História In My Dreams - It Had To Be You (imagine BTS Suga Agust-d) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, F(x), Girls' Generation, Got7, HyunA, JYJ, Lee Jong Suk, SHINee, Super Junior, TVXQ (DBSK) (Tohoshinki), VIXX
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Cho Kyuhyun, D.O, Heechul, Hero Jaejoong, HyunA, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jinki Lee (Onew), Jinyoung, Jonghyun Kim, Jungkook, Kai, KiBum "Key" Kim, Kim Heechul, Kris Wu, Krystal Jung, Lay, Lee Donghae, Lee Jong Suk, Leo, Lu Han, Mark, Max Changmin, Minho Choi, Park Jungsu, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Seohyun, Shin Donghee, Suga, Suho, Taemin Lee, Taeyeon, Tao, Tiffany, U-know Yunho, V, Xiah Junsu, Xiumin, Yesung, Yoona
Tags Baekhyun, Bts, Bts (jimin, Bts J-hope, Bts Jin, Bts Rm, Bts Suga Hot, Bts V, Bts(jungkook), Btshot, Drama, Exo, Exo Baekhyun, Exo Chanyeol, Exo Chen, Exo Kai, Exo Kris, Exo Lay, Exo Luhan, Exo Sehun, Exo Tao, Exo Xiumin, Got7, Hot, Mark Tuan, Min Yoongi, Romance, Suga, Vixx
Visualizações 34
Palavras 2.342
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostam desse capitulo boa leitura
:)
Ah e leiam as notas finais é importante....

Capítulo 8 - Capitulo 8 - Let Me Know part 2


Fanfic / Fanfiction In My Dreams - It Had To Be You (imagine BTS Suga Agust-d) - Capítulo 8 - Capitulo 8 - Let Me Know part 2

Continuação 

Quebra do Tempo.

 

Assim que eu terminei de fazer peguei os hashi e uma tigela, e, seguida servi o japchae e logo fui em direção ou quarto, quando eu entrei Suga estava sentado  olhava para janela parecendo esta perdido em seus pensamentos, precisamente pensamento que pareciam ruis. O que estupidamente me causou uma leve preocupação e um vontade de o perguntar o que ele estava pensando, mas é claro que eu não o faria por que eu não queria parecer uma pessoa curiosa.

- Suga – Eu disse o despertando de seu devaneio.

- Sim ? – Ele disse.

- A sua comida – eu disse sorrindo.

- Ah sim – ele disse e logo pegando o travesseiro que estava ao seu lodo em seu colo, e eu em seguida me sentei em seu lodo, e coloquei a tigela em seu colo. E quando ele olhou para tigela de japchae, ele fez uma expressão de surpresa tão fofa que eu tive que me segurara para não aperta sua bochechar, em seguida ele colocou um pouco da comida na boca e fechou os olhos, como se fosse um manjar dos deuses, que sinceramente me deixou lisonjeada e novamente ter que me conter para não apertar suas bochechas.

- Esta bom ? –Eu disse.

- Sim muito – disse Suga com a boca cheia em seguida sorrindo, e me fazendo soltar um riso soproso.

- S/N – disse Suga agora com uma expressão muito séria  - posso te fazer uma pergunta ?.

- Sim claro – Eu disse.        

- Você disse que sabia de tudo – disse Suga – E exatamente até que ponto você sebe ?.

- Bem, eu sei que você esta sendo procurado pela policia – eu comecei a dizer e Suga parecia surpreso e chocado com cada palavra que eu dizia – que você esta sendo acusado de ter matado dois policiais, de trafico de drogas e de pertencer à gangue dos lobos vermelhos.

- Se você sabe de tudo isso porque você esta me ajudando ? – Ele disse ainda chocado e um pouco intrigado – E não me entregou ?.

- Bem, pode parecer estranho o que eu vou dizer – eu disse – Mas eu tenho certeza que você não fez nada disso, e eu quero te ajudar a provar isso.

- Por que ? – Ele disse intrigado.

- Sinceramente, eu não sei – eu disse claro que não revelando que era porque eu sonhava com ele, e estranhamente de certo modo confiava nele mesmo ele sendo um completo estranho.    

- É você tem razão – Ele disse sorrido,era a primeira vez que eu o via sorrindo e sinceramente era lindo seu sorriso mas bonito do quem meu sonhos.    

- O que eu tenho razão ? – Eu disse estreitando os olhos confusa.

- Que pareceria estranho o que você ia dizer – Ele disse ainda sorrido só que agora avia um tom brincalhão nele – Realmente parece.

E nos dois acabamos rindo do que ele tinha dito.

- Suga posso te fazer uma pergunta ? – Eu disse ficando com uma expressão seria, afinal eu precisava saber a resposta para o que eu iria perguntar.

- Sim claro – Ele disse agora também um expressão seria.

- Eu tenho razão em acreditar, que você não faz tudo isso que estão dizendo – eu disse.

- Sim você tem – Ele disse suspirando pesarosamente – Eu fiz nada disso.

- V...vo...você quer me contar o que realmente aconteceu – Eu disse gaguejando,pois eu estava um pouco nervosa e curiosa para saber.

- Sim eu quero – Ele disse e logo colocou um leve sorriso nos lábios e continuou – Afinal você é a primeira pessoa que desde que eu fui acusado de tudo isso injustamente, que me ajudou.

E eu retribui o sorriso, por sua palavra, que para mim foi como um voto de confiança.

- Bem então eu vou começar do começo para você entender melhor – disse Suga jogando o cabelo para trás.

- Ok – Eu disse.

- Então quando eu tinha três anos minha mãe e meu pai morreram em uma acidente de carro – começou a dizer suga – E com isso eu fui parar no orfanato central de Seul, onde logo no primeiro dia eu conheci hyung Seok-jin  e logo em seguida Namjun e Hoseok, que em poucos dias nos logo criamos um laço muito forte uns com os outros, depois de um mês chegou Jimin um menino muito doce, que por causa disso sofria bulling dos mas velhos do orfanato, e por causa disso eu e os meninos nos ajuntamos para protegê-lo ai ele entrou em nosso grupo, mas logo depois de três dias chegou no orfanato um menino muito loco cujo nome era Taehyung que cativou todos nos, e também entrou no nosso grupo. Depois de um ano chegou ao orfanato um bebê que a mãe tinha morrido no parto, e o pai em um acidente de carro, os funcionários deram o nome para ele de Jungkook, mas mesmo ele sendo muito pequeno eles não davam a atenção devida a ele então eu e os meninos passamos a cuidar e de certo modo criar ele, mesmo sendo muito novos, e por causa disso nós nos tornamos uma família cujo Jin era a mãe de todos e Namjun por seu modo de líder nato o pai e Hoseok, Jimin, Taehyung e Jungkook  e eu  os filho – Suga deu um leve risada ao dizer isso como se aquilo fosso um lembrança boa, e que ele gostava de lembrar mas logo continuou - e assim que Jin hyung atingiu a maior idade ele faz questão de arrumar um prego em um super mercado, e também alugar uma casa, e logo em seguida com muito esforço adotar nós seis. Então oficialmente nós nos tornamos uma família, daí os anos foram se passando e todo parecia mil e uma maravilha mesmo com algumas dificuldades que passávamos, afinal o que contava era que agente esta juntos, mas a alguns meses atrás eu comecei a trabalhar em um posto de gasolina porque eu queria ajudar mas em casa e também foca no meu sonho de entrar na área da musica, Jin hyung não gostou da ideia porque ele queria que um me concentra-se nos meus sonhos e começasse a faculdade de musica,sem empecilhos que me pudesse me deixar sobre carregado de mas, que ele me ajudaria com tudo que eu precisa-se, mas no entanto eu não queria sobre carregar ele pois Jin hyung já fazia muito por todos, com isso eu conheci um garoto cujo se chamava Lee Tae-yong que logo de cara os garotos não gostaram dele principalmente o Jungkook, que dizia que não gostava dele pois ele cheirava encrenca, eu achei no começo que era ciúmes dele porque eu passei a sair muito com ele e deixei de fazer coisa com o Jungkook como por exemplo tocar piano com ele, mas um certo dia o Tae-yong me perguntou se eu queria ganhar bastante dinheiro e que ele poderia me colocar em um esquema para isso, porque ele era da gague lobos vermelhos, eu logo disse que não porque eu não gostava desse tipo de coisas fora da lei que eu preferia um trabalho honesto, mas mesmo assim ele continuou insistido, então quando chegou o dia do aniversario do Jungkook e eu e os meninos preparamos uma festa surpresa para o próprio tudo esta bem, até que eu recebi uma mensagem do Tae-yong que dizia para mim encontrar ele em um bar chamado el diaplo, dizendo para mim ouvi um proposta dele e se eu não aceita-se desta vez ele pararia de insistir, e como eu estava cansado dele me enchendo o saco com esse papo eu decidir ir, mas já na cabeça em dizer não para qualquer proposta dele, então eu fui até o tal bar, que assim que eu cheguei lá descobri que estava acontecendo uma festa da  gague lobos vermelhos, e o Tae-yong começou a insistir que eu pedi-se algo para beber mesmo eu dizer que não, mas ele foi tão insistente que eu disse que então eu queria uma água, ele foi buscar a água, daí eu bebi ele ouvi a proposta dele e disse que não. E logo sai de lá, mas quando eu sai de lá eu comecei a me sentir estranho como se alguém tive-se colocado algum tipo droga na minha água, quando eu cheguei em casa Jungkook estava jogando no vídeo game, mas ele notou que algo estava estranho comigo, então ele ficou preocupado e me perguntou se eu estava bem, e como eu estava fora de mim eu foi muito rude com ele, daí ele me perguntou se eu estava drogado porque eu estava estranho e com os olhos vermelhos, e eu fiquei inexplicavelmente irritado com ele e o chamei de merdinha. Daí uma coisa leva a outra e agente começou a brigar de socos sendo que a maior parte era os meus, pois o Jungkook mesmo que as vezes revidava mas me abraçava pedido para eu parar pois ele não queria brigar e eu estava fora de mim, então eu o empurrei ele no chão e sai de lá sem rumo, sem saber o porque, Jungkook tentou ir atrás de mim até um certo ponto pois eu não conseguia ouvir seus passos atrás de mim, eu achei que ele tinha desistido, depois disso eu não lembro de mas nada pois eu acabei desmaiado em um beco, então quando eu acordei eu recebi um mensagem do Jin hyung dizendo que o Jungkook tinha sido atropelado estava em estado grave no hospital – nesse momento lagrimas brotaram nos olhos do suga, mas mesmo assim ele continuou.

- Eu sabia que tinha sido culpa minha, porque o lugar onde ele tinha sido atropelado foi exatamente onde eu tinha parado de ouvi seus passos,atrás de mim, depois dessa mensagem eu foi correndo para o hospital, chegando lá eu encontrei o Jin hyung chorando na porta, claro que eu logo fui falar com ele para saber o porque, daí ele falou que tinha ligado para o banco para pedi um empréstimos mas tinha sido negado, e o pior era que era para uma cirurgia para salvar a vida o Jungkook,que se ele não fizesse em 48hr ele poderia morrer, então no momento de desespero eu procurei o Tae-yong e pedi o dinheiro emprestado e ele deu, mas ele disse que iria cobrar, eu aceitei claro porque eu tinha que salvar a vida do meu irmãozinho Jungkook, então depois de uns dias da cirurgia do Jungkook, que ainda se encontrava no hospital internado se recuperando lentamente,  o Tae-yong me ligou e disse para mim encontrar ele em frente a um banco, porque ele iria cobrar o que  devia a ele, eu disse a ele que não tinha como pagar ele pois eu não tinha dinheiro nem um, então ele disse para eu não me preocupar pois não era dinheiro que ele queria mas si um favor, mesmo desconfiado eu sim que tudo bem que eu iria, então sai do hospital eu fui até o local, quando eu avistei Tae-yong ele estava correndo em minha direção dizendo para mim corre também, mesmo eu não entendo eu o fiz, então quando chegamos em um beco ficamos encurralados por dois policias, que deram voz de prisão para nos dois por assaltar um banco com a gague lobos vermelhos, então Tae-yong atirou nos dois policias em um momento de distração dos dois e os matou, então ele limpou a arma e me obrigou a segura-lá, dizendo que se eu não fizesse ou conta-se  ele mataria os garotos, então eu fiz daí ele jogou a arma ao lado dos corpos do policiais e disse que a divida estava paga e foi embora, mas eu tinha entendido o que ele quis dizer com “a divida esta paga” ele tinha me incriminando, então eu sai rápido de lá, e contei tudo para os meninos, então eu falei a os meninos que eu iria fugir até encontra uma forma de provar minha inocência, e os meninos concordaram e me ajudaram a fugir, pois eles sabiam que se eu fosse preso para mim não contar nada do ocorrido ele me matariam porque tem gente dos lobos vermelho na policia.

- Meus Deus Saga que historia – Eu disse chocada com o que ele contou.

- Eu sei digna de um filme ou livro – Ele disse – só espero que o mocinho não se ferre no final.

- O se dá – Eu disse em seguida sorri gentilmente – Mas se depender de mim o mocinho no final provara sua inocência.

- Obrigada por suas palavras – Ele disse retribuído o sorriso.

- Então por causa disso iremos começar tentar escrever essa historia amanhã, tudo bem para você ? – Eu disse. 

- Tudo bem, se eu não trabalhar a escrever por este ferimento – Ele disse ainda sorrindo.

- Não se preocupe soldado, amanha não iremos para o campo de guerra – Eu disse brincando o que fez ele ri – Primeiramente teremos que fazer um disfarce para você, c...claro se você deixar e quiser.

- Sim eu quero – ele disse sorrindo – Só não irei aceitar se eu tiver que me vestir de mulher.

E novamente nós dois rimos.

- Sedo assim boa noite – eu disse – ah eu posso levar a tigela ou ,você vai querer mas ?

- Não estou cheio – Ele disse sorrindo.

- Então tudo bem, vou levar isso – eu disse me levantando da cama e pegando a tigela e novamente disse – Boa noite.

E logo fui em direção,mas antes que eu sai-se do quarto Suga me chamou me impedindo de sair, quando estava em frente a mesma.  

- S/N.

- Sim – eu disse.

- Você não quer dormir na sua cama – ele disse – porque eu percebi que você só tem um quarto, então significa que você esta dormindo no sofá, e eu não quero incomodar, então posso dormir no sofá.

- Você não esta incomodando de jeito algum – Eu disse sorrindo – E alem do mas você ainda é meu paciente. E precisa de conforto, e também meu sofá é muito fofinho.

- Sendo assim boa noite – ele disse.

- Boa noite – Eu disse e sai do quarto.


Notas Finais


Pessoal vocês gostariam de um hot o mas rapido o possível ou conseguem esperar mas um pouco ?
Que dó do Suga e do kook
Gostaram
continuo ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...