História In Between - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles
Tags Colegial, Comedia, Harry, Romance, Soulmates
Visualizações 207
Palavras 1.446
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - I can't catch my words back


Fanfic / Fanfiction In Between - Capítulo 26 - I can't catch my words back

 

Harry saiu de casa batendo a porta e sentindo-se perdido. Em todos os sentidos. Queria gritar de pura frustração. Cada palavra dita por Alyssa, eram como facas afiadas rasgando seu coração.  Um coração que ele nunca antes havia deixado tão exposto.

Várias vezes a garota o havia chamado de idiota, encrenqueiro, sem futuro. E para ser honesto, não se importava com isso. Não antes de estar preso no corpo daquela garota. Passar tanto tempo sendo Alyssa o fez ver o mundo de forma diferente e descobriu coisas sobre ela e sobre si mesmo.

Talvez fosse mesmo burro e preguiçoso demais para ter algum futuro em alguma faculdade. Mas de alguma forma, ele passou a desejar isso. Passou a querer algo mais do que apenas herdar a oficina de seu pai. Talvez não tivesse a inteligência de Alyssa, mas suas notas não eram realmente ruins e sendo o astro do futebol poderia conseguir uma bolsa de estudos.

Mas o jogo final era no dia seguinte, haveria olheiros de várias universidades ali. Mas Harry não estaria em campo. Não poderia mostrar o quanto era bom naquele esporte que ele amava e que poderia ser seu passaporte para um futuro brilhante.

Em seu lugar, haveria uma garota assustada, que odiava o esporte e não entendia as regras. Uma pessoa que já tinha o futuro garantido porque era extremamente inteligente. Seria aceita em Yale ou qualquer outra universidade que desejasse.

Alyssa ia ferrar com a vida de Harry naquele jogo!

Harry ia ferrar com o futuro de Alyssa na entrevista!

Sentiu seu rosto molhado...estava chorando...estava chovendo...

Seu coração sangrava...e ele correu...como se pudesse fugir daquela dor insuportável que parecia apertar seu peito.

 

 

Alyssa esperou que Harry aparecesse para revisarem a entrevista. Mas estava ficando tarde e nem sinal dele. Olhou pela janela e seu quarto estava tudo apagado. Aquilo lhe pareceu estranho.

Saiu de casa e caminhou até sua própria casa, sentindo o coração batendo rápido. Saudades...

Tudo piorou quando tocou a campainha e seu pai veio atender. Por alguns minutos não soube o que dizer, enquanto Kevin Mitchell o olhava, curioso.

__ Boa noite, pap...ahn, senhor Mitchell. – se corrigiu a tempo – será que eu poderia falar com a Alyssa?

__ Boa noite, Harry. – o homem sorriu – Alyssa saiu. Acho que precisava se preparar para a entrevista de amanhã.

__ Oh claro...Yale. – disse meio insegura – vou tentar encontra-la.

__ Talvez esteja na biblioteca da escola.

__ Valeu. – Alyssa se aproximou do pai e beijou sua bochecha.

Depois disso saiu correndo, sem notar a expressão surpresa e confusa do pai. Sabia onde encontrar Harry...

 

 

Harry estava no campo, embaixo da chuva, jogando a bola contra o gol. Irritado porque não tinha força suficiente nem mesmo para alcançar metade do campo. Não estando naquele corpo. Mas ainda assim continuava tentando, até todos os músculos doerem.

__ O que está tentando fazer? – Alyssa se aproximou insegura ao ver que Harry continuava atirando as bolas de maneira irritada – pare com isso. Vai acabar se...

__ Vai embora daqui! – ele gritou – é muito tarde para não me machucar!

__ Por que está fazendo isso? – ela se encolheu diante da agressividade dele.

__ Porque isso é o que eu sou! – Harry apertou a bola contra o peito com força, antes de lança-la mais uma vez – é o que eu sempre fui! Eu era o melhor nesse jogo e agora não sou nem isso!

__ Você não é só futebol, Hazz. – disse carinhosa.

Harry fechou os olhos e sentiu os olhos úmidos, pelo simples fato de que ela o chamou de Hazz. Queria acreditar naquelas palavras com todo seu coração, mas não ia mais se deixar enganar por suas doces palavras. Limpou os olhos com raiva e negou com a cabeça.

__ Você não entende, não é? – ele a olhou, debochado – passou tanto tempo dentro de mim e ainda não entende. Pessoas como você nunca entende!

__ Pessoas como eu? – Alyssa estava perdida naquela conversa. Não entendia porque Harry estava tão irritado e a olhava com tanta raiva – o que exatamente, pessoas como eu não entende?

__ Pessoas como eu! – Harry abriu os braços mostrando a si mesmo.

__ Estou tentando entender Harry – insistiu – me esclareça o que não consigo enxergar.

__ Ok...pessoas como eu, gostam de jogar futebol...as vezes, somos até bons nisso...então, talvez até seja aceito por alguma universidade fuleira ou então a gente vai trabalhar com o papai, na oficina, viver sujo de graxa e fedendo a gasolina, porque passa o dia todo tentando consertar as latas velhas dos vizinhos. – Harry disse com a voz carregada de deboche – é o que todos parecem esperar de nós. Mas sabe o que nós nunca temos? Um bom emprego! Um apartamento grande em um bairro maneiro! Ou um diploma de Yale!

__ Então todo esse drama é por isso? – Alyssa disse surpresa por aquele desabafo – está assim por causa da entrevista?

__ Não... – ele virou-se e mirou a bola novamente – acho que sim...eu não sei!

__ É natural ficar nervoso! – tentou acalmá-lo, mesmo que ainda estivesse sem coragem de se aproximar de verdade.

__ Nada tem sido natural nos últimos dias, Alyssa! Nada! – ele gritou e havia tanta mágoa naqueles olhos que a garota se encolheu mais uma vez – amanhã eu deveria jogar a partida mais importante da minha vida! Esse é o meu destino! MEU!!! Entende isso? Eu não deveria estar indo a porcaria de entrevista nenhuma para uma universidade.

__ Estamos com as vidas trocadas e isso é uma merda! – Alyssa concordou – mas as vezes é preciso apenas seguir em frente e viver um dia de cada vez. Pensei que tivéssemos concordado com isso.

Harry a olhou como se estivesse pronto a pular em seu pescoço e sufoca-la. E apertava aquela bola em suas mãos com tanta força, que Alyssa sentia que ia estourar a qualquer momento. Não entendia de onde tinha vindo toda aquela fúria. Pela manhã estava todo sorridente e carinhoso. Até foi fofa a maneira como a convidou para o baile, tentando fazer parecer que não era nada demais. Agora estava ali, parecendo um animal selvagem ferido.

__ Vamos deixar que as coisas se ajeitem. – pediu .

__ Me faz um favor? Guarde seus discursos motivadores para alguém que realmente se importe! – disse azedo e magoa estava em cada silaba pronunciada depois disso – eu sei o que eu sou! Sou um fracassado, encrenqueiro e burro! É a genética! Não dá pra mudar meu DNA!

Harry jogou a bola contra ela e saiu pisando duro. Alyssa fechou os olhos, lembrando que havia usado essas mesmas palavras para defini-lo certa vez. Mas tinha a impressão que isso tinha acontecido em outra vida. Agora ela sabia que ele não era nada disso!

__ Engraçado...nunca considerei você um covarde. – disse triste.

Harry virou-se e mostrou-lhe o dedo do meio antes de correr para longe dali. A chuva aumentou e Alyssa ficou parada ali algum tempo, olhando aquele campo e aquela bola em suas mãos...

Sentia que o destino daquele garoto estava em suas mãos e ela queria poder fazer o melhor por ele.

“ Nunca vai saber como se tornou importante pra mim...”

Esse era o pensamento mutuo entre os dois, quando cada um voltou triste para aquele lugar que não era deles.

Harry tirou as roupas molhadas e sentou-se na cama, enquanto olhava os vários certificados que Alyssa possuía. Os vários livros que ela havia lido. As bandeiras e pôsteres de Yale. A carta sobre a escrivaninha com as informações sobre a entrevista que poderia mudar a vida dela.

Suspirou. Aquele era o sonho dela. Não tinha certeza se poderia ser convincente nessa entrevista, porque definitivamente não tinha os conhecimentos ou a inteligência de Alyssa. Mas decidiu que faria o seu melhor e mesmo que depois sumisse da vida dela, não carregaria a culpa por não ter tentado.

Jogou-se na cama e se encolheu. Riu quando Misty se enroscou nele, como se quisesse lhe fazer carinho. Aquela bola de pelo havia perdido a raiva dele e ele aceitou o carinho, envolvendo a gata em seus braços e pegando no sono.

Na casa ao lado, tudo acontecia quase da mesma forma. Alyssa se livrou das roupas molhadas e depois de tomar um banho quente, se pegou olhando todas as fotos de Harry com o time, os vários troféus pelo quarto. Aquilo realmente era algo que ele amava e no qual era realmente bom. Pensou naquela dor em seus olhos e na sua frustração por não poder jogar o jogo mais importante. Alyssa não sabia se teria competência para liderar o time no dia seguinte. Provavelmente sairia do campo em uma maca, mas estava decidida a tentar. Devia aquilo a Harry. Esperava não estragar tudo de vez.


Notas Finais


Hora do confronto...o que pode acontecer agora?
( na verdade eu sei, porque o capitulo já está pronto e eu cortei apenas porque ficou grande demais kkkk)
Querem saber o que acontece?
Quero muitos comentários e então eu conto kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...