História In My Life - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Ed Sheeran
Personagens Bruno Mars, Ed Sheeran, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Selena Gomez, Taylor Swift, Zayn Malik
Tags Amizade, Bebidas, Depressão, Drogas, Ed Sheeran, Fama, Festa, Framlingham, Inglaterra, Los Angeles, Musica, Show, Suffolk
Visualizações 67
Palavras 1.731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


No episódio anterior...

Eu acordei e fui ao Papa's, fazia tempo que eu não ia lá, foi bom voltar. Eu decide ir a casa da Caroline, se é que ainda é a casa dela, eu bate na porta e estou esperando alguém abrir...

Capítulo 24 - Today.


Fanfic / Fanfiction In My Life - Capítulo 24 - Today.

Framlingham, 17 de fevereiro de 2013.

Eu esperei alguns segundos que mais pareceram uma eternidade e alguém abriu a porta, eu fiquei sem reação quando vi a Caroline, ela também congelou, ela está ainda mais bonita. Finalmente eu saí do transe e a abracei forte, há quanto tempo eu não fazia isso, é reconfortante poder abraçar ela de novo. Ela retribuiu o abraço, lágrimas silenciosas começaram a escorrer pelo meu rosto depois de alguns minutos nós nos afastamos, e eu vi que ela também estava chorando.

-Eu senti sua falta. -Ela falou sorrindo, eu sorri.

-Eu também senti a sua. -Falei e nós nos abraçamos de novo.

-Entra. -Ela falou quando a gente se afastou, eu sorri e a segui para dentro da casa. -Eu achei que você não fosse ver a mensagem. -Ela falou olhando para o chão.

-Eu gosto de responder as pessoas. -Falei também encarando o chão.

Nos fomos para a sala e para minha surpresa o Pitter está lá.

-May! -Ele falou se levantando e vindo na minha direção, ele me abraçou apertado e eu retribui.

-Oi Pitt. -Falei ainda o abraçando.

-Você está ótima. -Ele falou sorrindo, eu sorri e o encarei.

-Você também. -Ele continua com o mesmo sorriso e olhos encantadores, mas ele está mais forte e incrivelmente sexy, nós nos sentamos no sofá, Care a minha direita e o Pitt esquerda. -E aí o que vocês tem feito? -Eu perguntei sorrindo.

-Eu tô morando em Brighton e tive dois filhos com a Susy, mas a gente se divorciou. -Ok, é muita informação!

-Ual, dois filhos? -Eu perguntei surpresa. -Quantos anos eles tem?

-O mais velho é o Paul, ele tem três e a Shey tem dois. -Ele falou e pegou o celular. -Aqui. -Ele falou me entregando o celular e eu vi as fotos.

-Eles são lindos. -Eu falei ainda olhando a foto, ela é uma gracinha cabelo castanho liso com uma franja que a deixa ainda mais fofa os olhos pretos iguais os do pai dela, na verdade ela é a cara do Pitt, o menino é idêntico a Susy, tem o cabelo preto e olhos castanho claro. -Ela é a sua cara! -Eu falei sorrindo. -E ele parece com ela. -Eu falei e devolvi o celular para ele. -Nossa, eu ainda não acredito nisso. -Falei sorrindo.

-Que eu casei, ou que tive filhos? -Ele falou rindo.

-As duas coisas. -Eu falei dando risada. -Eu não acredito que perdi seu casamento. -Falei e dei um sorriso triste, eu realmente não queria ter perdido essas coisas. -Ou você sendo pai. -Eu falei e ele me abraçou de lado.

-Você está aqui agora. -Ele falou e deu um beijo na minha testa.

-Parece que algumas coisas vão voltar ao normal. -A Caroline falou me encarando e sorrindo.

-Por quê? -Eu perguntei e ela sorriu.

-Eu vi as notícias da sua briga com o Ed, você bateu nele e gritou no meio da rua, como nos velhos tempos. -Ela falou e eu dei risada. -Vocês fizeram as pazes e agora você está aqui. -Ela falou sorrindo.

-Eu não sei se a gente fez as pazes. -Eu falei e ela me encarou.

-Como não? Você veio para cá logo hoje e vem me dizer que não fizeram as pazes. -Ela falou e eu a encarei confusa. -Fala sério! -Ela deu um grito baixo e em seguida deu risada. -Você sabe que dia é hoje? -Ela perguntou e eu dei de ombros.

-Domingo. -Eu falei, ela e o Pitter riram.

-Você costumava ser menos lerda. -A Care falou e eu dei risada. -Qual o dia em número. -Ela falou me encarando, eu pensei um pouco.

-Dia dezesse... -Eu não terminei de falar me dando conta da data. -É o aniversário dele. -Eu falei em voz baixa e me apoie no sofá. -Eu não acredito. -Falei olhando para frente.

-Você não tinha mesmo se dado conta disso? -O Pitter falou surpreso, eu balancei a cabeça negativamente. -Ual. -Ele falou e depois deu risada. -Isso sim é insano. -Ele falou e eu o encarei.

-Ele veio para cá não é? -Eu perguntei já sabendo a resposta.

-Veio. -Care falou, eu respirei fundo. -Eu achei que vocês tinham combinado. -Ela falou e eu dei de ombros.

-Eu nem ia vir para cá, mas você me enviou aquela mensagem e eu só fiquei pensando na falta que vocês fazem para mim. -Eu falei e ela sorriu.

-Ah vem cá. -Ela falou e me abraçou apertado, eu retribui o abraço.

-Eu realmente não esperava que ele estivesse aqui. -Eu falei ainda pensando no assunto.

A campainha tocou, eu olhei para a porta, a Caroline se levantou e foi abrir a porta, ela abriu aporta e eu vi a Stela entrando, eu sorri e me levantei indo na direção dela empolgada.

-Maysie! -Ela gritou e me abraçou apertado. -Que saudades! -Ela falou ainda me abraçando.

-Eu também senti. -Eu falei a abraçando e sorrindo.

Então eu olhei para porta e vi o Ed, meu corpo gelou, de novo, a Stela e eu nos afastamos, ela me encarou e olhou para o Ed na porta.

-Eu não sabia que vocês tinham voltado! -Ela falou empolgada, eu a encarei. -Vocês não voltaram? -Ela falou olhando de mim para o Ed. -Foi mal. -Ela falou e o Pitt deu risada.

-Eu também tinha achado isso. -Ele falou dando risada.

-Eu vou voltar para casa, depois a gente se fala. -Eu falei olhando para Care, depois para o Pitt, Stela e por último para o Ed.

-Já? -Stela falou me encarando.

-Eu estou cansada, eu não dormi muito bem essa noite e eu ainda quero andar por aí. -Eu falei e a abracei de novo. -A gente se vê depois. -Eu falei quando a gente se afastou. -Tchau Pitt. -Eu falei e dei um abraço nele.

-Tchau loirinha. -Ele falou me apertando um pouco.

Nós nos afastamos e eu abracei a Caroline.

-Eu vou passar na sua casa mais tarde. -Ela falou e eu sorri.

-Até mais tarde então. -Eu falei e a gente se afastou.

Eu fui na direção da porta.

-Tchau. -Eu falei quando passei pelo Ed, para minha surpresa ele veio atrás de mim e segurou meu braço, eu me virei surpresa e o encarei.

-Eu não queria ter falado aquilo. -Ele falou sem me encarar.

-Tudo bem. -Eu falei mas não tive forças para me mover. -Já passou. -Eu falei e o encarei, aqueles olhos azuis tão bonitos, desde que a gente se reencontrou eu não havia tido tempo para reparar em como ele está, agora eu pude reparar em todos os detalhes do rosto dele, o cabelo está grande, a barba começa a crescer.

-Você pode ficar, eu... -Antes dele terminar eu o interrompe.

-Não, eu já vou, eu preciso. -Eu falei e ele soltou minha mão, uma parte minha quer jogar tudo para o alto e me jogar nos braços dele, mas depois de tudo que aconteceu, provavelmente nada voltaria a ser como antes. -Feliz aniversário. -Eu falei e dei um sorriso fraco.

-Obrigado. -Ele falou e eu me virei e fui andando sem um rumo certo.

Eu respirei fundo e fui andando até chegar no centro, eu continuei andando e me dei conta de onde estava, quando parei de frente para uma loja, fechada, onde eu costumava passar as tardes, eu peguei a chave da casa, que também tem a chave da loja e abri o lugar, eu deixei a porta da loja aberta e abri as janelas, eu acendi a luz que eu não sei porquê ainda não foi desligada, mas agradeci por isso, e fui para os fundos da loja, eu sorri, ao ver tudo aquilo, meu violão e o do meu pai ainda estão ali, junto com um toca discos e vários vinis antigos.

Eu fui até os discos e peguei um dos Beatles, eu coloquei e por incrível que pareça aquele toca discos velho ainda funciona.

Assim que o toque começou eu reconheci a música na hora, "Yesterday".

Yesterday

All my troubles seemed so far away

Now it looks as though they're here to stay

Oh, I believe in yesterday

Minha mente voltou ao dia do acidente.

Framlingham, 25 de maio de 2007.

Depois que o médico foi embora eu acabei dormindo de novo e só fui acordar agora, eu olhei para o lado e não vi ninguém, eu respirei fundo, eu ainda não acredito em tudo que aconteceu, mais uma vez eu comecei a chorar de novo.

Alguns minutos depois uma enfermeira entrou no meu quarto.

-Olá. -Ela falou sorrindo e se aproximando de mim.

-Oi. -Eu falei quase inaudível.

-Eu vou ver como você está e vou transferir você de quarto. -Ela falou ainda sorrindo. -Eu vou levar você para o quarto do seu pai. -Ela falou e eu sorri, essa é melhor notícia que eu tive até agora.

"Se vão me levar para vê-lo quer dizer que ele está bem!"

Ela terminou de fazer os exames e me ajudou a sentar em uma cadeira de rodas, ela me levou até o quarto do lado, eu sorri ao ver o meu pai, apesar de estar muito machucado ele continua lindo, ele sorrio ao me ver, eu fui até a cama dele e me deitei junto dele, eu estava chorando mais uma vez, ele chorou comigo.

-O Josh.. -Eu comecei a falar e ele passou a mão no meu cabelo.

-Eu sei. -Ele falou e depositou um beijo no topo da minha cabeça. -Mas vai ficar tudo bem. -Ele falou me abraçando.

-Ele mandou eu te falar que ele te ama. -Eu falei me lembrando das palavras dele.

-Eu sempre vou amar ele. -Ele falou e o apertei mais. -Eu sempre vou amar vocês acima de tudo e todos, não importa o que aconteça eu vou sempre estar com você. -Ele falou enquanto faz um cafuné em mim.

Mais tarde...

Eu acordei com um barulho alto, eu dormi segurando a mão do meu pai, ele está na cama ao lado, eu abri os olhos de vagar e vi vários médicos entrando.

-Tirem daqui! -Um deles gritou e uma enfermeira empurrou minha cama para fora do quarto.

-Um, dois, três, afastar. -Eu pude ouvir o médico falando e em seguida o barulho do choque.

"Não, eu não posso perde-lo também!"

-Pai! -Eu gritei tentando me levantar e voltar para o quarto mas a enfermeira não deixou.


Notas Finais


E aí o que acharam? Esses reencontros, tão fofinhos(outro nem tanto kkkk)❤
E uma lembrança importante da May, e muito triste também...
Enfim, comentem o que estão achando, deixem críticas, sugestões, opiniões etc..
Beijão e até o próximo capítulo 😘✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...