1. Spirit Fanfics >
  2. In Jail >
  3. In Jail

História In Jail - Capítulo 1


Escrita por: e ProjetoVoltron


Notas do Autor


Oieeee
Espero que todos estejam bem e que gostem desta história! Ela foi betada pela maravilhosa @Paula_Okumura e as duas capas perfeitas feitas pela @Saryn_G_Luz
Boa leitura <3

Capítulo 1 - In Jail


Fanfic / Fanfiction In Jail - Capítulo 1 - In Jail

— Keith, eu não quero saber se és meu irmão, estavas a andar a 130 km/h numa estrada de 50! Vou levar-te para a esquadra! — Gritou Shiro zangado.

— Pff — bufou Keith — de que é que serve ter um irmão mais velho a trabalhar na polícia se nem posso ultrapassar um bocadinho o limite de velocidade?

Durante a curta viagem até a pequena esquadra da polícia de Altea, Keith foi amuado e de braços cruzados, recusando-se a falar com o irmão. Já era a quinta vez que aquilo acontecia e Shiro também não estava nada contente, começava a questionar se teria sido uma boa ideia oferecer uma moto à Keith como prenda de Natal.

Assim que Shiro estacionou o carro, Keith saiu sem dizer nada e entrou no edifício já tão familiar.

— Aqui outra vez? — Perguntou Adam detrás da secretária. — Espero que não tenhas batido numa velhinha de novo.

— Felizmente desta vez não... — Suspirou Shiro e deu um beijo no marido. — Mas esteve perto de atropelar uma criança.

— De onde eu venho, atropelar criancinhas dá direito a vários anos de prisão — pronunciou-se Coran, o chefe da esquadra.

— Sim, Coran — confirmou Matt. — Aqui também.

— Boa tarde, desculpem o atraso — pediu Lance ao entrar na divisão. — Trouxe donuts!

— Bendito seja o dia em que te contratei! — Disse Shiro já levando um dos doces à boca.

Lance sorriu por agradar Shiro. Ele era o mais novo integrante da equipe, até agora tinha conseguido fazer boa figura e estava bastante orgulhoso disso.

— Olá, Keith — cumprimentou.

Keith apenas resmungou em resposta e estendeu a mão para pegar um donut, mas foi impedido pelo irmão mais velho.

— Quem atropela criancinhas não merece comer donuts.

Todos se riram, menos Keith, claro.

— Eu não atropelei ninguém!

— Por pouco.

— Pff… posso ir para casa agora?

— Nem pensar.

— Mas não estou a fazer nada!

— Ei — disse Matt atraindo a atenção de todos. — E se o trancássemos numa cela?

෴⋆෴

— Por favor, Shiro! — Implorava o rapaz do lado de dentro das grades. — Eu juro que nunca mais conduzo em excesso de velocidade!

— Disseste isso nas últimas cinco vezes.

— Desta vez é sério! Dá-me só uma oportunidade!

Todos riam à gargalhada com a situação e Shiro ficou uns segundos a pensar com um sorriso malicioso no rosto.

— Fazemos assim: se conseguires convencer algum de nós a soltar-te, podes ir-te embora. Não vou me opor.

Keith sabia que a probabilidade de isso acontecer era bastante reduzida, mas ainda assim melhor que nada.

— Está bem, e se eu conseguir sair antes de anoitecer nunca mais me multas.

— Combinado. — Shiro estendeu a mão pelo meio das grades e Keith logo a apertou, pensando em como poderia fazer aquilo acontecer.

 ෴⋆෴

— Ei, Adam! — Passados uns minutos, Keith chamou.

— Hm?

— Tu estás em dívida comigo, lembras-te? Este é um bom momento para saldar essa dívida.

— Dívida? — Perguntou confuso o mais velho — Que dívida?

— Fui eu que te juntei com o meu irmão. — Explicou Keith, convencido.

Adam olhou indignado para ele.

— Tu roubaste o meu diário e deste-o ao Shiro!

— E por causa disso hoje és casado!

— Eu não te vou soltar.

— Lance? — Tentou. — Eu nunca te fiz nada de mal, podias ser um bom amigo e deixar-me ir.

— Deixe-me ver, tu bateste no meu carro, atiraste ovos a minha casa no Halloween, disseste a toda a gente que eu tinha piolhos no jardim de infância, partiste-me um dente a jogar a bola, quase me atropelaste três vezes…

— Ok, ok! Já percebi. Acreditaria se eu dissesse que estou arrependido?

— Não.

— Vai se fuder, então.

Keith estava a ficar desesperado, ele não queria passar o resto do dia na esquadra! Já eram seis da tarde e ele tinha mais o que fazer, como deitar-se na cama a olhar para a parede enquanto comia cheetos. Ele era um homem extremamente ocupado. Depois de quase se pôr de joelhos a implorar, deram-lhe umas bolachas e comeu-as enquanto pensava num plano.

— Já sei! — Gritou entusiasmado.

— Já sabes o que?

— Nada, nada…

Finalmente Keith tinha arranjado um plano, só precisava de uma oportunidade para o executar. Entretanto decidiu tentar convencer Coran e Matt a soltá-lo, mas Coran disse que quase atropelar criancinhas era um crime grave e por isso não podia simplesmente deixá-lo ir e Matt estava muito divertido com a situação, também recusou.

— Estou a ficar com fome — disse Shiro.

— Sim, eu também. E com sono — concordou Matt.

— Que tal irmos à pastelaria aqui ao lado?

— Excelente ideia! Mas não podemos deixar a esquadra vazia, alguém vai ter de ficar aqui.

— Eu posso ficar! — Ofereceu-se Lance prontamente, tentando parecer bastante dedicado e colaborativo.

— Está bem — disse Shiro dirigindo-se para a porta. — Nós trazemos-te qualquer coisa.

Keith não podia acreditar na sua sorte. Tentou fazer uma oração em agradecimento a Deus, mas depois lembrou-se que não sabia orar e ficou-se por um “obrigado” silencioso.

Lance deve ter reparado em sua expressão de contentamento, pois disse:

— Não penses que, por apenas eu estar aqui, vou deixá-lo sair.

Isso pensas tu, mentalizou Keith.

— Estou com sede, podes passar-me essa garrafa de água? — Pediu.

Lance pegou a garrafa e aproximou-se para lhe dar, mas logo foi puxado contra as grades, tão perto de Keith que sentia a sua respiração contra o pescoço. Antes que Lance conseguisse perceber o que estava a passar, já tinha os lábios de Keith colados aos seus e a língua do menor a adentrar a sua boca.

Keith beijava-o ferozmente e as suas mãos vagavam pelo corpo através das grades que os separavam. Após alguns instantes em choque, Lance rendeu-se à tentação e começou a corresponder aos toques de Keith. Durante alguns minutos os dois ficaram a trocar saliva e a passar as mãos pelo corpo um do outro, até que o moreno ouviu um barulho, uma espécie de estalo e quando se deu conta estava no chão, empurrado pelas grades.

— Da próxima vez que quiserem prender Keith Kogane numa cela, pensem duas vezes! — Disse ele como se estivesse em alguma espécie de filme.

— Tu me enganaste! — Exclamou Lance com uma mão na testa onde tinha levado com a porta da cela.

Keith apenas piscou para ele e saiu porta afora. Lance ouviu o barulho da moto ao mesmo tempo que os seus colegas entraram na divisão.

— Deixaste o Keith ir?! — Perguntou Shiro.

— Eu… Mas ele…

— Estava a ser tão divertido! — Disse Matt tristemente

— Aquele rapaz é um grande perigo para a sociedade.

— Um grande idiota, é o que ele é! São os dois uns grandes idiotas!

— Então, e se... — Disse Matt subitamente com um sorriso na cara. — Nós trancássemos o Lance numa cela?

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até à próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...