História In sync - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Jungkook, Taehyung, Taekook, Vkook
Visualizações 76
Palavras 1.631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - H


Era estranho ter Taehyung em sua casa, sob o mesmo teto enquanto seus pais estavam ali.

Apertava a aliança em seu dedo.

Havia se tornado um hábito.

Parecia que aquilo o deixava mais perto de Taehyung.

Seu pai tinha convidado seu ex-namorado para ficar ali até que se decidisse algo.

Naquele dia, Jungkook decidiu contar algo para Taehyung.

Entrou no quarto onde o de cabelos cinzas estava e se sentou na cama. Ganhou um sorriso tímido do outro que parecia tão perdido quanto ele.

- Tae… eu preciso te contar uma coisa.

- Acho que hoje é um bom dia para contar a verdade, não? - Taehyung sentia seu corpo sendo puxado por Jungkook.

Naquela manhã tinham falado com o pai de Jungkook porém, tudo parecia nebuloso. Já era fim de tarde e nada havia sido decidido já que o patriarca teve que sair.

Taehyung se aconchegou entre as pernas de Jungkook, se sentando junto com ele.

- Sim… acho que hoje seria o melhor dia.

- O que precisa me contar? E não vai me dizer que você está noivo de alguém que eu sou capaz de pular dessa sacada.

- Não… - Jungkook riu - É outra coisa. Tae… já faz um tempo, um certo tempo que durante as noites eu sonho com você.

- Ah! Que lindo! Você sonha comigo! - Taehyung dizia num tom de deboche.

Taehyung era sempre assim, com aquelas brincadeiras que faziam Jungkook se arrepender de falar certas coisas.

- Apenas fica quieto e me escuta, Taehyung.

- Uh! Ele está mandão hoje…

Jungkook ria.

Como poderia ser tão diferente uma realidade da outra?

- Eu sonho todos os dias com outro mundo. Com outra vida. - Jungkook puxava em sua mente - Nós somos colegas de quarto nessa realidade… e você estava namorando Yui.

- Yui? Você já me disse esse nome.

- Sim… você namorava com ela e nos meus sonhos eu achei que você ia casar com ela, você estava muito perto disso. Ela é igual a sua noiva de agora. A mesma pessoa.

Taehyung engolia seco.

O clima de brincadeira passava.

- Jungkook…

- No sonho eu e você somos colegas de quarto, moramos juntos no mesmo apartamento, estudamos na mesma faculdade e agora trabalhamos na mesma empresa. - Jungkook puxava em sua memória tudo aquilo - Mas ainda não namoramos…

Jungkook apertava os braços em Taehyung.

- Jungkook… você está…

- Eu sonho com você todos os dias, Tae. É além de um sonho. Eu vivo uma outra vida com você ali. E… acho que aos poucos estamos ficando juntos.

Taehyung sentia o coração bater rápido.

Jungkook contava aquilo com tanto sentimento, com tanta intensidade.

- Eu queria dizer pra você que já te amo. Queria te pedir em namoro mas não tenho coragem.

- Porque não me contou isso antes? Desses sonhos?

- Não tive oportunidade…

- E você está bem com isso?

- Acho confuso… não sei bem o que está acontecendo.

Os dois ficaram em silêncio por alguns momentos.

Eles aproveitavam o carinho do outro.

- E então… qual é o problema nesse sonho? - Taehyung perguntava.

- Ahn?

- É… qual é o problema que temos nesse mundo?

- Não acho que temos nenhum problema.

- Com certeza tem algum…

- Porque acha que tem…?!

Algo vinha em sua mente.

Havia sim.

Havia algo errado.

- Meu nariz sangra… Acho que eu estou doente…

Os olhos de Jungkook se enchiam de lágrimas.

Taehyung se assustou com a reação do outro.

- Jungkook, o que foi? Não chora… Está tudo bem, é um sonho. Você está bem e eu estou bem.

- Não… não está. Estamos praticamente fugindo do seu pai. E eu não tenho certeza que é só um sonho…

Taehyung ficava confuso.

Era informação demais de uma só vez.

- Porque não tem certeza que é só um sonho?

Parecia que aquela era a primeira vez que Jungkook pensava naquilo.

Olhava nos olhos de Taehyung como se aquilo pudesse lhe dar uma resposta.

- Eu não sei o motivo…

- Jungkook... se você quer dizer que me ama, se quer me pedir em namoro, apenas faça. Acho que somos a prova de que nem sempre temos todo o tempo que queremos...

Provavelmente iriam continuar a conversa se não fossem interrompidos por sua mãe:

- Jungkook? Posso entrar?

- Pode…

- Tem alguém aí na porta procurando você, Taehyung. Namjoon, se entendi certo.

- Está bem, estou descendo. Obrigada Sra. Jeon.

A mãe sorriu fraco.

Ficou alguns instantes olhando o garoto que estava disposto a se virar contra o próprio pai por seu filho.

- Está tudo bem, Sra. Jeon? - Taehyung perguntava ao notar o olhar.

- Está… acho que sou eu quem deveria perguntar isso para você, não? É só que… eu não imaginava que você teria coragem de fazer algo assim.

- Eu também achava que não, Sra. Jeon.

- Então, o que fez você ter coragem?

Jungkook se assustava.

A mãe nunca costumava falar assim muito menos com pessoas que não conhecia.

- Se eu me casar com ela, jamais vou ser feliz. Provavelmente vou continuar a procurar Jungkook. Se eu a trair provavelmente o pai dela irá me matar. Então prefero morrer corajoso porque tentei fugir e resolver o problema do que morrer um covarde que trai a esposa. Se eu tiver que me casar, que pelo menos eu tenha um plano porque, caso contrário, não irá funcionar.

Jungkook sentiu um frio lhe percorrer a espinha.

Nunca imaginou que Taehyung tivesse aquela força.

E não sabia que aquele amor por ele faria Taehyung fazer isso.

O mais velho se levantou e foi em direção à porta encontrar Namjoon sendo acompanhado por Jungkook.

- Hyung, o que está fazendo aqui?

- Ué! Vim te ajudar a convencer o pai de Jungkook.

Taehyung sorriu.

- Entra. - Jungkook dizia.

Pensava na confusão que aquilo estava se tornando.

Namjoon andava na frente quando Jungkook falou baixo para que só Taehyung escutasse.

Nos meus sonhos você e ele já ficaram.

- O quê?! Credo!

- Ué! Credo porque?

- Ele é praticamente meu irmão!

- Você fica com ele e fala credo pra mim? - Jungkook ria.

Se sentaram na sala e Taehyung era direto:

- Hyung, não precisa fazer isso.

- Não pedi sua opinião.

- Hyung… estou falando sério. Já provou sua lealdade, já agradeceu pelo que te ajudei, mas isso passa dos limites.

- Não quero te abandonar agora, deixe eu fazer pelo menos um pouco. É uma conversa, só isso que estou pedindo.

Jungkook pensava.

Era admirável o que Namjoon fazia por Taehyung. Não podia negar o quanto era estranho ter Namjoon ajudando eles a ficarem juntos.

 

——-/——-

 

Jungkook acordava com Taehyung deitado em seu peito.

O dia anterior tinha sido longo.

Todos do grupo do projeto chegaram cedo pela manhã e foram embora somente depois do horário da janta.

Havia sido estranho ter Namjoon ali porém, não havia ficado com ciúmes uma vez sequer.

As atitudes de Taehyung o faziam se sentir seguro.

Haviam trocado muitos beijos antes de dormirem e Jungkook teria acordado feliz se não fosse aquele sonho.

E algo estava diferente.

Olhou sua própria mão e se assustou por alguns momentos por não ter uma aliança ali em seu dedo indicador.

Olhou ao redor procurando.

Demorou para se dar conta de que ali, naquele mundo, não havia aliança nenhuma.

Havia sido a primeira vez que tinha se confundido tanto, por tanto tempo.

Seu coração estava em taquicardia porém não se mexia, Taehyung estava dormindo em cima dele.

Apertou os braços no mais velho lhe abraçando.

Taehyung despertou ouvindo o coração disparado de Jungkook.

- Kookie, está tudo bem?

- Ahn? Está… é só…

- O sonho, né?

- Talvez seja aqui que eu estou sonhando… sonhando que você está aqui comigo…

Jungkook ganhou uma mordida na bochecha.

- Aí! Doeu!

Taehyung riu.

- É pra você ver que não está sonhando, que estou aqui. Posso morder sua bochecha todos os dias se quiser!

- Não, obrigado.

Taehyung riu.

Jungkook sentiu Taehyung esfregar seu rosto no dele.

Com certeza estava sonolento.

E manhoso.

Jungkook fez que ia se levantar mas já sabia o que ia acontecer.

- Não… onde você vai? - Taehyung dizia impedindo o mais novo.

- Vou levantar! Trocar de roupa, tomar um café… - dizia se fazendo de desentendido.

- Não… - Taehyung puxava a cintura do outro - Fica aqui… é de manhã, é domingo…

- Você pode ficar se quiser.

- Não… fica aqui, Jungkook…

Taehyung praticamente se deitava por cima de Jungkook tentando impedi-lo de levantar usando peso de seu próprio corpo.

- Porque não quer ficar aqui comigo, hein? - Taehyung dizia se aconchegando em cima do mais novo - Você acha que só você é fofinho? Eu também posso ser fofinho…

Jungkook riu.

- Você me acha fofinho?

- Eu não… quem disse isso?

Jungkook abraçava o outro em cima de si e voltava a cobrir os dois.

- Só mais um pouquinho então, ok?

- Não posso te ouvir, Jungkook. Estou dormindo…

Jungkook pensava.

Ainda não sabia qual era a sua verdade.

Não sabia o que estava acontecendo.

Mas sentia o peso do corpo de Taehyung sobre o seu.

Conseguia sentir o cheiro do shampoo que ele sempre usava.

Sentia os ossos de suas costas e o toque suave que o tecido da camiseta do pijama do outro lhe trazia.

E sentia aquele amor no coração.

Era amor.

- Tae, acho que eu já te amo também.

Taehyung apoiou o queixo no peito de Jungkook e sorriu para ele.

- Eu estava esperando você dizer isso pra mim, Kookie…

Ganhou um beijo.

Aquela sinceridade de sempre, que mexia com a mente e coração do mais novo.




 


Notas Finais


E então?
O que achamos?
Como está nossos corações?

Meus bolinhos...
Escrever essa história mexe com meu coração! Sério!

Eu fico com a sensação da história durante todo o dia quando escrevo... acho que estou ficando doida!

Aiai...

Beijos enormes, meus bolinhos!

PS: queria dizer que amooo os comentários de vocês!! Eu leio todos várias vezes! Me desculpem a demora para responder! Mas queria que soubessem que são esses comentários que me fazem continuar a escrever! Obrigada de verdade!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...