História (i)mutável - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Gravity Falls
Tags Billdip, Drama, Fantasia, Romance, Yaoi
Visualizações 46
Palavras 2.343
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Orange, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei a capa tá péssima(relevem) é minha primeira fanfic postada então pfv sejam legais.

Bom a Mabel é meio que a vilã porque eu odeio ela, tava procurando uma fic dela sendo uma pessoa ruim( pq ela é) e não achei sem mais delongas a fanfic:

Capítulo 1 - Prólogo


....

Eu me pergunto como Mabel e chegamos a esse ponto, não somos mais os unidos gêmeos do mistério, não sei qual é sua cor favorita ou seu filme preferido, que dizer eu posso chutar, mas não dizer com certeza como quando éramos mais novos, somos como estranhos que dormem no mesmo quarto, a relação não é a mesma desde do Weirdmageddon, logo após todos os acontecimentos eu reparei minha irmã distante logo no ônibus, Mabel fingia não me ouvir e se afastou dizendo que estava cansada que na Califórnia poderiamos conversar, lembro de achar estranho, mas achei que poderia ser impressão minha, porém já em casa ela só subiu pro quarto que dividimos jogou a mala na chão e foi pra cama com o Waddles, e jogou a cobertura por cima do rosto quando tentei contato, pensei que melhoraria em algumas horas, horas que viraram dias, depois semanas e agora meses, nos poucos momentos que conversamos notei um total desinteresse por qualquer assunto que eu tentasse, poderia ser sobre suas novas amigas ou algum filme não importava, Mabel sempre deixava a conversa o mais rápido possível dizendo que tenha lição de casa ou coisa assim. 

Eu espero que voltando pra Gravity Falls as coisas melhorem entre a gente, que com ela lembrando o quanto nós nos divertimos naquela pequena cidade as coisa possam voltar a ser como antes. A viagem é amanhã logo no início do dia no primeiro ônibus, eu não reclamo do horário já que nunca estive tão ansioso na minha vida, acho ninguém possa entender minha animação, Cris minha melhor amiga achou uma loucura quando viu as fotos da cidade e me disse que preferia uma bala na cabeça do que passar uma dia nesse fim de mundo ou algo assim, mas como ela compreenderia sem saber dos mistérios de Gravity Falls? Cris me lembrava um pouco a Wendy no início mesmo que hoje em dia eu saiba que elas não tem nada a ver, mais quando eu olhei pra garota xingando um cara com o dobro do nosso tamanho pra me proteger, eu só consegui pensar na ruiva. no fim eu paguei algo da cantina pra agradecer e acabamos amigos, Cris era diferente da Wendy em todas as maneiras desde as roupas justas a personalidade e eu fiquei realmente feliz por isso, não queria uma variável da minha antiga obsessão.

Voltando para viagem, eu não estou conseguindo dormir essa noite, abri o WhatsApp e  vi que Cris estava online mesmo que já se passasse das quatro da manhã, comecei a conversa com:

Eu:

"Oi, vc tá acordada? Não consigo dormir então fale comigo vadia"
          
                         Cris:

            "Vadia não que eu sou pra casa"
                        "Casar*"
                        "E se vc não consegue dormir oq tenho haver?"
                        "Sorte sua que eu tô numa festa aí perto quer que eu vá pra sua casa?"
 
Eu:

 "Vc vai sai de uma festa por mim? Fico muito feliz, quem morreu?"

              Cris:

             "Ninguém, idiota"
                         "Soq a festa tá horrível"
                         " E pensei em ter fazer companhia"
                         "Mas já quer você não quer..."

Eu:

" Eu não disse isso, vou estar te esperando na sala, aporta da cozinha vai tá aberta"
"E pfv manda tudo em uma mensagem, é irritante"
                                   
                          Cris:
          
                          "NUNCA"

Eu posso jurar que ouvi Cris gritando essa última mensagem, eu sempre reclamava das suas mensagens em picotes e ela sempre ignorava meu pedido.

Liguei o meu abajur e vi Mabel dormindo na cama no outro canto do quarto, e pela primeira vez eu reparei que não tinha mais os recortes rosas cheios de fotos de momentos marcantes nosso, não tinha sequer fotos com os nossos tios-avôs que estavam ali, agora só fotos de Mabel com algumas amigas que não conheço em shoppings, shows e coisas assim, aquilo doeu em mim, afinal uma ida ao cinema com elas era mais importante que tudo que aconteceu em Gravity Falls?

Bom não vou ficar me remoendo afinal se Mabel não se importa porque eu deveria? Desci a escada e fui na sala esperar assistindo TV, Cris não era muito pontual então é melhor me distrair nesse tempo. Paguei minha língua, já que mal sentei no sofá e ouvi a porta abrir na cozinha, vi Cris vindo do outro cômodo. ela era realmente bonita, era morena e tinha o cabelo cacheado nos ombros, eu queria me apaixonar por Cris e as sardas que tanto se gabava, mas mesmo vendo ela arrumada no vestido azul claro curto ou até se trocando, e mesmo já tento ouvido o quanto eu sou sortudo e que eu estúpido eu sou por não se aproveitar disso e sempre solto uma risada, afinal como explicar que eu não sinto desejo por Cris ou por outras garotas?

 - Dip? Dipper? - Não tinha percebido ela sentar encostada no braço do sofá macio.

- Desculpa eu tava boiando, pode falar - Cris Começou a trocar canais e pois as pernas em cima das minhas, novamente me pergunto porque eu não consigo sentir nada por ela?

- Nada tava falando de uma cara super irritante da festa... Sobre o que você estava pensando? - Cris estava me olhando curiosa.

- Ehh... era sobre a viagem nada demais, só não sei se eu separei as roupas certas, já que lá é um pouco mais frio e..... - Fui cortado por um "mentira", nossa nem  deu pra terminar minha mentira, mais como tio-avô Stan diz "se for pego mentindo, minta mais" - Mentindo? Mentindo sobre o que? Sério é só preocupação, faz quase um ano desde a última vez que eu foi a Gravity Falls e quando eu saí tava em pedaços - Não era totalmente mentira eu estava realmente preocupado com essas coisas, só não nesse momento.

- Você sabe que não consegue mentir, né? Você faz um negócio com o nariz quando mente - Ela tinha inventado isso, só pode. não tem como eu ser uma dessas pessoas que não consegue mentir, bem como meu professor de física diz “Não dá esconder a verdade pra sempre”
 
- Tá era sobre você, hoje eu tava conversando com uma carta e me disseram que você está super gata e tals, que eu deveria aproveitar da nossa amizade pra tentar algo e....

- Pera... Você é apaixonado por mim? - Droga ela entendeu totalmente errado, não foi o que eu disse. Até recolheu as pernas contra o corpo.


-Meu Deus, eu nunca... quer dizer você é bonita, realmente bonita, mais é como uma irmã pra mim..... eu nunca quer dizer nós nunca - Eu falei mais alto do que deveria, mas foda-se não poderia deixar ela pensando que eu sou apaixonado por ela.

- Nossa respira, eu sei que não, que pânico foi esse? Enfim te disseram para  aproveitar nossa amizade pra me pegar? Que nojo - Ela fez um cara de nojo e realmente parecia desconfortável com a ideia, respondi um “caralho, sou feio assim? Parece que vai vomitar só de pensar em me pegar” em tom de brincadeira mesmo sabendo que minha alto estima depende disso - Para, você sabe que não é assim também. tipo você é fofo, bonito e atencioso, sabe tipo um namorado perfeito, adoraria namorar alguém como você, não você, mais igualzinho a você.

- Friendzone, meu maior inimigo - Falei forçando uma voz fraca, levei a mão no peito e me joguei para trás como se fosse atingido por uma bala, acabei escorrendo e parei no chão, encostado no sofá.

Ela se afogou ao meu lado fingindo chorar e soluçar, colocou a mão em cima do meu peito com cuidado como se realmente estivesse ferido e disse:

- Me perdoa por favor, eu juro que queria te ajudar e retribui seus sentimentos, mas... você é como um irmão pra mim - Falou a última parte com gosto e forçou a mão no meu peito, antes de levantar. Eu fingi me contorcer com a sentença.

Ela começou a andar em volta de mim e do sofá falando coisa como:

“Você é meu melhor amigo” “Sabe que tu é um irmão pra mim, né?” “Eu te amo como amigo” e eu fingia me contorcer mais a cada frase.

Ela tropeçou em mim e caiu em cima do sofá, sortuda malditas. Caímos no riso antes dela parar e falar:

- Sério dip, você sabe que pode falar de qualquer coisa comigo - Cortou totalmente o clima, mas eu sei que é verdade Cris era extremamente parceira do tipo que se você ligar pedindo ajuda larga tudo e aparece, antes da nossa amizade eu pensava que Mabel era minha parceira, porém nunca foi como Cris que te ajuda sem esperar nada em troca, Mabel era um pouco egoista as vezes e sempre se pôs acima em tudo, afinal não foi por ela que eu deixei Gravity falls?

- Dip você tá viajando de novo, quer conversar? - Subi no sofá e comecei a falar, afinal seria bom ter alguém pra desabafar.

- Tem algumas coisas na minha cabeça nesse momento, três na verdade - Fiz um três com os dedos - Primeira: é realmente a viajem, foi fantástica e assustadora na primeira vez, eu não sei o que me espera e isso  me assusta pra caralho, e se as pessoas não gostarem de mim? Faz quase um ano que não me vêem e se acharem diferente? Segunda: bom era você já conhece e tem o nome de Mabel, éramos tão próximos, sabe? Éramos amigos e estávamos sempre juntos, mas não por obrigação ou algo assim e sim porque gostávamos da companhia um do outro, tudo mudou nos últimos tempo agora mal nos falamos, e ela tirou as nossa fotos da juntos da parede, isso faz parte de crescer? Odiar sua família faz parte de crescer? 

- Dip, eu entendo você estar nervoso pela viagem, mas é só a ansiedade falando eu tenho certeza que tudo vai ser incrível, mesmo que eu não saiba o que você vê nessa cidade. E em relação a Mabel ela que  perde se afastando de um irmão incrível como você, se ela é estúpida a esse ponto deixa ela pra lá assim sobra mais de você pra mim - ela parecia sincera com suas palavras e ela provavelmente tava certa sobre tudo eu tava pronto portas abraçar ela quando ouvi um:

- E o terceiro? - Fiz um "uhm?" Fugindo demência - Não vem não você disse que eram três e falou só dois, qual é o último? - lá vamos nós - É sobre me pegar? - Mais esperta do que parece.

- Sim. Quer dizer mais ou menos, me disseram pra aproveitar nossa amizade, bom isso tu já sabe, eu parei pra me perguntar por que eu não faço isso? Porque eu sei lá não tiro fotos enquanto você tira a roupa perto de mim? ou porque eu não desço a não nos nossos abraços, entende? 

- Porque você não é uma babaca - Arriscou um tom de brincadeira

- Também, mas não é esse o problema outros caras fariam, então porque eu não?

- Pera é sobre você não ter desejo por mim? Eu devo ficar ofendida ou aliviada? - Ela fala como se fosse uma piada, acho que ela não entendeu qual é o problema disso - Olha não tem nada de errado nisso, afinal você disse que me vê como uma irmã, não foi? Você tem que desejar outras garotas e não eu - O olhar que eu mandei a fez por uma nova dúvida na mesa - Você sente atração por outra garotas, não é? - Eu não respondi e olhei pra baixo, o que foi o bastante pra Cris que me abraçou. 

A verdade é que eu não sinto nada pior garotas, eu achei que era apaixonado por Wendy, realmente achei, mas era apenas uma obsessão mascarada de paixão. No fim do verão Candy me chamou pra conversar no parque de diversão e eme beijou foi o primeiro beijo que eu dei na vida e se dependesse de mim o último, foi péssimo de todas as maneiras possíveis, ela correu no fim do beijo e me deixou sozinho,  pensei que com o tempo ia melhorar e tentei outras duas vezes, a próxima foi com uma garota chamada Cassie, loira e dois anos mais velha que eu, ficou me incentivando a por a mão por dentro da saia mesmo eu não querendo, o irmão mais novo dela apareceu e ameaçou contar pra mãe deles, ela pagou pelo silêncio e eu fui pra casa, a terceira e melhor, foi na crisma do meu primo, seus pais o obrigaram a fazer catequese e ele pegou gosto pela coisa  quer ser até padre, a história não é sobre ele e sim sobre seu padrinho de
crisma conhecido por Mark, não lembro seu verdadeiro nome, bem não importa. Mark tinha vinte dois anos e era um cara bonito com o cabelo no ombro, me olhava de maneira nada cristã se você quer saber, no fim da cerimônia a gente se pegou no banheiro com direto a mão boba, estavamos indo longe demais e não tínhamos intenção de parar, só não terminamos por causa do maldito hino que começou a tocar nas alturas e quem consegue fazer qualquer coisa com um hino de trilha sonora? Ele saiu do banheiro e voltou pro culto e eu fiquei lá pensando no que tinha acabado de fazer, vendo meu pau duro na calça jeans e chorando, o quão patético é chorar no banheiro da igreja de pau duro por ter certeza que seu negócio não é garotas? Fiquei lá até a horas de ir pra casa.

- Quer ver um filme? - Com essa frase Cris quebrou o silêncio, concordei internamente feliz por não ouvir nada sobre minha sexualidade. Olhei pro meu celular e vi que faltavam vinte pra seis, as sete e meia eu viajava, dava outras ver um filme nesse meio tempo, foi buscar uma coberta pra gente. Mal nos falamos distante o filme, mas eu sabia que estava tudo bem entre a gente, me doeu pensar que meus pais reagiriam totalmente diferente.


Notas Finais


Na igreja Dipper???? Que pecado kkkkkkkkk

Espero que tenham gostado até a próxima bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...