História In Love With My Boss - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Alice Cullen, Bella Swan, Carlisle Cullen, Edward Cullen, Emmett Cullen, Esme Cullen, Jasper Hale, Personagens Originais, Renée Dwyer, Rosalie Hale
Tags Crepusculo, Rosiexemm
Visualizações 7
Palavras 3.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha eu aqui de novo povo! Como estão? Espero que estejam gostando da fic, e por favor apareçam bebês.
Espero que gostem do capítulo e até a próxima.

Capítulo 6 - Chapter Five


- Com licença Senhor Cullen. – disse ao bater na porta e colocar a cabeça para dentro da sala do meu querido e belíssimo chefe.

O homem levantou a cabeça para mim e eu sorri para ele quando o mesmo me chamou com o dedo e deu batidinhas no sofá ao lado dele para que eu me sentasse próxima a ele. Bati a porta com o quadril e ele deu um sorriso junto com uma piscadela marota.

- No que posso ajudar Senhorita?

- Fiquei com saudade do meu namorado. – confessei engolindo a vergonha e apertei em minha mão o arquivo da O'Connor – Tem um minuto?

- Com certeza, vem cá.

Me aproximei com um sorriso enquanto Emmett retirava seu blazer claro e jogava no outro sofá, deixei o arquivo na mesa de centro e escorreguei para o lado do moreno, o abracei pelo pescoço e sua fragrância rotineira me atingiu em cheio, rocei o nariz sobre a pele do seu pescoço e ele me abraçou pela cintura.

- Como foi a noite? Dormiu bem?

- Sim sim. – assenti e me afastei um pouco para olhar em seus olhos. – E você?

- Eu podia ter dormido melhor. – disse dando de ombros - Alice passou a noite com uma máquina de costura e o quarto dela é de frente pro meu. Aquela mulher é louca.

- Ela é estilista não é?

- É, mas não precisa fazer barulho com a máquina as quatro da madrugada.

- Te entendo.

- Estava muito ocupado? – perguntei levando os olhos para a pilha de papéis em cima da mesinha de centro.

- Achei algo que vai ajudar a ganhar o caso da O'Connor. – ele disse mexendo nos papéis e de lá puxou um arquivo, o estendeu em minha direção e eu arqueei a sobrancelha antes de pegar o objeto da sua mão.

O abri e corri os olhos pelas letras miúdas e voltei os olhos para Emmett com um sorriso esperançoso. Em minhas mãos estava uma cópia de um boletim de ocorrência contra Steve O'Connor sob a acusação de agressão física e sexual para com a sua ex cônjuge.

- Assim fica mais fácil de alegar legítima defesa, mas será que essa mulher vai aceitar depor no tribunal?

- Se eu fosse ela, iria. – disse retirando os óculos do rosto e o pendurando na gola da camisa.

- Eu já disse que você está linda hoje? – ele perguntou com a voz rouca.

- Hm... Acho que não... – cocei o queixo pensativa.

- Então eu digo agora... – ele tocou meu rosto, segurando meu queixo para encarar meus olhos e a outra mão dele tocou minha cintura, a apertando contra seu corpo e me puxando para o seu colo – você está linda Rosie.

Antes que eu tivesse alguma reação seus lábios me atacaram lentamente, mas intensos, e eu me afastei para puxar o ar antes de corresponde-lo com o mesmo entusiasmo. Emmett estava por todos os lados, o cheiro, as mãos, a boca. Tudo era ele. Meu corpo reagia a ele antes que meu cérebro pudesse acompanhar e quando eu parei outra vez, fui perceber como eu e o Cullen estávamos.

Eu havia sido deitada no sofá e ele estava sobre mim, minha perna direita abraçava-o no quadril fazendo minha saia enrolar até a cintura, minhas mãos seguravam a camisa do moreno, que estava aberta totalmente e eu não soube quando isto aconteceu.

- Nossa... – sussurrei passando a língua pelos lábios e olhei a boca dele, os lábios inchados e avermelhados pareciam chamar meu nome e eu o puxei de volta para mim, jogando pro alto todos os motivos que poderiam me refrear e o beijei com todo o desejo que eu sentia naquele momento.

- Assim fica difícil não querer foder com você aqui mesmo, Rosie... – Emm sussurrou com a voz rouca nos meus lábios e antes que eu abrisse a boca para respondê-lo batidas na porta nos fizeram murchar.

- Só um minuto... – Emmett gritou para quem quer que fosse e se levantou desajeitado, puxando a camisa e fechando os botões abertos. Me levantei, puxando minha saia para baixo e ajeitando o cabelo no rabo de cavalo tentando regularizar a respiração ofegante.

Me acomodei no sofá e Emmett se colocou ao meu lado, respirei fundo tentando trancar todo o tesão que sentia em algum lugar inalcançável e fazer minha melhor cara de paisagem.

- Tudo bem?

Assenti para o moreno e me voltei para o boletim de ocorrência esquecido na mesinha, coloquei os óculos e me forcei a pelo menos fingir que estava lendo alguma coisa.

- Entre.

- Com licença, me desculpem a intromissão...

- Eu já estava de saída Penny. – disse recolhendo os papeis de Emmett da mesa envergonhada e frustrada demais para olha-la – Se não se importa Senhor Cullen gostaria de dar uma lida com mais calma nisso.

- Fique a vontade Senhorita Hale. – ele deu um sorriso de canto junto com um aceno de cabeça e eu forcei minhas pernas a se levantar e seguirem pelo caminho onde Pennelope havia entrado.

Desci para o meu andar e no caminho para minha sala encontrei Anastacia na porta da copa.

- Está bonita... – ela disse com um sorriso de canto.

- Hm... Obrigada. – sorri para ela e puxei os óculos do rosto, os pendurando na gola da blusa e segui para dentro da pequena sala com a morena ao meu encalço. – Aonde vamos almoçar hoje?

- Hoje não vou poder ir, - ela deu um sorriso amarelo como quem se pede desculpas e eu deixei os papéis que carregava sobre o balcão para pegar um copo de água. – tenho muita coisa pra resolver por aqui, o Senhor Cullen me colocou no caso da O'Connor e isso está me deixando maluca.

- Emmett? – franzi a testa para ela.

- Carlisle.

- Eu acabei de voltar da sala de Emmett, ele me deu esses arquivos... Você sabia que já foi registrado um boletim de ocorrência contra Steve por agressão a ex mulher?

- Ele cumpriu pena?

- Aqui não diz, mas creio que não foi a julgamento.

Anastacia suspirou pesadamente e passou as mãos pelos cabelos negros, mordiscou o lábio e puxou uma xícara grande, a despejando café e acrescentando bastante açúcar.

- Como é o pai de Emmett? Eu ainda nem o vi. – mudei de assunto para que minha cabeça estivesse livre de tudo aquilo pelo menos por uns minutinhos.

- A Senhora Cullen que me perdoe, mas ele é muito lindo. – Anastacia suspirou com um sorrisinho bobo nos lábios e eu me perguntei se ela não alimentava uma paixão platônica pelo chefe. – Parece com Emmett, eles tem os mesmos olhos, mas Carlisle é loiro.

- Pelo visto são todos lindos... Minha prima me mostrou uma foto do irmão mais novo de Emmett e ele também é muito bonito, apesar de ser novinho.

- Sua prima conhece o irmão do Sr. Cullen?

- Eles se conhecem a anos. – dei de ombros e bebi mais um gole d'água.

- Que coincidência...

Parei para analisar meu relógio de pulso e sorri ao constatar que já era quase o horário do meu almoço.

- Quer ficar com esses arquivos? – perguntei levantando os olhos para ela. – Eu vou almoçar daqui a pouco então prefiro deixar pra ver isso depois que voltar.

- Claro, quando voltar passa na minha sala, vou tirar uma copia pra mim e te devolvo as originais, ok?

- Está bem. – empurrei para ela a pilha de papéis – Boa sorte.

- Muito obrigada, eu vou precisar. – ela ajeitou as folhas em um braço e segurou o café com a mão livre depois seguimos em direção as nossas salas.

Não demorei muito para sair para o almoço e quando pisei para fora do prédio o sol em meus olhos me cegou momentaneamente e eu corri para colocar os óculos escuros.

Com um suspiro parei para olhar ao meu redor sem saber exatamente o que eu mais gostava daquela cidade, as belas praias, o calor, os prédios comerciais ou a diversidade de pessoas e culturas, e sem querer me decidir eu caminhei sem rumo pelas ruas ensolaradas sem saber exatamente aonde eu gostaria de almoçar.

Voltei para o escritório um tempo depois com uma sacola de papel pendurada no braço junto com minha bolsa e ao passar pela porta da sala de Anastacia ela me chamou.

- Oi?

- Emmett estava te procurando, parecia ser urgente. – ela disse levantando os olhos do seu computador até mim a tempo de me ver franzir a testa – Vocês estão tendo alguma coisa? Oliver comentou comigo que está todo mundo estranhando a proximidade de vocês.

- O que? – gaguejei. Estava tão visível assim? Rapidamente me recuperei do choque e me adiantei a forçar um espanto inexistente em mim – Não, claro que não! As pessoas são tão maliciosas que não podem ver uma amizade entre um homem e uma mulher que já acham que eles tem um caso.

Balancei a cabeça negativamente, cruzando os braços fingindo irritação e tentando disfarçar o meu desespero de alguém desconfiar sobre o meu caso com o Cullen.

- Você tem certeza de que não está acontecendo nada entre vocês?

- Você está desconfiando de mim Anastacia? – arqueei a sobrancelha para ela, reprimindo minha vontade de contar a ela toda a verdade temendo que essas informações chegassem aos ouvidos do pai de Emmett.

- Não Rosalie... É só que é muito estranho vocês estarem tão próximos assim em tão pouco tempo. – Anastacia abaixou os olhos enquanto engasgava com as palavras e guardou uma mecha atrás da orelha – Até eu estranhei isso...

- Eu não tenho um caso com o Sr. Cullen e nem quero ter.

- Está bem...

- Conseguiu tirar cópia do arquivo da O'Connor?

- Não, ainda não tive tempo nem pra beber uma água. – Anastacia disse com um suspiro cansado passando a mão pelos cabelos negros e eu me sentei na cadeira em frente a dela, me livrando da bolsa e da sacola e trocando os óculos escuros pelos de grau.

- Bom, vamos lá...

- O que está fazendo?

- Vou te ajudar.

Batidas ritmadas na porta chamaram minha atenção e gritei para a minha visita.

- Entra Emm! A porta está aberta.

Retirei da panela o ensopado cheiroso de carne com legumes, o despejando em uma travessa e o coloquei sobre a mesa, junto com o purê de batatas e as ervilhas. Desliguei o forno e peguei o suco da geladeira quando escutei passos rápidos se aproximando.

Me virei para a porta e franzi a testa. Aonde ele estava?

- Titia Osie! – uma voz fina e infantil gritou e eu abaixei os olhos para o vulto que vinha em minha direção.

Brooke Christina Mitchell parecia uma princesa de contos de fadas, seus cabelos loiros eram lisos e alcançavam os ombros, mas estavam presos com um laço vermelho que deixava apenas a sua franja solta, seus olhos eram azuis como os de Damon e naquela noite usava um macaquinho jeans de alcinhas e sapatilhas rosas.

- Brooke? – os bracinhos da garota agarraram minhas pernas e eu pisquei tentando entender o que estava acontecendo ali e puxei ela para os meus braços a apertando contra mim.

Escondi o nariz na curva do pescoço dela e aspirei o perfume floral que vinha da garota.

- Será que eu também mereço um abraço? – a voz grossa me fez levantar a cabeça e as minhas pernas tremeram com a vontade de correr até ele.

Antes que eu pudesse pensar Damon encurtou a distância entre nós e eu deixei Brooke no chão para abraça-lo.

O apertei contra mim com força sentindo seus braços rodearem minha cintura e logo meus pés abandonaram o chão.

- Que saudade! – exclamei afastando o rosto para olhar o homem a minha frente.

Ele não estava mais abatido como da ultima vez que eu o tinha visto e um sorriso estampava seus lábios. Seu cabelo estava preso para trás e a barba parecia ter sido aparada a pouco tempo.

- Rosalie? – a voz grossa de Emmett me fez pular assustada e a contragosto Damon me soltou no chão, mantendo um braço em minha cintura possessivamente.

- Titia, quem é? – Brooke chamou minha atenção puxando a barra do meu vestido e eu virei o rosto para olha-la quando respondi.

- Esse é o namorado da titia Rosie.

- Namolado?

- Isso mesmo, amor.

Olhei Emmett e acompanhei seu olhar irritado até o braço de Damon em minha cintura. Reprimi uma gargalhada e me aproximei dele.

- Emm, queria te apresentar duas pessoas muito importantes na minha vida... – disse pegando sua mão e o puxando delicadamente para perto do loiro. – Esse é Damon Mitchell, meu melhor amigo.

O moreno estendeu a mão para o outro e com um rápido aperto de mão eles se cumprimentaram em silêncio. Ignorei a tensão entre eles e peguei Brooke no colo.

- E essa aqui é a minha afilhada, Brooke.

- Oi namolado da titia. – ela abriu um sorriso e eu sorri antes de ataca-la com beijos nas bochechas e pescoço.

- Oi Brooke. – escutei a voz de Emmett dizer para ela, doce e simpático, muito diferente de como tinha reagido a Damon.

- Se tivesse dito que viria, eu teria ido buscar vocês no aeroporto. – virei o rosto para Damon.

- Seu carro ainda nem chegou, como você iria nos buscar?

- Sei lá, eu ia de táxi. – dei de ombros.

O loiro revirou os olhos para mim e eu bufei com a sua teimosia.

- Vou pegar as malas, - ele disse para mim – você tem um quarto de hóspedes aqui?

- Quer que eu te mostre aonde fica?

- Eu consigo achar sozinho. – ele disse e disfarçadamente olhou Emmett pelo canto do olho, segui seu olhar e vi o moreno com uma careta não muito amigável. – Vem Brooke.

Deixei a pequena no chão e os dois caminharam juntos e eu permaneci quieta até que o barulho dos sapatos deles se afastaram.

- Boa noite Senhor Cullen. – me virei para o mesmo e lhe abri o meu melhor sorriso.

- Boa noite Senhorita – ele pegou minha mão e a beijou delicadamente.

- Te chamei pra que pudéssemos conversar, - disse para ele e o puxei para um abraço – mas vai ter que ficar pra mais tarde... Não se importa, não é?

- Não, tudo bem. – os braços dele me acolheram, me apertando contra si e beijou a minha testa devagar. – Você e esse Damon parecem ser bem próximos...

- Ele é um grande amigo. – dei de ombros e me afastei dele, caminhando até o armário e puxando mais dois pratos e dois copos para os meus queridos visitantes.

- Faz tempo que se conhecem?

- Doze anos. – coloquei-os sobre a mesa e me virei para ele a tempo de vê-lo arregalar os olhos.

- Doze anos?

- Bastante tempo, eu sei.

- Tia! Tia! – escuto os gritos da pequena e logo ela estava a minha frente, pulando animada e erguendo os braços pedindo por colo.

- Oi meu amor. – me abaixei e a peguei em meus braços – O que houve?

- A gente tlusse um plesente pla você. – ela disse aos sussurros, olhando a porta e eu desconfiei que ela provavelmente não deveria estar me contando isso.

- Boo, não era pra contar! – Damon a repreendeu revirando os olhos.

- Desculpa titio Dam. – ela encolheu os ombros e coçou o olho com as costas das mãos.

- Tudo bem amor...

- Vamos comer meus amores? Eu fiz torta de pêssegos para a sobremesa.

- Hm... – Damon passou a língua pelos lábios – Acho que cheguei em uma hora boa.

- Vem, babe. Vem Emm.

Caminhei com Brooke até a mesa, sendo seguida pelo loiro e o moreno, e puxei uma cadeira para coloca-la sentada, peguei o prato e a servi do cozido junto com um pouco de purê e deixei o prato a sua frente.

Me sentei e usei uma colher para levar a comida até os seus lábios.

- Quando decidiu vir? – levantei o rosto para Damon enquanto a garota mastigava e engolia a comida.

- Foi algo repentino, - ele deu de ombros e colocou um pouco de purê em um canto do prato afastado das ervilhas – apenas ficamos com saudade e decidi vir.

- Eu gostei bastante dessa surpresa. – confessei com um sorriso e dei mais uma colherada da refeição para a garota.

Observei Emmett se servir silenciosamente e estranhei seu comportamento, ele estava quieto demais.

- Vai querer cenouras? – Dam perguntou segurando um prato vazio.

- Nah.

- Até hoje me pergunto porque você cozinha cenouras se nem gosta delas. – ele disse franzindo a testa.

- Eu não cozinho quando vou comer sozinha. – dou de ombros.

Mais tarde naquela mesma noite, depois que Brooke adormeceu e Damon se recolheu eu me sentei no sofá ao lado de Emmett.

- O que houve? – perguntei apesar de já imaginar a sua resposta.

- Como conheceu Damon?

- Ele é irmão de um ex namorado meu. – dei de ombros.

- E você ainda mantém contato com o irmão dele?

- O irmão dele está morto Emmett. – disse revirando os olhos, sem querer pensar no irmão de Damon.

O moreno engasgou com a própria saliva, com os olhos arregalados e o rosto avermelhado como se estivesse envergonhado.

- Desculpa, eu estou sendo um idiota. – disse abaixando a cabeça e eu concordei de imediato.

- Rápido demais Emm... Muito rápido.

- Eu sei, desculpa. – ele passou a mão pelo cabelo e eu suspirei sem saber exatamente como prosseguir - Sobre o que queria falar?

- Anastacia me disse que algumas pessoas estão desconfiando de nós.

- Como? – ele arregalou os olhos para mim.

- Acho que estamos nos arriscando demais... – disse com um suspiro - Talvez seja melhor nos afastarmos um pouco, pelo menos enquanto estivermos no escritório.

- Acho que concordo com você. – ele assentiu, sua mão segurou a minha e a acariciou devagar.

- Namorar meu chefe é tão excitante quanto é arriscado. – confessei encarando nossos dedos entrelaçados.

- As vezes eu me sinto como um adolescente com sua primeira namorada. – Emmett beijou minha mão e eu sorri para ele.

- Nós deveríamos contar tudo ao seu pai.

- Mas não vamos. – deu de ombros.

- Porque será que eu acho que isso vai acabar mal?

- Quer desistir? – o moreno arqueou a sobrancelha para mim.

- Nah.

- Nem eu. – e me beijou.

- Ele já foi? – Damon arqueou a sobrancelha para mim quando eu entrei no quarto onde ele estava hospedado.

- Sim.

- Eu não gostei dele.

- Você nem falou com ele Dam. – revirei os olhos e me sentei junto com ele ao lado de Brooke na cama.

- Não importa. – ele empinou o queixo e cruzou os braços, e eu quis rir, as vezes Damon me lembrava muito Isabella.

- Você precisa controlar seu ciúmes.

- Eu sei. – ele abaixou os olhos, desviando o olhar do meu.

- Não está com sono? – decidi mudar o assunto e vi em seus olhos brilhantes um agradecimento silencioso.

- Estou morto.

- Vou deixar você dormir. – me levantei e lhe dei um beijo na testa.

- Até amanhã babe.

- Até.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...