1. Spirit Fanfics >
  2. Impure - Jaemin (NCT) >
  3. Betrayal

História Impure - Jaemin (NCT) - Capítulo 12


Escrita por: nanapeach

Notas do Autor


Oii

Vou postar com mais frequência agora
O próximo deve sair no fim de semana, eu ia postar ele junto, mas ia ficar grande demais e não gosto muito de postar caps mt longos, só se for realmente necessário
Desculpem se houver erros
É isto

Capítulo 12 - Betrayal


 


Ao contrário de você, Jaemin não dormiu quase nada e teve um pesadelo esquisito em que você estava coberta de sangue, inconsciente, e um garoto do qual não conseguiu ver o rosto estava em cima do seu corpo, segurando uma faca. Não pôde fazer nada a respeito, afinal acordou antes que tivesse uma oportunidade. 


 Ele saiu cedo de casa quando o céu ainda estava escuro, os cabelos úmidos e já vestido em seu uniforme escolar, indo até a loja de conveniência a duas quadras de casa onde comprou algumas coisas e voltou para casa algum tempo depois.



 Ao entrar na cozinha, encontrou você sentada em cima da bancada com um pote de biscoitos nas mãos, lutando para abri-lo. 



 — Quer ajuda?  — Jaemin perguntou e você não o olhou para responder.

 

 — Não... eu consigo.


 — Boa sorte então. — ele te deixou para lá e você ficou mais dois minutos tentando e previsivelmente desistiu. 


Que saco! 


 — Será que você pode... ? — o garoto que estava de costas guardando algumas coisas no armário, se virou lentamente. — Aposto que foi você que fechou com essa força toda — adivinhou o óbvio — É mais que sua obrigação abrir.




 — Cedo assim e já quer aprender outra lição? 


 Jaemin estava brincando, mas ele ficou satisfeito ao ver você ficar sem palavras e fingir prestar atenção em alguma no chão. Ele se aproximou de você, pegou o objeto e o abriu. 



 — Levei seu celular para consertar a tela quebrada. — comentou, colocando o pote do seu lado. — Amanhã vou buscar, por que não me olha nos olhos enquanto agradece? 




 — Obrigada. — e vocês se encararam, um tom vermelho surgindo no seu rosto, as lembranças do que tinham feito horas atrás surgindo na sua cabeça sem aviso.



 Jaemin quase podia ler a sua mente funcionando.




 — Come logo e termina de se arrumar. 



 Você imitou a fala dele de forma infantil e irritante, mas tomou o café mais rápido da sua vida e foi calçar o tênis o mais depressa que suas mãos conseguiam ou vocês dois se atrasariam muito.        



                     __________ 




 — Quem pode vir resolver essas questões no quadro? Jaemin? Hyunjin? —  o professor chamou os dois garotos, que prontamente se saíram de suas mesas e foram até o quadro.


 — Donghyuck? 


 — Lee Donghyuck? 


 —  Eu?


 —  Você mesmo. 



 O Lee ficou surpreso, o professor de física nunca o chamava para resolver questões difíceis como aquela, justamente por ele não ser tão bom assim. Mas, como suas notas aumentaram muito, o mais velho deveria estar confiante de que o estudante seria capaz. 



 Ele se juntou aos outros dois e começou a resolver a equação. Demorou mais tempo, mas ele conseguiu, e era isso que importava. 


 — Parabéns, Lee. Está indo muito bem. 



Donghyuck sorriu e voltou para sentar na mesa perto dos amigos.


 — Sabia que conseguiria. — Renjun disse. 


 — Sempre acreditamos em você. — Jeno comentou. 


 — É, mandou bem. — Jaemin acrescentou. — Achei que demoraria um pouco mais para chegar nesse nível.


  — Tá me chamando de burro? — Donghyuck fingiu estar ofendido. 


 — Jamais, longe de mim. — sorriu.


 — Seu idiota. — e jogou uma bolinha de papel que estava em cima da sua mesa na cabeça do Na. 



As aulas foram barulhentas, mesmo quando algum professor mais severo repreendia os alunos, eles estavam animados demais por causa do baile e as provas finais antes das férias de verão. 


 — Eu vou indo. Vejo vocês depois. 


 Jaemin falou assim que a última aula teve o seu fim e deixou a sala. 



 Já Donghyuck achava que iria ter alguma tranquilidade depois da aula... seu desejo não foi concedido pelo fato de Jeno e Renjun começarem a discutir como duas crianças da quinta série. Irritante. Muito irritante. 


  Eles eram os únicos além dele dentro da sala depois de todos terem evaporado, Donghyuck terminou de guardar suas coisas na mochila e suspirou. 



 — Amizade não parece significar muito pra você, não é Renjun? Como pode agir tão friamente? — Jeno cercava Renjun para que ele não fugisse da discussão, era sempre a mesma coisa. Eles não mudavam o disco fazia semanas já. — Você sabe o que fez. 



 — Jeno, dá pra ficar suave aí? — Donghyuck tentou mesmo sabendo que era apenas como cutucar onças. — Suave? A gente tá falando de traição! Eu estou cansado de fingir que eu não sei de nada. 



 — É, mas... olha, ele tentou contar várias vezes, esse tipo de coisa não é tão fácil de se dizer... 


 — Renjun nunca teve a intenção de ser sincero, ele quer continuar agindo como se nada tivesse acontecido. Me diz, você sequer gosta dela ou só a usou? 



 — Não fale do que não sabe! — Renjun suspirou profundamente. Estava tão cansado disso. — Eu realmente... quer saber? Mas e você? O que estava pensando quando chamou ela para sair? Eu vi vocês dois na cafeteria no sábado. — Huang questionou com uma leve irritação na voz. 



 — Por que? Está com ciúmes? Diferente de você, eu não tenho nada para esconder. — Jeno deu um sorriso sombrio. — Você tem até o baile para falar a verdade, Renjun. — o Lee saiu da sala sem dar chance de resposta. 



 — Ele só está estressado de novo por causa das provas que estão vindo. Sabe que não deve levar Lee Jeno tão a sério, né? 



 Donghyuck dizia com humor na voz, apesar de nem ele próprio estar tão confiante assim. Talvez Jeno realmente estivesse estipulando aquele tempo ou pior ainda... ele mesmo faria alguma coisa.     


           _____________ 


 


— Chenle, eu já te disse... a resposta daquela questão era B. — disse pela vigésima vez naquele dia enquanto saíam da aula, onde havia ocorrido um pequeno teste em dupla de química. 



 — Só pode ser C, foi a única alternativa que fiquei com dúvida, mas meus instintos devem estar corretos.  


 — Era B. Quer apostar? 



 — Claro, o que vamos apostar? — ele perguntou, esperando que você sugerisse algo bem criativo. 



 Mas não conseguiu pensar em nada a não ser... 



— Uma tigela bem gostosa de ramyeon!  


 — Comida? Você tá falando a minha língua. Apostado! 



 Você riu com a empolgação um pouquinho exagerada de Chenle, nesse mesmo momento sentiu alguém se aproximar e tentou se virar, só que não deu tempo.




 Renjun passou por você e sussurrou algo no seu ouvido bem rápido para que os outros alunos não percebessem, mas que você entendeu. 




 Suas palavras eram algo como "Me encontre no terraço"



           ___________ 




 Depois de se esquivar das perguntas curiosas de Zhong, você se deslocou até o topo do colégio onde apenas Renjun estava, olhando para a paisagem bonita que o alto do colégio proporcionava. 



 — Oi... — se juntou a ele sorrindo para o garoto, porém seu sorriso logo morreu ao ver que ele não retribuiu, ele nem ao menos te olhou. — O que foi? O que tem para me dizer?



 — Vou contar tudo para o Jaemin. — Renjun disse sem hesitação, seu tom deixando claro a decisão dele. Você achou que tivesse escutado mal por um instante, mas não tinha. Ele havia dito com todas as letras. 


 — O que? N-não... você não pode! 



 Não agora que a relação entre você e Jaemin tinha dado um passo adiante... se Renjun contasse, tinha medo de fazê-lo ficar distante de novo. 


 — Posso e vou. Só estou te deixando saber. 


 — Você... você quem disse para fingirmos que nada aconteceu. — lembrou, desesperadamente tentando achar algum argumento pra fazer o chinês voltar atrás. 



 — Eu sei, mas... não posso deixar ele saber sem ser por mim. Você entende que amigos de verdade não mentem? Amigos não traem, ________. — finalmente Renjun olhou para você. — Além disso, não quero mais fingir que eu não sinto nada por você. 


 — Renjun... — não sabia o que dizer, se sentia mal demais para pensar em uma resposta. — Você sabe que...



 — Sim, eu sei muito bem que você ama ele, mas será que não posso tentar fazer você gostar de mim? 


Sentiu um aperto no coração e ao invés de responder aquela pergunta, se aproximou de Renjun e segurou o rosto dele próximo do seu. 



 — Renjun... não conta ainda, por favor. Deixa que eu conto, eu imploro... — pediu baixinho e ele viu como seus olhos brilhavam de desespero... isso mostrava o quanto você se importava com o que Jaemin iria pensar. 



 — Sinto muito por não poder cumprir seu desejo. — Huang respondeu com certa frieza, se desvencilhou dos seus braços e se afastou bem rápido, sem nem olhar para trás.       



O quão encrencada estaria agora? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...