História In our blood - Capítulo 7


Escrita por: e Myluh_Unih

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bailes, High School, Romance, Vampiros
Visualizações 29
Palavras 1.826
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse cap tá mto fofo

Capítulo 7 - Demon blood


Fanfic / Fanfiction In our blood - Capítulo 7 - Demon blood

*POV.MATTHEW*

 Eu estava totalmente vagando na minha mente, pensando em vermelhidão, um pensamento bem abstrato mas era isso.

 Quando ela chegou, eu me senti menos estranho, como se tudo de repente tivesse certo, quando seus olhos se iluminaram em vermelho eu tive certeza que tudo estava bem, quando eu a beijei eu finalmente me senti completo.

 De alguma forma eu não sentia medo dela, se eu estivesse nos meus dias normais eu provavelmente teria me borrado, mas nela parece tão... normal.

Maya: Você não tem... medo?

Matthew: Medo?

Maya: Sim, de mim, você não tem medo?

Matthew: Por que eu teria medo de uma pessoa tão linda?

Maya: Mas Matthew, eu sou um demônio, uma vampira, um monstro...

Matthew: E quem disse que eu estou preocupado com isso? Você poderia ser a criatura mais perigosa da terra, eu continuaria a te amar.

Maya: Você me ama?

Matthew: Como poderia não ama-la?

 Coloco minha mão suavemente na sua bochecha, a pele fria na minha mão, ela aproveita o carinho com delicadeza.

Maya: Mas então... não é hora de conversar sobre, o que está acontecendo com a gente?
*POV.MADIE*

 Ando pelos corredores procurando Maya, cadê essa sangue suga? Aí que ódio, essa criatura some no meio da aula sem dar explicações, simplesmente mete o pé! Afffff, todo mundo já foi embora a escola está vazia e cá estou eu procurando a Maya pelos corredores.

 Vou andando e escuto algumas vozes no grêmio, será que ela tá lá? Entro na sala do grêmio e me deparo com a seguinte cena: Maya e Matthew beeeem próximos, ele com uma mão acariciando a bochecha dela, que fofos, aish, acho que estraguei o clima dos dois, enquanto eles não me viam escutei Maya perguntando a Matthew se eles deviam conversar sobre o que está acontecendo com eles, e assim que Maya termina de falar os dois reparam na minha existência e direcionam os seus olhares para a minha pessoa.

Madie: eu... Eu posso explicar

Matthew: por favor explique

Madie: mas isso vai falar a respeito dos sentimentos dos pombinhos aí.

Maya e Matthew se entreolham e dizem em coro.

Maya: pode falar

Matthew: pode falar.

Madie: é bem simples na verdade, em seus mais de trezentos anos de vida...

Matthew: mais de trezentos anos?

Matthew olha surpreso pelo fato de que Maya não parece mesmo ter trezentos anos.

Madie: sim meu anjo, você é o único aqui que tem menos de trezentos anos.

Matthew agora direciona um olhar surpreso para mim, e eu continuo a explicação.

Madie: parando de falar sobre qual a nossa idade, na vida toda da Maya, ela nunca se apaixonou, por isso também está surpresa, mas como você já deve ter deduzido, ela se apaixonou, por quem o pessoal chama de "Nerd delicinha" ou, falando melhor, ela se apaixonou por você Matthew, a Maya te ama.

 Maya abaixa a cabeça com um pouco de vergonha e Matthew olha pra ela.

Madie: continuando... E você, Matthew, já era apaixonado por ela antes mesmo da própria Maya notar sua existência. E como você já deve ter deduzido também, a Maya é uma vampira, e quando vampiros se apaixonam, tanto o o vampiro quanto o seu amado são afetados, o que faz que aconteçam mudanças tanto de comportamento, por exemplo, a Maya sumiu uns dias atrás por que, quando te beijou na festa, teve vontade de sangue humano, mas ela tinha que se controlar e antes que se pergunte que tipo de sobrenatural eu sou para ter mais de 300 anos Matthew, eu sou uma feiticeira.

 O Matthew me olha surpreso e a Maya faz uma cara de "já sabia"

Madie: o beijo de vocês na festa, foi o que desencadeou tudo, quando vocês tiveram aquele contato pela primeira vez, uma parte de ambos reconheceu que vocês verdadeiramente se amam. E depois daquilo, os efeitos começaram a surgir em vocês, de forma que só juntos vocês ficam completamente normais e felizes, por que só um pode concertar o outro. O sentimento de vocês é muito forte, por isso vocês se conectam em tudo, inclusive com o olhar, os olhos de vocês quando ficam vermelhos, não sei se já repararam, mas quando estão juntos e seus olhos ficam vermelhos, é como se eles se encaixassem. Matthew, eu conheço a Maya a uns duzentos anos, e eu sou testemunha, eu posso afirmar que ela nunca sentiu por ninguém o que sente por você agora, e o fato de você ser um mortal deixa uma parte que Maya não conhecia atormentada, por saber que um dia vai te perder. E você Matthew, pode estar achando muito confuso tudo o que eu te expliquei agora, até por que saber que você se apaixonou por uma vampira e que eu sou uma feiticeira é meio complicado para mortais como você, mas Matthew, todas as lendas são reais.

 Matthew me olha as sentindo sobre estar confuso e Maya me olha com uma cara de "você sabia esse tempo todo?" e eu continuo meu discurso.

Madie: Matthew e Maya, as coisas ainda vão ficar estranhas, e vocês vão precisar de ajuda, quando a Maya começou a ficar estranha, eu fui pesquisar sobre o que estavam acontecendo e eu sei o que vai acontecer em seguida com vocês, mas por enquanto eu digo, não se separem em hipótese alguma, quanto mais longe vocês ficarem, mais fora de controle estarão. Agora, com licença, eu vou deixar vocês a sós, precisam conversar um pouco, por mais que eu explique, só vão entender completamente a situação na prática, como eu não tenho mais que esconder de você Matthew, tchau galera.

 Eu digo e abro um portal para a minha casa, Matthew me olha surpreso mas eu ignoro e entro no portal, eu precisava ter essa conversa com Matthew.

*POV.MAYA*

 Não me surpreendi tanto pelo fato da Madie saber de tudo, ela é muito curiosa e preocupada, mas agora que os dois sabem de tudo... eu sinto que o Matthew tem muitas perguntas.

Maya: E então... você quer ir na minha casa para conversarmos melhor? Não tem mais ninguém na escola.

Matthew: Claro, tudo bem se você quiser.

Maya: Vamos, segure bem forte no meu braço.

Matthew: Por quê?

Maya: Você achou mesmo que iriamos do jeito convencional?

 Ele engole em seco e se agarra em mim, seguro ele firmemente e uso a minha velocidade para chegar até em casa, em menos de dois segundos estavamos em casa.

Maya: Gostou da viagem?

 Perguntei a ele que parecia meio zonzo pela viagem.

Matthew: Foi uma experiência... interessante.

 Entro em casa e logo vejo que Lorie estava em casa, inclusive bebendo sangue de canudo, quando ela vê Matthew ela se assusta.

Lorena: Maya você tá maluca de trazer um humano em...

 Nessa hora eu vejo que os olhos de Matthew ficam vermelhos, se ele está com os olhos assim eu automaticamente fico com meus olhos de vampira.

 A Lorie fica de queixo caído e direciona o olhar de um para o outro.

Lorena: Caralho...

Maya: É... (interrompida)

Lorena: PUTA QUE NOS PARIU! Tu teve o AI!

Maya: É mais ou menos isso...

Matthew: O que é "AI"?

Maya: É uma sigla para o que nós vampiros chamamos de "Amor Imortal".

Matthew: Imortal?

Lorena: Ainda bem que você teve, já tava na hora nos seus... sei lá quantos mil anos.

Matthew: Mil anos?!

Maya: Ela só está sendo exagerada, eu não tenho mil anos... mas tenha certeza que quando eu tiver vai ser uma festa de arrasar.

Lorena: Agora eu vou me encontrar com a naja e vou deixar os dois pombinhos em paz.

 Ela sai usando a velocidade nos deixando a sós, ele me olha interrogativo.

Maya: Pode perguntar, sei que deve estar confuso.

Matthew: Sei que é indelicado perguntar a idade de uma dama mas...

Maya: 386.

Matthew: Uau, é por isso que você é tão boa em história.

Maya: Eu meio que vivi em muitos tempos históricos.

Matthew: Por que a Lorena se referiu a sua mãe como puta?

Maya: Porque ela era.

Matthew: Como assim?

Maya: Você vai escutar uma história, que eu nunca contei a ninguém, nem a Lorie sabe a história toda.

Matthew: E então, por que você vai me contar?

Maya: Porque eu me sinto segura com você Matthew, então apenas escute.

 Ele se cala e eu respiro fundo, mesmo que essa ação não tenha nenhum efeito sobre mim me acalma um pouco.

Maya: Tudo começou em 1631, minha mãe era uma prostituta em Londres e meu pai um cafetão e o mais importante ele era um vampiro-reprodutor, uma raridade em nossa espécie, ele acabou tendo um caso com uma de suas garotas, ou seja, minha mãe, ou melhor, a mulher que me teve, porque de mãe ela não tinha nada, nesse caso ela acabou engravidando.

Maya: Agora partimos a 1649, eu tinha 17 anos e a Lorena tinha 3, eu tinha ido lavar as roupas, quando voltei a casa estava num clima estranho, mais sombrio, nem a minha mãe nem a Lorie estavam em casa, era só eu e ele, ele me prendeu no porão e me torturou, como ele fazia com a maioria das garotas quando ele sentia fome, ele provavelmente me mataria se eu não fosse mais esperta, num dos momentos que ele não estava eu preparei uma armadilha que fez com que ele sangrasse, aproveitei a oportunidade e lambi o sangue que ficou no metal.

Matthew: Só isso de sangue?

Maya: Uma gota já é o suficiente.

Maya: Ele se irritou comigo e me matou, só que em vez de ir e ficar, eu voltei como vampira, isso o deixou muito furioso, mas ele não podia fazer nada, como eu sou uma vampira de sangue puro, ou seja, fui criada do nascimento, eu consigo andar no sol e sou mais forte que os outros, ele não conseguiu me derrotar, mas como eu ainda estava recentemente criada era muito perigosa para humanos, e ele me chantageava dizendo que eu iria matar todos, eu era muito tola então acreditei.

Maya: Depois de 14 anos me alimentando apenas de roedores e animais pequenos, ele se extressou com a minha existência, e ele sabia que a única coisa que iria me arrasar seria a morte de alguém que eu amo, primeiro ele matou a minha mãe, mas eu não a amava, depois ele torturou a Lorie e a jogou pra mim, eu estava totalmente faminta, mas fui esperta o suficiente para em vez de matar a minha irmã, eu a transformei, quando eu e a Lorie nos juntamos conseguimos matar meu pai e libertar as garotas ainda vivas.

Matthew: Você passou por tanto, é uma trajetória tão difícil, mas você conseguiu... é impressionante, eu não sabia desse seu lado forte.

Maya: Como você me via antes?

Matthew: Bem, era como se você tivesse vindo diretamente de um dos filmes clássicos da Disney.

Maya: Hahaha.

Matthew: O que é engraçado?

Maya: Você me via como uma princesa?

Matthew: Ainda vejo.




Notas Finais


Musiquinha da inspiration:
https://youtu.be/mWRsgZuwf_8


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...