganta, trabalhando com a língua por poucos segundos antes de voltar e começar um vai e vem torturante e lento. O professor parecia não ter gostado disso, mas sorria pela tortura que seu Baby lhe proporcionava, parecendo empenhado a degustar o docinho do papai do jeito que ele queria.

 O ruívo gemeu rouco, agarrando os fios platinados e levantando a mão para chamar o garçom, pedindo mais um copo de uísque com limão. Segurou a cabeça do Min, parando o boquete delicioso que ganhava, ganhando um olhar choroso e deixando a saliva escorrer pelo canto da boca do aluno, branca por estar misturada ao pré-gozo e sufocada pela  boca que engolia naquele momento seu pau por inteiro. Começou a coordenar os movimentos do Min, um pouco mais rápidos que os anteriores, mas jamais deixando o menor separar seus lábios de seu membro, sorrindo por ver os olhinhos lacrimejarem pelo estímulo que começava a fazer com o pé na intimidade do outro, ouvindo-o gemer em sua glande e as mãos amarradas pelo cinto segurarem sua calça afim de descontar o prazer que sentia. Segurou a cabeça do Min novamente na base e afastou a mesa, deixando o boquete exposto para quem quisesse ver.

 --- Mostre para eles como você degusta o docinho do papai.- mandou e Yoongi mesmo relutante, ganhando um puxão nos cabelos, fez o que foi lhe pedido, ouvindo arfares de outras pessoas que observavam sua ação.- Você tem uma boquinha tão deliciosa, Baby boy, olhe como eles te comem com os olhos.- afastou a boca do Min de seu pau e deixou a imagem do pré-gozo descer ao redor da boca do mesmo com saliva, escorrendo pelos lábios vermelhos e inchados até o queixo.- Você gosta muito do seu docinho, não gosta?- perguntou continuando a masturbação com o pé e Yoongi assentiu.

 Era estranho ter aqueles olhares gulosos sobre si, como se estivessem o analisando e lhe fodendo ali mesmo. Todavia, era excitante. Parecia que estava sendo o centro das atenções e todos olhavam para sua boca pequena e vermelha, desejando estar ali no lugar do Jung. Isso encheu seu ego, principalmente por saber que nenhum deles teria a sua boca como Hoseok estava tendo naquele momento, era posse, tinha dono e era isso que o professor estava fazendo. O ruívo estava apresentando sua posse e faria inveja com o quanto seria bom para ele. O platinado percebendo aquilo, sorriu, lambendo os lábios e o professor sorriu.

 --- Papai, goza aqui de novo.- mostrou a língua, pedindo com os olhos brilhantes de volúpia. 

 Mais arfares e gemidos altos, o Jung apertou seus cabelos e o deixou voltar para o boquete, este que ficou ainda mais lento, porém muito mais gostoso. O Min fazia questão de dar o melhor de si, amando ver a expressão de prazer do mais velho quando este já sentia o orgasmo avançando. Yoongi sentiu os jatos em sua língua e continuou o boquete, desfrutando dos espasmos que o corpo do ruívo fazia e também do gosto forte em sua boca. O gozo escorria nas laterais de seus lábios, estes que ainda saboreavam o membro teso e inchado. O Jung o retirou e o menor colocou a língua para fora, recebendo os jatos em seu rosto e pescoço, acertando vários em sua língua quando conseguiu subir suas mãos para segurar o pau do professor e masturba-lo para que mais gozo saísse e caísse em sua língua. O líquido esbranquiçado escorria e caia pelo queixo, se lambuzando com gozo alheio e sentindo a boca dormente do boquete. Porém, surpreendeu o ruívo quando voltou a chupá-lo, melecando e limpando o gozo que sobrava no pau teso. Um gemido arrastado e rouco tomou os ouvidos do Min, que sorriu com o membro em sua boca. 

 --- Olha como você fez bagunça, baby...- ouviu um murmurar e Yoongi subiu a cabeça, soltando o a intimidade do maior e começando a chupar os testículos, sentindo o pênis ainda meio inchado e escorrendo sêmen pela fenda. Voltou lambendo o restinho que sobrava e observou o Jung sorrir para si, orgulhoso.- Venha cá, sente no colinho do papai, faça ele se animar de novo para te dar o que você merece por ter cuidado tão bem de seu docinho.- Yoongi levantou e sentou com as duas pernas, cada uma de um lado e fazendo questão de sentar mesmo em cima do membro que antes chupava. Hoseok segurou seus pulsos amarrados e passou sua cabeça entre eles, fazendo o menor ficar abraçado a si e com o rosto próximo ao seu.- Olha como se sujou...- Hoseok lambeu o maxilar do Min, causando um arfar alto.- Está tão bonito, assim, Baby... Rebola para o para o Daddy, ele gosta tanto de sentir sua bunda por cima...- sussurrou beijando o canto da boca de Yoongi, descendo os beijos e chupões pelo pescoço imaculado. 

 Yoongi rebolava com lentidão, mordendo os lábios dormentes pelo boquete e descontando a excitação que sentia ao enlouquecer de tesão com as mãos do Jung em sua bunda, apertando-a sobre o tecido mole do short e dando um tapa forte na nádega direita. Parecia que o barulho havia ecoado por todo o local, chamando a atenção das outras mesas que os observavam com luxúria. Gemeu baixinho quando sentiu uma mordida em sua clavícula exposta pelo moletom, as mãos do mais velho descendo para suas coxas e as apertando com vontade, subindo por dentro do short e parando quando chegavam na sua virilha, alisando-a por cima da box.

 --- Está vendo o quanto é tentador, Yoongi?- perguntou cínico e com um sorriso ladino contra a pele do menor.- Olhe para eles, todos querem ter você, foder você... mas só eu posso...- falou firme e o platinado riu rouco, bêbado pela provocação e com os olhares nada castos em cima de si.- Mostre para eles que é uma ninfeta, a ninfeta do papai...- murmurou em seu ouvido, mordendo o lóbulo macio e ouvindo o Min gemer contido e envergonhado.- Mostra, baby boy, o quanto o Papi é feliz pela ninfeta que ele tem, faça inveja para eles... - subiu as mãos devagar pelo short e parou na barra, contornando a cintura bonita e puxando o tecido junto com a peça íntima para baixo, levantando o quadril do menor rapidamente enquanto descia o tecido até sentir que seu Baby estaria confortável.- Senta no seu docinho do jeito que você queria...- rodeou a cintura do Min com o braço e puxou-o para mais perto, esticando a mão para pegar a caixa de veludo e abri-la, tirando de lá uma camisinha, abrindo-a com agilidade e colocando em seu pau com uma só mão.- Seja hoje, a ninfeta que você é.- murmurou em seu ouvido e Yoongi gemeu arrastado por sentir o Jung lhe invadir e forçando sua cintura a descer até que estivesse enterrado no interior. - Quero que eles ouçam o quanto você se satisfaz só com seu docinho... só com o pau do papai...- Hoseok apertou suas nádegas e as afastou, sentindo o Min gemer pela ardência inicial e encostar sua testa na do maior.

 --- Me fode papai, goza em mim de novo...- pediu começando a se movimentar com o quadril e viu o Jung apertar sua cintura, ajudando-o a se mover.- P-papai... 

 --- Você é tão apertado...- rosnou rouco e deu um tapa forte na nádega macia, ouvindo um gemido alto sair dos lábios inchados e os movimentos ficarem mais rápidos e selvagens.- I-isso, meu amor! - rodeou a cintura do menor e puxou seus fios de cabelo com a outra mão, ao mesmo tempo que o Min cavalgava no membro teso. 

O ruívo puxou as mechas platinadas para trás e mordeu a tez do pescoço alheio.

 --- D-daddy... - o aluno choramingou, manhoso e baixinho, ganhando um tapa estalado junto a um aperto na coxa. 

 --- Geme mais alto ninfeta do papai... Eu quero que eles ouçam a vadia depravada que eu tenho!- mandou entre arfares e Yoongi choramingou de tesão, gemendo alto quando o professor investiu em si com força.- Só assim para você gemer? Pois assim seja.- falou rouco e tirou o Min de seu colo, puxando-o pelos cabelos e o colocando de quatro para si, as mãos amarradas e apoiadas no estofado, ao mesmo que seu rosto era mostrado à mesa do lado. Estes que se masturbavam e transavam ao ver o jeito bruto que o professor lhe tratava. Hoseok lhe invadiu novamente e começou a fodê-lo com selvageria. O aluno gemia alto enquanto sentia seus fios serem puxados para trás e um sorriso adornava seu rosto pelas expressões de prazer que todos os presentes faziam ao vê-los transar.- Diga a eles o que mais gosta... O que você mais gosta, neném?

 --- D-do pau do P-papai!- respondeu com a voz entrecortada pelos gemidos.

 --- Só o papai pode ter esse cuzinho, não é?- perguntou batendo na bunda exposta e descendo o tecido do short e da box para mais baixo.

 --- M-meu... Ah!- gritou quando sentiu sua próstata ser surrada pelo mais velho.- M-meu cuzinho é s-só do pa-papai!

 --- Fale para eles como está gostando de ser fodido pelo Daddy!- mandou em um rosnado e Yoongi gemeu alto, não conseguindo conter mais seus sons e suspiros quando sua próstata já era acertada repetidamente.- Diga a eles que é a ninfeta do papai!

 --- E-eu... s-sou a... ninfeta do papai!- gemeu já choroso e manhoso, sentindo seu orgasmo surgir e seu corpo tremer pelos espasmos fortes.- P-papi... P-papi... Papi...- gemia alto e ouvia gemidos junto aos seus. Estava havendo uma orgia e sua visão estava turva pela mente nublada. Parecia ter visitado o inferno da luxúria. 

 Seus pulsos foram puxados e sentiu seus braços atrás da nuca do ruívo, a respiração acelerada e excitada do professor batendo em seu pescoço foi o estopim para a sua sanidade. Gemeu manhoso quando sentiu o Jung gemer arrastado em sua pele e rebolar em sua entrada, fazendo um prolongamento de seu próprio orgasmo e consequentemente do Min. Yoongi sentiu um tapa forte em sua coxa e gemeu arrastando o ar entre os dentes, fechando os olhos com força e mordendo os lábios em seguida. Sentiu um beijo casto em sua nuca.

 --- Estou orgulhoso de você, baby.- murmurou o ruívo e Yoongi sorriu, sentindo uma sensação de vitória pela sentença do mais velho.- Venha aqui.- mandou tirando os braços ao redor de seu pescoço e tirando o cinto dos pulsos alheios.- Vou pedir a conta.- falou e saiu do mais novo, subindo as roupas do aluno e tirando a camisinha, jogando-a no lixo que havia debaixo da mesa.- Garçom!- chamou abotoando a calça social e colocando o cinto de forma rápida.- Pode me trazer a garrafa e o presentinho.- piscou e Yoongi ficou sem entender, amaciando seus pulsos e sentindo olhares sobre si.

 O garçom não demorou a chegar com uma garrafa de uísque e um pirulito vermelho. O professor pagou a conta e deu o pirulito ao Min, este que levantou e foi puxado pelo maior, saindo e encarando todos que estavam se masturbado por si e pelos seus babys que imploraram com o olhar por um tratamento igual. Ambos passaram pela saída do lugar e foram direto para o carro, entrando no banco da frente e o maior no banco do motorista. 

 --- Não se atrase amanhã.- avisou dando a garrafa ao Min que arregalou os olhos.

 --- E-espera, você está mesmo me dando?... 

 --- Se livre dela logo antes que alguém pegue, será um dos meus muitos agrados se me obedecer como obedeceu hoje.- estendeu a garrafa e Yoongi sorriu agradecido, porém o maior afastou, fugindo do toque do mais novo.- Que mal agradecido. 

 O platinado o olhou incrédulo e envergonhado, olhando o pirulito vermelho em mãos e formando um bico chateado.

 --- Obrigado, Daddy, você é demais...- agradeceu sincero e se curvou para beijar os lábios do ruívo, ganhando não apenas um beijo e sim vários que vinham estalados e faziam cócegas por serem carinhosos e meigos.

 --- Seu pirulito é sabor licor de cereja, só os clientes V.I.Ps têm, aproveite seu docinho, bebê!- falou e Yoongi já abria o pirulito de imediato, sorrindo pelo gosto forte de licor e o doce do pirulito.

 --- Obrigado!- agradeceu feliz e abraçou a garrafa, encarando o Jung que colocava o cinto de ambos.- E minha chupeta?

 --- Está aqui.- tirou do bolso e o aluno tirou o pirulito da boca, aceitando o agrado do Jung com a chupeta e sentindo ainda o rosto sujo.- Vai tomar um banho quando chegar, ouviu?

 --- Uhum!- assentiu obediente com a cabeça e Hoseok sorriu.

 --- Amanhã, irá ir em todas as aulas, estudará e vai se comportar. Sexta, te darei mais um presente e sairemos para um lugar especial.- avisou e o aluno fez expressão curiosa.- Você confia em mim, Yoongi? 

 A pergunta foi tão repentina que os neurônios do cérebro do menor deram pane. Pensou rapidamente na pergunta e resolvia sempre arriscar, mesmo que não sobrasse do porquê o ruívo ter perguntado isso. Assentiu, mesmo que por dentro ainda não soubesse muito se aquela afirmação era certa. 

 --- Pois sexta, iremos nos divertir muito, baby boy. Basta me obedecer...- sorriu cafajeste. 


 ¥


 No dia seguinte, o Min havia acordado cedo, mesmo que tivesse passado a noite inteira perdido em pensamentos  e desejos que ansiava. O assunto sempre rondando a uma única pessoa, Jung Hoseok.

 Se arrumou para a escola como sempre, dessa vez colocando alguma maquiagem para esconder os chupões roxos que ficaram em seu pescoço e passando um perfume novo que sua mãe havia deixado para si de presente. Decidiu usar os tênis que o professor havia lhe dado, havia achando fofo os detalhes em azul e algumas figurinhas que poderia colocar e não tinha visto. Assim que colocou suas pulseiras, respirou fundo e pegou a mochila quase vazia, apenas um com caderno e um livro ou dois, apenas dos professores que cobravam. Suspirou cansado de pensar e saiu do quarto, passando pelos corredores do dormitório e atravessando o campus para ir até sua sala. O platinado estava inquieto, inquieto pois seu objetivo que transar com o professor foi cumprido, porém aquela sensação estranha não passava. Somente por lembrar da noite anterior sua boca ficava seca em busca de algo que saciasse aquele desejo que se alastrava como fogo em sua pele, brigando com o cérebro que insistia em não lhe explicar o motivo dos batimentos acelerados e a sensação de frio longe do Jung. 

Para falar a verdade, estava mais preocupado consigo por não sentir arrependimento de ter ficado submisso ao ruívo e com raiva por saber que transou com ele no meio de várias pessoas em um bar. Poderia sair daquilo já que havia ganhando uma transa, mas seu corpo não deixava, fazendo questão de encher seu peito de saudades e aflição, ansiedade pela sexta que mesmo estando perto, parecia longe de chegar. 

 Assim que chegou, sentiu um olhar para si, encarando Jeongguk no final da fila, os olhos negros do mais novo lhe fitando como se soubesse de tudo que fazia. Desviou andando até sua cadeira de sempre e dando um aceno para Lisa, esta que ainda estava surpresa pelo Min aparecer na escola naquele horário.

 --- Bom dia, Yoongi.- falou e o platinado revirou os olhos.- Ok, não é um bom dia.

 --- Na verdade, é sim um bom dia, só não sei porquê tenho que passa-lo aqui.- respondeu e Lisa riu alto.

 --- Típico.- sorriu cínica e olhou para Jeongguk, tornando a sorrir maliciosa.- O Gguk 'tá olhando para você. 

 --- Eu percebi, qual é a dele?- perguntou desinteressado e também irritado. Virou-se para o garoto com um olhar mortal.- O que foi? - falou alto.- Perdeu algo na minha cara? 

--- Conseguiu perder a vergonha?- perguntou e o Min lhe olhou sem entender.- Lá, perdeu a vergonha?- perguntou novamente, tirando do bolso o mesmo pirulito que o platinado ganhara no bar, a mesma embalagem transparente com o logotipo do lugar.

 O Min sentiu suas bochechas esquentarem, levantando-se e indo até Jeongguk, olhando assustado para este.

 --- Me encontra no intervalo.- falou sério e o menor assentiu, estendendo outro pirulito que estava em seu bolso para o platinado.- Me dá, como conseguiu isso? 

 --- Sou filho do dono.- respondeu e o Min abria a boca para perguntar algo que estava lhe incomodando, porém foi interrompido pelo barulho da porta.- Se comporte, o professor Jung é rigoroso quando quer.- provocou tirando um rosnar irritado do menor.- Ninfeta.- zombou e viu o rosto do platinado ficar vermelho de tanta vergonha.- Só para sua informação, o professor Jung sabe que eu sei... sou confiável, sim? 

 --- Babaca.- resmungou e Gguk riu.

 --- Ele é cliente regular, quer dizer, era, agora sabemos o porquê nosso cliente vip não aparecer mais com tanta frequência. Achou uma pérola.- comentou e observou o Jung os encarar. 

 --- Regular?... Interessante.  


Notas Finais


Então, gostaram? Espero que sim, obg por ler e até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...